of 23/23
02/04/2014 1 Elaborado por Tânia Gurgel 1 Professora de Pós Graduação, Advogada Tributarista, Previdenciária e Contadora. É sócia da TAF Consultoria Empresarial e Membro do Conselho da ABAT e ABDT, Membro do Conselho Consultivo da APET, Coordenadora da Comissão de SPED e Nfe da OAB/SP. Experiência de 31 anos em empresas nacionais e internacionais nas áreas de Controladoria e Tributária. Publicações de vários artigos em Jornal e Revistas sobre a indústria da construção civil, tributos e SPED (Sistema Publico de Escrituração Digital), bem como autora do livro: “eSocial você e sua empresa estão preparados?” e coautora do livro: “SPED e sistemas de informação”. Palestrante em diversas associações e entidades tais como: CRC, OAB/SP,CONFEB, CISPED, FIESP, IBC BRASIL, ANAMACO, ACOMAC, SINICESP, ABRAPE, CÂMERA AMERICANA, PETROBRAS, JOHNSONDIVERSEY, IQPC - INTERNATIONAL QUALITY & PRODUCTIVITY CENTER, EVENTO CITYSCAPE LATIN AMERICA, EVENTO ENERGY TAX FORUM, INFORMA GROUP LATIN AMERICA, IBGI INSTITUTO BRASILEIRO DE GERENCIAMENTO DA INFORMAÇÃO dentre outras instituições e in company. @taniagurgel [email protected] Fone:11 5524-3015

BLOCO K LIVRO REGISTRO DE CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE versus Escrituração Fiscal Digital (EFD) ICMS/IPI

  • View
    9.813

  • Download
    69

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Novo cenário no registro de controle de estoque e os desafios na escrituração EFD ICMS/IPI: LIVRO REGISTRO DE CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE versus Escrituração Fiscal Digital (EFD) ICMS/IPI Base Legal: O Secretário Executivo do Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ), através do Ato COTEPE/ICMS 052/2013 (DOU de 27.11.2013), alterou o Ato COTEPE/ICMS 009/2008, que dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de arquivos da Escrituração Fiscal Digital (EFD), para estabelecer, a partir de 01.01.2015, a obrigatoriedade de escrituração do BLOCO K (Controle da Produção e do Estoque) e seus respectivos registros, que tem por finalidade o controle quantitativo da produção e do estoque de mercadorias e, também, ao fornecimento de dados para preenchimento do documento da prestação de informações à repartição fiscal.

Text of BLOCO K LIVRO REGISTRO DE CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE versus Escrituração Fiscal Digital...

  • 1. 02/04/2014 1 Elaborado por Tnia Gurgel 1 Professora de Ps Graduao, Advogada Tributarista, Previdenciria e Contadora. scia da TAF Consultoria Empresarial e Membro do Conselho da ABAT e ABDT, Membro do Conselho Consultivo da APET, Coordenadora da Comisso de SPED e Nfe da OAB/SP. Experincia de 31 anos em empresas nacionais e internacionais nas reas de Controladoria e Tributria. Publicaes de vrios artigos em Jornal e Revistas sobre a indstria da construo civil, tributos e SPED (Sistema Publico de Escriturao Digital), bem como autora do livro: eSocial voc e sua empresa esto preparados? e coautora do livro: SPED e sistemas de informao. Palestrante em diversas associaes e entidades tais como: CRC, OAB/SP,CONFEB, CISPED, FIESP, IBC BRASIL, ANAMACO, ACOMAC, SINICESP, ABRAPE, CMERA AMERICANA, PETROBRAS, JOHNSONDIVERSEY, IQPC - INTERNATIONAL QUALITY & PRODUCTIVITY CENTER, EVENTO CITYSCAPE LATIN AMERICA, EVENTO ENERGY TAX FORUM, INFORMA GROUP LATIN AMERICA, IBGI INSTITUTO BRASILEIRO DE GERENCIAMENTO DA INFORMAO dentre outras instituies e in company. @taniagurgel [email protected] Fone:11 5524-3015

2. 02/04/2014 2 O SPED instrumento que unifica as atividades de recepo, validao, armazenamento e autenticao de livros e documentos que integram a escriturao comercial e fiscal dos empresrios e das sociedades empresrias, mediante fluxo nico, computadorizado, de informaes Constituio Federal Art. 37 ... XXII As administraes tributrias da Unio, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municpios, atividades essenciais ao funcionamento do Estado, exercidas por servidores de carreiras especficas, tero recursos prioritrios para a realizao de suas atividades e atuaro de forma integrada, inclusive com um compartilhamento de cadastro e de informaes fiscais na forma da lei ou convnio. CTN Art. 199. A Fazenda Pblica da Unio e as dos Estados, do Distrito Federal e dos Municpios prestar-se-o mutuamente assistncia para a fiscalizao dos tributos respectivos e permuta de informaes, na forma estabelecida, em carter geral ou especfico, por lei ou convnio. 3. 02/04/2014 3 NF-e NFS-e NFS-e CT-e Brasil-ID SINIAV NF-e SPED CONTBIL EFD IRPJ E CSLL EFC SPED FISCAL EFD ICMS/IPI EFD CONTRIB. EFD/CIAP EFD/FOLHA O projeto tem como objetivo a alterao da sistemtica atual de emisso da nota fiscal em papel, por nota fiscal de existncia apenas eletrnica. NFs Modelos 1 e 1A um documento emitido e armazenado eletronicamente, de existncia apenas digital, com o intuito de documentar uma operao de circulao de mercadorias ou prestao de servios ocorrida entre as partes, cuja validade jurdica garantida pela assinatura digital do emitente e recepo, pelo fisco, antes da ocorrncia do Fato Gerador. 4. 02/04/2014 4 5. 02/04/2014 5 Principal obrigao a conferncia TRIBUTRIA e a autorizao e recepo da NF- e? Elaborado por Tnia Gurgel 18 DocumentoAuxiliar da NF-e (DANFE) Registro C100 (Um por Documento) Registro C170 (Um para cada Item do Documento) Registro C190 (Um por Documento) 19 Tabela A: - Origem da Mercadoria 0 Nacional, exceto as indicadas nos cdigos 3 a 5 1 Estrangeira -Importao direta, exceto a indicada no cdigo 6 2 Estrangeira -Adquirida no mercado interno,exceto a indicada no cdigo 7 3 Nacional, mercadoria ou bem com Contedo de Importao superior a 40% (quarenta por cento) 4 Nacional, cuja produotenha sido feita em conformidadecom os processosprodutivos bsicos de que tratam o Decreto-Lein 288/67,e as Leis ns 8.248/91, 8.387/91,10.176/01 e 11 . 4 8 4 / 0 7 5 Nacional, mercadoria ou bem com Contedo de Importao inferior ou igual a 40% 6 Estrangeira -Importao direta, sem similar nacional, constante em lista de Resoluo CAMEX 7 Estrangeira -Adquirida no mercado interno,sem similar nacional, constante em lista de Resoluo Tabela B: 00 Tributada integralmente; 10 - Tributada e com cobranado ICMS por ST; 20 - Com reduo de base de clculo; 30 - Isenta ou no tributada e com cobrana do ICMS ST; 40 - Isenta; 41 - No tributada; 50 Suspenso; 51 - Diferimento; 60 - ICMS cobrado anteriormente por substituio tributria; 70 - Com reduo de base de clculo e cobrana do ICMS por substituio tributria; 90 Outros. 20 Tabela de cdigo de situao tributria CST 6. 02/04/2014 6 Cincia Destinatrio Desconhecimento Destinatrio com reflexo no emitente Confirmao Destinatrio Download do .xml Operao realizada Destinatrio Recusa da mercadoria Eventos da NF-e Elaborado por Tnia Gurgel 22 23 Fonte: Encat 24 7. 02/04/2014 7 OcontedodestaapresentaoprotegidoestaprotegidopelaLeideDireitosautorais,reproduodo materialsomentecomautorizaoexpressadaAutora 27 8. 02/04/2014 8 RESULTADO / LUCRO Contabilidade + IRPJ + CSLL PRODUO / CIRCULAO ICMS + IPI RECEITAS PIS + COFINS + Contribuio Previdenciria REMUNERAES Contribuio Previdenciria PRESTAO SERVIOS ISSQN Ncleos de Incidncia Tributria X Tributos: ECD Anual PJ Lucro Real /Lucro Presumido / Imunes e Isentas Trimestral IRPJ - Lucro Presumido/Arbitrado + CSLL Trimestral / Anual IRPJ - Lucro Real + CSLL EFD - ICMS/IPI Mensal ICMS + IPI EFD - Contribuies Mensal PIS + COFINS + CPRB Na Ocorrncia Registros de Eventos Trabalhistas - RET Mensal Mdulo Folha de Pagamento Digital ECF eSocial Tributos: Periodicidade e forma de apurao EFD 9. 02/04/2014 9 Origem Decreto n 6022/2007 Instituiu o Sistema Pblico de Escriturao Digital Instituio Convnio ICMS n 143, 15 dez 2006, institui a EFD at dezembro/2008 Ajuste Sinief n 2, 03/04/2009, institui a EFD a partir de janeiro/2009 Obrigatoriedade Protocolo ICMS n 77, de 18 set 2008 (Lista), dispe sobre a obrigatoriedade da EFD. Posteriormente legislao estadual. EFD ICMS/IPI 33 O contribuinte dever manter EFD ICMS/IPI distinta para cada estabelecimento. O arquivo digital conter as informaes dos perodos de apurao do imposto e ser gerado e mantido dentro do prazo estabelecido pela legislao de cada UF e RFB EFD ICMS/IPI Ajuste Sinief 02/2009 34 O contribuinte dever manter EFD ICMS/IPI distinta para cada estabelecimento. O arquivo digital conter as informaes dos perodos de apurao do imposto e ser gerado e mantido dentro do prazo estabelecido pela legislao de cada UF e RFB EFD ICMS/IPI Ajuste Sinief 02/2009 35 10. 02/04/2014 10 Portaria CAT - 147, de 27-7-2009 - A EFD substitui a escriturao e impresso dos seguintes livros fiscais: a - nos seguintes livros fiscais: a) Registro de Entradas; b) Registro de Sadas; c) Registro de Inventrio; d) Registro de Apurao do IPI; e) Registro de Apurao do ICMS; f) Registro de Controle da Produo e do Estoque. (Alnea acrescentada pela Portaria CAT-141/13, de 26-12-2013, DOE 27-12-2013) II - no Controle de Crdito de ICMS do Ativo Permanente CIAP, de que trata a Portaria CAT 25/01, de 2 de abril de 2001. FONTE: EDGAR MADRUGA 38 *Bloco G includo para vigorar a partir do perodo de apurao de janeiro de 2011. ** Bloco K includo para vigorar a partir do perodo de apurao de janeiro de 2015. 11. 02/04/2014 11 A identificao do item (produto ou servio) dever receber um nico cdigo em qualquer documento, lanamento efetuado ou arquivo informado e dever ser vlido, durante o ano civil; a) O cdigo utilizado no pode ser duplicado ou atribudo a itens (produto ou servio) diferentes. b) No permitida a reutilizao de cdigos; c) vedada discriminaes genricas. d) No dever ser relacionado nesta tabela cdigo no referenciado nos demais blocos. *Tabela Cadastro de item Com relao ao campo COD_SIT, incluso em diversos registros do arquivo, o Cdigo da Situao do Documento pode assumir os valores da tabela (item 4.1.2- Tabela Situao do Documento do Ato COTEPE/ICMS n 09, de 2008), conforme abaixo: Cdigo Descrio 00 Documento regular 01 Escriturao extempornea de documento regular 02 Documento cancelado 03 Escriturao extempornea de documento cancelado 04 NF-e ou CT-e - denegado 05 NF-e ou CT-e - Numerao inutilizada 06 Documento Fiscal Complementar 07 Escriturao extempornea de documento complementar 08 Documento Fiscal emitido com base em Regime Especial ou Norma Especfica 42 Registro 0200: Tipo de item Informar a destinao principal (Matria-prima, Merc. para Revenda, Embalagens, Mat. de Uso ou Consumo, ...) NCM(Cdigo de Nomenclatura Comum do Mercosul) Obrigatrio (industriais e equiparados), exceto se tipo de item for 07 - Material de Uso e Consumo; ou 09 -Servios; ou 10 - Outros insumos; ou 99 - Outras. NCM Demais empresas - somente de produtos sujeitos ST e produtos importados ou exportados; Cdigo do Gnero obrigatrio a todos os contribuintes somente na aquisio de produtos primrios Tabela 4.2.1(Ato COTEPE / ICMS 09/2008) Bloco 0 Abertura, Identificao e Referncias (continuao) 0205: Alterao do item 0206: Cdigo de produto conforme tabela ANP 0220: Fatores de converso de unidades 0300: Cadastro de bens ou componentes do ativo imobilizado 0305: Informao sobre a utilizao do bem 0400: Tabela de natureza da operao/prestao 0450: Tabela de informao complementar do documento fiscal 0460: Tabela de observaes do lanamento fiscal 0500: Plano de Contas 0600: Centro de Custos 0900: Encerramento do Bloco 0 Bloco 0 Abertura, Identificao e Referncias (continuao) 12. 02/04/2014 12 Fonte: Edgar Madruga 45 46 13. 02/04/2014 13 EFD Registro de Controle da Produo e do Estoque - RCPE (Livro Modelo 3) Destina-se aos estabelecimentos industriais e equiparados em relao ao controle da produo e atacadistas que possuem controle quantitativo do estoque de mercadorias; Documentos escriturados: 1. Entradas e sadas de mercadorias; 2. Documentos de uso interno (ordem de produo, etc) No so objeto de escriturao as entradas de produtos destinados ao ativo fixo ou uso / consumo; A legislao permite a escriturao simplificada em relao a consumo e produo do dia (Art. 465 do RIPI); Institudo atravs do Ajuste Sinief S/N de 1970; Histrico de prorrogaes no perodo de 1971 a 1981. 14. 02/04/2014 14 REGISTROS INCLUDOS NO LEIAUTE A PARTIR DO PERODO DE APURAO DE JANEIRO DE 2015. No leiaute estabelecido no Ato COTEPE/ICMS n 09/2008 e alteraes, foram inseridos os seguintes registros relativos ao Livro Registro de Controle da Produo e do Estoque (LRCPE): 15. 02/04/2014 15 Campo 08 Preenchimento obrigatrio quando o indicador de propriedade do item do campo 07 for 1 ou 2. Validao: o valor fornecido deve constar no campo COD_PART do registro 0150. Campo 10 - Preenchimento: informar o cdigo da conta analtica contbil correspondente. Deve ser a conta credora ou devedora principal, podendo ser informada a conta sinttica (nvel acima da conta analtica). Nas situaes de um mesmo cdigo de item possuir mais de uma destinao deve ser informada a conta referente ao item de maior relevncia. Este campo obrigatrio somente para os perfis A e B. Campo 11 - Preenchimento: vlido a partir de 01 de janeiro de 2015. 16. 02/04/2014 16 17. 02/04/2014 17 CADEIA PRODUTIVA CONCEITO DE INDUSTRIALIZAO - ICMS SUSPENSO DO ICMS 18. 02/04/2014 18 CONCEITO DE INDUSTRIALIZAO - IPI ISS NA CARTA MAGNA BATALHA JURDICA NOS TRIBUNAIS LISTA DE SERVIOS ANEXA AO DL N 406/68: 72. Recondicionamento, acondicionamento, pintura, beneficiamento, lavagem, secagem, tingimento, galvanoplastia, anodizao, corte, recorte, polimento, plastificao e congneres, de objetos no destinados industrializao ou comercializao; *LISTA DE SERVIOS ANEXA LC N 116/03: 14 Servios relativos a bens de terceiros. 14.05 Restaurao, recondicionamento, acondicionamento, pintura, beneficiamento, lavagem, secagem, tingimento, galvanoplastia, anodizao, corte, recorte, polimento, plastificao e congneres, de objetos quaisquer. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR PLP n 289/2005 (Cmara dos Deputados): 14.05 - Restaurao, recondicionamento, acondicionamento, pintura, beneficiamento, lavagem, secagem, tingimento, galvanoplastia, anodizao, corte, recorte, polimento, plastificao e congneres, de objetos no destinados industrializao ou comercializao. 19. 02/04/2014 19 Recentemente, o STF declarou a constitucionalidade do estorno proporcional dos crditos de ICMS, no RE 174.478-SP, quando h reduo da base de clculo, no momento da sada dos produtos. Recurso Especial N 615.365 - Rs (20030231333-3) Stj - Primeira Turma Fonte: http://jus.com.br/artigos/12818/inconstitucionalidade-do- estorno-proporcional-de-creditos-de-icms-referentes-a-venda- subsidiada-de-estacoes-moveis-celulares#ixzz2xbXgoNGU EFD 20. 02/04/2014 20 Cruzamento das Informaes Receita identifica sonegao de impostos por 250 microempreendedores individuais Fraudes causaram prejuzo estimado de R$ 6 milhes aos cofres pblicos em dois anos. Os MEIs (Microempreendedores Individuais) que sonegaram impostos nos ltimos dois anos esto na mira da Secretaria de Fazenda do Distrito Federal. A Receita identificou 250 empresas nessa categoria cujas compras so incoerentes com o faturamento mximo de R$ 60 mil anuais estabelecidos para o segmento. Os empresrios identificados informaram um faturamento de R$ 21,6 milhes nos ltimos dois anos. No entanto, cruzando dados dos fornecedores que vendem produtos e servios aos MEIs, os tcnicos da Receita perceberam compras no valor de R$ 69,7 milhes. A estimativa que a fraude tenha causado prejuzo de R$ 6 milhes aos cofres pblicos. SPED Implacvel Fonte: Revista Document Management 80 Quais os reflexos do SPED na fiscalizao? 21. 02/04/2014 21 Pesquisa da qualidade dos arquivos entregues da EFD CONTRIBUIES 81 83 84 AnoValor deCrditoTributrio Constitudo (R$) (%) 2010 90.641.081.548,00 2011 109.634.209.239,00 20,95% 2012 116.350.566.997,00 6,13% 2013 190.199.395.938,00 63,47% 110% Noperodo, houve umaevoluonominal docrditotributriolanadode109,84%, que decorre principalmente damudanadaestratgiade selecionar(identificarquemserfiscalizado)e de comofiscalizaros contribuintesde grande porte, implementadaem2010,aliadoaumintensoprograma de capacitaocontinuadadosAuditores-Fiscais e na utilizao de tecnologia. EvoluodoCrditoTributrioConstitudopela Fiscalizao 22. 02/04/2014 22 23. 02/04/2014 23 As solues para problemas complexos s aparecem quando mltiplos atores trabalham juntos, unindo participao e eficincia. Mapeamento atual e proposta de melhorias Capacitao Treinamento Grupo de debates Workshop OS PASSOS A SEREM SEGUIDOS: Da Problemtica Fiscal, s enxergamos o topo , mas temos a certeza que existe muito mais a conhecer e explorar , seus reflexos esto cada vez mais presentes nas empresas Da Problemtica Fiscal, s enxergamos o topo , mas temos a certeza que existe muito mais a conhecer e explorar , seus reflexos esto cada vez mais presentes nas empresas Os comentrios e opinies manifestados neste material, inclusive nestas lminas, so de autoria de Tnia Gurgel, bem como, h autorizao dos autores de algumas lminas para divulgao das mesmas. As aludidas manifestaes tm natureza meramente informativa e educacional, ou seja, no se referem a caso(s) concreto(s) de pessoa(s) fsica(s) e/ou jurdica(s) presente(s) ou ausente(s) da palestrante. A utilizao de tais manifestaes, por qualquer pessoa, ser feita sob sua exclusiva responsabilidadee risco. Dra. Tnia Gurgel no garante que autoridades em matria contbil e/ou tributria no venham a adotar posicionamentos diferentes dos manifestados/debatidos ao longo deste curso, inclusivenestas lminas. Aos interessados em adotar procedimentos/estratgias relacionadas a um ou mais temas debatidos neste mdulo, ou mesmo fundament-los, recomenda-se orientao profissional criteriosa,precedida deanlisedo(s) caso(s)concretos(s). O contedo desta apresentao protegido pelos direitos autorais at os limites da autoria e criao intelectualde sua autora,sendo vedada a reproduosem suas expressasautorizaes.