Anne Frank1

  • View
    5.901

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

  • 1. Para lembrar Anne Frank Frankfurt, 12 de Junho de 1929 Bergen-Belsen, Maro de 1945

2.

  • A famlia de Anne Frank (1925 -1929)
  • O casamento dos pais de Anne - Otto Frank e Edith Hollnder - celebrou-se a 12 de Maio de 1925, na sinagoga de Aix-la-Chapelle, na Alemanha. Os FranK so judio-alemes. Falam, escrevem e lem em alemo. Anne Frank a segunda filha do casal Frank. A sua irm mais velha chama-se Margot e nasceu em 1926.
  • Os pais de Anne em viagem de npcias Margot, com 1 ano,ao colo do pai

Fotografia do nascimento de Anne, tirada em 13 de Junho de 1929 3. lbum de famlia (1930-1933)

  • Pap e os seus tesouros,
  • escrever mais tarde Anne no seu dirio sobre esta fotografia que data de 1930.
  • Edith e as filhas Anne e Margot
  • 10 de Maro de 1933, os Frank vo s compras e Otto tira uma fotografia famlia, ainda em Frankfurt.

Anne e Margot, 1933 4. A ascenso do nazismo na Alemanha

    • Cronologia histrica :
  • 1918 (11/11) A Alemanha assina o Armistcio (Tratado de Paz), em Frana, a marcar o fim da 1 Guerra Mundial.
  • 1920 (Abril) Surge o Partido Nazi, na Alemanha.
  • 1921 (29/7) Adolf Hitler escolhido para chefe (Fhrer) do Partido Nazi.
  • 1930 (13/9) O Partido Nazi torna-se o 2 maior partido no Parlamento.
  • 1932 (31/7) Os nazis obtm 37,3% dos votos nas eleies deste ano.
  • 1933 (30/1) Hitler nomeado Chanceler (Primeiro-Ministro).
  • Fevereiro suspensa a liberdade de expresso;
  • Maro construdo o campo de concentrao de Dachau para presos polticos;
  • Abril criada a Gestapo;
  • Os nazis declaram boicote ao comrcio, prtica mdica e actividade jurdica dos Judeus;
  • publicada uma lei que exclui todos os no-arianos (em especial, os judeus) do acesso Administrao Pblica e ao Ensino;
  • Maio Os livros escritos por judeus ou por qualquer autor considerado inimigo poltico do Estado Nazi, so queimados em autos de f, em toda a Alemanha;
  • Julho Hitler probe todos os partidos excepto o Partido Nazi.
  • 1934- Hitler funde os cargos de presidente e de primeiro-ministro num s e passa a serFhrer e Kanzler do Reich(chefe e chanceler do Imprio).

5. O Exlio da famlia Frank (1934-1941)

  • Na sequncia das perseguies aos judeus, em 1934 a famlia Frank obrigada a emigrar para aHolanda , instalando-se em Amesterdo. Otto Frank abre uma empresa que comercializa pectina aOpekta Werke . A primeira funcionria da empresa Miep Santrouschitzque se tornar grande amiga da famlia.
  • Anne comea a frequentar a escola infantil, nesse ano. Aos sete anos sabe ler e escrever correctamente e escreve famlia e aos amigos que deixou na Alemanha.

Anne no jardim de sua casa, em Amesterdo Miep Santrouschitz 6. Ideologia alem na Holanda(1941-1942)

  • Aps seis anos de vida em liberdade, d-se a invaso da Holanda pelas tropas alems, pelo que Anne e Margot passam a frequentar o Liceu Judaico, a partir de 1941. Os judeus so perseguidos e obrigados a usar a estrela amarela de David, no podem andar nos transportes pblicos e tm o recolher obrigatrio s 8h da noite.

Tambm na Holanda se instala um clima de perseguio, discriminao e terror que visa transformar os judeus em bodes expiatrios e extermin-los, em campos de concentrao e de morte. 7.

      • No dia 12 de Junho de 1942, Anne faz treze anos e recebe um dirio que ser a prenda mais apreciada.
      • Na primeira folha escreve Espero poder contar-te tudo, como nunca o pude ainda fazer com ningum, e espero que sejas para mim um grande apoio.
      • Na parte interior da capa, cola uma fotografia sua e escreveQue bonita fotografia, no ?

O dirio de Anne Frank 8.

  • No dia6 de Julho de 1942 , a famlia Frank resolve mergulhar na clandestinidade, e ir habitar um anexo do prdio da empresa, em Prisengracht, na sequncia de uma convocatria das SS, para que Margot se apresente e parta para o campo de concentrao de Westerborck.

Na clandestinidade (1942 -1944) O edifcio do Anexo (a azul) O quarto de Anne Frank, no Anexo Durante dois anos no podem sair rua e vivem sob a constante ameaa de serem descobertos pela polcia. Ao longo desse tempo, sero ajudados por Miep e outros trs colaboradores da Opekta (Johannes, Victor e Bep) que se encarregam, entre outras coisas, da alimentao dos clandestinos do Anexo que chegaro a ser oito a famlia Frank; a famlia Van Pels e Albert Dussel, um dentista, que chegar em Novembro desse ano. 9.

  • O dia da partida triste. Anne ter de deixar para trs tudo o que gosta, inclusivamente o seu gato Moortje, e cingir-se ao essencial. Todos vestem o maior nmero de peas de vesturio possvel e realizam uma viagem de 6 km a p at ao esconderijo, em Prisengracht.

Mudar de vida (1942 -1944) Dia da partida Despedida de Moortje Chegada ao anexo 10.

  • Ao longo dos dois anos de vida no Anexo, Anne Frank registar no seu dirio todo o tipo de acontecimentos, vivncias, sonhos e sentimentos que a vida no esconderijo lhe permite experimentar. Rapidamente, ao dirio inicial se acrescentaro folhas soltas e outros cadernos que hoje constituem o famosoDirio de Anne Frankque todos conhecemos.
  • Instaurando, desde as primeiras pginas, um clima de dilogo com essa personagem imaginria Kitty, a quem invariavelmente se dirige, Anne passar a confidenciar-lhe todas as suas alegrias e aflies, encontrando desta forma, a amiga ntima que nunca teve, para aliviar os pesos do seu corao.
  • Durante uns dias no escrevi nada, porque quis pensar seriamente na finalidade e no sentido de um dirio.() Apetece-me escrever e quero aliviar o meu corao de todos os pesos.()
  • Por tudo isto que escrevo um dirio. E para evocar na minha fantasia a ideia da amiga h tanto tempo desejada, no quero, como qualquer pessoa, assentar s factos. Este dirio que h-de ser a minha amiga, e vou-lhe pr um nome. Essa amiga chama-se Kitty. ( 20/6/1942)
  • Tua Anne

O Dirio (1942 -1944) 11.

  • Os oito clandestinos do Anexo da Prisengracht tentam viver to naturalmente quanto possvel e cumprem um horrio rigoroso.
  • Como o esconderijo fica por cima da empresa, os clandestinos so obrigados a sussurrar, a andar descalos,no podem utilizar torneiras nem casas de banho, durante o dia, entre as 9h da manh e as 7h da tarde, quando o pessoal est a trabalhar.
  • Quando anoitece e fica escuro, os clandestinos vo at aos escritrios da empresa para seguir as notcias da guerra pela rdio. Nessas alturas, Anne pode contemplar a cidade das janelas do escritrio. Observa os transeuntes, escondida atrs das cortinas. o nico contacto com o mundo exterior que lhe resta.
  • Aps a higienediria, Anne, Margot e Peter dedicam tempo aos estudos para no se atrasarem nas matrias (Lnguas, lgebra, Geometria, Geografia e Histria). Para alm desta tarefa, preenchem o tempo com todo o tipo de actividades e passatempos: jogos, leitura, audio de discos, escrita, palavras cruzadas, etc.
  • A comida armazenada no sto. Os clandestinos dependem totalmente dos 4 protectores: Miep, Bep, Victor e Johannes .

A vida no Anexo (1942 -1944) 12. A vida no Anexo (1942 -1944)Registos no dirio Querida Kitty: Entre domingo de manh e hoje foi como se tivessem passado muitos anos. como se a Terra estivesse toda ela transformada. (8/7/1942) Assim corremos debaixo da chuva, cada um com uma pasta e uma saca de compras() Os operrios que iam para o trabalho olhavam-nos. Bem se lhes lia no rosto que tinham pena de ns por irmos to carregados e por no nos deixarem andar nos carros elctricos. A nossa estrela amarela no braofalava por si. Pelo caminho fora os pais contaram-me tintim- por-tintim, como nascera o plano do nosso esconderijo. (9/7/1942) O nosso quarto at agora estava nu completamente. O pai trouxe toda a minha coleco de postais de estrelas de cinema e de vistas, e eu transformei-os em lindos quadros para as paredes. () Ontem, pela primeira vez, a me quis cozinhar. Sopa de ervilhas! Mas enquanto tagarelava em baixo esqueceu-se da sopa por completo, e esta esturrou toda() pena que eu no possa contar esta histria ao meu professor Keplerteoria da hereditariedade. (11/7/1942) Crdito das ilustraes: Angela Barret inAnne Frank, ed.Terramar, 2005 13. A relao com Peter (1942 -1944)Registos no dirio No dia 13 de Julho chega ao esconderijo a famlia Van Pels (a do scio de Otto) constituda por trs elementos, pai, me e o filho, Peter que se tornar um bom amigo de Anne. Com ele, passar muitas horas, no sto, olhando o cu e a grande rvore defronte do prdio, fazendo jogos, ouvindo msica. Chegou o Peter Van Daan (pseudnimo criado por Anne), um rapazote de dezasseis anos, enfadonho, bastante tmido, que no promete vir a ser um companheiro interessante. regista Anne no seu dirio. Sinto como que marteladas na cabea! Nem sei por onde comear. Sexta-feira tarde, e no sbado tambm, fizemos vrios jogos. Esses dias passaram-se sem novidade e bastante depressa. No domingo pedi ao Peter que viesse aqui e mais tarde subimos e ficmos l em cima at s seis horas. Das seis e quinze at s sete horas ouvimos um belo concerto de msica de Mozart; do que mais gostei foi da K'eine Nachtmusik. No consigo escutar bem quando h muita gente minha volta, porque a boa msica comove-me profundamente. (11/4/1944) O sto passar a ser um local de refgio, re