Brasil Sustentável Copa do Mundo 2014

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A série Brasil Sustentável, após cinco edições analíticas sobre o horizonte macroeconômico nos setores habitacional, energético, de consumo, industrial e agroindustrial, traz mais um tema estratégico à pauta de discussão, tanto por sua capacidade geradora e multiplicadora de riquezas para o País, quanto pela importância e grandiosidade do evento: Copa do Mundo 2014.

Text of Brasil Sustentável Copa do Mundo 2014

  • 1. Brasil sustentvel Impactos Socioeconmicos da Copa do Mundo 2014 ndice Apresentao 01 Impactos socioeconmicos 03 Economia produzir R$ 142 bilhes adicionais 03 Mudanas ao longo da histria 05 Fluxo de turistas turbina o consumo 06 Cidades-sede: os vrios coraes da Copa 07 Efeito domin 08 Impactos socioeconmicos diretos e indiretos 08 Impactos diretos em nmeros 09 As aes vitais da operao 13 O mapa dos investimentos 14 Copa sustentvel 16 Responsabilidade socioambiental em jogo 16 Sete passos para a Copa verde 18 Microeconomia e impacto social 24 Milhares de microempresas sero beneficiadas 24 Riscos e condicionantes 26 Corrida de obstculos 26 De que precisam as cidades-sede? 26 A preocupao com o legado 29 O risco da ineficincia econmica 30 Os imponderveis fatores externos 31 Desafios e oportunidades 32 Como potencializar os efeitos positivos da Copa? 32 Governana e planejamento 34 Plano diretor da Copa para cada cidade-sede 34 Monitoramento, controle e transparncia 36 Gesto de projetos com foco em anlise de riscos, controles e monitoramento 36 Gesto financeira 38 Recursos do BNDES relacionados Copa 38 Ambiente regulatrio 40 Lei Geral da Copa e as exigncias dos organizadores 40 Infraestrutura e servios 42 Condies para o sucesso 42 Capital humano 46 Copa deve contar com milhares de voluntrios bilngues 46 Gesto de imagem 48 Ganho de imagem pode ser maior do que o financeiro 48 Legado e sustentabilidade 50 Legado da Copa pode ser fsico, institucional e social 50 So Paulo | SP Condomnio So Luiz Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1.830 Torre I - 5 ao 9 andares, Torre II - 5 ao 7 e 13 andares Itaim Bibi CEP: 04543-900 +55 11 2573 3000 Av. Francisco Tramontano, 100 Morumbi CEP: 05686-010 +55 11 2573 3000 Rio de Janeiro | RJ Centro Empresarial Botofogo Praia de Botafogo, 300 13 andar Botafogo CEP: 22250-040 +55 21 2109 1400 Praia de Botafogo, 228, Ala B 13 andar Botafogo CEP: 22359-900 +55 21 3736 9500 Belo Horizonte | MG Edifcio Asamar R. Paraba, 1.000 10 andar Funcionrios CEP: 30130-141 +55 31 3055 7750 Blumenau | SC Edifcio California Center R. Dr. Amadeu da Luz, 100 8 andar, conjunto 801 Centro CEP: 89010-160 +55 47 2123 7600 Braslia | DF Edifcio Brasil 21 Setor Hoteleiro Sul - Quadra 06 conjunto A, bloco A 1 andar - sala 105 CEP: 70316-106 +55 61 2104 0100 Campinas | SP Galleria Corporate Av. Dr. Carlos Grimaldi, 1.701 3 andar 3A Fazenda So Quirino CEP: 13091-908 +55 19 2117 6450 Curitiba | PR Condomnio Centro Sculo XXI R. Visconde de Nacar, 1.440 14 andar Centro CEP: 80410-201 +55 41 3593 0700 Porto Alegre | RS Centro Empresarial Mostardeiro Av. Mostardeiro, 322 10 andar Moinhos de Vento CEP: 90430-000 +55 51 2104 2050 Recife | PE Edifcio Empresarial Center III R. Antnio Lumack do Monte, 128 14 andar Boa Viagem CEP: 51020-350 +55 81 3092 8300 Salvador | BA Edifcio Guimares Trade Av. Tancredo Neves, 1.189 17 andar Pituba CEP: 41820-021 +55 71 3496 3500 Projeto e direo editorial: Mitizy Olive Kupermann Coordenao editorial: Roseli Loturco Apoio editorial: Paula Quental e Michele Gassi Projeto grfico: Andr Heller e Andr Scigliano Infogrficos: Mario Kanno Reviso: Joo Hlio Desenvolvimento de contedo: Ernst & Young e FGV Projetos Coordenao tcnica: FGV Projetos Equipe FGV Diretor tcnico: Csar Cunha Campos Supervisor: Ricardo Simonsen Coordenador: Fernando Blumenschein Corpo tcnico: Rafael Kaufmann Nedal, Diego Navarro Pozo e Rodrigo Fernando Dias Esta uma publicao do Departamento de Comunicao e Gesto da Marca da Ernst & Young Brasil. A reproduo deste contedo, na totalidade ou em parte, permitida desde que citada a fonte. Sobre a Ernst & Young A Ernst & Young lder global em auditoria, impostos, transaes corporativas e assessoria em gesto de riscos. Nos 144 pases em que atuamos, fazemos a diferena ajudando colaboradores, clientes e as comunidades com as quais interagimos a atingir todo o seu potencial. www.ey.com.br 2010 EYGM Limited. Todos os direitos reservados. Esta uma publicao do Departamento de Comunicao e Gesto da Marca A reproduo deste contedo, na totalidade ou em parte, permitida desde que citada a fonte. Auditoria | Impostos | Transaes corporativas | Assessoria Ernst & Young
  • 2. ndice Apresentao 01 Impactos socioeconmicos 03 Economia produzir R$ 142 bilhes adicionais 03 Mudanas ao longo da histria 05 Fluxo de turistas turbina o consumo 06 Cidades-sede: os vrios coraes da Copa 07 Efeito domin 08 Impactos socioeconmicos diretos e indiretos 08 Impactos diretos em nmeros 09 As aes vitais da operao 13 O mapa dos investimentos 14 Copa sustentvel 16 Responsabilidade socioambiental em jogo 16 Sete passos para a Copa verde 18 Microeconomia e impacto social 24 Milhares de microempresas sero beneficiadas 24 Riscos e condicionantes 26 Corrida de obstculos 26 De que precisam as cidades-sede? 26 A preocupao com o legado 29 O risco da ineficincia econmica 30 Os imponderveis fatores externos 31 Desafios e oportunidades 32 Como potencializar os efeitos positivos da Copa? 32 Governana e planejamento 34 Plano diretor da Copa para cada cidade-sede 34 Monitoramento, controle e transparncia 36 Gesto de projetos com foco em anlise de riscos, controles e monitoramento 36 Gesto financeira 38 Recursos do BNDES relacionados Copa 38 Ambiente regulatrio 40 Lei Geral da Copa e as exigncias dos organizadores 40 Infraestrutura e servios 42 Condies para o sucesso 42 Capital humano 46 Copa deve contar com milhares de voluntrios bilngues 46 Gesto de imagem 48 Ganho de imagem pode ser maior do que o financeiro 48 Legado e sustentabilidade 50 Legado da Copa pode ser fsico, institucional e social 50
  • 3. Apresentao A srie Brasil Sustentvel, aps cinco edies analticas sobre o horizonte macroeconmico nos setores habitacional, energtico, de consumo, industrial e agroindustrial, traz mais um tema estratgico pauta de discusso, tanto por sua capacidade geradora e multiplicadora de riquezas para o Pas, quanto pela importncia e grandiosidade do evento: Copa do Mundo 2014. Em 30 de outubro de 2007, o Comit Executivo da Fifa nomeou o Brasil como anfitrio da competio. Com isso, o Pas ser o quinto a sediar duas edies da Copa do Mundo, aps o Mxico, Itlia, Frana e Alemanha. Entretanto, o perfil do evento se alterou significativamente desde a Copa de 1950. Em 2014, teremos uma competio de grande porte, cuja realizao vai requerer extensos processos de preparao e complexas operaes. Por um lado, o Campeonato Mundial gerar reflexos e benefcios em diversos setores da economia e da sociedade, sejam temporrios ou duradouros, diretos ou indiretos. Por outro, tambm apresenta vrios riscos, necessitando de processos de gesto eficientes no setor pblico e privado para que possa proporcionar plenamente esses benefcios sociedade. Este estudo, portanto, tem sete objetivos, alm de pontos de ineditismo: Apresentar estimativas dos impactos socioeconmicos da Copa do Mundo 2014 sobre o Brasil; Estabelecer mtricas e indicadores para a realizao da primeira Copa sustentvel; Apontar os impactos dos investimentos nos PIBs regionais em cada cidade-sede do evento; Entender os efeitos nos PIBs setoriais de mais de 30 reas da macro e microeconomia; Apresentar em detalhes os processos de gesto para o sucesso de um megaevento; Delinear e avaliar os riscos e gargalos para a concretizao dos impactos positivos e minimizao dos impactos negativos; Mostrar oportunidades e iniciativas para potencializar e perenizar os benefcios do evento para a sociedade brasileira.
  • 4. BRASIL SUSTENTVEL Impactos Socioeconmicos da Copa do Mundo 2014 Este trabalho, resultado de parceria da Ernst & Young com a Fundao Getulio Vargas (FGV), busca jogar luz em um novo ambiente que se desenha no Pas com a Copa do Mundo e que poder proporcionar, com preparo adequado do poder pblico e da iniciativa privada, inmeras oportunidades de crescimento. Os impactos socioeconmicos fluxo de bem-estar que o evento gerar para a populao brasileira tm diversas dimenses e sero percebidos em funo de vrios fatores. Dependem de que o Pas consiga aportar os investimentos e as aes necessrias a tempo de o evento ser realizado de forma bem-sucedida; de que aproveite os legados da Copa, transformando-os em bens perenes; e, finalmente, de que alcance esses objetivos de forma economicamente eficiente, sem dispndios excessivos, m alocao de recursos ou custos de oportunidade. A ideia que o Brasil se prepare desde j para que o evento no seja de apenas alguns dias, mas de muitos anos, deixando um legado positivo para o conjunto da sociedade. Mais importante do que s corresponder s expectativas externas em relao ao Campeonato Mundial criar um ambiente interno para que todas as obras de infraestrutura e os impactos sobre a macro e a microeconomia gerem condies melhores de vida sociedade brasileira. Para capturar a totalidade desses efeitos multiplicadores, este estudo desenvolveu um modelo de Insumo-Produto Estendido, baseado na Matriz Insumo-Produto (MIP) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica (IBGE). O modelo representa a economia brasileira por meio de 55 atividades econmicas, 110 categorias de produtos e 10 perfis de renda/consumo da populao, e permite estimar os impactos totais (diretos, indiretos e induzidos) das atividades relacionadas Copa sobre a produo nacional, emprego, renda, consumo e arrecadao tributria. As previses utilizadas neste levantamento se pautaram, tanto quanto possvel, por experincias comparveis e pelo planejamento financeiro dos rgos pblicos. Os impactos foram mensurados de acordo com critrios especficos, como a diferena entre os dispndios efetuados em cenrios com e sem a Copa. Alm disso, os custos de todas as operaes e aquisi