Jornais e blogs 31.1.14

  • View
    272

  • Download
    6

Embed Size (px)

Text of Jornais e blogs 31.1.14

  • 1. CLIPPING ELETRNICO - 2014Sen. Rodrigo Rollemberg31.1.14 sexta-feira1Senado Federal Anexo II, Gabinete 10 (61) 3303.6645

2. CLIPPING ELETRNICO - 20142Sen. Rodrigo RollembergSenado Federal Anexo II, Gabinete 10 (61) 3303.6645 3. CLIPPING ELETRNICO - 20143Sen. Rodrigo RollembergSenado Federal Anexo II, Gabinete 10 (61) 3303.6645 4. CLIPPING ELETRNICO - 2014Sen. Rodrigo Rollemberg 31/01/2014Braslia-DF :: Denise Rothenburg PT.com/Lula Demorou seis meses, mas o ex-presidente Luiz Incio Lula da Silva e o PT finalmente entenderam que, para atingir o pblico que lotou as ruas em junho do ano passado e que tem marcado rolezinhos nos shoppings de todo o pas, no adianta infiltrar militantes nas manifestaes. preciso falar com eles pelas redes sociais. Foi isso que o ex-presidente fez ontem, em um vdeo de pouco mais de sete minutos, postado em sua pgina oficial no Facebook. Mais uma vez, Lula atacou a imprensa, ao dizer que acorda s 6h15 e bombardeado com notcias de assaltos e mortes. Ser que no nasce uma criana, uma pessoa no atendida no hospital?, questiona ele. E pede o fim do jogo rasteiro na internet. Eu tenho liberdade de pegar uma estrada e fazer uma viagem com minha famlia, mas se eu for irresponsvel, eu posso matar algum ou posso morrer. Um dos estrategistas da campanha do PT alertou, em conversa ontem com a coluna, sobre a importncia das redes sociais este ano. A internet ter um peso enorme nesta campanha, embora a propaganda de rdio e de televiso seja preponderante. Mas a influncia das mdias sociais no debate poltico ser bem maior do que foi em 2010, confirmou o estrategista. Teacher Obama Apesar da averso poltica a Obama herdada desde os tempos de Lula e agravada aps as espionagens promovidas pelo NSA, os petistas admitem que o presidente dos Estados Unidos soube, antes de todos os demais polticos do mundo, capitalizar o uso da internet em uma campanha eleitoral. Mas ressaltam: Ele no cabalou votos. Usou as mdias sociais para conseguir financiamento e custear a campanha na televiso. Meio a meio Articuladores da campanha dilmista reconhecem que, nos 40 dias destinados ao programa de rdio e televiso, os eleitores se interessam pelos primeiros 10, para conhecer as propostas dos candidatos, e pelos ltimos 10, para sedimentar a deciso. Nesse intervalo, nem adianta caprichar muito que ningum d bola para a propaganda poltica. Um brinco Depois da polmica em torno da escala em Lisboa e da necessidade de descascar abacaxis para acomodar todos os aliados na reforma ministerial, a presidente Dilma Rousseff ter, pelo menos, um alento. Integrantes de uma cooperativa de catadores de lixo levaram ontem ao secretrio geral da Presidncia, ministro Gilberto Carvalho, um brinco para ser entregue presidente.Que j foi bolsa Ele feito de plstico reciclado derivado de um carto do bolsa-famlia entregue por um exbeneficirio do programa. Em dezembro, na festa de Natal dos catadores de lixo de So Paulo, Dilma foi a um desfile em que uma das modelos usava saia e camiseta feitas com o mesmo material.4Senado Federal Anexo II, Gabinete 10 (61) 3303.6645 5. CLIPPING ELETRNICO - 2014Sen. Rodrigo RollembergFaixa de Gaza I/Quanto mais a reforma ministerial demora, mais fratricida ela fica. Secretria executiva da Secretaria de Direitos Humanos, Patrcia Barcelos sonha em substituir a titular, Maria do Rosrio, que ser candidata a deputada. Mas vem apanhando do PT, que desejar emplacar l a atual ministra da Secretaria de Relaes Institucionais, Ideli Salvatti. Faixa de Gaza II/Prmio para Ideli? Nada. A bancada do PT na Cmara quer na vaga de articulador poltico do governo o deputado Ricardo Berzoini (foto). Mas, se no der certo h quem diga que no haveria espao para ele e Mercadante (novo ministro da Casa Civil) no quarto andar do Planalto , Berzoini poderia ser alojado no Ministrio das Comunicaes. Paulo Bernardo, titular da pasta, jura que no sabe de nada. Faixa de Gaza III/Depois da substituio de Alexandre Padilha por Arthur Chioro no Ministrio da Sade, agora a vez de a Fundao Nacional de Sade (Funasa) tornar-se alvo de cobia dos partidos, mais especificamente do PT e do PMDB. A autarquia, com um oramento de R$ 2,5 bilhes, foi comandada por um peemedebista entre 2005 e 2010: Danilo Forte. Ele caiu sob a acusao de distribuir verbas para as bases eleitorais no Cear. Foi eleito deputado federal com 100 mil votos. Faixa de Gaza IV/ Com a queda de Danilo, o PT passou a comandar a autarquia. Agora, o PMDB quer retomar o espao, j que poder ter dificuldades para conseguir um novo posto no primeiro escalo. Mas, como o partido no se entende na indicao dos nomes, os petistas tentam convencer a presidente Dilma a manter tudo como est.31/01/2014Nas entrelinhas :: Luiz Carlos Azedo A grande novidade na negociao pode surgir no Rio de Janeiro, onde o governador, Srgio Cabral, pleiteia com o ex-presidente Luiz Incio Lula da Silva a remoo da candidatura do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) Reforma com foco eleitoral Nem as dificuldades da economia nem a necessidade de melhorar a qualidade dos servios prestados populao, o foco da reforma ministerial iniciada ontem pela presidente Dilma Rousseff o fortalecimento eleitoral do PT em So Paulo, a segunda joia da coroa, e a necessidade de abocanhar a maior fatia do tempo de televiso para sua prpria candidatura reeleio. O ministro da Educao, Aloizio Mercadante (PT-SP), assumir a Casa Civil no lugar de Gleisi Hoffmann (PT), que deixar o cargo para se candidatar ao governo do Paran. O seu lugar na Educao ser ocupado pelo secretrio executivo da pasta, Jos Henrique Paim. O ministro da Sade, Alexandre Padilha (PT), deixa o cargo e entra o petista Arthur Chioro (PT), secretrio de Sade de So Bernardo dos Campos (SP). Outra mudana a sada da ministra da Comunicao, Helena Chagas, que ser substituda pelo jornalista Thomas Trauman, exassessor de Antnio Palocci na Casa Civil. A mudana fortalece sobretudo o PT paulista. Mercadante o novo homem forte do governo, posio que o ex-senador conquistou por ser o principal conselheiro da presidente Dilma Rousseff. Ele conhece bem o Congresso, economista da mesma escola de Dilma, de quem foi professor na Unicamp, e tambm um especialista na maior esfinge do quadro poltico: o ex-presidente Luiz Incio Lula da Silva,5Senado Federal Anexo II, Gabinete 10 (61) 3303.6645 6. CLIPPING ELETRNICO - 2014Sen. Rodrigo Rollembergprincipal artfice dessas mudanas. A reforma foi decidida numa reunio com Lula, no Palcio do Alvorada, da qual participaram o ex-ministro da Comunicao Franklin Martins, que novamente dar as cartas nas relaes com a mdia, e Giles Azevedo, chefe de gabinete e homem de confiana da presidente da Repblica. O maior problema da reforma continua sendo a insatisfao do PMDB, o principal aliado do governo. A relao entre a presidente Dilma e os lderes da legenda no Congresso pssima, mas o pragmatismo ainda fala mais alto: o PMDB quer aumentar de cinco para seis pastas o seu espao no governo e deve se reunir na prxima tera-feira para dar um ultimato a Dilma. As propostas em discusso no governo so a entrega da Secretaria de Portos ao deputado federal Eliseu Padilha (PMDB-RS) e, no Ministrio da Agricultura, a substituio de Antonio Andrade (PMDB-MG), que concorrer Cmara dos Deputados, pelo seu colega Leonardo Quinto (PMDB-MG). O PMDB quer manter o Ministrio do Turismo e indicar o senador Vital do Rgo (PMDB-PB) para o lugar de Gasto Vieira (PMDB-MA), que deixar o cargo para ser candidato a deputado federal. A grande novidade na negociao pode surgir no Rio de Janeiro, onde o governador, Srgio Cabral, pleiteia com o ex-presidente Luiz Incio Lula da Silva a remoo da candidatura do senador Lindbergh Farias (PT-RJ). O marqueteiro Joo Santana exigiu cinco minutos de tempo de tev para fazer a campanha contra o Luiz Fernando Pezo (PMDB), vice de Cabral, que assumir o governo e concorrer reeleio. Sem tempo de televiso, o petista ser defenestrado por Lula e o PT apoiar Pezo. Outro rolo ocorre no Maranho, por causa da candidatura de Flvio Dino (PCdoB), favorito na disputa, mas Dilma est com o ex-presidente Jos Sarney e sua filha Roseana, que governa o estado e no abre. No Cear, o senador Euncio Oliveira (PMDB-CE), que ser candidato a governador, tambm est descontente com a resistncia do PT em apoi-lo. L o aliado principal de Dilma o governador Cid Gomes (Pros), que esteve com Mercadante na quinta-feira. Detalhe: o bloco PP e Pros rene 62 deputados federais. O PP continuar com o Ministrio das Cidades e o Pros ganhar a Integrao Nacional, que deve ficar com o ex-ministro Ciro Gomes. Seu nome, porm, no consenso na bancada federal da nova legenda. No chores por ns, Argentina A Argentina somente um entre muitos pases emergentes, inclusive o Brasil, que tem visto forte queda no crescimento econmico, como a Turquia e ndia. Todos expandiram suas economias com base no acelerado crescimento chins e na liquidez monetria nos pases desenvolvidos. Cada um aproveitou como pode a mar ; houve generalizada expanso do crdito e do consumo. Agora, cada pas precisa buscar uma alternativa para continuar crescendo, ou seja, fazer um ajuste. A Argentina um aviso de que a situao perigosa e pode resultar num desastre se nada for feito. O Brasil est diante desse dilema. As aes de empresas que atuam nos pases emergentes desabaram, esto sendo punidas da mesma forma como foram premiadas quando eles estavam numa posio ascendente. Os investidores esto fugindo desses mercados, inclusive o nosso. Vo esperar o ajuste. Ocorre que o governo no pretende faz-lo antes da eleio. Os tempos na poltica e na economia so relativos e reativos entre si. Previses catastrficas da oposio antes das eleies podem ser um tiro no p, mas os riscos para o governo existem. Quem quiser que faa sua aposta.6Senado Federal Anexo II, Gabinete 10 (61) 3303.6645 7. CLIPPING ELETRNICO - 2014Sen. Rodrigo RollembergPAINEL VERA MAGALHES painel@uol.com.br Saideira em casa s vsperas de deixar a Casa Civil, Gleisi Hoffmann far a ltima