Click here to load reader

A obra de arte na era de sua

  • View
    92

  • Download
    9

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Primeira parte de aula sobre texto de Benjamin a respeito da reprodutibilidade técnica e suas implicações sobre a obra de arte

Text of A obra de arte na era de sua

  • 1. Benjamin, Walter. Magia e tcnica, arte e poltica:ensaios sobre literatura e histria da cultura. So Paulo:Brasiliense, 1987.

2. Objetivo do texto: mostrar osefeitos do capitalismo sobre aarte p. 165-6 3. Anlise das tendncias comadvento de novos conceitos p.166 4. Peculiaridade dareprodutibilidade tcnica p. 166 5. Xilogravura, imprensa,xilogravura litografia p. 166 6. De litografia fotografia,caractersticas da fotografia p.167 7. Diferena entre o autntico e acpia: transformaes fsicas erelaes de propriedade p. 167 8. Peculiaridades da cpia em relao aoautntico: acentuao de aspectosinobservveis e portabilidade p. 168 9. Prejudicialidade da cpia ao original p.168 10. Prejudicialidade da cpia ao original p.168-169 11. Cinema como agente social maispoderoso da massificao p. 169 12. A respeito da percepo e seucondicionamento histrico p. 169 13. Caracterizao da aura p. 170 14. A aura e os condicionantes sociais depercepo p. 170 15. Obra de arte e sua insero em um valorde tradio p. 171 16. Reao da tradio do culto do belo aoperigo da emancipao da arte do ritual p. 171 17. Modificao da funo social da arte coma reprodutibilidade p. 171 18. Valor de culto: pr-condio ainexponibilidade p. 173 19. Exponibilidade propiciada pelareprodutibilidade p. 173 20. Refuncionalizao da obra de arte a partirda reprodutibilidade p. 173-4 21. Fotografia e ltima trincheira do valor deculto p. 174 22. Superao do valor de culto pelo valor deexposio p. 174 23. Impossibilitao do olhar livre epredeterminao do olhar p. 174-5 24. Eternidade das obras dos gregos p. 175 25. Perfectibilidade do cinema p. 175 26. Comparao entre o cinema e a mais altaobra de arte dos gregos p. 176 27. Discusso sobre a falta de percepo darefuncionalizao da arte p. 177 28. Exemplo do cinema e insistncia no valorde culto p. 177 29. Desempenho do ator como a execuo deum teste p. 178 30. Desempenho do ator de cinema como aexecuo de um teste p. 178 31. Alienao do ator de cinema p. 179 32. Atuao do ator de cinema para com amassa, que o controla p. 180 33. Arte dramtica na contramo do processo p. 180-1 34. Comparao ator de cinema x ator deteatro p. 181 35. Comparao ator de cinema x ator deteatro p. 181

Search related