Cultivo da batata

  • View
    2.223

  • Download
    2

  • Category

    Science

Embed Size (px)

Text of Cultivo da batata

  • O cultivo da Batata (Solanum

    tuberosum)

  • Aspectos econmicos

    4o alimento mais consumido no mundo;

    1920 Brasil;

    Cinturo verde : SP;

    Principal hortalia: rea plantada/ preferncia;

    rea plantada: 170.000 ha;

    Produo: 2.500.000 t/ano;

    Produtividade: > 14 t/ha;

    Regies Sul e Sudeste (98% da rea).

  • http://www.abbabatatabrasileira.com.br/

  • Origem Origem:

    Amrica do Sul (Cordilheira dos Andes)

    1570 Europa

    1620 - Amrica do Norte

    (batata-inglesa ou batatinha)

    Francisco Pizarro - Espanha (perodo

    das colonizaes).

    Espanha para toda a Europa,

    principalmente para a Inglaterra,

    originando o nome batata-inglesa.

  • Variabilidade Espcies silvestres no

    Peru, Equador,

    Colmbia, Chile e

    Bolvia.

    Solanum demissum

    Solanum chacoense

    Solanum phureja

    Cruzamentos:

    Resistncia a doenas

  • Aspectos Botnicos Herbcea;

    Forma - ereta, aberta e decumbente;

    Folhas simples, profundamente

    recortadas (lbulos), assemelhando-se

    a folhas compostas;

    Caules geralmente verdes, mas podem

    apresentar pigmentao avermelhada

    ou escura;

    O caule pode ser quadrangular,

    triangular ou redondo;

    A parte subterrnea do caule formada

    pelos estlons (rizomas) que daro

    origem aos tubrculos nas suas

    extremidades.

    http://www.cim-agro.com.br/cib/img/batatatotal.jpg

  • Razes provenientes de sementes botnicas so da radcula do embrio (razes verdadeiras), enquanto que as provenientes dos tubrculos so dos brotos (razes adventcias).

    Estlons Tamanho varivel;

    Originam-se das gemas situadas na parte subterrnea da haste;

    Tendncia de crescimento horizontal;

    Nas extremidades h um engrossamento pelo acmulo de amido, ao dar formao ao tubrculo;

    Tubrculos so formados prximos superfcie do solo;

    Quando expostos luz solar, h sntese de clorofila, que enverdece o tubrculo e de solanina (alcalide txico).

  • Tubrculos Possuem pequenas formaes superficiais (olhos), com

    nmero varivel de gemas (salientes, superficiais ou profundos);

    A camada externa do tubrculo (pelcula): pode ser lisa e com brilho ou spera e opaca, podendo a sua cor ser amarela, creme, avermelhada ou violcea;

    A polpa pode ser branca, creme ou amarela;

    Os tubrculos formados aps a senescncia da planta, apresentam um perodo de dormncia Durao uma caracterstica de cada cultivar, dentro das mesmas

    condies.

    O trmino da dormncia caracterizado quando dos olhos dos tubrculos surgem os brotos que daro origem nova planta pela multiplicao assexuada.

    botit.botany.wisc.edu/.../TUBER_potato_2_MC.JPG

  • Caules adaptados para

    reserva de alimentos e

    reproduo;

    Engrossamento dos

    estoles que so

    caules modificados,

    subterrneos,

    semelhantes as

    razes;

    Podem se formar na

    parte area.

    www.gov.mb.ca/.../crops/potatoes/bda04s02.html

    http://www.gov.mb.ca/.../crops/potatoes/bda04s02.html

  • Flores

    Inflorescncia do tipo cimeira.

    Clice - gamosspalo de lbulos, verde

    piloso e persistente.

    Corola pentmera; gamoptala; varia

    entre branca, rosada lils e azul.

    Frutos

    Bagas biloculares arredondadas,

    geralmente de cor verde com dimetro

    varivel (2 a 3 cm).

    Sementes

    Riniforme ou oval-achatada, de cor

    amarela a castanho, em nmero varivel

    entre as cultivares.

  • www.healthypotatoes.com/.../PotatoesStory.aspx

    FASE DE

    CRESCIMENTO I

    Desenvolvimento do

    broto

    Perodo entre o plantio e

    a emergncia das

    hastes.

    Nesse estdio a plntula

    sobrevive das reservas

    contidas no tubrculo-

    me, j que o sistema

    radicular ainda no se

    desenvolveu.

    FASE DE

    CRESCIMENTO II

    Desenvolvimento

    vegetativo

    Compreendido da

    emergncia at o

    desenvolvimento de

    estruturas diferenciadas

    denominadas de

    estoles.

    Estoles desenvolvem-

    se a partir de gemas

    axilares (crescimento

    horizontal).

    FASE DE

    CRESCIMENTO III

    Inicio de Tubrculos

    Tubrculos se formam

    tipo estoles mas ainda

    no esto desenvolvidos;

    Na maioria dos cultivares

    o fim desta fase coincide

    com o florescimento

    precoce.

    FASE DE

    CRESCIMENTO IV

    Volume de Tubrculos

    O crescimento dos

    tubrculos apresenta um

    carter exponencial, ou

    seja, a proporo de

    assimilado exportados

    pela folha duplicado,

    sendo a maior parte

    dirigida para os

    tubrculos.

    FASE DE CRESCIMENTO

    V

    Maturao Os ramos ficam amarelados,

    perdem as folhas, diminui a

    fotossntese, e os ramos,

    eventualmente morrem;

    O contedo de matria seca

    dos tuberculos atinge o

    mximo, e eles ficam

    definidos.

    A maturao dos tubrculos se

    d quando a pelcula se

    encontra no grau mximo em

    termos de brilho..

    http://www.healthypotatoes.com/.../PotatoesStory.aspx

  • Aspectos nutricionais

    Protenas de alta qualidade

    Teor 2x maior que mandioca;

    100g de batata cozida = 13% da quantidade diria

    para crianas e 7% para adulto.

    Vitaminas (C, complexo B: niacina, tiamina, vit.

    B6);

    Sais minerais.

  • Usos

    Palitos fritos

    Chips

    Batata cozida

    Para assar

  • Clima

    Origem andina Comporta-se melhor em clima ameno, com

    temperaturas noturnas baixas que favorecem a formao de tubrculos.

    Nas regies frias, com temperaturas noturnas abaixo de 10C, e nas regies quentes, com temperaturas acima de 20C, aparecem muitas doenas, como a requeima, favorecida pelo frio e a pinta-preta, favorecida pelo calor.

  • Temperatura

    Mdias entre 10o e 200C so adequadas para a cultura

    da batata;

    A maior influencia da temperatura ocorre na poca da

    tuberizao, perodo crtico para a planta;

    Nesta ocasio temperaturas mnimas mdias e noturnas

    entre 12o e 160C so indispensveis para a tuberizao

    completa e perfeita;

    Temperaturas noturnas elevadas prejudicam e at

    impedem a tuberizao.

  • FASE DE CRESCIMENTO I FASE DE CRESCIMENTO II FASE DE CRESCIMENTO IIII

    Desenvolvimento do broto Desenvolvimento vegetativo Inicio de Tubrculos

    Temperatura

    Emergncia das

    plantas - iniciao da

    tuberizao:

    Baixa temperatura

    acarreta lenta

    emergncia e aumento

    da susceptibilidade da

    canela-preta e

    rizoctoniose.

  • FASE DE CRESCIMENTO III FASE DE CRESCIMENTO IV FASE DE CRESCIMENTO V

    Inicio de Tubrculos Volume de Tubrculos Maturao

    Da iniciao da tuberizao at os primeiros estdios de crescimento de tubrculos:

    Altas temperaturas acarretam baixas produes e aumento da incidncia de doenas como a pinta-preta;

    Temperaturas mais baixas favorecem a tuberizao, embora propicie tambm a incidncia do ataque da requeima.

    Temperatura

  • Temperatura

    Durante o perodo de

    crescimento rpido de

    crescimento dos tubrculos e seu

    amadurecimento:

    Altas temperaturas estimulam o

    maior desenvolvimento das plantas e

    maior intensidade de sua respirao,

    diminuindo a produo de

    tubrculos.

  • Fotoperodo

    A batata caracterizada como planta de

    dia curto ou de dia longo em relao

    tuberizao e no tanto em relao

    florao. Assim, existem cultivares de dias

    longos e cultivares de dias curtos.

  • Escolha de Cultivares

    Caractersticas ideais:

    Produtividade, precocidade (menos de 100

    dias de ciclo natural);

    Produo de alta % de tubrculos comerciais;

    Resistncia s principais doenas e pragas; e

    Baixa tendncia a distrbios fisiolgicos dos

    tubrculos (embonecamento, rachadura,

    corao-oco, corao-preto e mancha-

    chocolate).

  • Baixa exigncia em fertilizantes;

    Perodo de dormncia curto;

    Alta estabilidade de produo;

    Resistente ao transporte e armazenamento;

    Pelcula amarelada, lisa e brilhante;

    Polpa creme ou amarelada;

    Tubrculos uniformes e regulares, alongados (tipo

    'Bintje');

    Olhos superficiais.

  • http://www.extension.org/pages/32359/conventional-potato-

    breeding-at-michigan-state-university

  • Uso industrial

  • Local de plantio

    reas bem ventiladas;

    Solos profundos, bem

    estruturados e frteis;

    Rotaes de cultura (gramneas);

    Evitar solos midos;

    Evitar solos muito compactados e

    argilosos;

    Evitar reas contaminadas.

    www.hort.purdue.edu/.../large/potatoplant.jpg

  • Preparo do Solo Exigente: razes (1m); tubrculos (50 cm);

    Duas araes (1a : 40 cm) at dois meses

    antes do plantio;

    Uma ou mais gradagens;

    Operaes com mquinas: reduzidas para

    no compactar;

    Sulcos de plantio: 10 a 15 cm de

    profundidade;

    Espaamento: 70 a 90 cm (depende do

    objetivo).

  • Adubao pH do solo no deve ser acima de 6,0 (favorece sarna-comum)

    Adubao orgnica:

    Em