PEELING DE OLHEIRAS

  • View
    1.088

  • Download
    11

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of PEELING DE OLHEIRAS

  • 1. FACULDADE METROPOLITANA DA GRANDE FORTALEZA CURSO TECNLOGO DE ESTTICA E COSMTICA DRENAGEM FACIAL E PEELING DE TIOGLICLICO NO TRATAMENTO DE HIPERPIGMENTAO PERIORBICULAR FORTALEZA 2014
  • 2. MARIA AUGUSTA MAGALHES CAMURA MARIA DA CONCEIO MARTINS TIMB NADJA SOUSA MONTEIRO DRENAGEM FACIAL E PEELING DE TIOGLICLICO NO TRATAMENTO DE HIPERPIGMENTAO PERIORBICULAR Trabalho apresentado ao Curso Tecnlogo de Esttica e Cosmtica da Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza - FAMETRO, como requisito parcial para aprovao na disciplina de Projeto Integrador II, sob orientao da (s) professoras Aline Brito, Graduada em Fisioterapia; Bacharel pela Faculdade de Ensino e Cultura do Cear - FAECE e Especialista em Diabetes pela Universidade Federal do Cear UFC e Lucilene Cavalcante de Paula, Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceara- UFC e mestrado em Psicologia pela Universidade de Fortaleza - UNIFOR. FORTALEZA 2014
  • 3. LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Foto retirada para iniciar o tratamento (J.B.F) ..................................... 12 Figura 2 - Foto da primeira sesso (J.B.F)........................................................... 12 Figura 3 - Foto da segunda sesso (J.B.F) .......................................................... 13 Figura 4 - Foto da quinta sesso (J.B.F) .............................................................. 13 Figura 5 - Foto retirada para iniciar o tratamento (E.C.O.S)................................. 14 Figura 6 - Foto da primeira sesso (E.C.O.S) ...................................................... 14 Figura 7 - Foto da segunda sesso (E.C.O.S) ..................................................... 14 Figura 8 - Foto da quarta sesso (E.C.O.S)......................................................... 13
  • 4. LISTA DE APNDICE Apndice 1: Ficha de Anamnese Facial ................................................................19
  • 5. SUMRIO 1 INTRODUO.....................................................................................................6 2 OBJETIVOS.........................................................................................................9 2.1 Geral ..............................................................................................................9 2.2 Especficos.....................................................................................................9 3 METODOLOGIA ................................................................................................10 3.1Tipo de estudo ..............................................................................................10 3.2 Local do estudo............................................................................................10 3.3 Populao e amostra ...................................................................................10 3.4 Instrumentos de coleta de dados .................................................................10 3.5 Anlise dos dados........................................................................................10 3.6 Materiais.......................................................................................................11 3.7 Procedimentos .............................................................................................11 4 RESULTADOS E DISCUSSES.......................................................................12 4.1 Resultados da primeira colaboradora: J.B.F ................................................12 4.2 Resultados da segunda colaboradora: E.C.O.S...........................................14 5 CONCLUSO ....................................................................................................16 REFERNCIAS.....................................................................................................17 APNDICE............................................................................................................18
  • 6. 6 1 INTRODUO A hiperpigmentao periorbicular, mais conhecida como olheira, alm de propiciar um aspecto de cansao e de envelhecimento em quem a possui, pode provocar importante impacto na qualidade de vida das pessoas. De acordo com Kadunc; Palermo; ET. AL, 2012 classifica as olheiras em trs grandes grupos: por deposio de pigmento melnico, por Intertransparncia da pele com visibilidade de vasos e musculatura ou por alteraes de relevo nas plpebras inferiores. De acordo Cymbalista, 2012; Ribeiro; 2010, o acometimento maior acontece em indivduos de pele, cabelos e olhos mais escuros, de qualquer idade, independente do sexo, havendo presena de pigmento melnico e hemossidertico nos locais acometidos. Mas a maior queixa por parte das mulheres, justifica-se por ter uma variao hormonal em vrios perodos da vida como: menstruao, gravidez, menopausa, uso de anticoncepcionais, e que tambm so possveis causas de estimulao da deposio de melanina na pele ocasionando as to indesejadas olheiras. Outras razes podem ser de origem gentica, a exposio solar cumulativa, tabagismo, etilismo ou privao de sono. Em alguns casos, pode aparecer precocemente, muitas vezes ainda na infncia, em pessoas de grupos tnicos como rabes, turcos, hindus e ibricos, visualizam- se os vasos dilatados por transparncia, que so a liberao de ons frricos locais que formam radicais livres que estimulam os melancitos, gerando pigmentao. O mecanismo importante no desenvolvimento da olheira est relacionado microcirculao lenta. A pele das plpebras mais fina e mais flexvel que o restante do corpo devido reduo de colgeno, elastina e glicosaminaglicanas. O que separa os vasos sanguneos da pele so 3 bolsas de gordura que todos ns apresentamos ao redor dos olhos na parte inferior das plpebras. Logo, sempre que estamos cansados por dormirmos pouco, ocorre vasodilatao e, como aumenta o aporte sanguneo para essa rea, aparecem s olheiras. Condies como congesto, hiperemia e outras quaisquer alteraes circulares so prontamente visveis. Fatores ambientais, incluindo a radiao ultravioleta, envelhecimento cronolgico, o estresse fsico e emocional, alm de reaes alrgicas e atpicas podem favorecer a liberao de mediadores inflamatrios, que afetam a permeabilidade vascular. Dentre as afeces, a rinite alrgica provoca estase venosa da plpebra devido ao edema prolongado da mucosa nasal e paranasal, que agravada pelo espasmo alrgico do msculo de Muller (msculo superior palpebral), afetando a drenagem venosa das plpebras (EBERLIN et al.,
  • 7. 7 2009; OSHIMA et al., 2009; CYMBALISTA; BECHARA; GARCIA, 2012; OHSHIMA; TAKIWAKI, 2008). BRAZ, 2014. Na formao do edema, h o extravasamento de eritrcitos que sofrem hemlise, liberando hemoglobina que, ao ser decomposta, libera hemosiderina (pigmento frrico de cor parda) que se deposita nos tecidos circundantes. Isso promove o aumento das sombras perioculares e a formao de anis concntricos pardos. RIBEIRO; (2010). Amplamente empregado na cosmtica, o cido tiogliclico umectante, esfoliante e muito usado no tratamento dos cabelos e reduo de rugas de expresso. Usado inicialmente na cosmtica como um depilatrio, uso que permanece at os dias de hoje, o responsvel pelo odor desagradvel de alguns cremes depilatrios, e atua no enfraquecimento do pelo, tornando mais fcil sua remoo. Se apresenta na forma de loo, creme e gel. SOUZA E COLS. (2007, p.30, 528). O tratamento de olheiras proposto neste estudo uma terapia combinada de drenagem linftica facial com peeling de cido tiogliclico a 5%. Trata-se da aplicao de uma drenagem linftica facial, maneira eficaz de tirar o inchao do rosto e atuar no combate as olheiras, com durao em mdia, de 10 a 15 minutos, tcnica de massagem realizada com os dedos que tira o excesso de lquido e toxinas do rosto e do pescoo, deixando a pele com uma aparncia mais jovial e, tambm uso do tiogliclico 5% que alm de ser um potente clareador, foi descoberto recentemente como suavizador de olheiras. Sua afinidade com ferro semelhante apoferritina permite-lhe a capacidade de quelar o ferro da hemossiderina, ou seja, vai absorver e capturar o ferro, facilitando sua eliminao. O tiogliclico funciona em pigmentos na pele, derivados de sangue. As olheiras acastanhadas so decorrentes da hemociderina, que um depsito de ferro do sangue. O neutralizante usado base de bicarbonato de sdio a 10%, por ser alcalino, agir neutralizando os efeitos do peeling, bloqueando sua ao, mas tambm pode ser neutralizado com gua. A combinao cido com uma base faz com que um anule a propriedade do outro. Essa tcnica de neutralizao utilizada para cidos que precisam ser retirados rapidamente, devido ao seu intenso poder abrasivo.
  • 8. 8 O ps peeling composto por Lactorine Fluid, hidrocortisona, vagelip e leo de framboesa. O Lactorine Fluid que derivado do leite e que atuar na regulao dos melancitos, pelo envio de sinais para a reduo da sntese de melanina, contribuindo para que a pele tenha uma pigmentao regular. Usado em formulaes clareadoras e para uniformiza