Introdução (vocação e ensino)

Embed Size (px)

Text of Introdução (vocação e ensino)

  • Pedagogia da Ao Pastoral

    como o Filho do homem, que no veio para ser servido, mas

    para servir e dar a sua vida em resgate por muitos".

    Ricardo Gondim

    pastorgondim@hotmail.com

  • TEOLOGIA PASTORAL Cincia que trata dos fundamentos bblicos para o ministrio pastoral, bem como das relaes do pastor quanto ao seu trabalho, igreja, famlia, mundo etc. Mas talvez podemos analisar que esta Teologia

    Pastoral, a qual pode se confundir, as vezes, com a Psicologia Pastoral, deveria se iniciar desde de uma viso bblica antropocntrica, ou seja, o homem enquanto ser, e em si mesmo; tanto o homem como ser emissrio de Deus, como o homem sendo o alvo.

    O mais importante, o homem, depois suas demais relaes, famlia, igreja, mundo etc.

  • TEOLOGIA MINISTERIAL Esquadrinhar uma teologia ministerial no deixa de ser uma tentativa de se tentar falar ou referir-se num mundo de percepes que se do com muita sensibilidade espiritual. Sendo ento que, ns nos atamos em poucas partes deste todo, mas que demonstram um esboo da teologia pastoral. Teologia Ministerial implica tambm os vrios ministrios manifestados, como numa engrenagem, a engrenagem do Reino, onde junta as peas, todas so de importncia relevante para o bom desenvolvimento da misso da igreja (missio eklesia), seja liderana, louvor, evangelismo, educao, pastoreamento, misericrdia, intercesso etc.

  • UMA BASE BIBLICA PARA O MINISTERIO O homem no pode criar um relacionamento com Deus

    no sentido de conhecimento, pois isto seria contraditrio sendo o homem criatura limitada. O conhecimento de Deus pelo o homem somente se manifesta se o prprio Deus se der a conhecer.

    Mas este princpio, de aventurarmos a fazer teologia, se d mediante a revelao de Deus; revelao esta que o homem deve constantemente buscar.

    Jesus Cristo a mxima revelao de Deus, expresso plena de seu amor para com o homem

  • Nesta concluso, observamos que Deus tem o homem como o mais importante seja ele quem seja ou como esteja. Assim a Bblia trs referencias do seu IDE, visando o homem , objeto de seu amor. Neste contexto, de que Deus deseja este relacionamento podemos rever dados bblicos para formao de uma teologia pastoral. Pr exemplo: Quando a Bblia trs palavras do prprio Jesus Eu vim para ..., Meu Pai me enviou para ..., Eu fui enviado para .... Toda teologia que ns aventuramos formalizar seria dentro de uma focalizao cristocntrica na misso e construo de uma teologia pastoral, esta frase fui enviado ..., no tem menos que 40 vezes no NT.

  • No venho de min mesmo, mas sim que fui enviado pr Aquele que verdadeiro, o qual vocs no o conhecem, Eu o conheo pr que procedo dEle e foi Ele que me enviou- Jo 7:28

    Os termos mais importantes ou destacados so enviar ou vir, e so termos usados constantemente. Assim que, como Tu me enviaste ao mundo, Eu tambm vos envio Jo 17:18

  • No decorrer de sua mensagem ou do desenvolvimento de sua reflexo vemos um tempo onde a igreja se torna instrumento desta misso, sendo ela capacitada, comissionada e enviada pr Jesus Cristo.

    Estes textos acima fazem uma referncia especfica a Jesus e a Missio Dei, mas a igreja passa a receber referncia que agora a responsabilidade lhe pertence, e as citaes bblicas so a ela direcionadas.

    Jesus os deu o nome de enviados, Apstolos .

  • Pr outro lado muito bom, e necessrio, ressaltar a teologia pastoral que alm de bblica e cristocntrica, que logicamente no poderia de deixar de ser, tem sua nfase caracterizada, esta pr alguns pontos, que so eles:

    Proclamao, Ensino, Servio,

    Comunho, Profecia e Adorao

  • Proclamao.

    Este tem haver com o aspecto kerigmtico da igreja. Esta afirmao enftica e axiomtica pois nada, ningum ou at qualquer instituio tem tamanho privilgio de ser proclamadora do Reino de Deus. O Dom maior, Esprito Santo, com suas ferramentas, so presentes para a igreja cumprir o seu ministrio.

    Kerigma (do grego: krygma) uma palavra usada no Novo Testamento com o significado

    de mensagem, pregao, anncio ou proclamao.

  • O Esprito do Senhor est sobre Mim, porque Me ungiu, para anunciar a Boa Nova aos pobres, para proclamar a libertao dos cativos, recobrar a vista aos cegos, pr em liberdade os oprimidos, proclamar um ano de graa do Senhor. Isaias 61.1 Aps a leitura Jesus se identificou como

    o Messias prenunciado pelo profeta, aquele que traria as boas novas, ou o Evangelho .

    A afirmao de que Jesus faz nesse momento conhecido como o kerigma e a base de sua pregao aos homens.

  • Depois que terminou de instruir seus doze discpulos, Jesus saiu para ensinar e pregar nas cidades da Galilia.

    Joo, ao ouvir na priso o que Cristo estava fazendo, enviou seus discpulos para lhe perguntarem:

    "s tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?

    Jesus respondeu: "Voltem e anunciem a Joo o que vocs esto ouvindo e vendo:

    os cegos vem, os mancos andam, os leprosos so purificados, os surdos ouvem, os mortos so ressuscitados, e as boas novas so pregadas aos pobres; Mateus 11:1-5

    Proclamao do Reino

  • Ensino. Este o aspecto disciplinar e formativo da igreja. Era a primazia do ministrio de Jesus. A maior nfase de todo a caminhada do ministrio de Jesus foi no ensino da Palavra. Sua proposta pedaggica pastoral pretendia revelar o verdadeiro propsito das sagradas escrituras, Revelar um Deus pessoal.

  • I Colossenses Paulo, apstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, e o irmo Timteo,

    aos santos e fiis irmos em Cristo que esto em Colossos: A vocs, graa e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.

    Sempre agradecemos a Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, quando oramos por vocs, pois temos ouvido falar da f que vocs tm em Cristo Jesus e do amor que tm por todos os santos, por causa da esperana que lhes est reservada nos cus, a respeito da qual vocs ouviram por meio da palavra da verdade, o evangelho que chegou at vocs. Por todo o mundo este evangelho vai frutificando e crescendo, como tambm ocorre entre vocs, desde o dia em que o ouviram e entenderam a graa de Deus em toda a sua verdade. Vocs o aprenderam de Epafras, nosso

    amado cooperador, fiel ministro de Cristo para conosco, que tambm nos falou do amor que vocs tm no Esprito.

  • Por essa razo, desde o dia em que o ouvimos, no deixamos de orar por vocs e de pedir que sejam cheios do pleno conhecimento da vontade de Deus, com toda a sabedoria e entendimento espiritual.

    E isso para que vocs vivam de maneira digna do Senhor e em tudo possam agrad-lo, frutificando em toda boa obra, crescendo no conhecimento de Deus e sendo fortalecidos com todo o poder, de acordo com a fora da sua glria, para que tenham toda a perseverana e pacincia com alegria, dando graas ao Pai, que nos tornou dignos de participar da herana dos santos no reino da luz. Pois ele nos resgatou do domnio das trevas e nos transportou para o Reino do seu Filho amado, em quem temos a redeno, a saber, o perdo dos pecados.

  • pleno

    conhecimento

    da vontade de

    Deus

    com toda a

    sabedoria e

    Discernimento

    vivam de

    maneira digna

    frutificando em

    toda boa obra

    crescendo no

    conhecimento

    de Deus

    sendo

    fortalecidos

    com todo o

    poder

  • Didaqu ("ensino","doutrina","instruo" em grego clssico), Instruo dos Doze Apstolos ou Doutrina dos Doze Apstolos 42 E perseveravam na doutrina dos apstolos, e na comunho, e no partir do po, e nas oraes. Atos 2 17 Os presbteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina; I Timteo 5

  • Filipenses

    Paulo e Timteo, servos de Cristo Jesus, a todos os santos em Cristo Jesus que esto em Filipos, com os bispos e diconos: A vocs, graa e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.

    Agradeo a meu Deus toda vez que me lembro de vocs. Em todas as minhas oraes em favor de vocs, sempre oro com alegria por causa da cooperao que vocs tm dado ao evangelho, desde o primeiro dia at agora. Estou convencido de que aquele que comeou boa obra em vocs, vai complet-la at o dia de Cristo Jesus. justo que eu assim me sinta a respeito de todos vocs, uma vez que os tenho em meu corao, pois, quer nas correntes que me prendem, quer defendendo e confirmando o evangelho, todos vocs participam comigo da graa

    de Deus. Deus minha testemunha de como tenho saudade de todos vocs, com a profunda afeio de Cristo Jesus.

  • Esta a minha orao:

    Que o amor de vocs aumente cada vez mais em conhecimento e em toda a percepo, para discernirem o que melhor, a fim de serem puros e irrepreensveis at o dia de Cristo, cheios do fruto da justia, fruto que vem por meio de Jesus Cristo, para glria e louvor de Deus.

  • Que o amor de

    voces

    aumentem

    Em

    conhecmento e

    em toda

    percepo

    Para

    discernirem o

    que melhor

    A fim de serem

    puros e

    irrepreensveis

    Cheios do fruto

    da justia

  • Efsios Paulo, apstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, aos santos e fiis em Cristo Jesus que esto em feso. A vocs, graa e paz da

    parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo. Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abenoou com todas as bnos espirituais nas regies celestiais em Cristo. Porque Deus nos escolheu nele antes da criao do mundo, para sermos santos e irrepreensveis em sua presena. Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos, por meio de Jesus Cristo, conforme o bom props