Ministros e despenseiros

  • View
    280

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

  • Estudo Elaborado: Pr. Ricardo Gondim

    I Carta aos Corntios Aula 6 EBD 2016 - 2. S.

  • Captulo 1 Tema: Chamado Cristo Somos chamados a: Santidade

    Unio com Cristo Glorificar a Deus

    Captulo 2 Tema: A Mensagem do Evangelho Paulo diz que: O evangelho foi pr-ordenado

    por Deus na eternidade O evangelho centralizado

    na morte de Cristo O evangelho aplicado pelo

    Esprito Santo atravs da Palavra

    O grande destaque do Tema a TRINDADE

  • Captulo 3 Tema: Centraliza-se na Igreja Paulo diz que a Igreja uma Famlia :

    Cujo alvo a Maturidade E um campo cujo projeto a quantidade E um templo cujo propsito a qualidade

    Nos 3 captulos o instrumento de edificao a Palavra A Palavra o alimento para a famlia (igreja) A Palavra a semente mediante a qual o campo

    produz (lembrem-se que somos agricultores? plantamos e regamos mas o crescimento?)

    A Palavra o material de construo, mediante a qual o Templo e o Santurio so edificados

  • I Corntios 4 1 Assim, pois, que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistrios de Deus. 2 Alm disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel. 3 Todavia, a mim mui pouco se me d de ser julgado por vs, ou por algum juzo humano; nem eu tampouco a mim mesmo me julgo. 4 Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga o SENHOR. 5 Portanto, nada julgueis antes de tempo, at que o Senhor venha, o qual tambm trar luz as coisas ocultas das trevas, e manifestar os desgnios dos coraes; e ento cada um receber de Deus o louvor. 6 E eu, irmos, apliquei estas coisas, por semelhana, a mim e a Apolo, por amor de vs; para que em ns aprendais a no ir alm do que est escrito, no vos ensoberbecendo a favor de um contra outro. 7 Porque, quem te faz diferente? E que tens tu que no tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se no o houveras recebido? 8 J estais fartos! j estais ricos! sem ns reinais! e quisera reinsseis para que tambm ns vissemos a reinar convosco! 9 Porque tenho para mim, que Deus a ns, apstolos, nos ps por ltimos, como condenados morte; pois somos feitos espetculo ao mundo, aos anjos, e aos homens.

  • Captulo 4 Tema: Ministro Cristo Paulo falou nos captulos anteriores sobre:

    1. Vocao 2. Evangelho 3. Igreja 4. Fala sobre o obreiro

    1 Assim, pois, que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistrios de Deus. Assim, pois. Essas duas palavras referem-se ao captulo anterior, no qual Paulo disse aos corntios para no se gloriarem em homens, fossem estes Paulo, Apolo ou Cefas. Ele os instruiu a olharem para Cristo, em quem tudo lhes pertence. Alm disso, os servos de Cristo so cooperadores entre si e no esto competindo uns com os outros. Pelo uso das palavras assim, pois, Paulo conecta o ensino do captulo 3 com o que escrever a seguir.

  • A perspectiva de servo para os corntios estava prejudicada pela viso greco-romana do servos e escravos vistos sempre como derrotados

  • A cidade de Corinto. Corinto era um rico centro comercial, situado sobre o estreito istmo que liga o territrio da Grcia propriamente dita com o Peloponeso.

  • Novamente Paulo vai se servir de 3 figuras para falar sobre o Obreiro ou Ministro 1. O obreiro um mordomo e como tal exigido

    dele FIDELIDADE 2. O obreiro um fomentador social (espetculo do

    evangelho) e como tal precisa ser HUMILDE 3. O obreiro um pai e como tal precisa ser

    AMVEL

  • Repare que a 1. Figura que Paulo vai utilizar a do despenseiro (mordomo) dentro de um contexto que ele vinha trazendo nos captulos anteriores: Paulo vem corrigindo o problema da diviso Alertando para o sistema do mundo que entra na

    igreja Os valores do mundo esto gerenciando a igreja

    Lembrando que a grande atrao na Grcia era escutar os grandes filsofos e sbios nos inmeros teatros que existiam

    E por se identificar com este ou aquel pensador tornavam-se seguidores de homens

    Vivendo isso no mundo queria tambm ser seguidores na igreja, uns de Paulo, Apolo ou Cefas

  • Paulo desmistifica essa ideia de seguir a homens: Importa que nos considerem Ministros de Cristo...

    O termo Ministro no ajuda muito a entender Porque a palavra Ministro para ns denota certa

    importncia, pois, um ministro o segundo escalo de um governo

    Uma pessoa que ocupa alta posio E uma posio que se destaca pelo:

    1. Poder, 2. Autoridade 3. Liderana

    Mas no captulo anterior Paulo nos colocou em uma baixa posio, bem inferior, de servo ao contrrio do que aqui agora fala

  • Mas a palavra que d esse tom importante aqui no grego, Paulo usa um termo com outro

    significado Rupereta

    Outras verses usam: criados (ARCA), servos (ARA), escravos (viva)

    Remador de baixa categoria, escravo, remador de Gals, homem sentenciado a morte que prestava servio como remador at a execuo

    Rupereta um escravo sentenciado a morte que est sob o comando do capito

    Em outras palavras, No COLOQUEM muitos holofotes nos homens porque importa que nos considerem como Ruperetas

  • A 2. Figura que Paulo nos identifica com o Mordomo o despenseiro.

    e despenseiros dos mistrios de Deus.

    A palavra despenseiro tem o significado de encarregado da despensa

    Vem do grego Oikonomos = Mordomo (diakonos)

    Mordomo = administrador, gerente da casa Se relacionado ao seu senhor = escravo Se relacionado aos outros = encarregado

    Qual a funo do Mordomo? Gerenciar a casa e seus trabalhos Cuidar da Despensa (onde se guardava a comida)

  • Mas o que ajuda na interpretao de despenseiro a continuao do versculo

    e despenseiros dos mistrios de Deus.

    A palavra mistrio do grego aqui utilizada musterion que normalmente significa OCULTO, SECRETO, ESCONDIDO e MISTRIO

    Mas o sentido utilizado nesta palavra tem a ver com o EVANGELHO VERDADE ou PROPSITO de Deus, expressa em sua palavra que aos outros secreta, mas aos seus denota um sentido

    Portanto despenseiro aquele mordomo que cuida da Palavra de Deus pois ele cuida da:

    Despensa Comida Alimentao da Casa

  • E o que esta figura, assim como a do rupereta, nos diz?

    No competncia do despenseiro (mordomo) PROVER a comida, isso tarefa do Senhor e o alimento j est provido na sua Palavra de Deus

    No precisamos inventar, prover ou pegar qualquer outro alimento porque ele j existe na Palavra de Deus

    Compete ao despenseiro: 1. Entregar a Palavra de Deus 2. Distribuir a Palavra de Deus 3. Balancear a Palavra de Deus 4. Preparar a Palavra de Deus

    5. Tornar apetitosa a Palavra de Deus

  • A competncia do despenseiro, ento, est em preparar a refeio (gostosa e atraente) com os melhores ingredientes que foram providos pelo seu Senhor

    Paulo diz que a Palavra de Deus tima (til) para o ensino, correo, exortao e habilitao do cristo

    Repare na diferena do contexto humano entre o significado que Paulo trouxe a cerca do obreiro

    MINISTRO X RUPERETA FILSOFO X DESPENSEIRO

    Paulo gostava da expresso eu vos entreguei aquilo que tambm recebi

    Cabe ao despenseiro entregar e transmitir aquilo que recebeu

  • Quatro significados podem ser observados:

    1. O despenseiro no podia MUDAR o alimento

    2. O despenseiro no podia ALTERAR (substituir o contedo, a substncia ou essncia) o alimento

    3. O despenseiro no podia ACRESCENTAR nada ao alimento

    4. O despenseiro no podia PROVER o alimento, sua funo era DISTRIBUIR o alimento

  • O que Deus espera do ministro e despenseiro? FIDELIDADE O que Deus via pesar na sua obra? NO O SUCESSO NEM A POPULARIDADE

    Deus vai pesar, trs conceitos de fidelidade 1. FIDELIDADE AO SENHOR 2. FIDELIDADE AO EVANGELHO 3. FIDELIDADE AO POVO

  • Repare que Paulo apresenta 3 critrios de julgamento: 1. O julgamento de homens Todavia, a mim

    mui pouco se me d de ser julgado por vs, ou por algum juzo humano;...

    2. O julgamento da conscincia nem eu tampouco a mim mesmo me julgo.

    3. O julgamento de Deus Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga o SENHOR.

    Porque o julgamento + importante o de Deus, porque Ele o nico que conhece as circunstncias e as motivaes

  • Paulo repreende a igreja em relao ao critrios de julgamento dos ministros de Deus 1. errado julgar S.D. no tempo errado

    Portanto, nada julgueis antes de tempo, at que o Senhor venha,...

    2. perigoso julgar S.D. pelo critrio errado E eu, irmos, apliquei estas coisas, por semelhana, a mim e a Apolo, por amor de vs; para que em ns aprendais a no ir alm do que est escrito,...

    3. errado julgar S.D. pela motivao errada no vos ensoberbecendo a favor de um contra outro.

  • Denegrir a imagem de um para que a do outro sobressaia

    Criticando algum para que outro sobressaia

    No basta apenas a integridade da pregao mas a fidelidade da prtica do evangelho

    No adianta a ortodoxia (a correo) da palavra se no existe fidelidade uns para com os outros

    Porque nos tornamos ESPETCULO (fomentadores) ao mundo, servindo o evangelho de espetculo para o mundo

  • A palavra aqui usada Espetculo grego theatron

    Porque tenho para mim, que Deus a ns, apstolos, nos ps por ltimos, como condenados morte; pois somos feitos espetculo ao mundo, aos anjos, e aos homens.

  • 9-13 - O que vejo que ns, que temos a Mensagem, fomos colocados por Deus num palco, mas ningum quer comprar o ingresso. Somos como um acidente na ru