Os Inimigos Desencarnados(Ese)

  • View
    6.829

  • Download
    6

Embed Size (px)

Text of Os Inimigos Desencarnados(Ese)

  • 1. A cada dia que vivo, mais me conveno de que o desperdcioda vida est no amor que no damos, [Carlos D.Andrade] OS INIMIGOS DESENCARNADOS(ESE)

2.

  • Em vrias pocas da Humanidade, crianas e adolescentes foram atacados por inimigos desencarnados (espritos perversos, chamados demnios) de forma implacvel, desafiando at mesmo a Jesus.
  • De onde vem esta inimizade se pensarmos em uma nica existncia?
  • Ser que devido aos seus antepassados?

3.

  • A maioria dessas inimizades vem da confiana trada e do colapso de amores que, por vezes, vo para alm da morte material.
  • As vtimas do nosso egosmo e orgulho transportam para o futuro as lembranas do nosso passado tortuoso que no soubemos resolver.
  • Surgem assim casos de obsesso por parte de espritos que anseiam por nos infligir dor para que possamos assim conhecer a sua prpria dor.

4.

  • O desastre grande, quase sempre, soma dos descuidos pequenos;
  • Devemos policiar modos e frases que exteriorizamos sem ferir ou condenar ningum.
  • Livro : Estude e Viva
  • Chico Xavier e Andr Luiz

5.

  • Os inimigos do mundo invisvel manifestam sua malevolncia pelas obsesses e subjugaes, com que tanta gente se v a braos, e que representam um gnero deprovaes , as quais, como as outras,concorrem para o adiantamento do ser . ESE

Filme : A Profecia 6.

  • A patognese da alma est dividida em quadros dolorosos, criados por ns mesmos, quando manifestamos a clera, o dio, os desvarios do sexo, as viciaes de vrios matizes, produzimos criaes inferiores (formas sombrias) que afetam profundamente a vida ntima.Missionrios da Luz

7.

  • Ningum logra aplacar as almas doshomens perversos( chamados de deuses infernais, demnios, maus espritos)seno pela caridade;
  • A caridade pura tem por efeito, impedi-los de praticar o mal, e tambm, o de os reconduzir ao caminho do bem e de contribuir para a salvao deles. ESEEx: Divaldo e a Me do seu obsessor

No h mudana na cena exterior at que haja mudana no nosso estado de conscincia. Joel Goldsmith 8.

  • Lembraremos o que diz A Gnese sobre o Bem e o Mal:
  • O MAL CIRCUNSTANCIAL, ou seja, ele apenas a ausncia do bem.

A vitria na luta pelo bem contra o mal caber sempreao servidor que souber perseverar com a Lei Divina at o fim. Chico Xavier 9.

  • Se lembram da Lei Natural?
  • S somos infelizes quando delas nos afastamos, e se sofremos a obsesso que em algum momento da caminhada samos do caminho do bem.
  • OBSERVAO IMPORTANTSSIMA:
  • As pessoas que tm VIDA DE ORAOpodem anular inmeros males.
  • Andr Luiz Livro : Missionrios da Luz

10.

  • Irmo X revela no livro Pontos e Contos o caso de um esprita e doutrinador (Sinfrnio) que tem uma filha gravemente doente pelo ataque implacvel de um obsessor que diz a ele:
  • Voc Sinfrnio foi meu perverso inimigoAlgemas de dio me ligam a seu lar, muito antes que as paredes de sua casa se levantassem

11.

  • Sinfrnio responde:
  • Retira-te cruel perseguidor Ordeno! Afasta-te, afasta-te!...
  • Aps o mdico diagnosticar o estado de Coma da jovem Angelina, Sinfrnio chorou pela primeira vez e fez uma prece suplicando o socorro urgente aos benfeitores espirituais.

12. O SBIO MENTOR RESPONDEU:

  • Meu amigo, todas as doenas e obsesses, podem ser tratadas, mas nem todas podem ser curadas, segundo os propsitos do homem.
  • No caso de Angelina, temo-la profundamente unida ao obsessor, desde alguns sculos.
  • No passado perturbaste-lhes o lar, e agora, consoante a Lei Divina, procuram-te ansiosos de equilbrio no caminho reto.

13.

  • No se arranca o carvalho de 300 anos sem algum trabalho, como se no pode desfazer uma construo milenria, de um minuto para outro, sem ofensa a harmonia geral.
  • Traze o obsessor e recebe-o no teu santurio domstico, afetuosamente, qual se o fizesse a um filho.
  • Cura-lhe as mgoas, orienta-o para o Senhor.
  • Ama-o, quanto puderes, porque s o amor pode curar o dio.

14.

  • No te sintas humilhado, meu filho! Tens agora muitos conhecimentos e possibilidades, mas tem igualmente muitas dvidas.
  • E quem deve, Sinfrnio, precisa desembaraar-se do dbito, a fim de seguir, em paz, na gloriosa e divina jornada para Deus.

15.

  • Amar os Inimigos no lhes guardar dio, nem rancor, nem desejos de vingana;
  • perdoar-lhes,sem pensamento oculto e sem condies,o mal que nos causem;
  • no opor nenhum obstculo a reconciliao com eles;

16.

  • socorr-los, em se apresentando ocasio;
  • retribuir-lhes sempre o mal com o bem,sem a inteno de os humilhar.
  • no tentarmos nos afastar dos nossos obsessores, mas sim, nos evangelizarmos juntos. (Chico Xavier)
  • Quem assim procede preenche as condies do mandamento: Amai os vossos inimigos.