Vocação E Ministérios Leigos

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Vocação E Ministérios Leigos

  • 1. FUNDAMENTOS BBLICOS E TEOLGICOS DA VOCAO LEIGA E DOS MINISTRIOS LEIGOS Irmo Nery fsc
  • 2. 1.1- O momento histrico mximo da religio revelada, segundo a nossa f, aconteceu com encarnao, vida, ensino, morte, ressurreio e glorificao do Filho de Deus, Jesus Cristo . Seguir Jesus passou a ser um chamado de Deus feito liberdade humana. 1. FUNDAMENTAO DA VIDA CRIST: SEGUIR JESUS .
  • 3. 1. FUNDAMENTAO DA VIDA CRIST: SEGUIR JESUS . O chamado para escutar Jesus e para segui-lo: partilhar de sua vida, de suas necessidades, de sua misso (fazer a vontade do Pai). E Deus fez este chamado, explicitamente, no dia do Batismo de Jesus no rio Jordo e, tambm, na Transfigurao de Jesus.
  • 4. A vocao crist aquela que nos vem de Deus por Cristo na fora do Esprito Santo para a comunho, a mais plena possivel com a Santssima Trindade e a cooperao com o Plano Salvfico do Pai. mas, no fazendo de Cristo um ponto de chegada, e sim, como ele mesmo o disse, como Caminho, Verdade, Vida e Ponte (Pontfice) para o Pai, sob o impulso do Esprito Santo. E se traduz, tambm, como Igreja e como misso. Como concretizao histrica esta vocao se traduz no seguimento de Jesus , segundo a dinmica do discipulado (cf Col 1, 15-17; Ef 1, 1-14),
  • 5. B. a viver as bem aventuranas (Mt 5, 1ss; 6, 20-38), e a realizar os valores do Reino.
    • a seguir Jesus,
    • o JESUS pessoa, mensagem de vida - ensinamento e misso
    • (cf. Lc 9, 57-62; 14, 25-27; 18, 18-30),
    D. a anunciar a esperana do reino futuro (Lc 21, 29-36; 12, 35-46). C. a dar continuidade a sua obra e misso na terra (Mt 28, 16-20); Mc 16, 15-20; Jo 20, 21-23), 1.2- Por esta vocao crist, somos chamados:
  • 6. b) dado sua adeso pessoal ao Senhor e ter aceito o Senhor e a sua Igreja , pelo ato de f ,
    • Para ser seguidor de Jesus
    • e membro de sua Igreja, a pessoa precisa:
    • ser iniciada por meio da
    • evangelizao, da catequese e dos sacramentos;
    c) participar da vida da Igreja , por um profundo sentido de eclesialidade ; d) comprometer-se com a misso de Jesus e de sua Igreja , tanto ad intra ecclesiae como ad extra ecclesiae , na plenitude de direitos e deveres na Igreja. 1.3 -A incorporao em Cristo e na Igreja.
  • 7.
    • Tanto do ponto de vista
    • ontolgico e sacramental
    • (o ser consagrado no Batismo-confirmao),
      • B. A incorporao no mistrio
      • de Cristo e da Igreja:
    • Como do ponto de vista afetivo e persoal
    • (aceitao pessoal, existencial e participao).
    • Ningum pode aceitar incorporar-se em Jesus e na Igreja no lugar do outro.
  • 8. c) templos do Esprito (1Cor 6, 19-20), d) membros vivos do Corpo de Cristo (1Cor 12, 4-13), e) comprometidos a manter a unidade, o amor e a paz do mesmo Esprito em um s Senhor, uma s f, um s batismo, um s Deus e Pai de todos (Ef 4, 1-6). A transformao ontolgica batismal supe e revela a visibilidade sacramental da vocao crist No BATISMO somos chamados a ser na Igreja: a) filhos de Deus (Ef 1,5), b) criaturas novas (2Cor 5, 17; Gal 6, 15),
  • 9. importante acentuar que a vocao crist une inseparavelmente: o seguimento de Jesus ( vocao ao discipulado ) e a inserso na Igreja ( vocao eclesial ). So duas vertentes sacramentalmente manifestativas em sua diversidade, num duplo movimento DE CHAMADO E DE RESPOSTA que, dando-se de modo exemplar em Cristo ( dimenso cristolgica ), d-se de modo geral na Igreja ( dimenso eclesiolgica ), e se realiza de modo particular em cada cristo ( dimenso ontolgica e participativa ).
  • 10. 1.4- Vocaco ao apostolado Apostolicam Actuositatem , 2, Decreto do Conclio diz: A vocao crist, por sua prpria natureza, tambm vocao ao apostolado (...) no Corpo de Cristo, que a Igreja; a atividade prpria de cada um de seus membros, faz crescer o corpo inteiro (Ef 4, 16).
    • Sem a compreenso destes elementos bsicos sobre vocao crist , e nela, vocao apostlica , no se consegue ter um discurso coerente, lgico, e fundamentado sobre
    • vocaes e ministrios na Igreja..
    Igreja comunidade. Todos somos Igreja Catlica= para todos em todo o mundo
  • 11. 2. A IGREJA UNA NA RICA DIVERSIDADE DE DONS E CARISMAS, FUNES E MINISTRIOS 2.1- A Vocao crist. O essencial a grande vocao de seguir Jesus: somos cristos ( Christifideles ). 2.2- Vocaes distintas e complementares . H distintos caminhos e modos de seguir Jesus. O Esprito, em sua liberdade, que nos convoca, nos santifica e nos envia.
  • 12. A distines entre leigos, clrigos, religiosos/as no se situam em nvel de estado o dignidade, nem de sagrado e temporal ou profano. Mas, no que isto significa, expressa e se organiza enquanto encargo, misso, responsabilidade, consagrao, servio, representatividade, direo e comunho. O eclesial no deriva do hierrquico j que ser Igreja a forma de ser cristo, comum a todos os batizados. A Igreja somos todos ns, os seguidores de Jesus, e a Igreja de todos. Todos temos uma igualdade bsica, uma forma comum de ser e de estar na Igreja.
  • 13. 2.3- A unidade na diversidade.
    • * distribuir seus dons e carismas,
    • * escolher as pessoas que ele quer para determinados ministrios, funes, servios,
    O Esprito Santo livre e prdigo em: - segundo as necessidades que ele detecta na Igreja e no mundo. A vocao, qualquer vocao na Igreja, est intimamente conectada com dons e carismas, ministrios, funes e servios que provm do Esprito.
  • 14. 2.4. Os fiis leigos. Pouco a pouco, os Christifideles (os fiis leigos) se organizaram fundamentalmente em duas categorias distintas e complementares: a) Christifideles laici (leigos e leigas); b) Christifideles ministri ordenati (presbteros). NB. Com muita dvida, ambigidade e discusso, a prtica criou uma terceira categoria, os Christifideles consecretati (religiosos e religiosas) com a afirmao de que os religiosos no pertencem nem categoria dos leigos e nem categoria clerical, exceo, bviamente, dos religiosos presbteros.
  • 15. Os fiis leigos constituem a maioria da Igreja, um pouco mais de 98%. Eles so a fora mais importante com a qual Deus conta para dar continuidade misso de Jesus na histria. Mas, uma grave distoro sobre a compreenso da Igreja, por parte da hierarquia, concentrou, durante sculos e sculos, a importncia maior na Igreja, nos membros da hierarquia, quando, na verdade, a responsabilidade pela misso de todos. Sem os leigos e as leigas no teramos as famlias, os filhos, a organizao da vida e da sociedade segundo os valores do Evangelho...
  • 16. O Conclio claro quando fala da igualdade entre os seguidores de Cristo, a partir da graa batismal: No h, por conseguinte, desigualdade por razo de raa ou de nacionalidade, da condio social ou de sexo (LG 32,2). E acrescenta: existe una autntica igualdade entre todos quanto dignidade e ao comum a todos em funo da edificao do Corpo de Cristo (LG 33,3). OS LEIGOS
  • 17. Cristo Senhor Papa e Cardeais Arcebispos e Bispos Presbteros Religiosos/as Leigos/as 2.5- EIS ALGUNS ESQUEMAS ILUSTRATIVOS: A. Modelo Piramidal, tudo depende da hierarquia Neste modelo os leigos no tm voz e nem vez. Em grego LAS = Povo; e LAIKS = membro do Povo. Mas, na Igreja passou a significar, sobretudo, INGORANTE, NO PARTICIPANTE.