Corrida de revezamento

  • Published on
    14-Jun-2015

  • View
    762

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Trabalho de Educao Fsica sobre "Revezamento - Atletismo"

Transcript

<ul><li> 1. CORRIDA DEREVEZAMENTOAna CarolinaIsabelleGabriel AlvesIsaac MarcosMarco TlioGuilherme DanbioMateusIago</li></ul> <p> 2. HISTRIA DO REVEZAMENTOSegundo J. Kenneth Dohert,, as corridas de revezamento foram idealizadas pelos norte-americanos,em decorrncia de outras atividades por eles praticadas, que deram origem a esta prova decompetio em atletismo. Na ocasio havia revezamento de cavalos puxadores das diligncias, os quais,devido s longas viagens eram mudados nos postos de troca. Mas os revezamentos realizados entre osbombeiros de Massachusetts foram os acontecimentos mais estreitamente ligados a idealizao dascorridas de revezamento, hoje praticadas em todas as competies de Atletismo.Partindo desse fato, a Universidade da Pensilvnia, atravs de Frank B. Ellis e H. L. Geyelin deuincio a essa prova, praticada por quatro corredores, com o objetivo de atrair o pblico s competies.A primeiro experincia foi realizada em 1893, com duas equipes de 4 x 1/4 de milha, cujoresultado positivo levou incluso da prova nas competies da primavera. 3. HISTRIA DO REVEZAMENTONesta poca, a forma da prtica era diferente, pois no era utilizada uma sadaveloz, no havia o transporte do basto e o revezamento entre os corredores era feito emuma marca onde o companheiro seguinte ficava espera. Devido ao enorme sucesso, noano seguinte (1894), o interesse entre os atletas, treinadores e pblico era to grande, quevrias escolas de outros lugares foram convidadas para participar dessacompetio na Pensilvnia.De acordo com os acontecimentos, a corrida passou a ser disputada em quatronveis: preparatrio, secundrio, universidade e academia. Com isso, a simpatia pelasprovas cresceu assustadoramente, levando 115.000 participantes aos revezamentos daPensilvnia, um exemplo digno de ser imitado por nossos organizadores. 4. HISTRIA DO REVEZAMENTOOriginalmente, a prova era realizada sobre uma milha, para em seguida ser ampliada para duas e quatromilhas, j no ano de 1897, a partir de quando foram experimentadas transformaes de tempos em tempos: 1915 - Revezamento rpido e de distncia. 1922 - 440 e 880 jardas, mais os revezamentos com obstculos.Outro revezamento que entrou em evidncia foi o revezamento combinado, onde cada um dos quatrocomponentes da equipe corria uma distncia diferente, de acordo com a sua especialidade. Esse tipo j forapraticado nos jogos olmpicos de Londres em 1908, onde os dois primeiros corriam 200 m cada, o terceiro400 m e o quarto componente da equipe 800 m, prova esta que foi deixada de lado em 1912, na cidade deEstocolmo, dando lugar ao 4 x 100 m e ao 4 x 400 m que passaram a ser as provas oficiais, realizadas at osdias de hoje, sendo que a partir do ano de 1962 a passagem comeou a ser efetuada dentro da zonaregulamentar de 20 m. 5. TCNICA DOS REVEZAMENTOSAtualmente, so praticadas oficialmente apenas as provas de 4 x 100 m e4 x 400 m, para homens e mulheres. Assim sendo, e tendo em vista essas provasfaremos o estudo da tcnica para as corridas de revezamento.A prova constitui uma corrida realizada por uma equipe formada de quatrocorredores, na qual cada um deles percorre uma distncia semelhante (100 ou 400metros), conduzindo um basto. Esse basto passado de mo em mo entre todosos componentes da equipe, da a denominao de corridas de revezamento, devido troca realizada entre os corredores, a qual feita dentro da zona de passagem ouzona de revezamento, constituda por um espao de 20 m situado dentro da raia. 6. TCNICA DOS REVEZAMENTOSNo revezamento 4 x 100 m, a primeira zona tem seu incio aos 90 m e o final nos 110 m; asegunda se inicia aos 190 m e finaliza nos 210 m; a terceira com incio nos 290 m e final nos 310m, formando desta maneira o conjunto de trs zonas de passagem ou de revezamento, sendo queo quarto corredor da equipe apenas recebe o basto e o conduz at o final da prova, noprecisando pass-lo a mais ningum, uma vez que o ltimo corredor da equipe, aquele quefecha o revezamento, totalizando a distncia de 400 metros que a equipe tem que correr.J na prova dos 4 x 400 m existe apenas uma zona, porque cada componente da equipecorre 400 m, ou seja, uma volta na pista que, oficialmente possui essa medida; portanto, o incioda prova se d no mesmo local onde se realizam os revezamentos, ou seja, na zona de passagem,assim como tambm o seu final. 7. TIPOS OU ESTILOS DEPASSAGEM DO BASTO 4 X 10 0 MDentre os estilos que j foram experimentados, utilizados e abandonados, ficou comprovada a eficincia,evidente com alguns inconvenientes, de dois estilos para a passagem do basto: o francs ou descendente e oalemo ou ascendente.Francs ou descendente: Neste estilo, o corredor que vai receber o basto, ao ouvir o sinal do companheiroque est de posse do objetivo, estende para trs um dos braos, previamente determinado, colocando a mocom a palma voltada para cima e com os dedos unidos, exceo do polegar, que se afasta dos demais,colocando se em posio de recepo. Nesse momento, o corredor que conduz o basto coloca-o atravs deum movimento de cima para baixo e pela extremidade livre do mesmo, na mo do receptor, que o agarrarapidamente e coloca o brao em posio de corrida, dando prosseguimento corrida. A vantagem desteestilo est no fato de que a maneira como o basto colocado sobre a mo do companheiro possibilita umespao livre maior, o que facilita a entrega seguinte. 8. TIPOS OU ESTILOS DEPASSAGEM DO BASTO 4 X 10 0 MAlemo ou ascendente: Aqui, para receber o basto, o corredor coloca o brao deao semi-flexionado para trs, com a palma da mo voltada para cima e ocompanheiro que se aproxima, tendo os dedos unidos, excetuando o polegar, queforma uma letra V voltada para baixo, em direo do solo. Dessa forma, o basto colocado em sua mo atravs de um movimento de baixo para cima, executado pelocompanheiro que se faz a passagem. Da a denominao da passagem ascendente,devido trajetria de elevao do basto para ser depositado na mo do corredorreceptor. 9. TIPOS OU ESTILOS DEPASSAGEM DO BASTO 4 X 10 0 MFrancs ou descendente: Alemo ou ascendente: 10. FORMA DE PASSAGEM DOBASTODependendo da distncia do revezamento, existe uma formaparticular para se fazer a passagem do basto.Como existem duas classes de revezamentos, os rpidos (4 x 50 m,4 x 75 m e 4 x 100 m) e os longos (4 x 400 m para cima), soutilizadas, ento, duas formas de passagem, uma para cada classe: apassagem no-visual ou "s cegas" e a passagem visual. 11. FORMA DE PASSAGEM DOBASTOPassagem no-visual ou "s cegas": A tcnica da passagem do basto visa umarealizao extremamente rpida nas trocas entre os componentes da equipe equalquer procedimento utilizado este fim, que resulte em ganho de tempo, deve seraproveitado da melhor maneira.Passagem visual: Esta forma de passagem do basto caracterstica dosrevezamentos longos (acima de 400 m), que no exigem tanta velocidade ao seremefetuadas as trocas, visto que cada um dos corredores j est bastante cansado aoaproximar-se do final da sua etapa de corrida, o que lhe impede de desenvolver ouimprimir uma velocidade muito alta. 12. MTODOS PARA O DESENVOLVIMENTODO REVEZAMENTOMtodo Uniforme: Caracterizado pela troca de mos, porque ocorredor recebe o basto em uma das mos e imediatamente passa-opara a outra.Mtodo Alternado: Neste mtodo no existe a troca de mos; obasto transportado na mesma mo que o recebeu e, por estemotivo, torna-se necessrio adotar algumas medidas para a disposiode cada um dos componentes da equipe dentro da pista. 13. O REVEZAMENTO 4 X 10 0METROSO corredor que vai receber o basto deve se colocar no comeo da zona opcional numa posio favorvel para executara sua ao. Para isso, existem duas maneiras de posicionamento: a sada alta e a sada semi-agachada.Sada alta: O corredor se coloca em p ligeiramente antero-posterior, tendo o peso do corpo sobre a perna da frente. Acabea deve estar voltada para trs, com o olhar dirigido ao companheiro que vem ao seu encontro.Sada semi-agachada: a posio de espera em que o corredor postado no incio da opcional, se coloca na posiode trs apoios, com as pernas em afastamento antero-posterior e a mo contrria ao p da frente apoiada no cho. Oolhar deve estar voltado para trs do lado oposto mo que est apoiada, observando o companheiro que se aproxima.O brao livre colocado para trs, em posio normal de corrida.Essas duas posies, adotadas pelos corredores que vo receber o basto, alm de ajudar a impulso inicial da corrida,tambm permitem uma melhor visualizao do companheiro que est se aproximando com o basto. 14. O REVEZAMENTO 4 X 4 0 0METROSPassagem ascendente: Idntica passagem ascendente alem, utilizada nosrevezamentos de velocidade do tipo no-visual, diferindo apenas no fato de que ocorredor que vai receber o basto, embora j estando correndo, se mantm olhandopara o companheiro de trs, at que este lhe coloque o basto na mo.No momento em que vai ser feita a passagem do basto, o corredor que vai receberestende para trs o brao, de maneira que a palma da mo fique voltada para ointerior. O dedo polegar se coloca voltado para o cho e os demais unidos,apontados para o companheiro que vem chegando com o basto. 15. O REVEZAMENTO 4 X 4 0 0METROSPassagem descendente: Com as mesmas caractersticas da passagem descendente no-visual. O receptor inicia acorrida olhando para trs, para o companheiro. Para receber o basto, ele coloca o seu brao estendido para trs, tendo apalma da mo voltada para cima e os dedos unidos exceo do polegar, que fica separado. Preparando-se desta maneira,o basto colocado em sua mo atravs de um movimento descendente do brao do entregador, que coloca aextremidade livre do basto a mo do corredor que est recebendo.Finalmente, o tipo de passagem mais comum no revezamento 4 x 400 m onde o passador, ao se aproximar eleva seubrao, com o basto verticalizado. O receptor, controlando a velocidade, corre com o tronco voltado para o interior dapista e num movimento de fora para dentro, arranca o basto da mo do passador. Logo nos primeiros passos, troca obasto de mo.Para o revezamento 4 x 400 m existe apenas uma nica zona de passagem (de 20 m, sem zona opcional) situada nomesmo local do incio e fim da corrida. 16. A PISTAA pista de corrida normalmente contm 8 raias, cada uma com 1 metro e 22centmetros que so os caminhos pelos quais os atletas devem correr. Deste modo,a largura da pista de no mnimo 10 metros, com algum espao alm das raias internae externa. Uma pista oficial de atletismo constituda de duas retas e duas curvas,possuindo raias concntricas; tem o comprimento de 400 metros na raia interna (maisprxima ao centro). A raia mais externa mais longa, possuindo 449 metros. Nascorridas de curta distncia, os atletas devem permanecer nas raias a partir das quaislargaram. Nas corridas de mdia e longa distncia, os atletas no precisam correr nasraias, e geralmente se encaminham para a raia mais interior, evitando percorrerdistncias maiores. 17. PISTA DE ATLETISMO </p>