Click here to load reader

Regimento Interno

  • View
    1.959

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Regimento Interno

  • 1. TTULO I Da Cmara MunicipalCAPTULO I Da SedeArt. 1 A Cmara municipal tem sede na sede do municpio e recinto normal de seus trabalhos no prdio para este fim destinado. 1 Em casos especiais e por deliberao de seus membros, a cmara poder funcionar excepcionalmente fora de sua sede. 2 Na sede da Cmara, no se realiza atos estranhos a sua competncia sem prvia autorizao da mesa diretora.TTULO I Da InauguraoArt. 2 A Cmara municipal reunir-se- em sua sede, anualmente, em perodos ordinrios de 1 de fevereiro a 30 de junho e de 1 de agosto a 30 de Novembro (art. 37 de L. O.). Art. 3 No inicio de cada legislatura, a 1 de janeiro as 10 horas, em seo solene de inaugurao, independente de nmero sobre a presidncia do Vereador mais votado ou, na falta deste, do mais idoso entre os vereadores presentes, os vereadores prestaro compromisso e tomaro posse (art. 26 da L. O.) 1 O compromisso de posse a que se refere este artigo ser proferido pelo presidente, que, de p com todos os presentes, far o seguinte juramento: Prometo cumprir com dignidade, probidade, lealdade e fidelidade o mandato que me foi outorgado, observar as leis do Pas, do Estado e do Municpio, trabalhar pelo engrandecimento de MONSENHOR TABOSA e pelo bem geral do povo. 2 Ato contnuo. Procedida chamada nominal, cada vereador, novamente de p dir: Assim o prometo. 3 O vereador que no se empossar na sesso de inaugurao dever faz- lo no prazo de trinta dias, salvo motivo de fora maior, justificado perante a Cmara. 4 No ato de posse do vereador, servidor pblico, dever observar no inciso III do art. 38 da Constituio Federal. Art. 4 Imediatamente aps a posse os vereadores reunir-se-o sob a presidncia do mais votado entre os presentes, por maioria absoluta da totalidade dos membros Regimento Interno da Cmara Municipal do Municpio de Monsenhor Tabosa Cear 1

2. da cmara, elegero por escrutnio secreto os componentes da mesa diretora e automaticamente se empossaro (Art. 27 da L. O.). 1 Se nenhum candidato obtiver maioria absoluta, ou se houver empate, proceder-se- imediatamente a nova escrutnio por maioria relativa, e se o empate persistir considerar-se- eleito o mais idoso. 2 No havendo numero legal, o vereador que tiver assumido a direo dos trabalhos permanecer na presidncia e convocar sesses extraordinrias, at que se efetive a eleio. Art. 5 A mesa da Cmara Municipal ter a seguinte composio:I PresidenteII Vice PresidenteIII 1 SecretrioIV 2 Secretrio. 1 Fica assegurada a mesa diretora a livre escolha da data para a realizao da votao da nova mesa diretora, que mesmo em perodo de recesso, a Cmara ser convocada extraordinariamente para a realizao de tal fim. 2 O vereador que no participar da votao, na escolha da nova mesa diretora no poder concorrer a qualquer cargo da referida mesa. Art. 6 Na apurao dos votos sero observadas as seguintes normas.I as chapas e sobrecartas devero ser rubricadas pelos membros da mesa diretora. II terminada a votao o presidente retirar as sobrecartas da uma, colocando-as sobre a mesa da presidncia. III o primeiro e segundo secretrios sob as vistas do presidente, faro a contagem das sobrecartas registradas conferindo-as com o nmero de votantes e se as cdulas esto realmente rubricadas pelos membros da mesa diretora. IV na falta do primeiro e segundo secretrio, o presidente poder, em comum acordo com o plenrio, convidar autoridades locais e na falta destas, qualquer pessoa presente, para servirem de escrutinadores. Art. 7 Havendo impugnao do resultado por qualquer chapa, o recurso dever ser dirigido ao presidente, aps a divulgao do resultado, alegando o vereador o motivo da impugnao e sendo apreciado o pedido pelo plenrio. 1 Se o plenrio, em sua maioria, decidir pela impugnao da eleio, realizar-se- outra na sesso seguinte.Regimento Interno da Cmara Municipal do Municpio de Monsenhor Tabosa Cear 2 3. 2 Observar-se-o na outra eleio caso ocorra, os mesmos procedimentos adotados na primeira eleio. Art. 8 A renovao da mesa diretora, realizar-se- no primeiro dia de inaugurao da primeira sesso legislativa obedecida s mesmas normas prescritas para a eleio inicial da mesa. Art. 9 Na mesma sesso solene de instalao da Cmara Municipal, prestaro compromissos, tomaro posse e em seguida a dos vereadores, o Prefeito e o Vice- Prefeito. 1 O presidente eleito nomear uma comisso de trs vereadores para receber o Prefeito e o Vice-Prefeito, eleitos e diplomados entrada do edifcio, a introduzi-los no recinto, onde tomaro assento a mesa. O Prefeito ficar a direita do Presidente e o Vice-Prefeito esquerda. 2 O presidente anunciar que o prefeito vai fazer o seu compromisso de posse que ser prestado perante a Cmara Municipal nos termos seguintes: Prometo cumprir, defender e manter a constituio da Repblica Federativa do Brasil, a Constituio do Estado do Cear e esta Lei Orgnica Municipal, observar as leis e promover o bem estar geral da coletividade de MONSENHOR TABOSA. 3 Em seguida ao compromisso prestado pelo Prefeito, prestar compromisso o Vice-Prefeito.Art. 10 Terminada a solenidade de posse, os empossados se retiraro acompanhados at a porta do edifcio pela mesma comisso que os recebeu. Regimento Interno da Cmara Municipal do Municpio de Monsenhor Tabosa Cear 3 4. TTULO IIDos rgos da Cmara Municipal CAPTULO ISEO I Da Mesa Diretora e Seus ComponentesArt. 11. A mesa diretora compete, entre outras atribuies: I promulgar decretos legislativos e resolues dentro de 48 horas, aps a sua aprovao.II dirigir todos os servios da Cmara durante as sesses legislativas, tomar providncias necessrias e regularidades dos trabalhos legislativos e administrativos.III adotar as medidas adequadas para promover e valorizar o poder legislativo e resguardar o seu conceito perante a opinio pblica.IV fixar diretrizes para a divulgao das atividades da Cmara. V elaborar e enviar ao executivo at 31 de agosto, aps a aprovao do plenrio a proposta oramentria da Cmara a ser includa na proposta oramentria do municpio e fazer a discriminao analtica das dotaes respectivas, bem como alter-las quando necessrio. VI solicitar ao poder executivo os crditos adicionais necessrios ao funcionamento da Cmara e de seus servios.VII conceder licena a vereador.VIII determinar a abertura de sindicncia ou inqurito administrativo.IX a mesa diretora garantir a transparncia de seus atos ao plenrio da Cmara Municipal. X no incio da sesso legislativa, oferecer parecer as proposies em tramitao, enquanto no constitudas as comisses permanentes.XI estabelecer limites de competncia para a autorizao de despesas. XII apresentar Cmara, na sesso de encerramento do ano legislativo, resenha dos trabalhos realizados. Art. 12. A mesa diretora reunir-se- ordinariamente s sextas-feiras s 17 horas, ou extraordinariamente, por convocao do presidente, a fim de deliberar, por maioria de votos, sobre assuntos de sua competncia. Art. 13. Os membros da mesa no podero tomar parte em nenhuma comisso, exceto nas de representaes.Regimento Interno da Cmara Municipal do Municpio de Monsenhor Tabosa Cear 4 5. Art. 14. O mandato da mesa ser de dois anos proibida a reeleio para qualquer de seus membros para o mesmo cargo (Art. 29, inciso VII, combinado com o art. 57, 4. Da Constituio Federal e art. 47, 2 da Constituio Estadual). Art. 15. Qualquer componente da mesa poder ser substitudo pelo voto de 2/3 (dois teros) dos membros da Cmara, quando comprovado por prticas de atos e improbidade, no exerccio do mandato, ou negligncias reiteradamente obrigaes regimentais. Art. 16. Por renncia ou falecimento do Presidente e primeiro-secretrio, assumiro os respectivos Vice-Presidente e o Segundo-Secretrio. No caso do Vice-Presidente e Segundo-Secretrio, o Presidente convocar qualquer um outro Vereador para assumir o cargo at 30 dias, quando dever ocorrer a eleio para o cargo vago. SEO II Do PresidenteArt. 17. A Presidncia o rgo representativo da Cmara Municipal, quando houver de anunciar coletivamente; regulador dos seus trabalhos, fiscal de sua ordem, na forma regimental, cabendo-lhe legitimidade para defesa institucional do poder. Art. 18. So atribuies do Presidente alm de outras, expressas ou implcitas neste regimento:I quanto s sesses da Cmara:a) presidi-las, abri-las, suspend-las e lecant-las.b) manter a ordem e fazer respeitar este recinto.c) mandar ler a ata, o expediente e as comunicaes pelo primeiro secretrio.d) conceder a palavra.e) interromper o orador que se desviar da questo em pauta, falar sobre assunto ou matria vencida. Faltar com considerao Cmara e seus membros e chefes dos poderes pblicos, advertindo-o, e em caso de insistncia, retirando-lhe a palavra e at mesmo, se necessrio, suspend-lo da sesso.f) chamar a ateno do orador ao se esgotar o tempo a que tinha direto.g) decidir questes de ordem e de reclamaes.h) anunciar o nmero de vereadores presentes.i) submeter discusso e a votao a matria a esse fim destinada.j) determinar a matria que deve constar na ordem do dia.Regimento Interno da Cmara Municipal do Municpio de Monsenhor Tabosa Cear 5 6. l) anunciar o resultado da votao.m) convocar sesses.n) permitir que sejam filmados, irradiados, jornalisticados ou televisados os trabalhos da Cmara sem nus para os cofres pblicos.II quanto s proposies:a) deixar de aceitar qualquer proposio que no atenda as exigncias regimentais, ou seja, manifestamente contrrias s constituies Federal e Estadual e, ainda, a Lei Orgnica do Municpio, cabendo dessa deciso recursos em 24 horas, para o plenrio ouvida a comisso de Constituio e Justia.b) determinar a retirada de proposies da ordem do dia.c) declarar prejudicada qualquer proposio que contrarie os termos regimentais.d) mandar arquivar as proposies com parecer contrrio e unnime de duas comisses permanentes.III quanto s comisses:a) designar, por indicao dos lderes, os membros efetivos das comisses.b) declarar a perda de lugar do membro das comisses, quando incidir no nmero de faltas previstas neste Regimento.c) designar, por autorizao do plenrio