Revista da Luta - Primeiro Semestre 2014

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A primeira revista de luta sem fim lucrativos

Text of Revista da Luta - Primeiro Semestre 2014

  • 1. Primeiro Semestre 2014 Mixed Martial Arts:Mixed Martial Arts: O que MMA?O que MMA? VITORVITORVITOR BELFORTBELFORTBELFORT E a terapia de reposioE a terapia de reposioE a terapia de reposio de testosteronade testosteronade testosterona COPA LUIZ ALVESCOPA LUIZ ALVESCOPA LUIZ ALVES DE MUAY THAI 2014DE MUAY THAI 2014DE MUAY THAI 2014 A LUTA REAL DE RICKSON GRACIE PRMIO OSVALDOPRMIO OSVALDOPRMIO OSVALDO PAQUETPAQUETPAQUET UFC FIGHT NIGHT 40 RESULTADO

2. EDITORIAL E AGRADECIMENTO No foi fcil, mas finalmente a primeira edio da Lutas em Foco est pron- ta. Quando comecei a praticar e por consequncia estudar Artes Maciais, percebi que quase no havia material em portugus disponvel sobre o assunto, e na poca a Internet ainda era nova. Dependia basicamente de revistas especializadas, que no verdade no era assim to especializada, a qualidade da informao sempre era rasa e confusa. Ainda hoje mesmo com Google e Redes Sociais, o acesso informao de qualidade em portugus muito pequena comparada ao nmero de bobagens que se encontram por a. A Lutas em Foco est nascendo para cumprir esse papel de passar informaes srias com qualidade e sem custo para todos os interessados em Artes Maciais. A revista colaborativa, sendo assim treinadores, atletas profissionais, preparadores fsicos, psiclogos (as) e pessoas que esto em contato direto com a cultura marcial iro colaborar com matrias que abordaro todos os aspectos do MMA. Aqui no vou levantar bandeira, sero apresentadas informaes com fontes e nomes, a revista no visa lucro, sua distribuio gratuita. Infelizmente o Brasil vive uma cultura de sempre ganhar dinheiro sobre a pessoa no esclarecida, o que lamentvel. Para todos os interessados a revista tem um email prrio para comunicao e ficamos a disposio para sugestes, crticas srias ou at mesmo conversar. Lutas no se trata apenas de socos e chutes, no possui sem motivos o status de Arte, envolve uma cultura milenar, tradio e religio. Entender esse aspecto fundamental para quem respeita o MMA. Deixo o meu Bem-Vindo voc que est comeando a ler essa revista e com certeza vamos incomodar muita gente, mas acima de tudo vamos informar de verdade muito mais. OS. Superviso Geral: Designer Grfico: VT Design vtmmaff@bol.com.br pg.04 Mixed Martial Arts O Que o MMA pg.01 VITOR BELFORT E a terapia de reposio de testosterona pg.02 LUTA REAL DE RICKSON GRACIE pg. 16 PRMIO OSVALDO PAQUET pg. 24 3. Mixed Martial Arts O que o MMA? O MMA As artes marciais mistas (MMA - mixed martial arts) so artes marciais que incluem tanto golpes de combate em p quanto tcnicas de luta no cho. Utili- zam uma grande variedade de tcnicas permitidas de artes marciais tais como golpes utilizando os punhos, ps, cotovelos, joelhos , alm de tcnicas de imobilizao tais como lances e alavancas. Dentre as organizaes responsveis pelos torneios de artes marciais mistas, as principais so o Ultimate Fighting Championship (UFC) e o extinto PRIDE Fighting Championships. REGRAS GERAIS - Os lutadores devem usar luvas de dedo aberto fornecidas pelo evento. - Obrigatrio o uso de coquilha - equipamento de proteo genital - e protetor bucal - permitido - porm, no obrigatrio - o uso de sapatilhas, protetores para joelhos, protetores para cotovelos e bandagem para tornozelos e punhos. - Lutadores que no demonstrarem agressividade ou combatividade, sero advertidos e a luta reiniciada. O QUE PROIBIDO - Cabeada, dedo no olho, morder, puxar cabelo, beliscar, arranhar e cuspir no adversrio - Ataque boca do adversrio com a mo, regio genital ou ao rim com o calcanhar - Enfiar o dedo em qualquer orifcio, corte ou lacerao, e manipular as articula- es do adversrio - Ataques coluna ou parte de trs da cabea, golpear de cima para baixo usando a ponta do cotovelo, qualquer tipo de ataque garganta e agarrar a clavcula - Chutar ou atingir com o joelho a cabea do adversrio que est no cho - Arremessar o adversrio de cabea no cho ou atir-lo para fora do ringue - Segurar calo ou luvas do adversrio, assim como agarrar a grade do octgo- no - Utilizar linguagem imprpria ou abusiva no ringue ou ser flagrado desrespei- tando as instrues do rbitro - Atacar o adversrio nos intervalos, que esteja sob cuidados do juiz ou aps a campainha ter anunciado o fim do round - Sem limitao, evitar contato com adversrio, cair de forma intencional, derru- bar insistentemente o protetor bucal ou fingir leso - Interferncia do crner ou jogar toalha durante a luta - Usar alguma substncia escorregadia no corpo DEFINIO DE RESULTADOS Finalizao - Quando um lutador recebe uma chave ou um estrangulamento e demonstra clara desistncia atravs de trs batidas ou verbalmente. Tambm h finalizao quando o lutador no desiste e desmaia durante um estrangulamento. Nocaute - Quando um lutadores recebe um golpe e fica inconsciente no momento, decretando o fim precoce do combate Nocaute tcnico - (a) Deciso mdica: quando o mdico da luta julga que um lutador no tem mais condio de continuar no combate por conta de um corte ou leso, acabando derrotado; (b) Interrupo do juiz: quando o rbitro central encerra o combate por achar que um dos lutadores no est mais se defendendo ou esbo- ando reao; (c) Leso: quando o lutador manifesta desistncia ou o juiz encerra a luta em caso de leso mais visvel. Deciso por pontos dos juzes - Aps o trmino dos rounds, trs juzes definiro qual foi o resultado do combate, que pode ser vitria de um dos lutadores ou at mesmo um empate. Essa definio pode ser: (a) Unnime - Quando todos os juizes do empate ou a vitria a um lutadores; (b) Dividida - Quando um juiz determina a vitria para um atleta e os outros dois para o outro lutador; (c) Majoritria - Quando dois juzes indicam um atleta vencedor, enquanto um terceiro aponta o empate no combate. Desqualificao - Quando um dos lutadores aplica de forma intencional algum golpe ilegal ou realiza algum movimento proibido. Caso a luta no possa continuar ou o lutador insista em desrespeitar as regras, haver a desclassificao. No Contest - Se uma contuso sofrida por golpe ilegal acidental for muito severo e o lutador no puder seguir, o combate deve resultar em no contest (sem disputa) caso a luta ainda no tiver completado dois rounds. Aps esse limite, o placar dos juzes definir o vencedor. 4. VITOR BELFORT E a terapia de reposio de testosterona. Uma grande polmica sobre a utilizao da terapia de reposio hormo- nal em atletas de MMA ecoa pelos quatro cantos do mundo. Neste caso, o hormnio em questo a testosterona, um importante esteroide andrge- no produzido pelo organismo. E a terapia de reposio de testosterona vem sendo requisitada e aplicada em vrios lutadores de elite, que por alguma razo, apresentam esses nveis hormonais abaixo do normal na circulao sangunea. O que discutido ento se a TRT pode ser consi- derada uma arma vantajosa para esses lutadores no MMA, ou seja, um doping. Primeiramente precisamos entender que a testosterona produzida principalmente pelos testculos e sua funo mltipla, promovendo desde a induo do crescimento e desenvolvimento msculo- esqueltico, como fora e virilidade, at o impacto em componentes psicolgicos, como a agressividade, por exemplo. Cada indivduo produz quantidades variadas desse hormnio e sua concentrao oscila de acordo com fatores genticos, idade, peso, quantidade de gordura corpo- ral, estresse mental e fsico, e tambm com o momento do dia. A diminuio da produo de testosterona se intensifica com o avano da idade. Geralmente, os pedidos de TRT englobam atletas com mais de 36 anos. Do mesmo modo, pessoas com hipogonadismo ou que utiliza- ram esteroides anabolizantes em algum momento da vida, tambm so- frem de incapacidade na produo de testosterona ao longo da vida. Esses indivduos, com deficincia na produo do hormnio, sofrem com algumas manifestaes clnicas importantes, como: baixa resistncia, fadiga, depresso, alterao do humor, problemas com o sono e reduo da libido. Caractersticas que no combinam com esportes de combate, certo? Assim, na tentativa de evitar tais sintomas, a TRT prescrita para esses atletas. No entanto, para outras modalidades esportivas essa abordagem considerada doping, de acordo com a agncia mundial antidoping (WADA). Lembremos do caso da nadadora Rebeca Gusmo, banida do esporte aps ser pega no exame para a substncia. Mesmo assim, nos Estados Unidos, se um atleta de MMA tem prescrio mdica e autoriza- o de uma comisso atltica para TRT, ele est liberado, desde que haja um controle dos nveis da testosterona dentro do normal no dia do exa- me. A proporo de hormnio endgeno pelo exgeno deve ser em torno de 1/4 de acordo com as comisses atlticas americanas, sendo tolervel at 1/6. Historicamente, alguns atletas conseguiram estourar esses limi- tes, como nos casos de Chael Sonnen, suspenso por seis meses aps perder na primeira luta contra Anderson Silva, e Alistair Overeem, sus- penso por nove meses antes da luta contra Junior Cigano. Overeem e Sonnen chegaram a incrveis 1/16, o que lhes couberam punies por doping. Para se evitar que atletas usem a TRT em nveis extremos durante o perodo de treinamento, e reduzam a dosagem, prximo a luta, para no serem pegos no doping, seria necessria a realizao de testes semanais para esse controle, evitando ganhos fsicos desproporcionais que gran- des quantidades de testosterona podem induzir no organismo durante o perodo em que os atletas so turbinados. Um outro problema envolve a justificativa do lutador para utilizao da TRT. Mdicos de feras como Vitor Belfort, Dan Henderson, Chael Sonnen, Randy Couture, dentre outros, alegam que seus organismos no produ- zem quantidades fisiolgicas de testosterona, solicitando a TRT para mant-los, assim, no mais alto nvel exigido atualmente no esporte. a que entra a importncia de se identificar a origem do problema para se permitir tal prtica no MMA. Nunca demais pedir um pouco de tica a atletas e mdicos na prescri- o de TRT, j que, por enquanto, uma prtica autorizada no esporte, para que no se torne generalizado no MMA. A cincia e o