1 Estimativa Conab

  • View
    983

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Transcript

  • 1. Safra 2009 Primeira EstimativaJaneiro/2010

2. Ministrio da Agricultura, Pecuria e AbastecimentoSecretaria de Produo e Agroenergia SPAEDepartamento do Caf DCAFCompanhia Nacional de Abastecimento CONABDiretoria de Poltica Agrcola e Informaes DIPAISuperintendncia de Informaes do Agronegcio SUINF Superintendncia de Gesto da Oferta SUGOFResponsveis TcnicosSILVIO ISOPO PORTOAIRTON CAMARGO PACHECO DA SILVACARLOS ROBERTO BESTTTI Gerncia de Levantamento e Avaliao de Safra GEASA CLOVIS CAMPOS DE OLIVEIRAELEDON PEREIRA DE OLIVEIRAJOS CAVALCANTE DE NEGREIROSJUAREZ BATISTA DE OLIVEIRA MARIA BEATRIZ ARAJO DE ALMEIDAROBERTO ALVES DE ANDRADEColaborao: Superintendncias de Minas Gerais, Esprito Santo, So Paulo, Paran, Bahia, Rondnia, Rio de Janeiro, Par e Mato Grosso. Projeto Visual GrficoTHAS LORENZINIFicha Catalogrfica: ADELINA MARIA RODRIGUES CRB 1/1739 633.61 C212Acompanhamento da Safra Brasileira Caf Safra 2009, primeira estimativa, janeiro/2010 / Companhia Nacional de Abastecimento. - Braslia: Conab, 2010 3. Safra 2010 Primeira EstimativaJaneiro/2010 4. SUMRIO1. INTRODUO 5 2. PRODUO E REA5 3. INFLUNCIAS CLIMTICAS 6 4. AVALIAO POR ESTADO 7 4.1 Minas Gerais7 4.2. Esprito Santo 8 4.3. So Paulo 10 4.4. Bahia 10 4.5. Paran10 4.6. Rondnia12 5. QUADROS E GRFICOS DOS RESULTADOS OBTIDOS NO LEVANTAMENTO 13 5. 1 - INTRODUO No perodo de 23 de novembro a 4 de dezembro de 2009, os tcnicos da Conab e de Instituies parceiras como: com as quais mantm parceria: Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistncia Tcnica e Extenso Rural - INCAPER; Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrcola S/A - EBDA; Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paran - SEAB - Departamento de Economia Rural - DERAL; Associao de Assistncia Tcnica, Extenso Rural do Estado de Rondnia - EMATER-RO; e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica IBGE, visitaram os Municpios dos principais Estados produtores de caf (Minas Gerais, Esprito Santo, So Paulo, Bahia, Paran, Rondnia e Rio de Janeiro que correspondem a 98,2% da produo nacional), realizando entrevistas e aplicando questionrios junto aos informantes previamente selecionados, objetivando a realizao da primeira estimativa da produo da safra de caf de 2009. Assim, a Conab agradece aos seus parceiros e a todos aqueles que, direta ou indiretamente participaram desse trabalho.2 - PRODUO E REA. A primeira estimativa de produo total de caf (arbica e conilon), para a safra 2010, indica que o Pas dever colher entre 45,89 e 48,66 milhes de sacas de 60 quilos de caf beneficiado. O resultado dessa primeira pesquisa representa um acrscimo entre 16,3% e 23,3%, quando comparada com a produo de 39,47 milhes de sacas obtidas na temporada anterior (Tabela 3). O maior acrscimo se dar na produo de caf arbica, estimada entre 33,96 e 36,15 milhes de sacas, o que representa um ganho entre 17,7% e 25,2%. Para a produo do robusta (conilon), a previso aponta uma produo entre 11,93 e 12,51 milhes de sacas, ou seja, crescimento entre 12,5% e 17,9%.O ano de bienalidade positiva, aliado s condies climticas favorveis no perodo da florao constituem-se nos principais fatores que justificam o crescimento. Considerando o intervalo superior de 48,66 milhes de sacas, esta safra a maior j colhida no Pas. At ento, a safra recorde foi colhida na temporada 2002/03 com o volume de 48,48 milhes de sacas.Avaliao da Safra Agrcola Cafeeira 2010 - Primeira Estimativa Janeiro/20105 6. A rea total cultivada com caf (arbica e robusta) est estimada em 2.315.521 hectares, 0,5% inferior safra passada, o que corresponde a uma reduo de 11.359 hectares. Desse total, 8,8% (222,6 mil hectares) esto em formao e 90,2% (2.101,1 mil hectares) esto em produo.QUADRO 1CAF - BENEFICIADO SAFRA 2010 PREVISO INICIAL DE PRODUOPRODUOUF/(Em mil sacas beneficiadas)REGIOArbica Robusta TOTAL INFERIOR SUPERIOR INFERIORSUPERIORINFERIOR SUPERIOR Minas Gerais22.929 24.436273 291 23.20224.727Sul e Centro-Oeste 11.365 12.112- - 11.36512.112Tringulo, Alto Paranaiba e Noroeste4.8495.168- -4.849 5.168Zona da Mata, Jequitinhonha, Mucuri, Rio 6.715 7.156273 2916.988 7.447Doce, Central e NorteEsprito Santo 2.9403.076 8.5578.959 11.49712.035 So Paulo3.8574.103-- 3.857 4.103 Paran 2.0002.200-- 2.000 2.200 Bahia1.7931.869 6216472.414 2.516Cerrado 482502-- 482 502Planalto1.3111.367-- 1.311 1.367Atlntico--621647621 647 Rondnia--1.8461.9301.846 1.930 Outros 444468 6296791.073 1.147BRASIL33.963 36.15211.926 12.506 45.88948.658PONTO MDIO35.058 12.216 47.274 CONVNIO : MAPA - SPAE / CONAB JAN/2010 3 - INFLUNCIAS CLIMTICAS As chuvas ocorridas nas reas produtoras de caf dos Estados de So Paulo e Minas Gerais, entre os meses de julho a outubro provocaram a abertura de vrias floradas. Dessas, a principal ocorreu na primeira semana de outubro. Apenas a Zona da Mata teve sua principal florada em setembro. Contudo, as floradas de menor intensidade podero ocasionar cafs de baixa qualidade, visto que no momento da colheita haver frutos em diversas fases de desenvolvimento; desde frutos verdes at frutos secos. No ms de setembro as chuvas foram intensas e ocorreram significativamente acima da mdia no sul de Minas, em So Paulo e no Paran, o que atrapalhou o final da colheita e a secagem dos gros, alm de comprometer a qualidade do produto final. No entanto, essas chuvas favoreceram o incio de uma florada vigorosa. Em outubro as chuvas ocorreram com maior intensidade nas outras reas de Minas, no Esprito Santo e no Paran, o que favoreceu o pegamento dos chumbinhos, possibilitando a abertura de uma nova florada em praticamente todas as regies produtoras. Avaliao da Safra Agrcola Cafeeira 2010 - Primeira Estimativa Janeiro/20106 7. O excesso de dias chuvosos nesses dois meses tambm dificultou a realizao dos tratos culturais, como o manejo do mato, a aplicao de defensivos e a adubao de cobertura, alm de causar danos pontuais por tempestades, no Esprito Santo. Em novembro as chuvas reduziram-se em Minas e no Esprito Santo, mas, assim como nas demais regies foram suficientes para manter a umidade do solo, garantir um bom pegamento e favorecer a expanso dos frutos.A previso para os prximos meses indica uma maior probabilidade de que as chuvas ocorram acima da mdia em Minas, no Esprito Santo e em So Paulo, o que ser extremamente favorvel para a expanso e a granao dos frutos, alm de beneficiar a vegetao e a formao das gemas vegetativas responsveis pela formao dos ramos produtivos da safra 2010.4 - AVALIAO POR ESTADO4.1 - MINAS GERAISNos ltimos anos as condies climticas no Estado de Minas Gerais tm sido atpicas. Em um ano, h falta de chuvas, no outro, chuvas em excesso. As chuvas deste ano trouxeram um grande problema no tocante florao dos cafezais. Em todas as regies cafeeiras do Estado, especialmente as de maior altitude, a antecipao das chuvas provocou a abertura de multifloradas nos cafezais a partir do ms de agosto, gerando desuniformidade no tamanho dos frutos. Com isso, no mesmo p de caf comum encontrar desde pequenas floradas extemporneas at frutos em adiantado estgio de granao.Alm dos fatores acima, ressalta-se que no houve um perodo seco necessrio para desencadear um processo de florao mais uniforme. No perodo de maio a setembro, embora os ndices pluviomtricos no tenham sido de grande intensidade, ocorreram precipitaes quase que semanalmente, o que prejudicou a ocorrncia de um estresse hdrico. Tal desequilbrio poder prejudicar o desempenho produtivo das lavouras com impactos negativos na qualidade da produo a ser colhida. As lavouras apresentam bom aspecto vegetativo, refletindo as boas condies climticas ocorridas em 2009 e a retomada dos tratos culturais decorrente da queda dos preos dos fertilizantes.No cerrado mineiro as condies climticas tm se mostrado bastante favorveis, chuvas regulares nas fases vegetativa e produtiva das lavouras propiciaram uma boa florao Avaliao da Safra Agrcola Cafeeira 2010 - Primeira Estimativa Janeiro/20107 8. e desenvolvimento dos frutos. As lavouras apresentam bom aspecto vegetativo, sanitrio e nutricional, refletindo o grau tecnolgico empregado pelos produtores na conduo de suas lavouras, o que aliado bienalidade da cultura dever resultar em ganhos significativos de produtividade nesta safra.Os levantamentos iniciais apontam para uma produo mdia em Minas Gerais de 23.964.549 sacas na safra 2010, com variao percentual de 3,18%. Tal estimativa sinaliza um crescimento da produo cafeeira em 20,5% e 1,6%, quando comparado com as safras 2009 e 2008, respectivamente.Quando se compara a produo das safras 2008 e 2010, safras de bienalidade positiva, constata-se crescimento na produo das regies do Cerrado (10,4%) e Zona da Mata (5,2%), e decrscimo na produo das regies Sul de Minas (-3,1%) e Norte (-5,5%). No entanto houve incremento na rea em produo das regies do Cerrado, Zona da Mata e na regio do Norte de Minas, em 2,4%, 0,6% e de 0,5%, respectivamente. Para a regio do Sul de Minas houve um decrscimo na rea de produo de 8,4% devido aos contnuos ajustes que esto sendo realizados em reunies entre Conab, Emater, IBGE, Cooperativas, Banco do Brasil, produtores e tcnicos envolvidos com o agronegcio caf. 4.2 - ESPRITO SANTOA primeira estimativa da safra cafeeira do Estado do Esprito Santo, para 2010 indica uma produo entre 11.497 a 12.035 milhes de sacas, considerando as duas espcies, arbica e robusta (conilon) indica acrscimo na produo, entre 12,7% e 17,9%, em relao safra anterior (10.205 milhes de sacas) (QUADRO 1). A estimativa do aumento se deve ao efeito positivo da bienalidade, sobretudo, do caf arbica, (ano de alta safra), s adequadas condies climticas at o momento e o efeito positivo da renovao e revigoramento das lavouras por intermdio do uso adequado das tecnologias pelos cafeicultores (mudas, variedades, adensamento, poda, nutrio, manejo de pragas e doenas, manejo do mato e de irrigao). Esperava-se que em 2010 a produo no Estado fosse superior. Mas os baixos preos pagos nos ltimos meses aos cafeicultores, principal