Matheus Vilar

Embed Size (px)

Text of Matheus Vilar

  • O Visconde o maior dos sbios. Sabe das coisas do cu, da terra, da gua, do ar, dos nmeros, das palavras, do passado, do presente, de tudo!O sabugo sabido tambm um inventor! Quando ele se tranca em seu laboratrio, com certeza sair de l com alguma novidade.

  • O laboratorio do viscondetem objetos espalhados por toda parte:tubos de ensaio,papis,livros,sucatas...E foi no meio dessa baguna que,certa manh,o visconde gritou:-Eureca!Eureca!Emila ouviu de longe e ficou curiosa para ver o que tinha acontecido:-O que voc eurecou desta vez?-Antes de amis nada,carssima marquesa,a palavra eurecar no existe.O termo eureca vem do grego e significa descobrir,achei!

  • A boneca,que no tinha muita pacincia para explicaes,quis saber logo:-E o que que voc descobriu dessa vez?Uma nova mquina automtica de pegar jabuticabas como aquela outra que quase destruiu a jabuticabeira do Stio?No nada disso.senhora amrquesa.Daquela vez, meu invento ainda precisava de ajustes.Desata vez,estou cientificamente

  • Convencido de que minha nova inveno ser de grande utilidade para todos os produtores de Zea mays do mundo!-Zea,o qu?-Zea mays o nome cientfico de uma planta da familia das gramneas,que se caracteriza por ser uma rica fonte de energia...-D para dizer logo que planta essa?-interrompeu Emlia.-O milho,claro!Agoral,senhora marquesa de Rabic,prepare-se para ser apresentada a minha magnfica inveno...

  • -Eu que no iria querer ouvir estes pios estridentesno meu milharal.Preferia as pragas mesmo.-A que esta o segredo do meu invento:o som s ser estridente para as pragas.Pra as pessoas ele soar baixinho como este piado que voc est ouvindo.-Bom,se assim,at que estes mesmo batatal!-Obrigado,marquesa.Ele realmente genial!E por isso que vou inscrev-lo no concurso de inventos da SMBS-Sociedade do Milho Bonito e Saudvel.

  • Naquele mesmo dia o Visconde enviou seu invento para o concurso.As semanas foram passando eo sabugo ficava cada vez mais ansioso para receber o resultado.Ele s pensava na sua inveno e s falava sobre o concurso.At discurso de agradecimento j havia preparado.

  • A possibilidade de ganhar um prmio estava deixando o Visconde diferente.Depois de dois meses de espera,a notcia chegou por uma carta:''Comunicamos ao senhor Visconde de Sabugosa que seu invento Pssaro-rob-espantador-de-pragas-de-milharais-sabugosa ganhou o primeiro lugar no Concurso de Invenes da Sociedade do Milho Bonito eSaudvel.''- isso a,Visconde!Parabns!-disse Pedrinho abraando p amigo.-Que tal a gente fazer uma comemorao com direito a bolinhos da Tia Nastcia e muita brincadeira?

  • -Obrigado,Pedrinho,mas agora tenho coisas mais importantes para pensar.A partir de hoje,sou um reconhecido inventor.Tenho que me preparar porque preciso viajar hoje para receber o prmio.Pedrinho ficou desapontado.O Visconde ,alm de no mostrar interesse em comemorrar com os amogos,no convidou ninqum para ir junto...

  • No dia sequiente, o sabugoj de volta.Entrou em casa todo prosa,carregando um trofu efalando sobre as homenagens que recebeu durante a premiao.Mostrou fotos,cartes elogios,convites para palestras...Seu inveto ganharia o mundo e ele se tornaria o primeiro millho-cientista reconhecido intercionalmente.

  • Depois de contar seu sucesso,anunciou que voltaria imediatamente para o laboratrio para iniciar um novo invento.-Que invento?-Narizinho quis saber.-Um renomado inventor como eu no pode anunciar seus projetos sem desenvolv-los primeiro.Na hora certa,cov sabero.Emilia se irritou com aquele jeito de ''renomado inventor'' do Visconde:

  • -Pois ento no fale!Temos muitos mais o que fazer e desfazer do que querer saber das invenes elaboradas que andam rondando os milhos do seu crebro.Os dias foram passsando e,enquanto as crianas brincavam, o Visconde continuava trancafiado em seu laboratrio.Quando alqum batia na porta,ele custava a responder.-Estou muito ocupado.No posso atender agora.

  • Quase todo dia era a mesma coisa.O sabugo s saa do laboratrio na hora das refeies.E quando a turma perguntava sobre o invento, ele fazia o maior mistrio.A nica coisa que dizia era que seria a maior descoberta de todos os tempos!O fato que o Visconde estava se achando o mximo,o rei dos inventores,o gnio dos!E as crianasse chatearam com aquela atitude.Memo assim continuaram insistindo em t-lo por perto.Um dia,quando Emlia foi bater na porta do laboratrio,encontrou um aviso:

  • ''No bata.No entre.Visitas,s agendadas.Deixe nome e asssuntoSanotados num papel e passe por b aixo da porta.Entreiem contato quando puder.Assinando:Visconde de Sabugosa''.Emlia ficou danada e contou para os outros.narizinho e Pedrinho tambm se chatearam e resolveram no ir mais atrs do Viscode.

  • Numa tarde em que as crianas brincavam perto do pomar,o sabugo apareceu carregando orgulhosamente seu =novo invento.-Crianas,quero apresentar para vocs o invento que ir revolucionar a humandade:o''Captador-de-pensamentos-sabugosa''!Quem gostaria de se oferecer primeiro para o teste?Os trs se entreolharam.Narizinho se oferece sem entusiasmo.

  • O captador de pensamentos era um capacete com vrios molas que deveria ficar na cabea de quem se queria ouvir os pensamentos.O Visconde colocou o capacete na cabea da Narizinho e ajeitou um fone de ouvido em sua cabea.-Narizino, est pronta?

  • Narizinho sacudiu a cabea afirmativamente.Em volta dela estavam Pedrinho,Emlia,Rabic e muitas passarinhos que voavam pra l e pra c.O Visconde,cheio de pompa,fez a contagem regressiva:5,4,3,2,1,0!Apertou um dispositivo e comeou a ouvir muitos pesamentos misturados.O captador,alm de ler os pensamentos de Nrizinho, captou tambm os de quem estava prximo menina.Entre outras,foi isso que o nobre sabugo escutou:

  • -Esse Visconde est se achando muitssimo importante...-Que sabuquinho mais convencido,piu,piu...-Eu queiria tanto que o Visconde voltasse a ser como era antes...-Esse invento muito egal,mas,se funcionar,ser que o Visconde vai ficarainda mais prosa do que j est?-Isso aqui est muito chato,vou procurar uma abbora por a...

  • O Visconde j no queiria mais ouvir aquilo tudo.Desligou o captador,tirou os fones do ouvido,tirou o capacete da cabea de Narizinho e saiu caminhando desanimado.-O que foi,Visconde?No funcionol?-perguntou Narizinho. Funcionou,sim.Perfeitamente.Mas se vocs me do licena,preciso voltar para meu laboratatrio.

  • Naquele dia,o Visconde noapareceu parao jantar.Dona benta estranhou.As crianaaas contaram sobre como sobre como ele ficou desanimado aps o primeiro teste do captador de penamentos.Dona Benta ouviuouviu as crianas e,mais tarde,foi procurar o nobre sabugo.-Dona Benta?-espantou-se o Visconde quando a viu entrar em seu laboratrio.-Sim.Vim conversar um pouco com voc .As crianas me disseram sobre o seu captador de pensamentos, verdade?

  • -E, mas j o desmanchei.O captador me fez escutar coissa terrveis a meu respeito.Descobri que ninqum gosta mais de mim, que esto me achando convencido.

  • -Hoje eu estava relendo uma biografia sobre o Santos Dumont,o inventor do avio...Sabia que ele nunca patenteou os seus inventos?-comentou Dona Benta.-Sim,mas o que o Santos Dumont tem a ver com as crianas estarem me achando to convencido?

  • -Escute.O Santo Dumont era uma pessoa que tinha prazer em inventar,mas colocava suas descobertas disposio do conhecimento de todos.Queria que seus inventos fossem teis para a hum,anidade, s isso.Fazia muito sucesso,claro,mas no se achava mais importante do que ninqum por causa diso.O Visconde ficou pensativo.

  • -Quer dizer que vocs acham que eu estou me sentindo superior aos outros?Dona Benta sorriu.-Pense um pouco sobre isso,meu caro sabugo.Estamos todos sentindo falta do nosso querido sbio,generoso e companheiro de todas as horas.

  • Alguns dias depois...Mais uma manh raiava no Stio do Picapau Amarelo.Emlia,Pedrinho,Narizinho,Dona Benta e Tia Nastcia estavam tomando caf,quando o Visconde entrou eufrico na sala carregando uma gerigosada:parecia uma chuteira gigante.-Meus carssimos amigos,gostaria de convid-los para conhecer meu ltimo invento:a ''Super-chutadora-de-bolas-automtica-sabugosa''!

  • -Para que serve essse negcio,Visconde?:-perguntou Pedrinho.-Deve ser para outro concurso e para o Visconde ficar ainda mais prosa do que j est!-interrompeu Emlia com maus modos.-No isso,cara marquesa.Sei que meus caroos embolados se deixaram levar pela fama,que fiquei um pouco prosa...

  • -Um pouco,uma ocssima!Voc ficou fico prosa,muuuito sabugosamente convencido,muuuito...-Fecha a torneira de asneiras,Emlia.No est vendo que o Visconde quer falar?-interrompeu Narizinho.-Obrigado,Narizinho,mas a marquesa tem razo.Descobri que de nada adianta receber prmios e homenagens se eu perder a admirao dos meus amigos.Vocs podem desculpar-me por este...digamos...deslize?

  • Narazinho, Pedrinho e Emlia correram para abraar o Visconde-Claro,amigo!-exclamou Pedrinho.Mas voc ainda no explicou para que serve essa gerigona,essa tal de...-...''Super-chutadora-de-bolas-automtica-sabugosa''!Serve para a gente divertir correndo das bolas chutadas por ela!-Legal!-gritaram todos.-Ento,vamos logo nos divertir.Afinal-declarou o sabugo-o maior prmioque um invenor pode receber ver seu invento sedon tilpara as pessoas ...-e deu uma piscadela cmplice para Dona Benta. E todos foram para fora brincar.

  • Dona Benta,da varanda,observou feliz a baguna da turma.Emlia queria mandar nas regrad da bricadeira,Pedrinho queria ser o primeiro a escapar das boas,Visconde tentava aperfeioar seu invento...Enfim,tudo corria como sempre no Srio do Picapau Amarelo

  • FIM