Tecnologia Lte

  • View
    5.879

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Tecnologia 4G - LTE

Text of Tecnologia Lte

  • 1. Comportamentalista Joo Cognitivista Sabrina Construtivismo - Wilson Scio integracionista - Marcelo

2. As teorias E-R (estmulo-resposta) tambm chamadas de teorias conexionistas no so novas, h estudos datados desde o sculo passado pelos estudiosos abaixo:Ivan P. Pavlov(1849-1936) John B. Watson(1878-1958) Edward L. Thorndike (1874-1949) Abordagens mais recentes tambm foram feitas pelos estudiosos Clark L. Hull (1884-1952), Edwin R. Guthrie (1886- 1959) e por B. F. Skinner (1904-1990). 3. Skinner nasceu em Susquehanna, Pennsylvania; graduou-se em ingls no Hamilton College, em Nova Iorque, e fez mestrado e doutorado em psicologia em Harvard, onde, posteriormente foi professor durante mais de 40 anos. 4. A abordagem skinneriana essencialmente perifrica, ela procurou observar as variveis de input e output, ela no leva em considerao o meio do processo de aprendizagem que se d entre o incio que o estmulo, e o fim que a resposta.Variveis de input: Estmulo(mexe com os sentidos) Reforo (aumento da ocorrncia) Contingncias de reforo(ao de reforo repetida)Variveis de output respostas ou comportamentos: Operantes (opera o meio) Respondentes(reflexo involuntrio) 5. Teoria do reforoO comportamento controlado por conseqnciasAs pessoas procuram adquirir condutas para adquirir recompensas e no punies.Uma recompensa pode ser ruim ou no to boa para quem ganha como para a pessoa que est dando. Pode-se analisar se boa ou no se o ato para qual foi dada teve um aumento em sua incidncia.Reforo ruim ou negativo aquela que diminui a freqncia do ato para o qual foi dado. 6. CondicionamentoPara Skinner condicionamento o procedimento em dar um reforo positivo uma atividade com o objetivo de aumentar a sua freqncia.Quando a freqncia de uma resposta foi aumentada devido ao condicionamento ento dizemos que foi condicionada.Condicionamento X Aprendizagem Na aprendizagem no h regras explcitas, e adquiri-se atravs de integrao com o meio, muda-se o comportamento humano por experincias, no condicionada. 7. Extino e esquecimentoExtino Suspenso do reforoOportunidade de respostaReduo na freqnciaObjetivo Resposta com mesma freqncia, pormsem reforoEsquecimento Suspenso do reforoFalta de oportunidade de respostaTrmino de respostaObjetivo Fim de um comportamento 8. DiscriminaoCondicionar uma resposta na presena de um estmulo e extingu-la na presena de outro, exemplo: E1 > Resposta >Reforo positivoE2 > Resposta >No aplicado reforo Este comportamento condicionar maior freqncia da resposta com o estmulo 1 e extinguir a mesma resposta estimulada pelo 2. 9. O processo instrucional para SkinnerNa perspectiva Skinneriana, o ensino se d apenas quando o que precisa ser ensinado pode ser colocado sob controle de certas contingencias de reforo.O papel do professor no processo instrucional do de arranjar as contingencias de reforo, de modo a possibilitar ou aumentar a probabilidade de que o aprendiz exiba o comportamento terminal, isto , que ele d a resposta desejada (a ser aprendida). 10. Exemplo (conceito)1. Verificao imediata: o aluno aprende melhor quandoverifica sua resposta imediatamente.2. Ritmo prprio: cada aluno pode trabalhar to rpida oulentamente quanto desejar3. Teste do programa: teste por meio da atuao do aluno.Se a apresentao de algum quadro no estiver clara, istose refletir nas respostas do estudantes. 11. Exemplo (conceito)4. Ritmo prprio: cada aluno pode trabalhar to rpida oulentamente quanto desejar5 . Teste do programa: teste por meio da atuao do aluno. Se a apresentao de algum quadro no estiver clara, isto se refletir nas respostas do estudantes. 12. Exemplo (prtica)Textos com lacunas de modo a evitar erros, que o aprendiz vai preenchendo com o seu prprio ritmo e imediatamente verificando se acertou.A resposta correta deve estar de alguma maneira oculta. Ao preencher corretamente uma lacuna, o aluno se sente reforado e portanto, estimulado a continuar desenvolvendo o programa. 13. Aprendizado onde h um processo que envolve a interao da nova informao com a estrutura de conhecimento do alunoProfessor mediador, facilita entre estmulos e respostas. Teoria adequada para projetos onde o pblico alvo j possui modelos e concepes existentes. 14. Psiclogo da Educao , nasceu na cidade de Nova York (Estados Unidos), com formao acadmica, em territrio canadense dedicou- se educao no intuito de buscar as melhorias necessrias ao verdadeiro aprendizado. 15. Procura explicar os mecanismos internos que ocorrem na mente humana com relao ao aprendizado e estruturao do Conhecimento. A cincia cognitiva ou cincia da cognio normalmente definida como o estudo cientfico da mente ou da inteligncia. (Wikipdia) 16. Identificar, acompanhar as dificuldades do aluno, interagindo.Estrutura cognitiva - A estrutura cognitiva o contedo total e organizado de idias de um dado indivduo; ou nfase que se d na aquisio, armazenamento e organizao das id, no contexto da aprendizagem de certos assuntos, refere-se ao contedo e organizao de suas idias naquela rea particular de conhecimento.Para Ausubel (1989), a aprendizagem consiste na ampliao da estrutura cognitiva, atravs da incorporao de novas idias ao aluno, dependendo do tipo de relacionamento que se tem entre as idias j existentes nesta estrutura e as novas que se esto internalizando, pode ocorrer um aprendizado que varia do mecnico ao significativo. 17. O Construtivismo uma teoria que ampara o indivduo nos aspectos cognitivos, sociais e afetivos do comportamento. O conhecimento no uma cpia da realidade, mas sim, uma construo do ser humano. O desenvolvimento da inteligncia humana determinado pelas aes mtuas entre o sujeito e objeto. 18. Nasceu na cidade de Neuchtel (Sua) em 9/08/1896 e morreu em 17/9/1980. Especializou-se em psicologia evolutiva e no estudo de epistemologia gentica.Pequisas Pesquisou sobre as caractersticas do pensamento infantil com crianas francesas e tambm com deficientes mentais. Em 1921 escreveu suas primeiras teorias pedaggicas. 19. Idias: Implantar nos espaos de aprendizagem uma metodologia inovadora que busca formar cidados criativos e crticos. "O principal objetivo da educao criar indivduos capazes de fazer coisas novas e no simplesmente repetir o que as outras geraes fizeram." Jean Piaget 20. A primeira teoria construtivista foi elaborada por Jean Piaget a partir dos seus estudos, baseado no desenvolvimento cognitivo humano. 21. Os mtodos utilizados so atravs de experincias, pesquisas e buscas para resolver os problemas.O papel do professor passivo, ou seja, ele um orientador, mediador e criador de conflitos.O papel do aluno ativo, ou seja, a construo do conhecimento fruto de sua ao. 22. Sala de Aula TradicionalSala de Aula Construtivista Estudantes trabalham sozinhos. Estudantes trabalham em grupos.O acompanhamento do currculo pr-Busca pelas questes levantadas estabelecido altamente valorizado.pelos alunos altamente valorizada.As atividades curriculares baseiam-se Baseiam-se em fontes primrias de em livros-texto e de exerccios.dados e materiais manipulveis. Avaliao da aprendizagem vista Avaliao da aprendizagem est como separada do ensino e ocorre, interligada ao ensino e ocorre atravs quase sempre, atravs de testes.da observao do professor sobre o trabalho dos estudantes. 23. Lev Semenovich Vygotsky nasceu em 1896 na Rssia, morreu ao 38 anos.Foi formado em Direito, Histria e Filosofia nas Universidades de Moscou e A. L. Shanyavskii. 24. Teoria construtivista Teoria preocupada com o papel do ambiente, das pessoas e da cultura na aprendizagem Complementao teoria Construtivista de Piaget 25. A aprendizagem um processo construdo pelas interaes:Do sujeito com outros indivduosDo sujeito com o seu meio 26. A ZDP um nvel que comea com o real estgio de desenvolvimento do indivduo, at o seu nvel potencial de desenvolvimento. 27. A aprendizagem uma experincia social mediada pela utilizao de:Instrumentos Signos 28. Ao mediador cabe a tarefa de: Motivar Evitar a rotina Criar conflitos Liberar o aluno para que ele chegue a sua prpria concluso e para serem sujeitos conscientes de sua autonomia social. 29. Deixar o aluno envolver-se em conflitos cognitivos e exprimir os seus pontos de vista Transformar idias em palavras, desenhos, construes, ou em qualquer outra coisa que possa ser compreendida pelo outro Criar vrias formas de transferir para o aluno a responsabilidade pela aprendizagem Planear o tamanho dos grupos de modo a manter os dilogos significativos e teis Em algumas situaes, interaes casuais podem ajudar a aprender, mas tambm podem multiplicar mal-entendidos 30. O aluno exerce um papel ativo Responsvel pela construo do seu conhecimento 31. No levar em conta a existncia da ZDP Propor atividades fora dos limites da ZPD Ensino baseado na expectativa de que os aluno estejam "prontos" 32. A aprendizagem resultado da interao social e compartilhamento de significados socialmente aceitos, dentro do estgio atual e potencial do aluno, considerando o aluno inserido numa sociedade e em uma cultura que determina esse conhecimento.