of 122 /122
FORMULÁRIO DE PERGUNTAS PARA TREINO DA PROVA DO D. A.C. . 1033 QUESTÕES CURSO DE ELEVAÇÃO DE NÍVEL – D.A.C - 2000

800 QUESTÕES

Embed Size (px)

DESCRIPTION

800 Questoes ANAC.

Citation preview

FORMULRIO DE PERGUNTAS PARA TREINO DA PROVA DO D. A.C..

1033 QUESTES CURSO DE ELEVAO DE NVEL D.A.C - 2000

MAP- MATERIAIS DE AVIAO E PROCESSO

001- SO MATERIAIS ORGNICOS NA AVIAO :

A- PLSTICOS E VIDROS

B- TINTAS E VERNIZES

C- PLSTICOS E VERNIZES

D- TINTAS E PLSTICOS

002-DUAS FORAS DE MESMA DIREO ,DE SENTIDO CONTRRIO AGINDO EM UM CORPO PROVOCA:

A- TRAO

B- TORO

C- COMPRESSO

D- CISALHAMENTO

003-BASICAMENTE OS MATERIAIS USADOS NA AVIAO SO CLASSIFICADOS EM COMPOSTOS, CERMICOS :

A- METLICOS E MECNICOS

B- METLICOS E ORGNICOS

C- ORGNICOS E MECNICOS

D- ORGNICOS E RESISTENTES

004-O ALUMNIO EXTRADO DA :

A- BLENDA

B- BAUXITA

C- GALENA

D- CUPRITA

005-TODO MATERIAL QUE TEM CAPACIDADE DE SE DEFORMAR AO MXIMO AT QUE SE ROMPA, TEM ALTO GRAU DE :

A- DUREZA

B- DILATAO

C- FLEXO

D- PLASTICIDADE

006-O PROCESSO INORGNICO CONTRA A CORROSO QUE UTILIZA OXIDO DE ALUMNIO O/A:

A- GALVANOPLASTIA

B- GALVANIZAO

C- PULVERIZAO

D-ANODIZAO

007-O ELEMENTO RESISTENTE CORROSO ENCONTRADO NO ALUMNIO CHAMA-SE :

A- GANGA

B- ALCLAD

C- TRIO

D- ALUMINA

008-O ALUMNIO CONSIDERADO PURO QUANDO TEM :

A- 99%

B- 100%

C- 99,9%

D- 99,99%

009-O PRINCIPAL PROBLEMA PARA A UTILIZAO DAS LIGAS DE TITNIO NA AVIAO O/A:

A- ALTO CUSTO

B- CORROSO

C- ALTA RESISTNCIA A SOLDA

D- BAIXO VALOR DE TRAO

010-A LIGA DE COBRE MUITO RESISTENTE A GUA MARTIMA O:

A- FERRO

B- AO CROMO - VANDIO

C- MONEL

D- LATO

011-UM MATERIAL PARA NEUTRALIZAR AS TENES PROVOCADAS POR UMA LAMINAO DEVER PASSAR POR UM TRATAMENTO TRMICO DENOMINADO DE :

A- TMPERA

B- RECOZIMENTO

C- ALVIO DE TENSES

D- ENVELHECIMENTO NATURAL

012- O PROCESSO DE CORROSO TAMBM DENOMINADO :

A- ACIDEZ

B- FERRUGEM

C- OXIDAO

D- DETERIORAO DO MATERIAL

013 -NA IDENTIFICAO DO ALUMNIO PELO S.A.E, O SEGUNDO ALGARISMO REPRESENTA O/ A:

A- ELEMENTO ADICIONADO

B- CONTROLE DE IMPUREZAS

C- PERCENTUAL DE ALUMNIO

D- IDENTIFICAO ANTIGA

014- UMA LIGA COMPOSTA QUE TEM MAIS DE 2,11 % DE CARBONO DENOMINADA:

A- AO ULTRA - RESISTENTE

B- FERRO FUNDIDO

C- AO LIGA

D- AO - CARBONO

015- OS REBITES DE AVIAO SOFREM ESFOROS DE FORAS PARALELAS OPOSTAS MAS DE MESMO SENTIDO E CONSEQUENTEMENTE SO FABRICADOS COM MATERIAIS DE VALOR DE :

A- FLEXO

B- COMPRESSO

C- TORO

D- CISALHAMENTO

016-BASICAMENTE UMA LIGA METLICA A UNIO DE :

A- AO E ALUMNIO

B- DOIS OU MAIS METAIS

C- METAIS IGUAIS

D- ALUMNIO E MAGNSIO

017-UMA LIGA DE ALUMNIO QUE TEVE O SEU PODER ANTI -CORROSIVO AUMENTADO ATRAVS DE CAMADAS DE ALUMNIO PURO ,DEVER CONSTAR , ANTES DA SUA IDENTIFICAO A PALAVRA :

A- ALUMINA

B- DURAL

C- MONEL

D- ALCLAD

018-O ALUMNIO PURO TEM EXCELENTE RESISTNCIA CORROSO PORM TEM BAIXA :

A- ALUMINA

B- RESISTNCIA MECNICA

C- DURABILIDADE

D- SOLDABILIDADE

019- AS LIGAS DE NQUEL SO TAMBM CONHECIDAS COMO :

A- GANGA E TRIO

B- DURAL E ALCLAD

C- MONEL OU INCONEL

D- BRONZE E LATO

020- NAS REAS DE USINAGENS E SOLDAGEM DE LIGAS DE MAGNSIO DEVER TER :

A- AQUECEDORES

B- VENTILAO FORADA

C- AR CONDICIONADO

D- AR UMEDECIDO

021- O RESFRIAMENTO DO MATERIAL APS O RECOZIMENTO DEVER SER FEITO :

A- LENTAMENTE

B- COM LEO LUBRIFICANTE

C- COM QUEROSENE

D- RAPIDAMENTE

022-NA IDENTIFICAO DE UM TRATAMENTO TRMICO, A LETRA W INDICA :

A- CONDIES VARIVEIS

B- CONDIES INSTVEIS

C- ENVELHECIMENTO NATURAL

D- ENVELHECIMENTO ARTIFICIAL

023-OS CONDUTORES DE CALOR E OXIGNIO ,GERALMENTE SO FABRICADOS COM :

A- NQUEL

B COBRE

C- TITNIO

D- ALUMNIO

024-UM MATERIAL DEIXADO EM QUALQUER LOCAL , EM CONTATO COM O OXIGNIO E SEM UMA PROTEO PODER SOFRER UMA OXIDAO :

A- INORGNICA

B- ELETROQUMICA

C- NATURAL

D- QUMICA

025- A CORROSO MAIS COMUM NA AVIAO A DO TIPO :

A- QUMICA

B- ELETROQUMICA

C- POR ELETRLISE

D- INORGNICA

026- O TEMPO DE SECAGEM DE UMA INDUTAGEM DEVE SER DE :

A- 8 HORAS

B- 6 HORAS

C- 24 HORAS

D- 72 HORAS

027- NAS SUPERFCIES PINTADAS, AS CORROSES SO EVIDENCIADAS COM O APARECIMENTO DE :

A- FERRUGEM

B- BOLHAS

C- P BRANCO

D- P ESCURO

028- A FINALIDADE DE SE USAR UM DOPE ALUMINIZADO PARA A QUINTA E SEXTA DEMO :

A- PROTEGER CONTRA A CHUVA

B- PROTEGER CONTRA O SOL

C- AUMENTAR A TENSO

D- AUMENTAR A IMPERMEABILIDADE

029-A PROTEO DAS SUPERFCIES CONTRA A OXIDAO POR MTODOS ORGNICOS UTILIZA

A- GALVANIZAO

B- FOSFATIZAO

C- XIDO DE ALUMNIO

D- TINTAS ESPECIAIS

030-A PRINCIPAL FINALIDADE DE UTILIZAO DE REVESTIMENTO DE SUPERFCIES DE AERONAVES A:

A- DIMINUIO DE PESO

B- DISTRIBUIO DE PESO

C- DURABILIDADE DA AERONAVE

D- IMPERMEABILIDADE DA AERONAVE

031- TODO MATERIAL CERMICO TEM :

A- BAIXO VALOR DE TRAO E ALTO PONTO DE FUSO

B- ALTO VALOR DE TRAO E ALTO PONTO DE FUSO

C- ALTO VALOR DE TRAO E BAIXO PONTO DE FUSO

D- BAIXO VALOR DE TRAO E BAIXO PONTO DE FUSO

032- ONDE DEVEM SER APLICADOS OS MATERIAIS RECICLVEIS :

A- EM REAS QUE SOFREM ESFOROS MECNICOS

B- NA ASA DA AERONAVE

C- NO TREM DE POUSO

D- NENHUMA DAS RESPOSTAS ACIMA

033-QUAL A DURABILIDADE DE UMA SUPERFCIE ENTELADA :

A- 1 ANO

B- 2 ANOS

C- 3 ANOS

D- 4 ANOS

034- O PRIMEIRO ALGARISMO NA IDENTIFICAO DAS LIGAS DE ALUMNIO PELO MTODO S.A.E SIGNIFICA :

A- IMPUREZAS

B- A LIGA ELEMENTO QUE MAIS FOI ADICIONADA

C- PERCENTUAL DE PUREZA

D- QUANTIDADE EM CENTSIMOS DE ALUMINA

035- UMA DAS CARACTERSTICAS DA LIGA ALUMNIO ZINCO :

A- RESISTENTE

B- NO SOLDVEL

C- SOLDVEL

D- NO CORROSIVA

036-A LIGA DE COBRE USADA EM EIXO DE MOTORES TRMICOS O:

A- BRONZE

B- LATO

C- METAL PATENTE

D- AO MOLIBDNIO

037- OFERECER MAIOR OU MENOR RESISTNCIA AO RISCO UMA PRIORIDADE DENOMINADA :

A- DURABILIDADE

B- DUREZA

C- IMPERMEABILIDADE

D- DUCTIBILIDADE

038 O FERRO EXTRADO DA / DO:

A- BAUXITA

B- HEMATITA

C- CUPRITA

D- CARBONO

039- O TRATAMENTO MECNICO MAIS UTILIZADO NA INDUSTRIA AERONUTICA O /A:

A- FUNDIO

B- LAMINAO

C- MARTELAGEM

D- TRATAMENTO SUPERFICIAL

040- O COBRE EXTRADO DO /DA :

A- HEMATITA

B- CUPRITA

C- BRONZE

D- GALENA

041- O CHUMBO EXTRADO DO /DA:

A- CUPRITA

B- GALENA

C- BLENDA

D- CACITERITA

042- O ESTANHO EXTRADO DO /DA :

A- CACITERITA

B- BLENDA

C- BAUXITA

D- COBRE

043- A CONSTITUIO DO LATO :

A- DUAS PARTES DE CHUMBO E DUAS DE BRONZE

B- UMA PARTE DE LATO E UMA DE COBRE

C- DUAS PARTES DE COBRE E UMA DE ZINCO

D- DUAS PARTES DE ZINCO E UMA DE BRONZE

044- NO MAGNSIO ENCONTRADO UM PERCENTUAL DE UM ELEMENTO RADIOATIVO CHAMADO DE :

A- GANGA

B- MAGNETITA

C- TRIO

D- ZINABRE

045- O ZINCO EXTRADO DO / DA:

A- CACITERITA

B- HEMATITA

C- BLENDA

D- GALENA

O46-AS FERRAMENTAS EM GERAL SO FABRICADAS DE :

A- AO ULTRA RESISTENTE

B- AO MOLIBDNIO

C- AO CROMO

D- AO CROMO VANDIO

O47- AS LIGAS DE NQUEL SO CHAMADAS DE :

A- DURAL OU MONEL

B- MONEL OU INCONEL

C- DURAL OU INCONEL

D- NO FERROSAS

O48- A COMPOSIO DO BRONZE :

A- COBRE E ESTANHO , ACRESCENTANDO FSFORO OU GRAFITE

B- LATO , COBRE E ZINCO

C- COBRE E ESTANHO

D- ZINCO E ALUMNIO

049- A ELASTICIDADE :

A- A CAPACIDADE QUE O MATERIAL TEM DE DEFORMA-SE E DEPOIS RETORNAR A FORMA ORIGINAL QUANDO CESSAR A FORA.

B- A CAPACIDADE QUE O MATERIAL TEM DE NO SOFRER CORROSO.

C- A CAPACIDADE QUE O MATERIAL TEM DE SER REDUZIDO A LMINAS.

D- A CAPACIDADE QUE O MATERIAL TEM DE DEFORMA-SE.

050- A FUSIBILIDADE :

A- A CAPACIDADE QUE O MATERIAL TEM DE NO SOFRER CORROSO

B- A CAPACIDADE QUE O MATERIAL TEM DE DEFORMA-SE.

C- A CAPACIDADE QUE O MATERIAL TEM DE PASSAR PARA O ESTADO LQUIDO.

E- A CAPACIDADE QUE O MATERIAL TEM DE SER REDUZIDO A LMINAS.

051- A CORROSO INTERGRANULAR SE DEFINE COMO :

A- CORROSO INTERNA. NO PODE SER DETECTADA E DETERIORA OS CRISTAIS METLICOS.

B- CORROSO EXTERNA

C- CORROSO EM APARELHOS ELTRICOS E ELETRNICOS.

D- CONTATO ENTRE DOIS METAIS.

052- UMA ESPCIE DE P ESCURO QUE APARECE NA CORROSO DE PEAS DE AO CONHECIDA POR :

A- GANGA

B- FERRUGEM

C- TRIO

D- COCOA

053- A FOSFOTIZAO :

A- PROCESSO QUE PROTEGE O AO ATRAVS DE CAMADAS DE FOSFATO, FERRO, OU MANGANS.

B- PROCESSO QUE PROTEGE O COBRE ATRAVS DE CAMADAS DE FOSFATO, OU MANGANS.

C- PROCESSO QUE PROTEGE O ALUMNIO ATRAVS DE CAMADAS DE ALUMINA E ZINCO.

D- PROCESSO QUE PROTEGE O AO ATRAVS DE CAMADAS DE CHUMBO.

054-A UTILIZAO DE TINTAS, VERNIZES E ESMALTES NA PROTEO CONTRA CORROSO DENOMINA-SE :

A- GALVANIZAO

B- ANODIZAO

C- PROCESSO ORGNICO

D- PROCESSO INORGNICO

055-GERALMENTE OS EQUIPAMENTOS DE APOIO AO SOLO USADOS NA AVIAO SO FABRICADOS DE :

A- AO - CROMO VANDIO

B- AO CROMO MOLIBDNIO

C- AO CARBONO

D- AO ULTRA RESISTENTE

056-PODEMOS CHAMAR DE PULVERIZAO O :

A- MTODO DE APLICAO DE CAMADAS METLICAS ATRAVS DE BANHOS QUMICOS.

B- MTODO DE APLICAO DE CAMADAS DE ZINCO OU DE ALUMNIO PULVERIZADOS.

C- JATO DE AR EM SUPERFCIES METLICAS.

D- APLICAO DE CAMADAS METLICAS EM SUPERFCIES PLSTICAS.

057- AS FERRAMENTAS CORTANTES SO FEITAS DO MATERIAL:

A- AO CROMO VANDIO

B- AO FERRAMENTA

C- AO NIQUELADO

D- AO INOXIDVEL

058-AS SUPERFCIES EXTERNAS DE UMA AERONAVE SO FABRICADAS DE:

A- FERRO

B- TITNIO

C- METAL PATENTE

D- ALUMNIO LIGADO

059- A PRINCIPAL FINALIDADE DAS SUPERFCIES ENTELADAS DE UMA AERONAVE :

A- IMPERMEBEALIZA - LA

B- AUMENTAR SEU ARRASTO

C- AUMENTAR SUA RESISTNCIA

D- DIMINUIR O PESO

060-O REVESTIMENTO TIPO ENVELOPE OU FRONHA UTILIZADO EM SUPERFCIES :

A- LISAS E POROSAS COM TRAO DE 4 LIBRAS

B- LISAS E REGULARES COM TRAO DE 5 LIBRAS

C- LISAS E IRREGULARES COM TRAO DE 5 LIBRAS

D- LISAS USANDO PRESSO DE 5 LIBRAS E MEIA

AER AERODINMICA

061- A COMPOSIO DA ATMOSFERA :

A- 10% DE OXIGNIO , 80% DE NITROGNIO E 10% DE OUTROS GASES

B- 21% OXIGNIO , 78% NITROGNIO E 1% DE OUTROS GASES.

C- 21% DE NITROGNIO , 78% DE OXIGNIO E 1% DE OUTROS GASES

D- 90% DE OXIGNIO E 10% DE GS CARBONO

062- A AERODINMICA A PARTE FSICA QUE ESTUDA :

A- O MOVIMENTO DO AR EM RELAO AS AERONAVES

B- O MOVIMENTO DO AR EM RELAO AOS CORPOS

C- O MOVIMENTO DO AR EM RELAO AOS SERES HUMANOS

D- ESTUDA OS CORPOS

063- A DENSIDADE DO AR DEPENDE DOS SEGUINTES FATORES:

A- PRESSO ,TEMPERATURA, GRAVIDADE E UMIDADE

B- PRESSO , TEMPERATURA E GRAVIDADE

C- PRESSO , TEMPERATURA E UMIDADE

D- PRESSO, GRAVIDADE E UMIDADE

064- O PRINCPIO DE BERNOUILLI PREV QUE NUM FLUDO :

A- AUMENTO DE VELOCIDADE , AUMENTA A PRESSO

B- AUMENTO DE VELOCIDADE , DIMINUI A PRESSO

C- REDUO DE VELOCIDADE , MANTM A PRESSO

D- AUMENTO DE VELOCIDADE, MANTM A PRESSO

065- COMPROVAR O TEOREMA DE BERNOUILLI A FINALIDADE DO :

A- TUBO DE BOURDON

B- TUBO DE PITOT

C- TUBO DE VENTURI

D- TUBO DE BERNOUILLI

066- O NGULO DE ATAQUE O NGULO FORMADO ENTRE 0 / A:

A- EIXO DE ROTAO E VENTO RELATIVO

B- CORDA DO PERFIL E VENTO RELATIVO

C- EIXO DE ROTAO E PLANO DE ROTAO

D- CORDA DO PERFIL E PLANO DE ROTAO

067- EM AERODINMICA OS PERFIS SIMTRICOS POSSUEM :

A- CAMBRAS DIFERENTES

B- CAMBRAS E BORDOS IGUAIS

C- CAMBRAS E CORDAS IGUAIS

D- CAMBRAS IGUAIS

068-A SUSTENTAO NUM AVIO OBTIDA PRINCIPALMENTE PELO / A:

A- IMPACTO DO AR CONTRA A ASA

B- DIFERENA ENTRE PRESSO DINMICA E ESTTICA NA ASA

C- MOVIMENTO DO AR NA ASA, TORNANDO O AVIO MAIS LEVE QUE O AR

D- DIFERENA DE PRESSO ENTRE O EXTRADORSO E INTRADORSO DA ASA

069- QUANTO MAIOR A REA DE UM AEROFLIO O ARRASTO SER:

A- DIFERENTE

B- INDIFERENTE

C- MAIOR

D- MENOR

070- SO CONSIDERADOS COMANDOS SECUNDRIOS:

A- COMPENSADORES

B- ALLERON , LEME E PROFUNDOR

C- COMPENSADORES E FLAPES

D- FLAPS

071- SO CONSIDERADAS SUPERFCIES AERODINMICAS :

A- PRODUZEM GRANDE RESISTNCIA AO AVANO E NENHUMA SUSTENTAO

B- PRODUZEM GRANDE RESISTNCIA AO AVANO E PEQUENA SUSTENTAO

C- PRODUZEM GRANDE RESISTNCIA AO AVANO

D- PRODUZEM PEQUENA RESISTNCIA AO AVANO

072- O NGULO DIEDRO SERVE PARA PRODUZIR :

A- INSTABILIDADE DIRECIONAL

B- ESTABILIDADE DIRECIONAL

C- INSTABILIDADE LATERAL

D- ESTABILIDADE LATERAL

073- AS AERONAVES QUE OPERAM EM PISTAS SLIDAS E LQUIDAS SO CHAMADAS DE:

A- HIDRO AVIES

B- AQUTICAS

C- TERRESTRES

D- ANFBIAS

074- O MOVIMENTO DA AERONAVE EM TORNO DO EIXO LATERAL A CHAMADA DE:

A- ROLAGEM

B- ARFAGEM

C- GIRAGEM

D- GUINADA

075- A AERONAVE CUJA ESTRUTURA POSSUI LONGARINAS ASSOCIADAS S CAVERNAS PARA MELHOR RESISTIR A ESFOROS A DO TIPO :

A- MONOCOQUE

B- SEMI-MONOCOQUE

C- CANTILEVER

D- SEMI-CANTILEVER

076- O EFEITO SOLO TEM SUA MAIOR EFICINCIA QUANDO O HELICPTERO EST DISTANTE DO SOLO :

A- UM ROTOR

B- MEIO ROTOR

C- DOIS ROTORES

D- QUALQUER DISTNCIA

077- O EFEITO QUE ELIMINADO NOS ROTORES POR PERMITIR MAIOR SUSTENTAO NA P QUE AVANA DO QUE NA QUE RECUA :

A- EFEITO SOLO

B- DISSIMETRIA DA SUSTENTAO

C- DIFERENA DE SUSTENTAO

D- EFEITO CONE

078- O TIPO DE HLICE QUE PERMITE MUDANA NO PASSO DA HLICE APENAS NO SOLO A :

A- PASSO CONTROLVEL

B- PASSO FIXO

C- PASSO AJUSTVEL

D- PASSO AUTOMTICO

079- O PERFIL UTILIZADO NA MAIORIA DAS PS DOS ROTORES PRINCIPAIS O :

A- ASSIMTRICO

B- SIMTRICO

C- CONTRA SIMTRICO

D- DISSIMTRICO

080- O SOMATRIO DO PASSO REAL MAIS O RECUO DA HLICE CHAMADO DE:

A- PASSO GEOMTRICO

B- PASSO REVERSO

C- PASSO BANDEIRA

D- PASSO EFETIVO

081-O STOL DA PONTA DA P OCORRE COM MAIOR FREQNCIA NA P:

A- QUE RECUA

B- QUE AVANA

C- EM NENHUMA DAS PS

D- NAS DUAS

082- O GS ENCONTRADO EM MAIOR QUANTIDADE NA ATMOSFERA O :

A- CARBNICO

B- HIDROGNIO

C- OXIGNIO

D- NITROGNIO

083- A RESULTANTE AERODINMICA PODE SER DECOMPOSTA EM:

A- ARRASTO E PESO

B- TRAO E PESO

C- ARRASTO E SUSTENTAO

D- TRAO E SUSTENTAO

084- SE AUMENTARMOS O NGULO DE ATAQUE INDEFINIDAMENTE OCORRER:

A- REDUO DO ARRASTO

B- PERDA DE EFICINCIA DO BORDO DE ATAQUE

C- AUMENTO DE SUSTENTAO INDEFINIDAMENTE

D- PERDA DE SUSTENTAO APS O NGULO DE ATAQUE MXIMO

085- QUANTO MAIS UMA AERONAVE SOBE ENCONTRAR UMA PRESSO ATMOSFRICA:

A- MENOR

B- MAIOR

C- IGUAL

D- VARIVEL

086- O AEROFLIO UMA DAS APLICAES DO / A:

A- TUBO DE VENTURI

B- RESISTNCIA ORTOGONAL

C- TEOREMA DE BERNOUILLI

D- EMPUXO DE ARQUIMDES

087- A FINALIDADE DO TUBO DE VENTURI :

A- COMPROVAR O TEOREMA DE BERNOUILLI

B- EXPERIMENTAR A 3* LEI DE NEWTON

C- EXPERIMENTAR A LEI DE VETORES

088- QUANTO AOS TIPOS ,AS HLICES PODEM SER:

A- FIXO , MNIMOS E MXIMOS

B- MNIMOS E MXIMOS

C- VARIVEL E AJUSTVEIS

D- FIXO , VARIVEL E AJUSTVEIS

089- A DIFERENA ENTRE O PASSO REAL E O PASSO GEOMTRICO CHAMADA DE:

A- AVANO

B- PASSO EFETIVO

C- PASSO TERICO

D- RECUO DA HLICE

090- A PRINCIPAL FINALIDADE DO ENFLEXAMENTO DAS ASAS INFLUENCIAR NA ESTABILIDADE:

A- DIRECIONAL

B- LONGITUDINAL

C- LATERAL

D- ESTTICA

091- A FUSELAGEM TEM INFLUNCIA NA ESTABILIDADE:

A- LATERAL E DIRECIONAL

B- LONGITUDINAL E LATERAL

C- LATERAL

D- LONGITUDINAL

092- O TIPO DE ASA FIXADA NA FUSELAGEM SEM O AUXLIO DE SUPORTES EXTERNOS DENOMINADO :

A- MONOCOQUE

B- CANTILEVER

C- SEMI MONOCOQUE

D- SEMI CANTILEVER

093- DENOMINA-SE TREM RETRATIL AQUELE QUE :

A- PERMANECE FIXO

B- RECOLHE PARCIALMENTE

C- RECOLHE COMPLETAMENTE

D- RECOLHE SOMENTE A RODA DO NARIZ E DA BEQUILHA

094- O MOVIMENTO DO AVIO EM TORNO DO EIXO LONGITUDINAL CHAMA-SE:

A- ARFAGEM

B- ROLAMENTO

C- CABRAGEM

D- GUINADA

095- O NGULO FORMADO ENTRE A CORDA E A TRAJETRIA DENOMINADO NGULO DE :

A- RECUO

B- AVANO

C- TERICO

D- ATAQUE

096- A SUSTENTAO NAS PS DO ROTOR MANTIDA IGUAL POR AO DO / A:

A- ESTABILIZADOR COM PERFIL INVERTIDO

B- ESTRELA ESTACIONRIA E ROTATIVA

C- P COM PERFIL ASSIMTRICO

D- ROTOR DE CAUDA

097-O EFEITO QUE AUMENTA A SUSTENTAO INDEPENDENTE DO TIPO DE HELICPTERO E APENAS NO TAMANHO DO ROTOR :

A- EFEITO CONE

B- CONJUGADO DE REAO

C- EFEITO SOLO

D- DISSIMETRIA

098- O EFEITO CONE AGRAVADO POR :

A- VELOCIDADE NO VO HORIZONTAL

B- VELOCIDADE NO VO PAIRADO

C- VELOCIDADE DE ROTAO DO ROTOR DE CAUDA

D- EXCESSO DE PESO OU RAZO DE MANOBRAS

099-O QUE LIMITA A VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO DE UM HELICPTERO INICIALMENTE O / A:

A- FORMATO AERODINMICO

B- ESTRURA

C- STOL DAS PS

D- TIPO DE ROTOR

100-QUANTO AO TIPO, OS ROTORES CLASSIFICAM-SE EM:

A- RGIDO , SEMI RGIDO , ARTICULADO

B- FIXO , SEMI FIXO , FLEXVEL

C- PRINCIPAL , CAUDA PRINCIPAL

D- RGIDO , SEMI ARTICULADO , ARTICULADO

101-PODEMOS DEFINIR UM FLUIDO COMO:

A- CORPOS QUE POSSUEM FORMAS DEFINIDAS ENCONTRADOS EM FORMA LQUIDA.

B- SO CORPOS QUE NO POSSUEM FORMAS DEFINIDAS , PODENDO SER ENCONTRADOS EM ESTADO LQUIDO.

C- CORPOS QUE POSSUEM FORMAS INDEFINIDAS ENCONTRADOS EM FORMA GASOSA.

D- SO CORPOS QUE POSSUEM FORMAS DEFINIDAS , PODENDO SER ENCONTRADOS EM ESTADO SLIDO.

102- O ARRASTO PROVOCADO PELO /A:

A- ATRITO DO AR COM A AERONAVE

B- O ATRITO DO AR COM A ASA

C- A ASA DE ENCONTRO AO VENTO RELATIVO

D- NGULO DO AEROFLIO

103- O NGULO DE INCIDNCIA :

A- NGULO FORMADO ENTRE A CORDA DA ASA E O EIXO LONGITUDINAL DO AVIO

B- NGULO FORMADO ENTRE A CORDA DA ASA E O EIXO TRANSVERSAL DO AVIO

C- NGULO FORMADO ENTRE A CORDA DA ASA E O EIXO LATERAL DO AVIO

D- NGULO FORMADO ENTRE A CORDA DA ASA E O EIXO IMAGINRIO DO AVIO

104- O COMANDO PRIMRIO QUE TEM A FINALIDADE DE REALIZAR MOVIMENTOS EM TORNO DO EIXO LONGITUDINAL :

A- AILERON

B- LEME DE DIREO

C- PROFUNDOR

D- FLAP

105- - O COMANDO PRIMRIO QUE TEM A FINALIDADE DE REALIZAR MOVIMENTOS EM TORNO DO EIXO VERTICAL :

A- AILERON

B- PROFUNDOR

C- LEME DIREO

D- FLAP

106- - O COMANDO PRIMRIO QUE TEM A FINALIDADE DE REALIZAR MOVIMENTOS EM TORNO DO EIXO TRANSVERSAL :

A- LEME DE DIREO

B- PROFUNDOR

C- AILERON

D- FLAP

107- O COMANDO DE VO SECUNDRIO QUE AUXILIA O PILOTO NO COMANDO DE SUPERFCIES PRIMRIAS O:

A- FLAPS

B- LEME

C- COMPENSADOR

D- FENDA OU SLOTS

108- OS FATORES QUE INFLUENCIAM NA ESTABILIDADE LATERAL :

A- NGULO DE INCIDNCIA

B- NGULO DIEDRO

C- QUILHA

D- ARRASTO OU SUSTENTAO

109- OS FATORES QUE INFLUENCIAM NA ESTABILIDADE DIRECIONAL :

A- ARRASTO E SUSTENTAO

B- QUILHA

C- ENFLEXAMENTO

D- QUILHA E ENFLEXAMENTO

110- EM RELAO AO FLUXO DE AR, EM DIREO A UM AEROFLIO, SEU PRIMEIRO CONTATO COM :

A- BORDO DE FUGA

B- NGULO DE INCIDNCIA

C- NGULO DIEDRO

D- BORDO DE ATAQUE

NEL NOES DE ELETRICIDADE

111-MATERIAL MAU CONDUTOR O QUE POSSUI EM RELAO A CORRENTE ELTRICA UM / A:

A- ALTA RESISTNCIA

B- ALTA INDUTNCIA

C- BAIXA RESISTNCIA

D- BAIXA CAPACITNCIA

112-COMO DEFINIO TUDO QUE OCUPA ESPAO CHAMADO:

A- MOLCULA

B- MATRIA

C- TOMO

D- CORPO

113- TODO MATERIAL QUE OFERECE ALTA RESISTNCIA AO FLUXO DA CORRENTE ELTRICA CHAMADO DE:

A- ISOLANTE

B- CONDUTOR

C- MAGNTICO

D- BIELTRICO

114-SEGUNDO A LEI DE OHM , A RESISTNCIA INVERSALMENTE PROPORCIONAL A:

A- ISOLAO

B- CORRENTE

C- VOLTAGEM

D- TEMPERATURA

115- AO SER COLOCADO UM NCLEO DE AO EM UMA BOBINA , QUANDO ESTA FOR ALIMENTADA , TEM SE UM :

A- IM NATURAL

B- ELETROIM

C- GERADOR MAGNTICO

D- CONDUTOR MAGNTICO

116- A UNIDADE DE MEDIDA DA POTNCIA :

A- OHM

B- HERTZ

C- VOLT

D- WATT

117-UM DOS MTODOS DE SE OBTER ELETRICIDADE ESTTICA :

A- CALOR

B- PRESSO

C- FRICO

D- MAGNETISMO

118- O APARELHO MEDIDOR DE FORA ELETROMOTRIZ CHAMA-SE:

A- WATTIMETRO

B- FREQUENCIMETRO

C- AMPERMETRO

D- VOLTMETRO

119- EM UM IM , O SENTIDO DAS LINHAS MAGNTICAS EXTERNAS :

A- SUL SUL

B- NORTE SUL

C- NORTE NORTE

D- SUL NORTE

120- USANDO SE UM ELETROMAGNETISMO A CORRENTE BASICAMENTE :

A- CONTNUA

B- RETIFICADA

C- PULSATIVA

D- ALTERNADA

121- A CORRENTE C.C. NUMA AERONAVE PRODUZIDA POR:

A- BATERIA E REVERSOR

B- BATERIA E TRANSFORMADOR

C- BATERIA E GERADOR

D- BATERIA E ALTERNADOR

122- A CORRENTE CONTNUA EM RELAO A ALTERNADA :

A- TEM VOLTAGEM MAIOR

B- TEM TENSO INVARIVEL

C- TEM VOLTAGEM MENOR

D- NO MUDA DE SENTIDO

123- A FACILIDADE QUE UM MEIO OFERECE AO CAMPO MAGNTICO :

A- PERMENCIA

B- CAPACITNCIA

C- REATNCIA

D- RESISTNCIA

124- A UNIDADE DE MEDIDA DA CORRENTE :

A- VOLT

B- WATT

C- AMPER

D- CURRENT

125- NUM CIRCUITO CUJO DISPOSITIVO DE PROTEO APS ACIONADO DEVE SER DESCARTADO UTILIZA:

A- DISJUNTOR OU CIRCUIT BREAR

B- FUSVEL

C- TRANSISTOR

D- DIODO

126- NOS CIRCUITOS EM SRIE O ELEMENTO QUE OFERECE OPOSIO A PASSAGEM DA CORRENTE ELTRICA O :

A- INDUTOR

B- RESISTOR

C- CAPACITOR

D- CONDENSADOR

127- UM DOS MELHORES CONDUTORES CONHECIDOS O :

A- FERRO

B- COBRE

C- LATO

D- ALUMNIO

128- COMO DEFINIO DEVE SE DIZER QUE CORRENTE O MOVIMENTO DE :

A- ONS

B- PRTONS

C- NEUTRONS

D- ELTRONS

129- EM CIRCUITO PARALELO A VOLTAGEM :

A- ALTA

B- BAIXA

C- VARIVEL

D- CONSTANTE

130- O INSTRUMENTO CAPAZ DE MEDIR CORRENTE O:

A- OHMMETRO

B- WATTMETRO

C- VOLTMETRO

D- AMPERMETRO

131- EM UM TOMO , AS PARTCULAS CARREGADAS NEGATIVAMENTE SO OS:

A- PRTONS

B- NEUTRONS

C- NEUTRINOS

D- ELTRONS

132- OS GERADORES DE CORRENTE CONTNUA SO CONHECIDOS COMO:

A- TRANSFORMADORES

B- DNAMOS

C- INVERSORES

D- INVERSORAS

133- A MENOR PORO DE UMA MOLCULA O :

A- TOMO

B- PRTON

C- NEUTRON

D- ELTRON

134- UM DOS FATORES QUE INFLUEM NA FORA DO ELETRO IM :

A- SENTIDO DA FORA

B- VALOR DA CORRENTE

C- TAMANHO DO NCLEO

D- SENTIDO DA CORRENTE

135- A TRAO MAGNTICA PODE SER OBSERVADA ENTRE :

A- UM POLO NORTE E UM POLO SUL

B- UM POLO SUL E UM POLO NORTE

C- DOIS POLOS NORTES

D- DOIS POLOS SUL

136- AO SEREM LIGADOS DOIS RESISTORES EM SRIE , HAVER UM / UMA:

A- AUMENTO DA CORRENTE

B- AUMENTO DA RESISTNCIA

C- AUMENTO DO FLUXO MAGNTICO

D- DIMINUIO DA RESISTNCIA

137- A CORRENTE ALTERNADA EM RELAO CONTNUA :

A- TEM MAIOR CORRENTE

B- MUDA DE SENTIDO

C- TEM TENSO PULSATIVA

D- TEM MENOR CORRENTE

138- A OPOSIO A PASSAGEM DO FLUXO MAGNTICO DE UM CORPO CONHECIDA COMO :

A- RELUTNCIA

B- PERMEABILIDADE

C- CONDUTNCIA

D- CAPACITNCIA

139- A UNIDADE DE MEDIDA DE FREQNCIA :

A- VOLT

B- HERTZ

C- AMPER

D- WATT

140- NUM CIRCUITO CUJO DISPOSITIVO DE PROTEO APS ACIONADO PERMITE SER REARMADO UTILIZA:

A- FUSVEL

B- CAPACITOR

C- DISJUNTOR (CIRCUIT BREAK)

D- DIODO

141- SABENDO-SE QUE A CORRENTE 40 A. A TENSO 220 V. O VALOR DA RESISTNCIA :

A- 0,5 (B- 0,55 (C- 0,180 (D- 880 (142- SABENDO QUE A CORRENTE 20 A. E A RESISTNCIA 300 ( , A TENSO SER DE :

A- 600

B- 280

C- 320

D- 6000

143 TENSO 115 V ,CORRENTE 10 A , A RESISTNCIA SER:

A- 11,5 (B- 115 (C- 1,15 (D- 1150 (144- RESISTNCIA DE 300 ( E CORRENTE DE 20 A,A POTNCIA SER:

A- 60000 W

B- 6000 W

C- 0,06 W

D- 0,60 W

145- SABENDO-SE QUE A RESISTNCIA DE 600 ( E A CORRENTE 30 , A POTNCIA SER :

A- 54000 W

B- 540000 W

C- 54000 W

D- 5400 W

146- SABENDO-SE QUE A CORRENTE 40 A. E A TENSO 280 V, O VALOR DA RESISTNCIA SER :

A- 70 (B- 35 (C-0,70 (D-700 (147 - O TIPO DE BATERIA MAIS USADO NA AVIAO :

A- PRIMARIA OU SECA

B- SECUNDRIA

C- CHUMBO CIDO

D- NIQUEL CADIUM OU ALCALINA

148- UMA BATERIA TEM 40 A./ HR ,LIGADA NUM SISTEMA QUE CONSOME MEIO AMPER / HR , SUA CAPACIDADE DE FUNCIONAMENTO SER :

A- 40 HORAS

B- 80 HORAS

C- 200 HORAS

D- 20 HORAS

149- O SISTEMA ELTRICO PRINCIPAL DE UMA AERONAVE :

A- ELETROMAGNETISMO

B- ELETRICIDADE MISTA

C- GERADOR

D- CONDUTOR

150- PODEMOS DEFINIR COMO SATURAO :

A- PONTO MXIMO DE FUSO DE UM MATERIAL

B- PONTO MNIMO DE MAGNETIZAO DE UM MATERIAL

C- PONTO MXIMIO DE CONDUTIVIDADE DE UM MATERIAL

D- PONTO MXIMO DE MAGNETIZAO DE UM MATERIAL

151- DEFINIMOS RESISTNCIA COMO SENDO:

A- A FACILIDADE DE CONDUZIR ELTRONS EM UM CORPO

B- A DIFICULDADE QUE TODO MATERIAL APRESENTA AO FLUXO DE ELTRONS

C- A FACILIDADE QUE TODO MATERIAL APRESENTA AO FLUXO DE ELTRONS

D- A DIFICULDADE QUE TODO MATERIAL APRESENTA AO FLUXO DE PRTONS

PIN FMM - PRTICA DE INSP. , FERRAMENTAS E MANUTENO.

152- A CARACTERSTICA PRINCIPAL DE UMA BOA ESCALA :

A- TER ENCOSTOS AJUSTVEIS

B- TER CURSORES SEM FOLGA

C- SER DE AO INOXIDVEL

153- GERALMENTE , UM PAQUMETRO TEM APROXIMAES DE AT:

A- 1 / 10 DE POLEGADA

B- 1 / 128 DA POLEGADA

C- 1 / 10 DE CENTMETRO

D- 1 / 64 DE POLEGADA

154- PARA MEDIDAS EM REAS PROFUNDAS DEVE- SE UTILIZAR UM PAQUMETRO TIPO :

A- DE BICO

B- DE HASTE

C- DE ORELHAS

D- ARCO PROFUNDO

155- PODER COMPROMETER A MEDIDA DE UM PAQUMETRO O / A:

A- POSIO DO MESMO

B- PERODO DE DURAO

C- POSIO DA AERONAVE

D- TEMPO DE REVISO DA PEA

156- GERALMENTE , AS INSPEES QUE UTILIZAM MICRMETROS DEVEM SER FEITAS EM LOCAIS :

A- COM TEMPERATURAS CONTROLADAS

B- LIGEIRAMENTE AQUECIDOS

C- BASTANTE RESFRIADOS

D- ONDE OS COMPONENTES PODEM SER AQUECIDOS

157- APS UMA INSPEO ELETROMAGNTICA O MATERIAL :

A- DEVER SER REVISADO

B- TER QUE SER SUBSTITUDO

C- PODER SER APLICADO IMEDIATAMENTE

D- DEVER SER DESMAGNETIZADO

158- FACILITAR A MANUTENO , TORNANDO A INSPEO MENOS CARA UMA DAS PRINCIPAIS CARACTERSTICAS DA INSPEO TIPO :

A- RAIO X

B- MAGNAFLUX

C- ULTRASON

D- LQUIDOS PENETRANTES

159- O ZYGLO , USADO NA INSPEO COM LQUIDOS PENETRANTES , UM LEO DE BAIXA VISCOSIDADE E QUE TEM PROPRIEDADES :

A- MAGNTICAS

B- FOSFORESCENTES

C- ANTIMAGNTICA

D- ANTIFOSFORESCENTE

160- A INSPEO COM ULTRA SOM SE BASEIA NO /NA:

A- SUPER AQUECIMENTO

B- SUPER RESFRIAMENTO

C- PROPAGAO DAS VIBRAES

D- PROPAGAO DAS DENSIDADES

161- UMA CARACTERSTICA DO ENSAIO NO DESTRUTVEL O / A :

A- RUPTURA DO MATERIAL

B- AQUECIMENTO DO MATERIAL

C- REAPLICAO DO MATERIAL

D- RESFRIAMENTO DO MATERIAL

162- EM UM SISTEMA DE CABOS DE COMANDO , PARA EVITAR QUE OS MESMOS ATRITEM COM OUTROS COMPONENTES OU ESTRUTURAS USA SE :

A- ROLDANAS

B- TENSIMETROS

C- GUIAS

D- GRAMPOS DE SEGUNRAA

163- UM CABO IDENTIFICADO COM 7 X 19 TEM :

A- 7 FIOS DE AO

B- 19 FIOS DE AO

C- 49 FIOS DE AO

D- 133 FIOS DE AO

164- EM UM CABO 7 X 7 , UMA PERNA PODER TER NO MXIMO:

A- 2 FIOS PARTIDOS POR POLEGADAS

B- 7 FIOS PARTIDOS POR POLEGADAS

C- 14 FIOS PERTIDOS EM TODA A EXTENSO

D- 49 FIOS PARTIDOS EM TODA A EXTENSO

165- SE DURANTE UMA INSPEO DE UM CABO DE COMANDO UM LIMITE FOR ULTRAPASSADO , O / A:

A- O CABO DEVER SER LUBRIFICADO

B- O CABO DEVER SER TROCADO

C- REGULAGEM TER QUE SER FEITA

D- DISTRIBUIO DE FORAS TER SER MUDADA

166- NA PRTICA , SE RETIRA UMA CORROSO SUPERFICIAL DE UM CABO DE COMANDO COM :

A- UMA ESCOVA DE PALHA DE AO

B- UMA ESCOVA DE PALHA DE ALUMNIO

C- A SUBSTITUIO DO CABO

D- A APLICAO DE UMA TINTA CORROSIVA

167- EM LOCAIS DE BAIXSSIMAS CARGAS , TIPO P.A , O ROLAMENTO MAIS USADO O DE:

A- ROLOS

B- BILHAS

C- AGULHAS

D- ESFERAS

168- A LUBRIFICAO DOS ROLAMENTOS SERVE PARA REDUZIR O ATRITO E , PRINCIPALMEN-TE :

A- PROTEGER CONTRA CORROSO

B- AUMENTAR A FORA TRANSMITIDA

C- DIMINUIR A FORA TRANSMITIDA

D- PROTEGER CONTRA A FORA CONTRRIA

169- A INSPEO QUE SE BASEIA , PRINCIPALMENTE , NA OSCILAO SIGNIFICATIVA DA TEMPERATURA DOS ROLAMENTOS O / A:

A- AUDITIVA

B- SENSITIVA

C- SUPERFICIAL

D- QUANTITATIVA

170- O EXCESSO DE CARGA EM UM ROLAMENTO PROVOCA UM:

A- RUDO METLICO

B- RUDO UNIFORME

C- AUMENTO DE VIDA TIL

D- AUMENTO DE TEMPERATURA

171- EM QUALQUER ROLAMENTO , BEM COMO EM TODOS OS COMPONENTES MECNICOS , A MELHOR INSPEO PARA VERIFICAR O INCIO DE UMA CORROSO A INSPEO:

A- VISUAL

B- RADIOGRFICA

C- ULTRA-SNICA

D- ELETROMAGNTICA

172- COM A FINALIDADE DE ORGANIZAR OS PROCEDIMENTOS E PADRONIZAR AS INFORMAES , FORAM CRIADAS AS /OS:

A- OFICINAS DE MANUTENO

B- LICENAS DE MECNICOS

C- LIVROS DE BORDO

D- PUBLICAES TCNICAS

173- A PUBLICAO QUE TEM POR FINALIDADE MODIFICAR OU APERFEIOAR SISTEMAS OU COMPONENTES DE AERONAVES O / A:

A- ATA 100

B- BOLETIM DE SERVIO

C- MANUAL DE MANUTENO

D- FICHA DE AERONAVEGABILIDADE

174- OS BOLETINS SO CLASSIFICADOS EM :

A- MANDATRIO , URGENTE , OPCIONAL

B- MANDATRIO , RECOMENDADO , OPCIONAL

C- MANDATRIO , RECOMENDADO , ILUSTRADO

D- MANDATRIO , URGENTE , ALERTA

175- PARA IDENTIFICAR PEAS OU COMPONENTES , CONSULTA SE O \ A :

A- MANUAL DE REPAROS

B- MANUAL DE MANUTENO

C- CATLOGO ILUSTRADO DE PEAS

D- CATLOGO DE BOLETINS DE SERVIO

176- O MANUAL QUE ORIENTA O OPERADOR QUANTO AOS PRAZOS DE INSPEES NECESSRIAS NUMA AERONAVE O / A:

A- MANUAL DE REVISO DE SISTEMAS

B- MANUAL DE REPAROS AUTORIZADOS

C- MANUAL DE MANUTENO DE AERONAVE

D- MANUAL DE MANUTENO DE COMPONENTES

177-NA MANUTENO DE CABLAGEM DE UMA AERONAVE , O PRINCIPAL MANUAL A SER UTI-

LIZADO SER O DE:

A- REPARO

B- DIAGRAMA

C- REVISO

D- INSPEO

178- A PUBLICAO TCNICA QUE SEMPRE DEVER ACOMPANHAR A AERONAVE O :

A- CATLOGO DE PEAS

B- LIVRO DE VERIFICAES

C- LIVRO DE BORDO

D- CATLOGO DE FERRAMENTAS

179- A PUBLICAO TCNICA QUE DEVE SER CUMPRIDA PARA MANTER A SEGURANA DE VO

O / A :

A- D.A

B- C.C.T

C- I.P.C

D- R.B.H.A

180- PARA REALIZAR TRABALHOS DE MANUTENO NOS MOTORES DE AERONAVES DEVERO SER CONSULTADOS OS CAPTULOS DE :

A- 21 A 29

B- 70 A 83

C- 49 A 51

D- 51 A 57

181- UMA TARJA PRETA NA POSIO VERTICAL COLOCADA AO LADO DE UM TRECHO DA PGINA DO MANUAL DE MANUTENO SIGNIFICA :

A- INFORMAO ESPECFICA DO OPERADOR

B- REVISO TEMPORRIA COM ERRO

C- ERRO NA IMPRESSO DA PGINA

D- TRECHO MODIFICADO OU REVISADO

182- CASO UM BOLETIM NO POSSA SER CUMPRIDO DEVE- SE COMUNICAR AO :

A- FABRICANTE E DAC

B- FAA E DAC

C- CTA E FAA

D- CTA E DAC

183-A MANUTENO QUE SOLUCIONA PANES OCORRIDAS EM VO A :

A- SOLUTIVA

B- PREVENTIVA

C- CORRETIVA

D- PREDITIVA

184- FINALIDADE PRINCIPAL DAS REVISES DE PUBLICAES TCNICAS E PERIDICAS:

A- ORGANIZAO DAS PUBLICAES

B- CONSERVAES DOS MANUAIS

C- GARANTIR A SEGURANA DE VO

D- FACILITAR OS PROCEDIMENTOS

185-O DOCUMENTO OBRIGATRIO PARA TODA EMPRESA DE MANUTENO AERONUTICA O:

A- C.H.E

B- C.H.A

C- C.H.T

D- C.C.T

186- O SISTEMA ATA 100 COMPREENDE QUAIS DOS MANUAIS ABAIXO:

A- LIVRO DE BORDO E MANUAL DE MANUTENO

B- LISTA DE VERIFICAES E MANUAL DE PESO E BALANCEAMENTO

C- LISTA DE VERIFICAES,MANUAL DE MANUTENO ,MANUAL DE PESO BALANCEAMENTO

D- MANUAIS DE REVISO, MANUTENO E LISTA DE EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS

187- BOLETIM RECOMENDADO AQUELE QUE :

A- RECOMENDAM QUE SEJA CUMPRIDO PARA MELHOR DESEMPENHO DA AERONAVE OU EQUIPAMENTOS

B- RECOMENDAM QUE SEJA CUMPRIDO PARA MELHOR DESEMPENHO DA AERONAVE

C- RECOMENDAM QUE SEJA CUMPRIDO PARA MELHOR DESEMPENHO DE EQUIPAMENTOS

D- OBRIGADO A SER CUMPRIDO PARA MELHOR DESEMPENHO DA AERONAVE

188- SO CONSIDERADAS TIPOS DE INSPEO:

A- VISUAL , DIMENSIONAL E QUALITATIVA

B- DIMENSIONAL , AUDITIVA E SENSITIVA

C- VISUAL , SENSITIVA E DIMENSIONAL

D- DIMENSIONAL, AUDITIVA E VISUAL

189- A INSPEO QUE UTILIZA VRIOS MTODOS PARA DETECO DE RACHADURAS SUPERFICIAIS OU INTERNAS , FADIGA OU FALHA DE FABRICAO :

A- INSPEO VISUAL

B- INSPEO QUALITATIVA

C- INSPEO DIMENSIONAL

D- INSPEO VISUAL E DIMENSIONAL

190- SE UMA AERONAVE ATERRISSAR BRUSCAMENTE OU COM EXCESSO DE PESO, DEVER SOFRER UMA INSPEO :

A- QUALITATIVA

B- VISUAL

C- EDDY CURRENT

D- ESPECIAL

191- SE UM MOTOR SOFRE UMA PANE DURANTE UM VO , QUAL MANUTENO ELE TER:

A- CORRETIVA

B- PREVENTIVA

C- ESPECIAL

D- NO DESTRUTIVA

192- O BOLETIM DE SERVIO CUJO CUMPRIMENTO FICA A CRITRIO DO OPERADOR :

A- MANDATRIO

B- RECOMENDADO

C- OPCIONAL

193- A PARTE DA PEA QUE SUBMETIDA A TESTE CHAMADA DE:

A- CAMPO DE PROVA

B- CORPO DE PROVA

C- CORPO PRINCIPAL

D- CAMPO PRINCIPAL

194-OS SISTEMAS DE CODIFICAO E NUMERAO MAIS CONHECIDOS NA REA DAS ORDENS

TCNICAS SO:

A- DAC E FAA

B- ATA 100 E DAC

C- USAF E DAC

D- ATA 100 E USAF

195- OS GRUPOS DO SISTEMA ATA 100 SO:

A- GENERALIDADES ,SISTEMAS, CLULAS E PROPULSO

B- GENERALIDADES , REVISO , EQUIPAMENTO , ACESSRIOS

C- PROPULSO , EQUIPAMENTO , CLULAS E REVISO

196- OS CAPTULOS REFERENTES S CLULAS SO:

A- 71 A 83

B- 51 A 57

C- 51 A 67

D- 21 A 39

197- ENCONTRAMOS OS PRAZOS DE INSPEO, PARA CORRETA OPERAO DA AERONAVE NO:

A- MANUAL DE INSPEO

B- MANUAL DE MANUTENO

C- MANUAL DE BORDO

D- LOG BOCK

198- O MANUAL QUE DEVEMOS USAR PARA REPAROS EM CHAPAS METLICAS O MANUAL DE:

A- REPAROS EXTERNO

B- REPAROS DE CHAPAS

C- REPAROS DE MANUTENO

D- REPAROS ESTRUTURAIS

199- A PUBLICAO TCNICA QUE SEMPRE ACOMPANHA A AERONAVE O:

A- MANUAL ATA100

B- MANUAL DE REPAROS

C- LOG BOCK

200- A SIGLA RBHA SIGNIFICA:

A- REGISTRO BRASILEIRO DE HABILITAO AERONUTICO

B- REGULAMENTOS BRASILEIROS DE HABILITAO AERONUTICO

C- REGISTRO BRASILEIRO DE HABILITAO AEROVIRIO

201- AS HORAS DE VO DE UMA AERONAVE SO REGISTRADAS NO :

A- MANUAL DE CONTROLE HORRIO

B- MANUAL DE REVISO

C- LOG BOCK

D- TIME LIMITE

202- AS PUBLICAES NO SISTEMA ATA 100 SO IDENTIFICADOS POR:

A- SEU NMERO DE SRIE

B- SEU NMERO DE CTALOGO

C- SEU TTULO

D- SUA COR E DATA

FERRAMENTAS

203- O MEDIDOR DE DUREZA PROJETADO PARA SER USADO EM MATERIAIS MACIOS COMO COBRE, ALUMNIO , LATO E OUTROS SO CHAMADOS DE :

A- ROCKEL

B- DURMETRO

C- DURMETRO

D- BARCOL

204- A CHAVE DE FENDA QUE POSSUI A LARGURA DA PONTA MAIOR QUE O DIMETRO DA HASTE A :

A- CHAVE DE FENDA SIMPLES

B- CHAVE DE FENDA COMUM

C- CHAVE DE FENDA DUPLA

D- CHAVE DE FENDA AJUSTAVEL

205-A CHAVE DE FENDA QUE POSSUI A LARGURA DA PONTA IGUAL AO DIMETRO DA HASTE E:

A- CHAVE DE FENDA EM CRUZ

B- CHAVE DE FENDA FINA

C- CHAVE DE FENDA AJUSTVEL

D- CHAVE PHILLIPS

206- A CHAVE PHILLIPS AQUELA QUE POSSUI A PONTA ROMBUDA COM NGULOS :

A- INTERNOS CNCAVOS

B- EXTERNOS CNCAVOS

C- INTERNOS RETOS

D- EXTERNOS RETOS

207- A CHAVE DE FENDA REED PRINCE POSSUI PONTA AGUDA E NGULOS :

A- INTERNOS CNCAVOS

B- EXTERNOS CNCAVOS

C- INTERNOS RETOS

D- EXTERNOS RETOS

*O COMPRIMENTO TOTAL DESSAS CHAVES DE FENDA SO DADOS PELO COMPRIMENTO TOTAL DA HASTE.

208- O CRESCIMENTO DE UMA CHAVE DE BOCA PADRONIZADO EM :

A- 1 / 8 EM 1 / 8

B- 1/ 16 EM 1 / 16

C- 1 / 32 EM 1 / 32

D- 1 / 128 EM 1 /128

209- A CHAVE CONSTITUDA DE BOCA DE UM LADO E ESTRIAS DO OUTRO CONHECIDA COMO:

A- CHAVE MISTA OU COMBINADA

B- CHAVE CONJUGADA

C- CHAVE DUPLA

D- CHAVE SIMPLES

210- NA CHAVE MISTA OU COMBINADA, OS TAMANHOS DA BOCA E ESTRIA SO OS MESMOS , E

CRESCEM EM :

A- 1 / 8 EM 1 / 8

B- 3 / 4 EM 3 / 4

C- 1 / 16 EM 1 / 16

D-1 EM 1

211- UMA CHAVE MISTA POSSUINDO UM LADO DE 3 / 4 , O OUTRO LADO DEVER TER :

A- 1 / 4

B- 1

C- 5 / 8

D- 3 / 4

212- EM UMA CHAVE DE BOCA COM UM LADO MEDINDO 1 / 4 , O OUTRO LADO DEVER MEDIR:

A- 1 / 4

B- 3 / 8

C- 3 / 16

D- 1 / 2

213- A CHAVE AJUSTVEL QUE SEUS MORDENTES POSSUEM NGULO RETO OU 90 GRAUS EM RELAO AO CABO A :

A- CHAVE CRESCENTE

B- CHAVE INGLESA

C- CHAVE DE BOCA

D- CHAVE AMERICANA

214- O ALICATE USADO PARA CORTAR ARAMES DE SEGURANA OU FRENO , QUE OMAIS USADO PELOS MECNICOS DE AVIO O :

A- ALICATE DE BICO

B- ALICATE FRANCS

C- ALICATE BICO DE PAPAGAIO

D- ALICATE DE CORTE DIAGONAL

215- O ALICATE USADO PARA SEGURAR OBJETOS CHATOS E CIRCULARES , E CORTAR FIOS O ALICATE :

A- DE BICO

B- FRANCS OU COMBINADO

C- AMERICANO SIMPLES

D- BOMBA D`GUA

216- O PUNO USADO PARA MARCAR PONTOS EM CHAPAS METLICAS CONHECIDA COMO:

A- PUNO DE BICO

B- PUNO ESTAMPADOR

C- PUNO VASADOR

D- PUNO DE CENTRO

217- O PUNO USADO PARA FAZER FUROS EM JUNTAS O:

A- PUNO DE BICO

B- PUNO ESTAMPADOR

C- PUNO VASADOR

D-PUNO DE CENTRO

218- OS PUNES USADOS PARA MARCAES NUMRICAS OU ALFABTICAS EM PEAS :

A- PUNES VASADORES

B- PUNES ESTAMPADORES

C- PUNES SLIDOS

D- PUNES DE CENTRO

219- OS PUNES USADOS PARA INTRODUZIR OU RETIRAR PINOS O:

A- PUNO VASADOR

B- PUNO SLIDO

C- PUNO ESTAMPADOR

D- PUNO TROCA PINOS

220- O NGULO IDEAL DE CORTE DE UMA BROCA :

A- 90 (B- 60(C- 45(D- 118(221- OS MACHOS ESTO CLASSIFICADOS EM:

A- 1( CNICO , 2 ( PARALELO , 3( SEMI CNICO

B- 1( SEMI CNICO , 2( CNICO , 3( PARALELO

C- 1( CNICO , 2( SEMI CNICO , 3( PARALELO

D- 1( PARALELO , 2( CNICO , 3( SEMI- CNICO

222- O MACHO QUE SERVE PARA FAZER ROSCA AT O FUNDO DE UM ORIFCIO NO VAZADO :

A- MACHO CNICO

B- MACHO SEMI CNICO

C- MACHO SEMI PARALELO

D-MACHO PARALELO

223- PARA SE MEDIR O FUNDO DE UM FURO NO VAZADO USAMOS UM PAQUMETRO DE :

A- HASTE

B- PROFUNDIDADE

C- BICO

D- RELGIO

224- O PAQUMETRO AO SER USADO DEVE SER VISTO DE FRENTE PARA QUE EVITE UM ERRO TICO DENOMINADO:

A- TORO TICA

B- MIOPIA

C- ILUSO DE TICA

D- PARALAX

225- USA-SE PARA MEDIR DENTES DE ENGRENAGENS O PAQUMETRO :

A- DUPLO

B- SIMPLES

C- DE PROFUNDIDADE

D- DIGITAL

226- O MICRMETRO USADO EM MEDIDAS INTERNAS O :

A- DE PROFUNDIDADE

B- COM DISCOS NAS HASTES

C- IMICRO

D- INTERNAL MICROM

227- A COR DE IDENTIFICAO DE TUBOS DE COMBUSTVEL EM UMA AERONAVE O:

A- MARROM

B- AMARELO

C- AZUL / AMARELO

D- VERMELHO

228- A COR DE IDENTIFICAO DE TUBOS DE PROTEO CONTRA FOGO EM UMA AERONAVE O:

A- MARROM

B- AMARELO

C- AZUL / AMARELO

D- VERMELHO

229- A COR DE IDENTIFICAO DE TUBOS DE LEO HIDRULICO EM UMA AERONAVE O:

A- MARROM

B- AZUL / AMARELO

C- VERMELHO

D- AMARELO

230- A COR DE IDENTIFICAO DE TUBOS DE LEO LUBRIFICANTE EM UMA AERONAVE O:

A- AZUL / AMARELO

B- MARROM

C- VERMELHO

D- AMARELO

CSC COMBUSTVEL

231- A COR DA GASOLINA 100 / 130 , :

A- AZUL

B- VERMELHA

C- VIOLETA

D- AMARELA

232- O FLUXMETRO E O TOTALIZADOR RECEBEM INDICAO DE UM TRANSMISSOR INSTALADO NO / NA:

A- TANQUE

B- BOMBA AUXILIAR

C- LINHA DE COMBUSTVEL

D- LOCAL DE ABASTECIMENTO

233-A MISTURA METANOL / GUA UTILIZADO EM TURBINAS COM A FINALIDADE DE AUMENTAR O :

A- EMPUXO

B- VCUO

C- ARRASTO

D- TEMPO DE VO

234-A VLVULA DE ALIJAMENTO DE COMBUSTVEL USADA SOMENTE EM SITUAO DE:

A- EMERGNCIA

B- DESTANQUEIO

C- FALTA DE COMBUSTVEL

D- EXCESSO DE COMBUSTVEL

235-A CAPACIDADE DE SE EVAPORAR APROPRIADAMENTE DENOMINA-SE:

A- VOLATILIDADE

B- FLUIDEZ

C- ESTABILIDADE

D- DENSIDADE

236- A BOMBA AUXILIAR DE UM SISTEMA DE ALIMENTAO POR PRESSO , ACIONADA:

A- MANUALMENTE

B- POR MOTOR ELTRICO

C- HIDRAULICAMENTE

D- PELO MOTOR DO AVIO

237- QUAL DAS ALTERNATIVAS ABAIXO COMBUSTVEL SLIDO:

A- MADEIRA E CARVO

B- GASOLINA E MADEIRA

C- DIESEL E CARVO

D- MADEIRA E PEDRA

238- COMO PODEMOS DIFERENCIAR OS SEDIMENTOS FINOS DOS SEDIMENTOS GROSSEIROS ENCONTRADOS NO SISTEMA DE COMBUSTVEL :

A- FINOS MENORES QUE 5 MICRONS , GROSSEIROS MAIORES QUE 5 MICRONS

B- FINOS MENORES QUE 5 MICRONS , GROSSEIROS MAIORES QUE 10 MICRONS

C- FINOS ENTRE 1 E 10 MICRONS, GROSSEIROS MAIORES QUE 10 MICRONS

D- GROSSEIROS DE 10 MICRONS E MAIORES,FINOS MENORES QUE 10 MICRONS

239- SE A DETONAO PERSISTIR NO MOTOR , HAVER DANOS NO :

A- PISTO

B- CRTER

C- TUBO DE ADMISSO

D- EIXO DE MANIVELA

240- O INSTRUMENTO QUE INDICA A QUANTIDADE DE COMBUSTVEL EXISTENTE NOS TANQUES CHAMADO :

A- PIRMETRO

B- MICRMETRO

C- FLUXMETRO

D- LIQUIDMETRO

241- A QUEIMA ANORMAL APS A IGNIO NORMAL DENOMINADA :

A- DETONAO

B- PR IGNIO

C- ANTI IGNIO

D- ANTI INFLAMAO

242- A GASOLINA E O QUEROSENE PARA AVIAO RESULTAM DA DESTILAO DE :

A- XISTO

B- BETUME

C- PETRLEO

D- CARVO MINERAL

243- QUANDO A ALIMENTAO DE UM MOTOR FOR EXECUTADA POR TANQUE DESTINADO A SUPRIR OUTRO MOTOR , CHAMA SE DE ALIMENTAO :

A- INVERTIDA

B- CRUZADA

C- POR PRESSO

D- POR GRAVIDADE

244- PARA MOTORES CONVENCIONAIS USADOS NA AVIAO O TIPO DE BOMBA DE COMBUSTVEL MAIS USADO DE:

A- PISTES

B- PALHETAS

C- DIAFRAGMA

D- ENGRENAGENS

245- QUAL O TEMPO DE ESPERA NECESSRIO PARA FAZER A CLASSIFICAO DO VAZAMENTO DE COMBUSTVEL?

A- UMA HORA

B- DUAS HORAS

C- TRINTA MINUTOS

D- UMA HORA E TRINTA MINUTOS

246- SE O N( DE OCTANAS DE UMA GASOLINA IGUAL A 95 , SIGNIFICA QUE :

A- ELA CONTM 95% DE ISO OCTANA

B- SUA OCTANAGEM 95 VEZES MAIOR QUE A ISO OCTANA

C- SEU PODER CALORFICO 95 VEZES MAIO QUE A OCTANA

D- FUNCIONA NUM MOTOR DE MANEIRA IGUAL A DE UM COMBUSTVEL FORMADO DE 95% DE ISO OCTANA E 5% DE HEPTANA

247- A ISO- OCTANA UM LQUIDO COMBUSTVEL CUJO N( DE OCTANAGEM IGUAL A:

A- 0

B- 8

C- 80

D- 100

248- DOS GASES COMPONENTES DO AR , O RESPONSVEL PELA COMBUSTO O :

A- AZOTO

B- VAPOR D`GUA

C- HIDROGNIO

D- OXIGNIO

249- A ADIO DE CHUMBO TETRAETIL GASOLINA CAUSA :

A- AUMENTO DE VOLATILIDADE

B- AUMENTO DE PODER CALORFICO

C- AUMENTO DE PODER ANTI DETONANTE

D- DIMINUIO DO PODER ANTI DETONANTE

250- A CAPACIDADE DA GASOLINA RESISTIR DETONAO CHAMA SE :

A- PODER DETONANTE

B- NDICE DE OCTANAS

C- PODER ANTI DETONANTE

D- CAPACIDADE DETONANTE

251- A QUANTIDADE DE CALOR QUE UM COMBUSTVEL LIBERA AO QUEIMAR SE CHAMA SE:

A- RADIAO

B- PODER CALORFICO

C- MNIMO DE OCTANAS

D- PODER ANTI DETONANTE

252- A BOMBA PRINCIPAL DE UM SISTEMA DE ALIMENTAO POR PRESSO ACIONADA:

A- MANUALMENTE

B- POR MOTOR ELTRICO

C- HIDRULICAMENTE

D- PELO MOTOR DO AVIO

253- O COMBUSTVEL DEVER SER LIMITADO A UMA ETAPA , CONSIDERADO COMO:

A- ALTERNADO

B- EMERGNCIA

C- DE USO NO IMEDIATO

D- RECOMENDADO

254- QUANDO A PRESSO DE COMBUSTVEL COMEA A CAIR , APARECE NO PAINEL UMA LUZ DE COR:

A- AZUL

B- ROXA

C- BRANCO

D- VERMELHA

255- OS TANQUES QUE FAZEM PARTE DA ESTRUTURA DA ASA , SO CHAMADOS:

A- EXPANSO

B- INTEGRAIS

C- METLICOS

D- BANHEIRA INTEGRAL

256- A VOLATILIDADE DA GASOLINA PODE SER CONSIDERADA :

A- ALTA

B- NULA

C- BAIXA

D- REGULAR

257- A REGIO MAIS FRIA DO CARBURADOR EST LOCALIZADA NO / NA:

A- CUBA

B- SADA DO AR

C- TUBO DE VENTURI

D- ENTRADA DO JICLEAR

258 NO TANQUE PRESSURIZADO , O SUSPIRO FEITO ATRAVS DE PRESSO MANDADA PELO :

A- MOTOR

B- AR EXTERNO

C- AR ATMOSFRICO

D- PRESSO BAROMTRICA

259-PARA RETER A GUA QUE A GASOLINA PODER TER DEVE- SE DURANTE O ABASTECI- MENTO , FILTRA LO COM:

A- PANO

B- PAPEL

C- CAMURA

D- PAPELO

260- A FIM DE COMBATER A CORROSO NOS TANQUES DE LIGA DE ALUMNIO , USA SE:

A- CLORETO DE SDIO

B- SULFATO DE COBRE

C- SULFATO DE ALUMNIO

D- BICROMATO DE POTSSIO

261- O PRIST UM PRODUTO USADO NO REBAIXAMENTO CRIOGNICO COM AO DE:

A- CONGELAR

B- RESFRIAR

C- ANTI TRMICO

D- ANTI CONGELANTE

262- UM COMBUSTVEL MEDIDO NAS ASAS DOS AVIES POR:

A- VARETAS E VISORES

B- INDICADORES E VARETAS

C- VISORES E INDICADORES

D- INDICADORES E MOSTRADORES

263- OS FILTROS DE COMBUSTIVEL PODEM SER DO TIPO :

A- PANO / CAMURA

B- CAMURA / PAPEL FILTRANTE

C- TELA / PAPEL FILTRANTE / DISCO

D- PAPEL FILTRANTE / CAMURA / TELA

264- NO PERNOITE ACONSELHVEL DEIXAR OS TANQUES CHEIOS DE COMBUSTVEL , PARA:

A- EVITAR A DECANTAO DA GASOLINA

B- REDUZIR A EVAPORAO DA GASOLINA

C- EVITAR O BALANO DA GASOLINA NO TANQUE

D- REDUZIR A CONTAMINAO DA GASOLINA PELA GUA

265- DURANTE A PARTIDA DOS MOTORES , O COMBUSTVEL NA MAIORIA DOS AVIES FORNECIDO PELA BOMBA AUXILIAR , PORQUE A BOMBA PRINCIPAL :

A- NO GIRA

B- TEM POUCA CAPACIDADE

C- EST FORA DE CIRCUITO

D- NO USADA NAS PARTIDAS

266- PARA FACILITAR A PARTIDA DOS MOTORES , O SISTEMA DE GASOLINA POSSUI :

A- FILTRO

B- PRIMER

C- ARRANQUE

D- CARBURADOR

267- A MELHOR MANEIRA DE SE EVITAR PROBLEMAS CAUSADAS PELA GUA NO COMBUSTVEL :

A- DRENANDO O TANQUE

B- ESVAZIANDO O TANQUE

C- DEIXANDO O TANQUE ABERTO

D- ACRESCENTANDO GASOLINA

268- OS TIPOS DE TANQUES USADOS NAS AERONAVES SO :

A- DE BORRACHA , METAL E INTEGRAL

B- DE BORRACHA , REMOVVEL , METAL

C- CLULA , SECO , MOLHADO

269- A MISTURA 12 : 1 :

A- POBRE

B- RICA

C- DETONANTE

D- NORMAL

270- OS COMBUSTVEIS QUEROSENE E O DESTILADO DE FRAO , USADOS EM MOTORES A REAO , SO DENOMINADOS RESPECTIVAMENTE :

A- JP2 E JP5

B- JP2 E JP6

C- JP1 E JP5

D- JP1 E JP4

271- NO ABASTECIMENTO DE UMA AERONAVE , OS PROCEDIMENTOS DE ENCOSTAR O BICO DA MANGUEIRA NO BOCAL DO TANQUE E ATERRAR A AERONAVE TEM POR FINALIDADE EVITAR O / A:

A- CONTAMINAO DO COMBUSTVEL

B- INTERRUPO DO ABASTECIMENTO

C- INDICAO INCORRETA DA QUANTIDADE DE COMBUSTVEL

D- INCNDIO PROVOCADO POR CENTELHA

272- A POSIO DO MOTOR EM RELAO AO TANQUE DE COMBUSTVEL NO SISTEMA DE GRAVIDADE :

A- EST MAIS ALTO QUE O TANQUE

B- EST MAIS BAIXO QUE O TANQUE

C- EST NA MESMA ALTURA

D- NENHUMA DAS OPES ACIMA

273- A FINALIDADE DA BOMBA MANUAL OU PRIMER :

A- INJETAR COMBUSTVEL NO MOTOR DURANTE A ATERRISSAGEM

B- INJETAR COMBUSTVEL NO MOTOR DURANTE A DECOLAGEM

C- INJETAR COMBUSTVEL NO MOTOR DURANTE A PARTIDA

D- INJETAR COMBUSTVEL NO MOTOR DURANTE UMA EMERGNCIA

274- O EXCESSO DE PRESSO DA BOMBA PRINCIPAL DE UM MOTOR CONVENCIONAL DESCARREGADO ATRAVS DE :

A- VLVULA DE CORTE

B- VLVULA DE ALVIO

C- VLVULA SELETORA

D- VLVULA CRUZADA

275- A VLVULA QUE SERVE PARA INTERROMPER O SUPLEMENTO DE COMBUSTVEL A VLVULA:

A- SELETORA

B- DE CORTE

C- CRUZADA

D- DE ALVIO

276- A VLVULA QUE PERMITE O COMBUSTVEL DE UMA SEMI ASA ALIMENTAR O MOTOR NA OUTRA SEMI ASA A VLVULA :

A- SELETORA

B- CRUZADA

C- DE ALVIO

D- DE CORTE

277- O SISTEMA DE INDICAO DE COMBUSTVEL PODE SER :

A- VISOR ,MECNICO TIPO BIA, ELTRICO E ELETRNICO

B- VISOR E ELTRICO

C- ELETRNICO , ELTRICO E MANUAL

D- TIPO BIA

278- O APARELHO QUE SERVE PARA MEDIR A PRESSO DE COMBUSTVEL O:

A- LIQUIDMETRO

B- FLUXMETRO

C- MANMETRO

D- TUBO DE BOURDON

279- O APARELHO USADO PARA MEDIR A QUANTIDADE DE COMBUSTVEL O :

A- LIQUIDMETRO

B- MANMETRO

C- FLUXMETRO

D- BARMETRO

280- O FLUXMETRO SERVE PARA:

A- MEDIR A QUANTIDADE REMANESCENTE DE COMBUSTVEL NO TANQUE

B- MEDIR A PRESSO DE LEO

C- MEDIR O CONSUMO DE COMBUSTVEL

D- MEDIR A PRESSO DE COMBUSTVEL

281- A UNIDADE DE MEDIDA DE UM MANMETRO :

A- SPI

B- IPS

C- PSI

D- PIS

282- A UNIDADE DE MEDIDA DO FLUXMETRO :

A- LITROS /HORA

B- LIBRAS / HORA

C- GRAMA / HORA

D- METROS / HORA

283- ANTES DE SOLDAR UM TANQUE DE COMBUSTVEL DEVE SE ANTERIORMENTE :

A- DRENAR

B- ENCHE LO COM GUA

C- DRENAR E ATERRA LO

D- DRENAR E NEUTRALIZA-LO COM CO (284- QUAL O TEMPO DE ESPERA NECESSRIO PARA CLASSIFICAR-MOS UM VAZAMENTO DE COMBUSTVEL:

A- 60 MINUTOS

B- 30 MIN

C- 30 SEGUNDOS

D- DEPENDE DO VAZAMENTO

285- O ADITIVO QUE SE DEVE USAR PARA EVITAR CARGAS ELTRICAS O / A:

A- ASA MASTER

B- ASA 1

C- LUBRAX

D- ASA 3

286- PARA EVITAR GELO NO COMBUSTVEL , UTILIZA-SE O ADITIVO :

A- ASA 3

B- PRIST

C- FIRST

D- JP 4

287- NOS MOTORES CONVENCIONAIS, A BOMBA PRINCIPAL MAIS COMUM A DE PALHETAS E

EM MOTORES A REAO A DE :

A- JATO

B- ENGRENAGENS

C- SUCO

D- GRAVIDAE

SHL / SRO SISTEMA DE HLICE E ROTORES

288- QUAL A PRINCIPAL FINALIDADE DE UMA HLICE ?

A- DAR SUSTENTAO A AERONAVE

B- AUMENTAR O FLUXO DE AR DE REFRIGERAO NA NACELE DO MOTOR

C- ABSORVER A POTNCIA FORNECIDA PELO MOTOR E TRANSFORMA-LA EM TRAO

D- ELIMINAR O ARRASTO PRODUZIDO PELA AERONAVE

289- QUAL A UNIDADE DOS SISTEMAS DE HLICES, QUE TEM POR FINALIDADE CONTROLAR OS NGULOS DAS PS , PARA QUE A VELOCIDADE DE GIRO DO MOTOR PERMANEA CONSTANTE :

A- MANETE

B- ACELERADOR

C- CONTRA PESOS

D- GOVERNADOR

290- A DISTNCIA REAL PERCORRIDA POR UMA HLICE CHAMADA DE PASSO :

A- EFETIVO

B- RECUADO

C- GEOMTRICO

D- INVARIVEL

291- UMA HLICE DEVE TER NO MNIMO:

A- UMA P

B- TRS PS

C- DUAS PS

D- 4 PS

292- HLICE PROPULSORA AQUELA QUE:

A- SUAS PS FICAM ATRS DO MOTOR

B- SUAS HLICES FICAM NA FRENTE DO MOTOR

C- SUAS PS SO DE GRANDE COMPRIMENTO E LARGURA

D- A BASE DA P FICA CONECTADA ARANHA ATRAVS DE ROLAMENTOS

293- AS ESTAES DE UMA P SO DIVIDIDAS EM :

A- 2 EM 2 POLEGADAS

B- 4 EM 4 POLEGADAS

C- 6 EM 6 POLEGADAS

D- 8 EM 8 POLEGADAS

294- PARA QUE UMA HLICE NO SOFRA O FENMENO DA FLUTUAO , ELA DEVE SER :

A- FINA

B- DE MADEIRA

C- DE LIGA DE ALUMNIO

D- RGIDA

295- COMO SE CHAMA A LINHA IMAGINRIA QUE LIGA O BORDO DE ATAQUE AO BORDO DE FUGA DA P:

A- CORDA

B- COMPRIMENTO DA P

C- LINHA BSICA DE REFERNCIA

D- LINHA CENTRAL DA P

296- A FORA ABSORVIDA PELA TRAO DE UMA HLICE , IGUAL TRAO VEZES A / O:

A- VELOCIDADE DA AERONAVE

B- ARRASTO DE TODA A AERONAVE

C- SUSTENTAO DAS ASAS

D- COMPRIMENTO DA HLICE

297- QUAL A DEFINIO DE NGULO DE ATAQUE DA P:

A- FORMADO ENTRE O EIXO LONGITUDINAL DA AERONAVE E A TRAO

B- FORMADO ENTRE A CORDA E O VENTO RELATIVO DA P

C- FORMADO ENTRE A FACE DA P E O LADO DA CAMBRA

D- FORMADO ENTRE A CORDA E O PLANO VERTICAL DE GIRO DAS PS

298- AS LTIMAS 6 POLEGADAS DA P RECEBEM O NOME DE :

A- BASE DA P

B- BORDO DE ATAQUE

C- LADO DA CAMBRA

D- PONTA DA P

299- A FORA QUE TENDE A LEVAR AS PS PARA NGULOS MNIMOS CHAMADA DE :

A- EMPUXO

B- FORA CENTRFUGA

C- FORA DE TORO CENTRFUGA

D- FORA DE TORO AERODINMICA

300- AS HLICES PROJETADAS PARA MAIOR EFICINCIA A UMA DETERMINADA ROTAO E VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO SO AS :

A- EMBANDEIRVEIS

B- DE PASSO FIXO E AJUSTVEIS NO SOLO

C- REVERSVEIS

D- DE GRANDE ESPESSURA E POUCO COMPRIMENTO

301- AS HLICES CUJOS NGULOS S PODEM SER AJUSTADOS QUANDO AS MESMAS NO ESTIVEREM GIRANDO , SO CHAMADAS DE :

A- VELOCIDADE CONSTANTE

B- AJUSTVEIS NO SOLO

C- AJUSTVEIS EM DESLOCAMENTO

D- AJUSTVEIS EM TRANSLADO

302- OS GOVERNADORES DE HLICE SO ACIONADOS NA MAIORIA DOS CASOS PELO / PELA:

A- PILOTO

B- HLICE

C- EIXO DE MANIVELAS DO MOTOR

D- COMPARTIMENTO

303- DURANTE UM MERGULHO , EM UMA HLICE DE VELOCIDADE CONSTANTE , O QUE ACONTECE COM O NGULO DAS PS , PARA QUE A MESMA NO AUMENTE SUA ROTAO?

A- DIMINUIRO

B- AUMENTARO

C- MODIFICARO

D- NO MODIFICARO

304- O LEO USADO NO SISTEMA DE MUDANA DE PASSO , NA MAIORIA DOS SISTEMAS O MESMO USADO :

A- NO MOTOR

B- NA CAIXA HIDRULICA

C- NO COMPARTIMENTO DE FORA

D- NO SISTEMA DE TREM DE POUSO

305- AUMENTANDO SE O NGULO DA P , O QUE OCORRER COM A SUSTENTAO (TRAO) E O ARRASTO DA P ?

A- AUMENTARO

B- DIMINUIRO

C- SOMENTE A TRAO AUMENTAR

D- SOMENTE O ARRASTO AUMENTAR

306- UMA HLICE DE VELOCIDADE CONSTANTE MANTM O MXIMO DE EFICINCIA DURANTE O VO , POR QUE ISTO ACONTECE ?

A- O PILOTO AJUSTA SEUS NGULOS NO SOLO ANTES DO VO

B- POR QUE ELAS SO MAIORES EM COMPRIMENTO

C- POR QUE ELA DISPARA SE A CAMADA DE AR ESTIVER DENSA

D- ELA PERMITE UMA MUDANA NO PASSO OU NGULO DA P, ENQUANTO ESTIVER GIRANDO

307- QUAL O TIPO DE PROTEO USADO NO BORDO DE ATAQUE DAS PS DE MADEIRA:

A- BORRACHA

B- ALUMNIO

C- FRISO DE COBRE

D- FRISO DE AO INOXIDVEL

308- ALGUMAS VANTAGENS DAS HLICES DE PASSO FIXO DE METAL EM RELAO AS DE MADEIRA SO:

A- MAIS LEVES , CUSTO BAIXO DE MANUTENO , MAIOR EFICINCIA DE REFRIGERAO

B- MAIS LEVES , MAIS RESISTENTES ,MAS SEM EFICINCIA DE REFRIGERAO

C- MAIS PESADAS , ALTO CUSTO DE MANUTENO

D- MAIS PESADAS, CUSTO BAIXO DE MANUTENO , MAIOR EFICINCIA DE REFRIGERAO

309- O CONJUNTO HIDRULICO DE MUDANA EST MONTADO EM QUAL POSIO NO SISTEMA ?

A- ATRS DO MOTOR

B- AO LADO DA CAIXA DE REDUO

C- NA PARTE TRASEIRA DO CILINDRO DE ATUAO

D- NA PARTE FRONTAL DA ARANHA DO CUBO

310- QUANDO O LEO DRENADO DO SISTEMA DE MUDANA DO PASSO DA HLICE, O QUE ACONTECE COM O NGULO DAS PS?

A- AUMENTAM

B- DIMINUEM

C- FICAM OSCILANDO

D- NO SE ALTERAM

311- POR MEDIDA DE SEGURANA , DURANTE A ATERRISSAGEM , OS NGULOS DAS PS DA HLICE SO MANTIDOS NA POSIO DE :

A- PASSO MNIMO

B- PASSO MXIMO

C- PASSO BANDEIRA

D- NGULO NULO

312- DURANTE O VO CRUZEIRO , QUE O VO ECONMICO , OS NGULOS DAS PS SO AJUSTADOS PARA O :

A- MNIMO

B- MXIMO DE VO

C- NULO OU ZERO

D- BANDEIRA

313- QUAL A NICA AO CONTROLADA MANUALMENTE NO GOVERNADOR DE VELOCIDADE ?

A- A ROTAO DOS CONTRA PESOS

B- O POSICIONAMENTO DA CREMALHEIRA DE VELOCIDADE

C- O RETORNO DO LEO DO SERVO MECANISMO

D- A ABERTURA DA VLVULA DE SOBRE PRESSO

314- EM QUAL FASE USADO O NGULO REVERSO :

A- NO VO CRUZEIRO

B- NA DECOLAGEM

C- DURANTE O TAXI

D- APS O POUSO

315- QUANDO O CENTRO DE GRAVIDADE DA HLICE NO COINCIDE COM O EIXO DE ROTAO ,

DIZEMOS QUE H UM DESBALANCEAMENTO :

A- ESTTICO

B- DINMICO

C- AERODINMICO

D- GEOMTRICO

316- PARA SE VERIFICAR OS NGULOS DAS PS , ESTANDO ESSAS INSTALADAS NO MOTOR OU EM BANCADA , QUAL TIPO DE FERRAMENTA USADO :

A- PRUMO

B- NVEL

C- TRANSFERIDOR UNIVERSAL

D- BALANA ELETRNICA

317- O QUE SE DEVE FAZER SE UMA HLICE FOR ENVOLVIDA EM ALGUM ACIDENTE :

A- DESMONTADA E INSPECIONADA

B- SUBSTITUDA

C- TROCADA APENAS UMA P

D- NADA

318- A FORA CENTRFUGA AGINDO EM UMA P DE HLICE DE UMA AERONAVE LEVE ,EST COMPREENDIDA NA ORDEM DE:

A- 5 TONELADAS

B- 2 NEWTONS

C- 25 TONELADAS

D- NO H COMO CALCULAR

319- PARA EVITAR SUPERAQUECIMENTO DOS ELEMENTOS DE UM SISTEMA DE DEGELO ELTRICO , O MESMO DEVER SER LIGADO APENAS:

A- EM BANCADA

B- QUANDO A HLICE ESTIVER GIRANDO

C- NO SOLO , SEM LIMITE DE TEMPO

D- DURANTE O TAXI

320- SEMPRE QUE A MOLA DE EMBANDEIRAMENTO SE DISTENDER , SIGNIFICA QUE A HLICE EST CAMINHANDO PARA O NGULO :

A- REVERSO

B- BANDEIRA

C- DE DECOLAGEM

D- DE MXIMA RPM

321- PARA FAZER UM BALANCEAMENTO ESTTICO , A BANCADA DEVE ESTAR EM UM LOCAL:

A- ABERTO

B- FECHADO

C- LIVRE DE CORRENTE DE AR

D- QUALQUER LOCAL

322- QUAIS OS MTODOS USADOS PARA FAZER O BALANCEAMENTO ESTTICO :

A- SIMPLES E ELETRNICO

B- SUSPENSO E ELETRNICO

C- SUSPENSO E FIO DE FACA

D- FIO DE FACA E ELETRNICO

323- AS LIGAS DE ALUMNIO PERMITEM RECOLOCAR EM USO CERCA DE ____ DAS PS QUE SOFRERAM ACIDENTES

A- 50%

B- 60%

C- 70%

D- 90%

324- O QUE LINHA CENTRAL DE UMA P ?

A- DIVIDE A P TEORICAMENTE NO SENTIDO LONGITUDINAL

B- DISTNCIA DA FACE DA BASE AT A SUA PONTA

C- O MESMO QUE LINHA BSICA DE REFERNCIA

D- O MESMO QUE RAIO DA HLICE

325- COMO SE DEFINE O RAIO DA HLICE ?

A- DISTNCIA MEDIDAS ENTRE AS PONTAS DA P

B- DISTNCIA DA FACE DA BASE DA P AT A SUA PONTA

C- DISTNCIA QUE VAI DA LINHA BSICA DE REFERNCIA PONTA DA P

D- SERVE COMO EIXO DE ROTAO PARA A MUDANA DE NGULOS

326- O QUE LARGURA DA P ?

A- A DISTNCIA DO BORDO DE ATAQUE AO BORDO DE FUGA NA SUA MAIOR EXTENSO

B- DISTNCIA DA FACE DORSAL , AT A FACE VENTRAL

C- O MESMO QUE O COMPRIMENTO DA P

D- DISTNCIA DA LINHA BSICA DE REFERNCIA AT A PONTA DA P

327 QUAL A FINALIDADE PRIMRIA DA BAINHA DAS PS ?

A- DAR ACABAMENTO HLICE

B- FORNECER MAIOR TRAO

C- DIMINUIR O FLUXO DE AR DE REFRIGERAO DA NACELE DO MOTOR

D- AUMENTAR O FLUXO DE AR DE REFRIGERAO DA NACELE DO MOTOR

328- PARA QUE UMA HLICE POSSA FORNECER UM MXIMO DE EFICINCIA , A VELOCIDADE NAS PONTAS DAS PS DEVE SER :

A- IGUAL A BASE

B- MENOR QUE A VELOCIDADE DO SOM

C- MAIOR QUE A VELOCIDADE DO SOM

329- DURANTE A DECOLAGEM , QUAL O MELHOR NGULO E MELHOR ROTAO A SEREM USADOS:

A- NGULO MXIMO E MXIMA ROTAO

B- NGULO MNIMO E MXIMA ROTAO

C- NGULO BANDEIRA E MNIMA ROTAO

D- NGULO REVERSO E MXIMA ROTAO

330- O TRABALHO PRODUZIDO PELA TRAO DA HLICE IGUAL A / AO:

A- PESO

B- MOMENTO

C- TRAO VEZES A DISTNCIA PERCORRIDA PELA AERONAVE

D- NO H TRABALHO

331- EM VO RETO E NIVELADO , A TRAO PRODUZIDA PELA HLICE IGUAL AO:

A- PESO DA AERONAVE

B- SUSTENTAO PRODUZIDA PELA AERONAVE

C- RECUO DA HLICE

D- ARRASTO PRODUZIDO PELA A AERONAVE

332- A EFICINCIA DE UMA HLICE PODE VARIAR DE :

A- 20% SEM RECUO

B- 95% A 100% COM RECUO

C- IGUAL A FORA PRODUZIDA PELO MOTOR

D- 50% A 87% DEPENDENDO DE QUANTO A HLICE RECUA

333- A FORA QUE TENDE A DOBRAR AS PONTAS DAS PS PARA FRENTE, ENQUANTO A AERONAVE PUXADA PARA FRENTE ATRAVS DO AR , CHAMADA DE :

A- RECUO

B- FORA DE FLEXO DE EMPUXO

C- FORA CENTRPEDA

D- FORA CENTRFUGA

334- O QUE NGULO DA P OU NGULO DE INCIDNCIA :

A- FORMADO ENTRE A CORDA E O PLANO DE ROTAO

B- FORMADO ENTRE A CORDA E O VENTO RELATIVO

C- FORMADO ENTRE A CORDA E O BORDO DE ATAQUE

D- FORMADO NO MERGULHO DA AERONAVE

335- O LADO MAIS ARQUEADO DA P , ONDE AS PRESSES AERODINMICAS SO MENORES , CONHECIDO COMO:

A- CORDA

B- BORDO DE FUGA

C- BORDO DE ATAQUE

D- LADO DA CAMBRA

336- QUAL A PARTE QUE PRIMEIRO ENTRA EM CONTATO COM A MASSA DE AR QUANDO A HLICE GIRA :

A- CORDA

B- BORDO DE FUGA

C- LADO DA CAMBRA

D- BORDO DE ATAQUE

337- QUAL A DEFINIO DE FORA DE FLEXO DE TORQUE :

A- TENDE A TRAVAR AS PS

B- TENDE A ARRANCAR AS PS DO CUBO

C- TENDE A DOBRAR AS PONTAS DAS PS

D- TENDE A DOBRAR AS PS NA DIREO OPOSTA DIREO DE ROTAO

338- UMA HLICE UM AEROFLIO TORCIDO DE FORMATO :

A- INVARIVEL

B- REGULAR

C- IRREGULAR

D- HELICOIDAL

339- COMO CHAMADA A PARTE GROSSA E CIRCULAR DA P , DESTINADA A DAR RESISTNCIA MESMA:

A- FLANCO

B- ALMA

C- RAIZ SEO

340- O NGULO DE ATAQUE DE UMA P PODE TAMBM VARIAR COM A / O:

A- VELOCIDADE

B- CONSUMO

C- ARRASTO

D- PESO

341- PARA AS AERONAVES LEVES, SO USADAS HLICES DE :

A- FIBRA

B- CARBONO

C- PASSO FIXO

D- VELOCIDADE VARIVEL

342- AS HLICES QUE PERMITEM OS AJUSTES DE SEUS NGULOS ENQUANTO AS MESMAS ESTIVEREM GIRANDO , SO CONHECIDAS COMO:

A-PASSO FIXO

B-PASSO CONTROLVEL

C-PASSO ABERTO

D-PASSO DE MADEIRA

343- AS HLICES DE PASSO FIXO SO GERALMENTE FEITAS DE UMA NICA PEA DE :

A- MADEIRA OU LIGA DE ALUMNIO

B- MADEIRA OU AO INOXIDVEL

C- FIBRA DE VIDRO E MADEIRA

D- AO INOXIDVEL E FIBRA DE VIDRO

344- GRANDE PARTE DOS MECANISMOS DE MUDANA DE PASSO OPERAM COM:

A- PRESSO DE COMBUSTVEL

B- ENERGIA ELTRICA

C- PRESSO ATMOSFRICA

D- PRESSO DE LEO

345- A PRESSO DE LEO PARA O SISTEMA DE MUDANA DE PASSO MAIOR QUE A USADA PARA A LUBRIFICAO DO MOTOR ,ONDE EST LOCALIZADA A BOMBA QUE AUMENTA A PRESSO DE LEO PARA O SISTEMA DE MUDANA DE PASSO:

A- NA ARANHA

B- NO CORPO DO GOVERNADOR

C- NA CPULA DA HLICE

D- NO BERO DO MOTOR

346- COMO O MOTOR MANTENDO A MESMA POTNCIA , SE OCORRER UMA DIMINUIO NO NGULO DA HLICE , O QUE OCORRER COM A ROTAO DA MESMA :

A- AUMENTAR

B- DIMINUIR

C- IR PARAR

D- FICAR INALTERADA

347- PARA A PROTEO CONTRA A UMIDADE EM UMA HLICE DE MADEIRA , QUAL O TIPO DE PROTEO USADO NAS MESMAS :

A- LEO

B- SABO NEUTRO

C- TINTA

D- VERNIZ CLARO E IMPERMEVEL

348- UM ARTIFCIO USADO PARA FACILITAR O AUMENTO DO NGULO DAS PS DURANTE O GIRO :

A- DIMINUIR O RAIO DA HLICE

B- COLOCAO DE CONTRA- PESOS NAS PS

C- AUMENTAR A LARGURA DA P

D- AUMENTAR A PRESSO DE LEO

349- AS PS DAS HLICES DE VELOCIDADE CONSTANTE SO MONTADAS COM AJUSTES ANGULARES EM UMA PEA CHAMADA DE :

A- SPINNER

B- SOCO DA P

C- ARANHA DO CUBO

D- BATENTE PRIMRIO

350- A FORA CENTRFUGA EM UMA P DE HLICE DE UMA AERONAVE LEVE EST COMPREENDIDA NA ORDEM DE :

A- 2 NEWTONS

B- 5 TONELADAS

C- 25 TONELADAS

D- NO H COMO CALCULAR

351- NO MOMENTO EM QUE A VLVULA PILOTO DO GOVERNADOR MOVE-SE PARA A POSIO MAIS BAIXA , O QUE OCORRE COM O LEO DO SISTEMA E COM O NGULO DAS PS RESPECTIVAMENTE:

A- CAI A PRESSO / OS NGULOS AUMENTAM

B- VOLTA PARA O MOTOR / OS NGULOS DIMINUEM

C- VAI SOB PRESSO PARA O CILINDRO / OS NGULOS DIMINUEM

D- VAI SOB PRESSO PARA O CILINDRO / OS NGULOS NO SE ALTERAM

352- QUANDO O NGULO DA P DA HLICE DE VELOCIDADE CONSTANTE ESTIVER INALTERADO DURANTE O VO, ISTO SIGNIFICA QUE A FORA CENTRFUGA ATUANDO NOS CONTRA PESOS DO GOVERNADOR EST IGUAL A:

A- PRESSO DE LEO

B- TENSO DA MOLA DE VELOCIDADE

C- FORA CENTRFUGA NAS PS

D- TENSO DA MOLA DE EMBANDEIRAMENTO

353- DURANTE A ATERRISSAGEM O PILOTO PODE COLOCAR O NGULO DAS PS EM POSIO TAL ,QUE ELAS AGEM COMO UM REDUTOR DE VELOCIDADE DA AERONAVE ,COMO CHAMADO ESSE NGULO ?

A- MXIMO

B- MNIMO

C- BANDEIRA

D- ZERO OU NULO

354- QUANDO AS PS ESTO PERFILADAS COM O VENTO RELATIVO DA AERONAVE ,DIZEMOS QUE AS PS ESTO NO NGULO :

A- MXIMO

B- BANDEIRA

C- MNIMO

D- ZERO OU NULO

355- SEMPRE QUE A MOLA DE EMBANDEIRAMENTO SE DISTENDER ,SIGNIFICA QUE A HLICE EST CAMINHANDO PARA O NGULO:

A- REVERSO

B- BANDEIRA

C- DE DECOLAGEM

D- DE MXIMA RPM

356- O MELHOR MTODO PARA SE FAZER A LIMPEZA DAS PS DE UMA HLICE DE MADEIRA USAR:

A- SOLVENTE E PALHA DE AO

B- SOLVENTE, PINCEL E PANO

C- GUA MORNA, SABO SUAVE E PALHA DE AO

D- GUA MORNA ,SABO SUAVE COM PINCEL E PANO

357- QUAIS SO OS MTODOS USADOS PARA SE FAZER O BALANCEAMENTO ESTTICO E QUAL O MAIS USADO:

A- SUSPENSO E FIO DE FACA /MAIS USADO O FIO DE FACA

B- POR COMPRESSO E SUSPENSO / MAIS USADO O SUSPENSO

C- FIO DE FACA E DILATAO / MAIS USADO E O DILATAO

D- SUSPENSO E FIO DE FACA / MAIS USADO O SUSPENSO

358- QUAL A PEA CONSIDERADA A PEA BASE DE UMA HLICE E QUAL A SUA FINALIDADE :

A- CUBO OU ARANHA / FIXA A HLICE AO EIXO DO MOTOR

B- CUBO OU ARANHA / FIXA A BRAADEIRA HASTE DO PASSO

C- SPNNER / DA FORMATO AERODINMICO E PROTEGER O CONJUNTO

D- COLAR GUIA / FRENAR O CILINDRO

359- O PROCESSO DE DETERMINAR A POSIO DAS PONTAS DAS PS RELATIVAMENTE UMA COM AS OUTRAS ,RECEBE A DENOMINAO DE :

A- CAMBAGEM

B- BALANCEAMENTO DAS PS

C- CENTRALIZAO DAS PS

D- INSPEO PROGRAMADA

360- O QUE PODER OCORRER SE UMA HLICE ESTIVER DESBALANCEADA:

A- NO IR GIRAR

B- SER UMA FONTE DE VIBRAO

C- IR PARA NGULOS MAIORES

D- IR PARA NGULOS MENORES

361- QUANDO AS PS DAS HLICES ESTIVEREM FORNECENDO TRAES DIFERENTES ,DIZE-MOS QUE H UM DESBALANCEAMENTO:

A- ESTTICO

B- ESTRUTURAL

C- AERODINMICO

D- DO CENTRO DE GRAVIDADE

362- DURANTE A MONTAGEM DE UM CONJUNTO DE HLICE, DEVEMOS TER O CUIDADO DE MONTAR AS PS :

A- NA VERTICAL

B- NA HORIZONTAL

C- COM O MESMO TIPO DE LIGAS

D- COM OS TIPOS DE LIGAS DIFERENTES

363- COMO CHAMADA A LINHA IMAGINRIA QUE SERVE COMO BASE PARA SE DETERMINAR AS ESTAES DA P:

A- RAIO DA HLICE

B- COMPRIMENTO DA P

C- LINHA BSICA DE REFERNCIA

D- LINHA CENTRAL DA P

364- PARA A INSPEO NAS PARTES MAGNTICAS DO CONJUNTO DA HLICE, UTILIZAMOS QUAL MTODO:

A- POR IMERSO

B- ESMERILHAMENTO

C- LQUIDOS PENETRANTES

D- POR PARTCULAS MAGNTICAS

365- QUAL A FINALIDADE PRIMRIA DA BAINHA DAS PS:

A- DAR ACABAMENTO HLICE

B- FORNECER MAIOR TRAO

C- AUMENTAR O FLUXO DE AR DE REFRIGERAO DA NACELE DO MOTOR

D- DIMINUIR O FLUXO DE AR DE REFRIGERAO DA NACELE DO MOTOR

366- PARA A CORREO DO EFEITO DE TORQUE PROVOCADO NA ESTRUTURA DAS AERONAVES DE ASAS ROTATIVAS DE CONFIGURAO SIMPLES ,DESENVOLVEU-SE UM COMPONENTE DENOMINADO :

A- ROTOR PRINCIPAL

B- ROTOR DE CAUDA

C- EIXO CURTO

D- CAIXA DE 90(367- O NOME DADO AO SISTEMA DE DOIS ROTORES INDEPENDENTES (CADA UM COM SEU EIXO), CUJAS AS ROTAES SO EM SENTIDOS OPOSTOS :

A- JATO

B- CONTRA- ROTATIVOS

C- BSICO

D- CO AXIAIS

368- PARA A MUDANA NO SENTIDO VERTICAL ,DO VO DO HELICPTERO, TEMOS UM COMANDO QUE MODIFICA O NGULO DE ATAQUE POR IGUAL DAS PS DO ROTOR PRINCIPAL

CHAMADO:

A- PEDAIS

B- CCLICO

C- COLETIVO

D- COMPENSADOR

369- O ________ UMA AERONAVE DE ASA ROTATIVA ,QUE NO EFETUA VO PAIRADO, APENAS DECOLA E POUSA CURTO:

A- VS-300

B- SINCRPTERO

C- AUTO- GIRO

D- PLANADOR

370- COMO CHAMADA A SUPERFCIE AERODINMICA QUE FORMANDO NGULOS DIFERENTES DE 0( E 90( APROVEITA AS REAES OFERECIDAS PELO AR AO CORPO QUE NELE SE DESLOCA:

A- TUBO DE VENTURI

B- AEROFLIO

C- CORDA AERODINMICA

D- CAMBRA SUPERIOR

371- A PARTE DO AEROFLIO POR ONDE OS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO SE ESCOAM CHAMADA DE:

A- BORDO DE ATAQUE

B- BORDO DE FUGA

C- CAMBRA SUPERIOR

D- CAMBRA INFERIOR

372- A SUPERFCIE VENTRAL DO AEROFLIO , POR ONDE OS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO PASSAM COM UMA VELOCIDADE MAIS OU MENOS CONSTANTE CHAMADA DE:

A- BORDO DE FUGA

B- BORDO DE ATAQUE

C- CAMBRA SUPERIOR

D- CAMBRA INFERIOR

373- COMO CHAMADA A LINHA IMAGINRIA QUE VAI DO BORDO DE FUGA NA SUA MAIOR EXTENSO:

A- CORDA

B- LINHA MDIA

C- ENVERGADURA

D- ALONGAMENTO

374- O VENTO ______ TAMBM PODE SER CONSIDERADO COMO A VELOCIDADE DO AR EM RELAO A UM CORPO, E SEMPRE CONTRRIO TRAJETRIA DO VO:

A- AERODINMICO

B- RELATIVO

C- DE TRAVS

D- DE CAUDA

375- UM NGULO DE ATAQUE POSITIVO QUANDO:

A- O NGULO FORMADO ACIMA DOS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO

B- O NGULO FORMADO ABAIXO DOS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO

C- O NGULO FORMADO EST ACIMA DE 180(D- A CORDA EST PARALELA COM OS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO

376- UM NGULO DE ATAQUE NEGATIVO QUANDO:

A- O NGULO FORMADO ACIMA DOS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO

B- O NGULO FORMADO ABAIXO DOS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO

C- O NGULO FORMADO EST ACIMA DE 180( COM O VENTO RELATIVO

D- A CORDA EST PARALELA COM OS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO

377- A FIM DE PROPORCIONAR UMA DISTRIBUIO MAIS CONSTANTE DE SUSTENTAO AO LONGO DA ENVERGADURA ,AS PS DO ROTOR PRINCIPAL RECEBEM UM / UMA:

A- REFORO

B- TORO

C- FLEXIBILIDADE

D- ALONGAMENTO

378- EM QUAL PERFIL DE AEROFLIO O CENTRO DE PRESSO CONSIDERADO INVARIVEL COM A MUDANA DO NGULO DE ATAQUE:

A-SIMTRICO

B-ASSIMTRICO

C-CONJUGADO

D-PARALELO

379-QUAL A DEFINIO DE TRAO:

A- UMA FORA QUE VENCENDO A RESISTNCIA DO AR, IMPRIME A UM AEROFLIO UMA VELOCIDADE

B- O MESMO QUE RESISTNCIA AO AVANO

C- FORA FSICA QUE ATRAI OS CORPOS PARA O CENTRO DA TERRA

D- FORA QUE ELEVA UM CORPO DEVIDO S REAES AERODINMICAS

380- A RELAO EXISTENTE ENTRE A REA DE UMA P E A REA TOTAL DO DISCO :

A- SOLIDEZ TOTAL DE UM DISCO

B- SOLIDEZ PARCIAL DE UM DISCO

C- RAZO DE ASPECTO

C- ENVERGADURA

381- A PROJEO DO DISCO DO ROTOR PRINCIPAL SOBRE O SOLO OU UM PLANO ,RECEBE O NOME DE:

A- PLANO DE ROTAO

B- EIXO DE ROTAO

C- REA TIL DE SUSTENTAO

D- SOLIDEZ TOTAL DE UM DISCO

382- O QUE ALONGAMENTO:

A- RELAO ENTRE A ENVERGADURA E A CORDA

B- DISTNCIA DA RAIZ PONTA DA P

C- O MESMO QUE RAIO

D- DISTNCIA ENTRE AS PONTAS DAS PS

383- A FORA QUE TENDE RESISTIR PASSAGEM DE UM AEROFLIO ATRAVS DO AR CHAMADA DE:

A- PESO

B- CORDA

C- RESISTNCIA AO AVANO

D- RESISTNCIA SUSTENTAO

384- O QUE BATIMENTO OU FLAPPING :

A- MOVIMENTO VERTICAL DAS PS DE UM ROTOR , MEDIDO EM SUAS PONTAS

B- MOVIMENTO DAS PS DE UM ROTOR EM TORNO DO SEU EIXO VERTICAL

C- VARIAO DO NGULO DE ATAQUE

D- RELAO ENTRE O PESO BRUTO DA AERONAVE E A REA DO DISCO

385- O ROTOR SIMPLES TAMBM PODE SER CHAMADO DE:

A- PRIMRIO

B- BSICO

C- EM TANDEM

D- CONJUGADO

386- A UNIDADE QUE TEM POR FINALIDADE ENGRAZAR O MOTOR PARA ACIONAR ,OU DESEN-GRAZAR O MESMO EM AUTO ROTAO CHAMADA DE:

A- EIXO CURTO

B- MASTRO

C- RODA LIVRE

D- TRANSMISSO

387- O COMPONENTE QUE UNE O MOTOR TRANSMISSO CHAMADO DE:

A- LORD

B- RODA LIVRE

C- MASTRO

D- EIXO CURTO

O388- O ROTOR DE CAUDA , DE UM ROTOR SIMPLES ,EM VO PAIRADO CONSOME APROXIMA-DAMENTE ___DA POTNCIA DO MOTOR:

A- 3%

B- 4%

C- 10%

D- 20%

389- QUAL O ROTOR EM QUE A VANTAGEM PRINCIPAL A POSSIBILIDADE DE UMA GRANDE REA DE FUSELAGEM LIVRE, ALIADA A UMA GRANDE POSSIBILIDADE DE VARIAO DO CENTRO DE GRAVIDADE DO APARELHO :

A- SIMPLES

B- CO - AXIAL

C- SINCRONIZADO

D- EM TANDEM

390- O ROTOR _________________ UM TIPO DE ROTOR QUE PODE VARIAR O PASSO E CUJAS PS E CUBO SO RGIDOS AO MASTRO:

A- RGIDO

B- SEMI RGIDO

C- ARTICULADO

D- SINCRONIZADO

391- O COMANDO CCLICO EST LIGADO ATRAVS DE HASTES AO:

A- PRATO FIXO

B- PRATO ROTATIVO

C- LUVA DO COLETIVO

D- ROTOR DE CAUDA

392- QUAL A PEA QUE TEM POR FINALIDADE PRENDER AS PS:

A- GARRAS OU PUNHOS

B- CHIFRE

C- MUNHO

D- ALMOFADAS

393- AS PS DO ROTOR PRINCIPAL ESTO DIVIDIDAS EM:

A- LONGARINA PRINCIPAL , COLMEIA E BORDO DE FUGA

B- LONGARINA PRINCIPAL , PINOS E COMPENSADOR

C- COLMEIA ,PINOS E COMPENSADOR

D- COMPENSADOR , LONGARINA PRINCIPAL E BRAO DE ARRASTO

394- O CONJUNTO QUE TEM POR FINALIDADE PERMITIR A MUDANA NO PLANO DE ROTAO DO ROTOR PRINCIPAL E MUDANA DOS NGULOS DAS PS , DENOMINADO DE:

A- PRATO OSCILANTE

B- ALAVANCA DO COLETIVO

C- EIXO CURTO

D- CAIXA DE 42(395- O ARREFECIMENTO DE LEO DE LUBRIFICAO DA TRANSMISSO FEITO ATRAVS DO / DA:

A- RADIADOR

B- VENTO RELATIVO

C- VLVULA BY PASS

D- MOTOR

396- O EIXO DE ACIONAMENTO DO ROTOR DE CAUDA PODE CHEGAR AT A CAIXA DE 90( ATRAVS DOS SEGUINTES MEIOS:

A- DIRETO ,INDIRETO OU JUNTA UNIVERSAL

B- DIRETO , CAIXA INTERMEDIRIA OU JUNTA UNIVERSAL

C- INDIRETO, CAIXA INTERMEDIRIA OU JUNTA UNIVERSAL

D- INDIRETO , CAIXA MISTURADORA OU JUNTA UNIVERSAL

397- A FINALIDADE DA CAIXA DE 90( :

A- MUDAR A DIREO DO PLANO DE ROTAO DO EIXO PARA O ROTOR DE CAUDA

B- FAZER A REDUO DA ROTAO DO EIXO PARA O ROTOR DE CAUDA

C- ABRIGAR O MECANISMO DE MUDANA DO PASSO DO ROTOR DE CAUDA

D- TODAS AS ALTERNATIVAS ANTERIORES ESTO CORRETAS

398- COMO CHAMADA A PEA QUE TEM POR FINALIDADE FORNECER MAIOR ESTABILIDADE AOS COMANDOS DO HELICPTERO:

A- BARRA DE TORO E TRAO

B- BARRA ESTABILIZADORA

C- PRATO OSCILANTE

D- BARRA MISTURADORA

399- AS VIBRAES DE BAIXA FREQNCIA DO TIPO 1:1 , DIVIDEM-SE EM DOIS TIPOS:

A- VERTICAL E LONGITUDINAL

B- LONGITUDINAL E LATERAL

C- VERTICAL E LATERAL

D- LATERAL E TRANSVERSAL

400- UMA VIBRAO LATERAL DE BAIXA FREQNCIA PROVENIENTE DA DIFERENA DE __________ENTRE AS PS:

A- PESO

B- SUSTENTAO

C- COMPRIMENTO

D- LARGURA

401- AS VIBRAES DE ALTA FREQNCIA SO DECORRIDAS DE UM DESEQUILBRIO DO / DA:

A- ROTOR PRINCIPAL

B- ESTRUTURA

C- BARRA ESTABILIZADORA

D- ROTOR DE CAUDA

402- A CORREO DE UMA VIBRAO LATERAL QUE FOI DETECTADA DURANTE O VO FEITA ATRAVS DE:

A- REMOO OU COLOCAO DE CHUMBO NO PUNHO DA P OU ALINHAMENTO DA P

B- REGULAGEM NO COMPENSADOR AERODINMICO

C- REGULAGEM NA HASTE DE COMANDO DO PASSO DA P MAIS PESADA

D- REMOO OU COLOCAO DE CHUMBO NA PONTA DAS PS

403- A CORREO DE VIBRAO VERTICAL NO VO PAIRADO FEITO NO / NA _________,E EM VO COM DESLOCAMENTO FEITO NO / NA___________________________

A- COMPENSADOR / HASTE DE MUDANA DO PASSO

B- HASTE DE MUDANA DO PASSO / COMPENSADOR

C- COMPENSADOR / PINO DA P

D- PINO DA P / BRAO DE ARRASTO

404- A PEA QUE TEM POR FINALIDADE RECEBER AS PS , PRENDER O CONJUNTO DO ROTOR DE CAUDA AO EIXO DA CAIXA DE 90( E POSSUI O MOVIMENTO DE FLAPPING CHAMADA DE:

A- CUBO

B- CRUZETA

C- CREMALHEIRA

D- BATENTE ESTTICO

405- NAS AERONAVES DE ASAS ROTATIVAS ,QUAL COMPONENTE O RESPONSVEL EM PRODUZIR AS FORAS DE SUSTENTAO ,CONTROLE DE DIREO E ESTABILIDADE:

A- MASTRO

B- ROTOR DE CAUDA

C- ROTOR PRINCIPAL

D- ESTABILIZADOR HORIZONTAL

406- A TENDNCIA QUE O HELICPTERO TEM EM GIRAR EM SENTIDO CONTRRIO AO GIRO DO ROTOR PRINCIPAL ,QUANDO EM FUNCIONAMENTE O MOTOR, CONHECIDA COMO:

A- CABRAGEM

B-ROLAGEM

C-SUSTENTAO

D-TORQUE OU CONJUGADO DE REAO

407- PARA UM SISTEMA DE ROTORES ,EM QUE ELES GIRAM EM SENTIDOS OPOSTOS ,NO H A NECESSIDADE DE SER INSTALADO NA AERONAVE QUAL COMPONENTE ROTATIVO:

A- ESTABILIZADOR VERTICAL

B- ROTOR DE CAUDA

C- COMANDO COLETIVO

D- COMANDO CCLICO

408- PARA UM DADO SISTEMA ,EM QUE OS ROTORES ESTO INSTALADOS EM UM S EIXO, E QUE GIRAM EM SENTIDOS OPOSTOS ,QUAL A DENOMINAO DESTE SISTEMA:

A- EM TANDEM

B- CO-AXIAL

C- SIMPLES

D- LADO A LADO

409- O COMANDO DE MUDANA DOS NGULOS DAS PS DO ROTOR DE CAUDA,O QUAL MODIFICA A PROA DO HELICPTERO, FEITO NO/NOS:

A- MANCHE

B- PEDAIS

C- NO PUNHO DO COLETIVO

D- CCLICO

410-QUANDO NO EXISTE NGULO FORMADO ENTRE A CORDA DO AEROFLIO E OS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO,DIZEMOS QUE O NGULO CHAMADO DE:

A- ATAQUE NULO

B- INCIDNCIA NULO

C- VARIVEL

D- INVARIVEL

411- QUAL O NGULO FORMADO ENTRE A CORDA DO PERFIL DE UM AEROFLIO E O VENTO RELATIVO:

A- DE ATAQUE

B- DE INCIDNCIA

C- VARIVEL

D- DE RETARDO

412- O VENTO COM A DIREO DO DESLOCAMENTO DO AEROFLIO ,QUALQUER QUE SEJA A SUA POSIO NO ESPAO ,PORM DE SENTIDO CONTRRIO AO DESLOCAMENTO DO AERO-

FLIO , CHAMADO DE VENTO:

A- DE PROA

B- DE TRAVS

C- RELATIVO

D- DE SUPERFCIE

413- A LINHA SOBRE A QUAL VARIA O CENTRO DE PRESSO EM UM AEROFLIO ,RECEBE O NOME DE:

A- CORDA

B- ENVERGADURA

C- ALONGAMENTO

D- SUSTENTAO

414- COMO CHAMADA A SUPERFCIE DO AEROFLIO POR ONDE OS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO PASSAM COM MAIOR VELOCIDADE:

A- BORDO DE FUGA

B- CAMBRA SUPERIOR

C- BORDO DE ATAQUE

D- CAMBRA INFERIOR

415-QUAL A PARTE DO AEROFLIO QUE PRIMEIRO ENTRA EM CONTATO COM OS FILETES DE AR DO VENTO RELATIVO:

A- CORDA

B- CAMBRA SUPERIOR

C- CAMBRA INFERIOR

D- BORDO DE ATAQUE

416-OS HELICPTEROS ESTO CLASSIFICADOS COMO MQUINAS DO GRUPO:

A- V-TOL

B- S-TOL

C- W-TOL

D- Z-TOL

417- A COMPONENTE AERODINMICA QUE PERPENDICULAR AO VENTO RELATIVO EM UM AEROFLIO:

A- PESO

B- ARRASTO

C- SUSTENTAO

D- CORDA DO PERFIL

418-QUAL O PERFIL QUE POSSUI SUSTENTAO NO NGULO DE ATAQUE DE 0( :

A- SIMTRICO

B- ASSIMTRICO

C- SUSTENTAO

D- VARIVEL

419- A DISTNCIA MXIMA DA RAIZ DA P DO ROTOR AT A PONTA ,MEDIDA DE CENTRO A CENTRO, RECEBE O NOME DE:

A- RAIO

B- ALONGAMENTO

C- ENVERGADURA

D- RAZO DE ASPCTO

420- A RESISTNCIA AO AVANO SEMPRE _________AO VENTO RELATIVO E _____________ SUSTENTAO:

A- PARALELA / PARALELA

B- PARALELA / PERPENDICULAR

C- PERPENDICULAR / PARALELA

D- PERPENDICULAR / PERPENDICULAR

421- COMO CHAMADA A LINHA IMAGINRIA QUE PASSA ATRAVS DE UM PONTO EM TORNO DO QUAL UM CORPO GIRA E PERPENDICULAR AO PLANO DE ROTAO:

A- EIXO DE ROTAO

B- TRAJETRIA DA P

C- DISCO DO ROTOR

D- PLANO DE ROTAO

422- A FIM DE PROPORCIONAR UMA DISTRIBUIO MAIS CONSTANTE DE SUSTENTAO AO LONGO DA ENVERGADURA ,AS PS DO ROTOR PRINCIPAL RECEBEM UM /UMA:

A- REFORO

B- TORO

C- FLEXIBILIDADE

D- ALONGAMENTO

423- O QUE RAZO DE CARGA:

A- A RELAO ENTRE O PESO BRUTO DA AERONAVE E A REA DO DISCO

B- A RAZO ENTRE A SOMA DAS REAS DAS PS E A REA DO DISCO

C- UM PLANO LIMITADO PELA TRAJETRIA MDIA DAS PONTAS DAS PS

D- A CARGA TOTAL QUE UMA AERONAVE PODE SUPORTAR

424- O MOVIMENTO DE AVANO E RECUO FEITO EM TORNO DE QUAL EIXO:

A- LATERAL

B- VERTICAL

C- LONGITUDINAL

D- TRANSVERSAL

425- O ROTOR QUE ACIONADO POR UNIDADES JATO NAS PONTAS DAS PS , E NO TEM

ROTOR ANTI TORQUE , CHAMADO DE ROTOR:

A- JATO

B- DE AO E REAO

C- PULSO JATO

D- FOGUETE

426- A FINALIDADE DA TRANSMISSO PRINCIPAL E:

A- TRANSMITIR A POTNCIA FORNECIDA PELO MOTOR AO ROTOR E REDUZIR A ROTAO DO MOTOR PARA O ROTOR

B- ACIONAR O EIXO DE POTNCIA

C- ABRIGAR O SISTEMA DE RODA LIVRE

D- TRANSMITIR COM A MESMA ROTAO A POTNCIA DO MOTOR PARA O ROTOR PRINCIPAL

427- QUAL SISTEMA FAZ A INTERLIGAO ENTRE O MOTOR E O CONJUNTO ROTATIVO:

A- EIXO CURTO

B- TRANSMISSO

C- ROTOR DE CAUDA

D- EMBREAGEM

428- O ROTOR QUE POSSUI OS MOVIMENTOS DE AVANO E RECUO, MUDANA DE PASSO E BATIMENTO ,RECEBE A DENOMINAO DE:

A- RGIDO

B- SEMI RGIDO

C- ARTICULADO

D- COMPENSADOR

429- OS HELICPTEROS REQUISITADOS PARA USOS ESPECIAIS, COMO O TRANSPORTE DE CARGAS EXTREMAMENTE PESADAS ,QUANTO A CONFIGURAO DE CONSTRUO ,SO CLASSIFICADOS COMO SENDO:

A- JATO

B- EM TANDEM

C- LADO A LADO

D- MULTI ROTORES

430- O TIPO DE ROTOR EM QUE AS PS SO FIXAS A UM CUBO, O QUAL LIVRE EM BATIMEN-TO E MUDANA DE PASSO , CHAMADO DE:

A- RGIDO

B- SEMI RGIDO

C- ARTICULADO

D- COMPENSADOR

431- O PRATO ROTATIVO EST MONTADO SOBRE O /A:

A- PRATO FIXO

B- LUVA DO COLETIVO

C- AMORTECEDOR DA BARRA

D- BARRA ESTABILIZADORA

432- OS PUNHOS SO PRESOS CANGA POR MEIO DO /DA:

A- BRAO DE ARRASTO

B- HASTE DO PASSO

C- BARRA DE TORO E TRAO

D- GUINHOIS

433-TEM POR FINALIDADE FIXAR O BORDO DE FUGA DA P AO PUNHO E FAZER O ALINHAMEN-TO LONGITUDINAL DA P:

A- CANGA

B- BRAO DE ARRASTO

C- HASTE DO PASSO

D- LONGARINA PRINCIPAL

434- NO BORDO DE FUGA DA P, PRXIMO A PONTA ,H UM COMPONENTE QUE PERMITE O AJUSTE DO PLANO DE ROTAO DO ROTOR PRINCIPAL ,COMO CHAMADO ESTE COMPO-NENTE:

A- HASTE DO PASSO

B- BRAO DE ARRASTO

C- COMPENSADOR AERODINMICO

D- REVESTIMENTO AERODINMICO

435- A LUVA DO COLETIVO EST LIGADA AO COMANDO DE CONTROLE VERTICAL E ATUA NAS PS MUDANDO ___________ OS NGULOS DAS MESMAS:

A- ALTERNADAMENTE

B- POR IGUAL

C- COM DESAFAGEM

D- CICLICAMENTE

436- AS UNIDADES QUE PERMITEM AMORTECER OS MOVIMENTOS DA BARRA ESTABILIZADORA SO CHAMADAS DE:

A- DAMPERS

B- BRAO DE ARRASTO

C- LUVA DA BARRA

D- CONTRAPESOS DA BARRA

437-UMA VIBRAO LATERAL NO SENTIDO DA CORDA PROVENIENTE DE UMA P QUE TEM O BORDO DE ___________ MAIS PESADO QUE O BORDO DE ____________ DA OUTRA P.

A- FUGA / FUGA

B- FUGA / ATAQUE

C- ATAQUE / ATAQUE

D- ATAQUE / FUGA

438- UMA P QUE DESENVOLVE MAIS SUSTENTAO QUE A OUTRA PROVOCA UMA VIBRAO:

A- LATERAL

B- VERTICAL

C- DE ALTA FREQENCIA

D- TRANSVERSAL DE BAIXA FREQNCIA

439-PARA SE EXECUTAR A VERIFICAO DA INTENSIDADE DA VIBRAO VERTICAL 1 : 1 DO ROTOR PRINCIPAL ,UTILIZAMOS DOIS MTODOS , QUE SO:

A- ELETRNICO E MECNICO

B- ELETRNICO E MAGNTICO

C- MAGNTICO E MECNICO

D- MAGNTICO E QUMICO

QUESTIONRIO DE RESUMO

01-QUAL O MATERIAL QUE DEVE SER APLICADO EM REAS QUE NO SOFREM ESFOROS MECNICOS ?

02- QUAL A LIGA DE COBRE USADA EM EIXOS DE MOTORES TRMICOS?

03-DE QUAIS MINRIOS SO EXTRADOS OS METAIS: FERRO, COBRE ,CHUMBO ,ZINCO E ALUMNIO ?

FERRO

COBRE

CHUMBO

ZINCO

ALUMNIO

04- AS FERRAMENTAS EM GERAL SO FABRICADAS DE QUE MATERIAL ?

05-QUAL O MATERIAL USADO NA FABRICAO DE BEROS DE MOTORES ?

06-QUAL A TEMPERATURA MXIMA DE UM ENVELHECIMENTO ARTIFICIAL ?

07- COMO SO CLASSIFICADOS OS MATERIAIS MAIS USADOS NA AVIAO ?

08-O QUE REPRESENTA O 1( E O 2( ALGARISMOS NA IDENTIFICAO DO ALUMNIO PELO MTODO S.A.E ?

09- DE QU COMPOSTO O METAL PATENTE ?

10- QUAL O LIMITE MXIMO QUE PODE TER UM RASGO EM UMA SUPERFCIE ENTELADA ?

11- O QUE O PRINCPIO DE BERNOULLI PREV EM UM FLUIDO ?

12- DO QUE DEPENDE A DENSIDADE DO AR ?

13- COMO CHAMADO O MOVIMENTO DA AERONAVE EM TORNO DO EIXO LATERAL OU TRANSVERSAL?

14- O QUE UMA ESTRUTURA SEMI MONOCOQUE ?

15 O QUE DISSIMETRIA DA SUSTENTAO ?

16- O QUE PASSO GEOMTRICO ?

17 COMO PODE SER DECOMPOSTA A RESULTANTE AERODINMICA ?

18- COMO PODEM SER AS HLICES QUANTO AOS SEUS TIPOS ?

19- O QUE RECUO DA HLICE ?

20- O QUE O MOVIMENTO ROLAMENTO ?

21- O QUE AGRAVA O EFEITO CONE ?

22- QUAIS SO OS TIPOS DE ROTORES ?

23- QUAL O COMANDO PRIMRIO QUE TEM FINALIDADE DE REALIZAR MOVIMENTOS EM TORNO DO EIXO VERTICAL ?

24- O QUE ANGULO DE INCIDNCIA ?

25 O QUE NGULO DIEDRO ?

26 - QUE UM MATERIAL MAU CONDUTOR ?

27- O QUE DIZEM, SEGUNDO A LEI DE OHM ?

28-QUAL A UNIDADE DE MEDIDA DA POTNCIA ?

29- COMO BASICAMENTE A CORRENTE EM UM ELETROMAGNETISMO ?

30-QUAL O APARELHO QUE SE USA PARA MEDIR A FORA ELETRO - MOTRIZ ?

31- QUAL O SENTIDO DAS LINHAS MAGNTICAS EXTERNAS DE UM IM ?

32- DE QUE FORMA PRODUZIDA A CORRENTE CONTNUA EM UMA AERONAVE ?

33- QUAL A FACILIDADE QUE UM MEIO OFERECE AO CAMPO MAGNTICO ?

34- QUAL A UNIDADE DE MEDIDA DA CORRENTE E QUAL INSTRUMENTO SE USA PARA MEDI -LA?

35- COMO SO CONHECIDOS OS GERADORES DE CORRENTE CONTNUA ?

36- COMO PODE SER OBSERVADA A TRAO MAGNTICA ?

37- O QUE PONTO DE SATURAO ?

38- QUAL A DEFINIO DE RESISTNCIA ?

39-QUANTO FIOS DE AO POSSUI UM CABO COM IDENTIFICAO DE 7 X 19 ?

40- QUAIS OS TIPOS DE BOLETINS DE SERVIO ?

41- O QUE UMA MANUTENO PREVENTIVA ?

42- O QUE UMA MANUTENO CORRETIVA ?

43- QUAL O APARELHO USADO PARA MEDIR DUREZA EM MATERIAIS MACIOS ?

44- QUAL A CHAVE DE FENDA QUE POSSUI A LARGURA DA PONTA MAIOR QUE O DIMETRO DA HASTE ?

45-O QUE UMA CHAVE MISTA E QUAL A DIFERENA DE MEDIDA DE AMBOS OS LADOS ?

46-COMO DADO O COMPRIMENTO TOTAL DE UMA CHAVE DE FENDA ?

47- QUAL A COR E NUMERAO DA GASOLINA MAIS USADA EM UMA AERONAVE ?

48- QUAL O NOME DA VLVULA QUE SE USA PARA DISPERSAR COMBUSTVEL EM CASO DE EMERGNCIA ?

49- O QUE VOLATILIDADE ?

50-QUAL O INSTRUMENTO QUE INDICA QUANTIDADE DE COMBUSTVEL NO TANQUE ?

51 O QUE DETONAO /

52- O QUE PR IGNIO ?

53- QUAL O TIPO DE BOMBA DE COMBUSTVEL MAIS USADO EM MOTORES CONVENCIONAIS ?

54- O QUE PRIST ?

55- QUAIS OS TIPOS DE TANQUES USADOS EM AERONAVES ?

56- A MISTURA 1: 12 ?

57- QUAL O COMBUSTVEL E O DESTILADO DE FRAO USADOS EM MOTORES A REAO ?

58- QUAL A FINALIDADE DA BOMBA MANUAL OU PRIMER ?

59- ATRAVS DE QUE DESCARREGADO O EXCESSO DE PRESSO DA BOMBA PRINCIPAL ?

60- PARA QUE SERVE A VLVULA DE CORTE ?

61-PARA QUE SERVE A VLVULA CRUZADA ?

62-PARA QUE SERVE O FLUXMETRO ?

63- PARA QUE SERVE O LIQUIDMETRO ?

64- PARA QUE SERVE O ADITIVO ASA 3 ?

65-PARA QUE SERVE O GOVERNADOR ?

66-O QUE PASSO EFETIVO ?

67- O QUE HLICE TRATORA ?

68-O QUE LINHA CENTRAL DE UMA P ?

69-O QUE FORA DE FLEXO OU TORQUE ?

70- O QUE ACONTECE QUANDO AS MOLA DE EMBANDEIRAMENTO SE DISTENDE ?

71-O QUE ROTOR CO AXIAL ?

72-PARA QUE SERVE O COMANDO CCLICO ?

73-PARA QUE SERVE O COMANDO COLETIVO ?

74- QUANDO UM NGULO DE ATAQUE POSITIVO ?

75-O QUE FORA DE TRAO ?

76-O QUE ALONGAMENTO ?

77-O QUE RESISTNCIA AO AVANO ?

78-O QUE BATIMENTO OU FLAPPING ?

79- QUAL A OUTRA DENOMINAO DE FLAPPING ?

80-COMO PODE SER CHAMADO O ROTOR SIMPLES ?

81-A QUE COMPONENTE ATRAVS DE HASTES EST LIGADO O COMANDO CCLICO ?

82-QUAL A FINALIDADE DO CUBO ?

83-PARA QUE SERVE O ROTOR DE CAUDA ?

84-O QUE VENTO RELATIVO ?

85- O MOVIMENTO DE AVANO E RECUO FEITO EM TORNO DE QUAL EIXO ?

86- O QUE ROTOR ARTICULADO ?

87- SOBRE QUAL COMPONENTE EST MONTADO O PRATO ROTATIVO ?

88- POR MEIO DE QUE OS PUNHOS SO PRESOS CANGA ?

89- O QUE ARFAGEM ?

90 O QUE CABRAGEM ?

91-QUAL A PARTE DO AEROFLIO QUE ENTRA PRIMEIRO EM CONTATO COM O VENTO RELATIVO ?

92- O QUE BORDO DE FUGA ?

93- O QUE EXTRA DORSO OU CAMBRA SUPERIOR ?

94- O QUE INTRADORSO OU CAMBRA INFERIOR ?

95-QUAL O NOME DA LINHA SOBRE A QUAL VARIA O CENTRO DE PRESSO EM UM AEROFLIO?

96- QUAL A DESIGNAO QUE RECEBE O PONTO IMAGINRIO ONDE ESTO CONCENTRADAS TODAS AS FORAS AERODINMICAS DE UM AEROFLIO ?

97-QUAL O COMPONE