Alexandre de Almeida Turela - .Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Alexandre de Almeida Turela - .Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC Programa de Ps-graduao em Direito Mestrado e Doutorado rea de Concentrao em Direitos Sociais e Polticas Pblicas

Linha de Pesquisa em Polticas Pblicas de Incluso Social

Alexandre de Almeida Turela

DIREITO SOCIAL E DEMOCRACIA ADMINISTRATIVA LOCAL: POR UMA NOVA ESTRATGIA NO COMBATE CORRUPO

Santa Cruz do Sul

2015

Alexandre de Almeida Turela

DIREITO SOCIAL E DEMOCRACIA ADMINISTRATIVA LOCAL: POR UMA NOVA ESTRATGIA NO COMBATE CORRUPO

Dissertao apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Direito PPGD Mestrado e Doutorado, rea de Concentrao em Demandas Sociais e Polticas Pblicas, Linha de Pesquisa em Polticas Pblicas de Incluso Social, da Universidade de Santa Cruz do Sul UNISC, como requisito parcial para a obteno do ttulo de Mestre em Direito. Orientador: Prof. Ps-Dr. Ricardo Hermany

Santa Cruz do Sul

2015

Alexandre de Almeida Turela

DIREITO SOCIAL E DEMOCRACIA ADMINISTRATIVA LOCAL: POR UMA NOVA ESTRATGIA NO COMBATE CORRUPO

Esta dissertao foi submetida ao Programa de Ps-Graduao em Direito PPGD Mestrado e Doutorado, rea de Concentrao em Direitos Sociais e Polticas Pblicas, Linha de Pesquisa em Polticas Pblicas de Incluso Social, da Universidade de Santa Cruz do Sul UNISC, como requisito parcial para a obteno do ttulo de Mestre em Direito.

__________________________ Prof. Ps-Dr. Ricardo Hermany Professor Orientador UNISC

__________________________ Professor examinador

__________________________ Professor examinador

Santa Cruz do Sul, 2015

Aos que acreditam na mudana.

E aos que no acreditam, principalmente.

AGRADECIMENTOS

Confesso que escrever os agradecimentos uma tarefa que me causa

apreenso. nesse momento em que mostramos quem somos, o momento em

que capturada a imagem do aluno, como ouvi certo dia de uma professora.

A dificuldade no vem da ausncia de pessoas a quem agradecer (na

realidade, so muitos) ou do fato de no gostar de agradecer (confesso, porm, que

publicamente mais difcil). O problema que a escrita surge, por vezes, como um

inibidor de sentimentos. Schopenhauer escreveu em A arte de escrever: A pena

est para o pensamento como a bengala est para o andar. Da mesma maneira que

se caminha com mais leveza sem bengala, o pensamento mais pleno se d sem a

pena. Com ele concordo e, ciente da dificuldade de transmitir o sentimento de

agradecimento por meio de palavras, inicio.

Comeo por agradecer minha famlia, que me deu toda a estrutura

necessria ao enfrentamento de um novo desafio em minha vida. Certamente minha

misso foi muito facilitada tendo minha famlia como base.

Agradeo Letcia, por me incentivar a sair da zona de conforto e buscar algo

alar voos maiores, por perceber que encarar o novo, ainda que possa ser dolorido

(e estudar di), gratificante.

Agradeo aos meus amigos, deixando de nomear um por um em razo da

injustia que provavelmente seria cometida em razo do esquecimento. Ao mesmo

tempo em que injusto no citar nenhum, injusto tambm seria deixar de citar o

Patrick, que at se aventurou a ler o trabalho (ainda que tenha desistido, dizem que

o que vale a inteno).

Agradeo tambm aos meus colegas da UNISC, com os quais criei laos de

amizade instantneos. O companheirismo foi essencial na minha caminhada e

certamente a amizade persistir.

Agradeo aos professores, que to bem me recepcionaram e muito

contriburam para minha evoluo pessoal. Tenho certeza que hoje sou uma pessoa

muito diferente de quando ingressei no Programa de Ps-Graduao em Direito da

UNISC e que grande parte da mudana se deu em razo dos professores que

encontrei.

Devo agradecimento especial tambm ao meu orientador, Professor Ps-Dr.

Ricardo Hermany, e aos colegas de Grupo de Estudos que muito colaboraram para

a concretizao deste trabalho.

Leis so como teias de aranha:

boas para capturar mosquitos, mas os insetos

maiores rompem sua trama e escapam.

Slon

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente.

A gente muda o mundo na mudana da mente.

E quando a mente muda a gente anda pra frente.

E quando a gente manda ningum manda na gente.

Na mudana de atitude no h mal que no se mude nem doena sem cura.

Na mudana de postura a gente fica mais seguro,

na mudana do presente a gente molda o futuro!

At quando voc vai levando porrada, at quando vai ficar sem fazer nada?

At quando voc vai ficar de saco de pancada?

Gabriel, O Pensador

RESUMO

O presente trabalho tem como tema o combate corrupo e limita-se

apresentao de uma nova estratgia a partir da superao dos paradigmas jurdico

e poltico hegemnicos. O objetivo central desenvolver uma estratgia de combate

corrupo mediante a reorientao da relao entre Estado e sociedade. Para

tanto, primeiramente analisado e criticado o paradigma jurdico monista e proposta

sua superao por meio da adoo de um paradigma jurdico pluralista. Na

sequncia, dedica-se pesquisa do paradigma democrtico elitista, com crtica ao

modelo democrtico hegemnico e apresentao de um novo modelo que

combine a democracia representativa com a democracia participativa, propiciando o

fortalecimento e a abertura de novos espaos democrticos, especialmente junto

Administrao Pblica local. Por fim, o foco na investigao das patologias

corruptivas, com o estudo de suas caractersticas, das formas como as mesmas so

tradicionalmente enfrentadas e dos discursos surgidos com pretenso de soluo

para, ao final, propor uma nova estratgia que redefina a atuao no combate

corrupo com base nos novos paradigmas apresentados. O mtodo de

procedimento utilizado foi o histrico-crtico, localizando o contexto histrico no qual

foram concebidos os paradigmas vigentes para propor sua superao com a adoo

de novos paradigmas. A temtica do presente trabalho est enquadrada na Linha de

Pesquisa Polticas Pblicas de Incluso Social por sua perspectiva de apresentar

uma nova estratgia de combate corrupo que se coadune com o

empoderamento do cidado junto ao espao pblico e possibilite a gesto

compartida do bem pblico.

Palavras-chave: Corrupo. Direito Social. Democracia Administrativa Local.

ABSTRACT

This work has as its core theme the fight against corruption and limited to

presentation of a new strategy from the overcoming of legal and political paradigms

hegemonic. The main objective is the development of strategy to combat corruption

by reorienting the relationship between State and society. Therefore, firstly the

analysis and criticised monistic legal paradigm and proposed overcoming them

through the adoption of a pluralistic legal paradigm. Next, is dedicated to the

research of elitist democratic paradigm, with criticism of democratic hegemonic

model and the presentation of a new model that combines representative democracy

to participatory democracy, leading to the strengthening and the opening of new

democratic spaces, especially with the municipalities. Finally, the focus and

investigation of corrupting diseases, with the study of its characteristics, the ways in

which they are traditionally faced and discourses that have arisen with pretension of

solution for the end to propose a new strategy that redefines the performance in

combating corruption based on new paradigms presented. The procedure used was

the method of historical-critical, locating the historical context in which the current

paradigms are designed to propose to overcome them with the adoption of new

paradigms. The thematic of this work is framed in the Line of Research "Public

Policies of Social Inclusion" for your prospect to present a new strategy to combat

corruption that is consistent with the empowerment of the citizen with the public

space and enable the management shared the public affairs.

Keywords: Corruption. Social Right. Local Administrative Democracy.

SUMRIO

1 INTRODUO ...................................................................................................... 9

2 O DIREITO SOCIAL DE GURVITCH: A SUPERAO DO PARADIGMA JURDICO MONSTA E A ADOO DO PLURALISMO JURDICO .................. 12

2.1 A crise da cultura jurdica moderna monista ....................................................... 13

2.2 O pluralismo jurdico de Gurvitch e as caractersticas do direito social .............. 25

2.3 O direito social como fundamento de legitimidade das decises estatais ........... 32

2.4 As espcies de direito social: o direito social condensado e o empoderamento social junto ao espao pblico estatal ...................................... 38

3 A NECESSIDADE DE UMA NOVA CULTURA POLTICA A REORIENTAR A RELAO ENTRE ESTADO E SOCIEDADE: A DEMOCRACIA ADMINISTRATIVA LOCAL ................................................................................. 46

3.1 A teoria elitista e a apatia poltica como condio essencial democracia no Estado Moderno ............................................................................................. 47

3.2 A necessidade de um novo paradigma poltico para o aperfeioamento da relao entre Estado e sociedade ..........