AS “MICRODESIGUALDADES”: UM ENSAIO SOBRE .1. A Modernidade, o surgimento da sociologia ... contexto

  • View
    221

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of AS “MICRODESIGUALDADES”: UM ENSAIO SOBRE .1. A Modernidade, o surgimento da sociologia ......

  • (83) 3322.3222

    contato@ceduce.com.br

    www.ceduce.com.br

    AS MICRODESIGUALDADES: UM ENSAIO SOBRE DESIGUALDADE,

    CLASSE, CAPITAL CULTURAL E NOVOS DESAFIOS PARA O ACESSO

    AO ENSINO SUPERIOR.

    Autor (1): Sara Esther Dias Zarucki Tabac

    UERJ PPCIS sara.zarucki@gmail.com

    Resumo: Este artigo procura relacionar a teoria da modernidade e a construo da desigualdade no mundo

    moderno, com foco no mbito educacional. Para isso, abordam-se autores que empreendem um debate sobre

    desigualdade e educao, como T. H. Marshall, Franois Dubet e Pierre Bourdieu. Busca-se tambm discutir

    acerca dos conceitos de justia e de reconhecimento a partir da filsofa norte-americana Nancy Fraser. Por

    fim, pretende-se estabelecer a relao terica entre as discusses acerca das desigualdades educacionais e a

    construo de aes afirmativas.

    Palavras-chave: Ensino superior, Sociologia da Educao, Aes Afirmativas.

    Introduo

    A desigualdade foi o ponto de partida da sociologia clssica e matria viva da sociologia

    contempornea. (DUBET, 2003, p. 9) Com essa frase de Franois Dubet, inicio este artigo,

    propondo fazer um levantamento terico acerca da construo da desigualdade no mundo moderno,

    sob a tica dos direitos e da reproduo das desigualdades. Tendo o sistema educacional como pano

    de fundo, buscarei analisar de que maneira movimentos sociais e grupos minoritrios oriundos das

    microdesigualdades esto na luta por reconhecimento e direitos.

    As relaes existentes entre desempenho escolar e origem social no carecem de pesquisas

    dentro do campo da sociologia da educao. Pesquisas no Brasil1 afirmam categoricamente que a

    relao entre a origem social do estudante interfere (e muito) em seu desempenho e sucesso escolar.

    A chamada desigualdade de oportunidades educacionais visa destacar, assim, o efeito dos recursos

    nas chances de avano no sistema educacional. Tendo em vista que a educao vista como uma

    das principais alavancas de mobilidade social, teoricamente a diminuio de sua desigualdade de

    acesso seria o caminho para uma maior mobilidade social.

    1 Gostaria de destacar as pesquisas da Rosana Heringer que brilhantemente realiza um diagnstico sociolgico para as

    questes educacionais. Indico os trabalhos: HERINGER, Rosana; FERREIRA, Renato. "Anlise das principais polticas

    de incluso de estudantes negros no ensino superior no Brasil no perodo 2001-2008." Observatrio da Jurisdio

    Constitucional 1.1 (2011).

  • (83) 3322.3222

    contato@ceduce.com.br

    www.ceduce.com.br

    Este artigo tem por objetivo principal levantar questes acerca da prpria desigualdade, sua

    origem no mundo moderno, sua influncia na esfera da educao e os desdobramentos atuais de

    polticas de reconhecimento, direitos e distribuio que visam diminuir esse impacto. Para tanto,

    faremos na primeira parte uma reviso de autores j consagrados dentro da discusso sobre

    cidadania, como T. H. Marshall, que discute a formao dos direitos e a perpetuao da

    desigualdade pelo sistema; alm dele, Dubet e Bourdieu, apresentam o problema da desigualdade

    para alm da questo meramente monetria, com foco na importncia do vis histrico e simblico.

    Na segunda parte, com Nancy Fraser, abordaremos os dilemas de redistribuio e do

    reconhecimento e, finalmente, traremos a discusso mais atual sobre as polticas de reconhecimento

    e as aes afirmativas.

    1. A Modernidade, o surgimento da sociologia: diretos, cidadania e reproduo de

    desigualdades

    1.1. A cidadania e os direitos em T. H. Marshall: Os pobres existem, pois existem os ricos.

    No senso comum, notrio o quanto est impregnada a ideia de que a educao seria uma

    grande chave com soluo para resolver problemas e questes atuais de uma maneira bem ampla.

    Comeo o artigo destacando a importncia dada pelas pessoas em geral educao enquanto

    trampolim para alcanar o sucesso profissional. Expresses como S com educao voc

    chegar a algum lugar neste pas so repetidas quase que diariamente pela populao em geral.

    Partindo desse exemplo, remeto a uma questo que norteia este artigo: em que cenrio de

    desigualdade a educao se torna o instrumento de mobilidade social? E, mais especificamente,

    segundo a perspectiva de Joo Valdir Souza (2007, p.112), quais so os limites da educao no

    contexto das desigualdades e da diversidade cultural das sociedades contemporneas?

    Somente a partir da modernidade que a discusso acerca da desigualdade se torna mais

    relevante. Com o advento das grandes revolues (Reforma Protestante, Iluminismo, Revoluo

    Industrial e as polticas na Inglaterra e na Frana), h o reconhecimento da igualdade formal entre

    os indivduos. Segundo Dubet (2003, p.12) essa mudana de atribuio entre a desigualdade

    atribuda a desgnios divinos e naturais abre espao para uma liberdade, igualdade e o surgimento

    do sujeito de direitos, que acaba enfrentando uma perspectiva no to igual assim. As

    consequncias materiais moldam estruturas e indivduos e constroem outras preocupaes e

  • (83) 3322.3222

    contato@ceduce.com.br

    www.ceduce.com.br

    relaes, temas caros sociologia. O impacto da cidadania sobre a classe social em um cenrio de

    igualdade o que o Marshall (1967) ir discutir mais adiante.

    Souza (2007) realiza um diagnstico acerca da modernidade e educao, no intuito de

    compreender a relao entre o projeto civilizatrio da modernidade e a educao. Ao realizar uma

    anlise desde o sculo XIX, ele chega ao sculo XX e identifica mais precisamente as mudanas

    ocorridas na estrutura de estratificao social, eixo de discusso deste trabalho. Dessa forma, o

    projeto da modernidade identificada no sculo XX introjeta no homem e nas mulheres novas

    experincias oriundas do sistema capitalista, que alteram no somente a cidade, como tambm

    avanos tecnolgicos e uma diversidade de elementos. O processo histrico constituiu a ordem

    capitalista e as mudanas na ordem social. As mudanas na formao social capitalista, segundo

    Souza (2006), so introjetadas em diversas formas, no somente a econmicas, mas tambm as

    sociais, polticas, culturais e ideolgicas. Ao mesmo tempo em que esse sistema ia se consolidando

    como contraditrio e desigual, as promessa de uma educao universal, do direito do cidado e do

    dever do Estado eram pautas conexas para um projeto civilizatrio de modernidade.

    A desigualdade a base de estudos da sociologia, e sendo esse um ensaio que busca

    complementar as discusses acerca da educao, mais especificamente da sociologia da educao

    irei me debruar em uma conversa terica frutfera que ir me apontar caminhos de pesquisa.

    Um dos principais pensadores da teoria da cidadania e um dos percussores dessa anlise,

    T.H. Marshall (1967) discute o conceito de cidadania a partir do desenvolvimento dos direitos civis

    (sc. XVIII), polticos (sc. XIX) e sociais (sc. XX). Ao introduzir o conceito de direitos sociais, o

    autor sustentou que a cidadania s plena se est sustentada por esses trs direitos e interligada,

    portanto, condio de classe do cidado.

    A repercusso no Brasil desse trabalho ecoou na anlise de Jos Murilo de Carvalho (2001)

    que, ao entrelaar a formao histrica construo da cidadania no Brasil, reiterou seu carter

    desigual. O ensaio baseado nas conferncias de T.H Marshall2 a respeito do problema da

    desigualdade social tem como ponto de partida o problema da igualdade social sob a tica

    econmica. Nesse momento, a questo social como condio de classe - e o carter econmico

    2 Ensaio realizado em Cambrigde Reform Club de 1873 em homenagem a Alfred Marshall.

  • (83) 3322.3222

    contato@ceduce.com.br

    www.ceduce.com.br

    transformaram-se em categorias importantes para uma interlocuo madura com a desigualdade

    social.

    O foco do ensaio de Marshall era fazer um diagnstico sociolgico que pudesse mostrar as

    bases centrais necessrias para capacitar o homem a se tornar um cavalheiro3: Poder-se-ia arcar

    com os custos de oferecer educao universal e eliminar o trabalho excessivo e pesado

    (MARSHALL, 1967, p. 61). A relao do homem com a mquina no ambiente de trabalho a base

    do sistema desigual desde a sua origem, condenando-o a uma desigualdade devido sua ocupao.

    Essa interveno mostra o autor tomando como padro de vida civilizada as condies atribudas a

    um cavalheiro. A reivindicao de todos para gozar dessas condies uma exigncia para serem

    admitidos na participao da herana social e, assim, serem admitidos como membros completos:

    cidados.

    A hiptese central do socilogo britnico defende que h uma espcie de igualdade humana

    inteiramente ligada participao integral como cidado. Ela descrita pelo autor por um conjunto

    de direitos que pode ser considerado como status de cidadania. A igualdade bsica, quando

    adicionada aos direitos formais da cidadania, seria compatvel com as desigualdades das classes

    sociais? Marshall refora seu argumento dizendo que sim e defende que elas ainda so compatveis

    a tal ponto que a cidadania tem-se tornado uma base legitimadora da desigualdade.

    O autor acredita que a tendncia moderna caminha em direo igualdade social, a qual

    constitui a mais recente fase de uma evoluo da cidadania que vem acontecendo de modo contnuo

    nos ltimos anos. O significado dos termos liberdade e cidadania nas cidades e