ATUALIZAÇÃO EM ASMA: ESPAÇADORES .ATUALIZAÇÃO EM ASMA: ESPAÇADORES TÉCNICAS DE UTILIZAÇÃO

Embed Size (px)

Text of ATUALIZAÇÃO EM ASMA: ESPAÇADORES .ATUALIZAÇÃO EM ASMA: ESPAÇADORES TÉCNICAS DE UTILIZAÇÃO

  • ATUALIZAO EM ASMA: ATUALIZAO EM ASMA: ESPAADORESESPAADORES

    TCNICAS DE UTILIZAO E TCNICAS DE UTILIZAO E DE HIGIENIZAODE HIGIENIZAODE HIGIENIZAODE HIGIENIZAO

    Grupo Tcnico de Doenas Respiratrias - PMC - SMS - 2013Marcia Annarumma GuedesRoberta Nery Cardoso

  • DEFINIO DE ASMADEFINIO DE ASMA

    Doena inflamatria crnica das vias areas inferiores:

    Hiperresponsividade Limitao varivel ao fluxo areo

  • DIAGNSTICO DE ASMADIAGNSTICO DE ASMA

    Anamnese detalhada

    Exame fsicoExame fsico

    Espirometria ou peak-flowSMA DIAGNSTICO:AASMA DIAGNSTICO:Anamnese detalhada

  • MANIFESTAES CLNICASMANIFESTAES CLNICAS

    Sibilncia

    Dispnia

    Aperto no peitoAperto no peito

    Tosse

    A causa da morte por asma a ASFIXIA

  • Processo Inflamatrio da ASMAProcesso Inflamatrio da ASMA

    Inflamao Inflamao Remodelamento

    Aguda Crnica das Vias AreasAguda Crnica das Vias Areas

    Broncoconstrio H.R.B. Obstruo FixaBousquet, AJRCCM, 2000

  • Asma Asma -- critrios de classificaocritrios de classificao

    Sintomas diurnos

    Limitao de atividades

    Sintomas/despertares noturnos

    Funo pulmonar (PFE/VEF1) Funo pulmonar (PFE/VEF1)

    EXCLUINDO CAUSAS DE DESCONTROLE, COMORBIDADES, USO INCORRETO DA MEDICAO

  • ASMA ASMA Classificao por nveis de Classificao por nveis de controlecontrole

    CLASSIFICAO SINTOMAS DIURNOS

    LIMITAODE ATIVIDADES

    SINTOMASNOTURNOS

    Asma controlada

    NENHUMA OUAT 2X/SEM

    NENHUMANENHUM OU AT 2X/SEM

    NENHUMA OU AT 2X/SEM / FP NL(>80%)

    3 X/SEM OU MAIS QUALQUER QUALQUER 3 0U MAIS/SEM

    NECESSIDADE DE MED. DE ALVIO / FP

    Asma parcialmenteControlada 1 ou 2

    3 X/SEM OU MAIS QUALQUER QUALQUER 3 0U MAIS/SEM

    Asma noControlada 3 ou mais

  • Asma Asma CClassificao por Gravidadelassificao por Gravidade

    Refere-se quantidade de medicao (intensidade do tratamento) necessria para o controle

    EXCLUINDO CAUSAS DE EXCLUINDO CAUSAS DE DESCONTROLE COMO COMORBIDADES, USO INCORRETO DA MEDICAO e NO ADESO

    Asma leve, moderada e grave

  • MEDICAES PARA MEDICAES PARA TRATAMENTO DA ASMA E TRATAMENTO DA ASMA E

    RINITERINITEMedicao de controle:

    Corticides Inalatrios:

    Reduzem o nmero e a ativao das clulas Reduzem o nmero e a ativao das clulas inflamatrias nas vias areas

    Portanto- Diminuem a inflamao- Diminuem a HRB

  • MANEJO DA ASMAMANEJO DA ASMA

    Quadro 8 - Manejo da asma baseado no nvel de controle para maiores de cinco anos.

    NVEL DO CONTROLE AO

    CONTROLADA Manter o tratamento e identificar a menor dose CONTROLADA Manter o tratamento e identificar a menor dose para manter o controle

    PARCIALMENTE CONTROLADA Considerar aumentar a dose para atingir o

    controle

    NO CONTROLADA Aumentar etapas at conseguir controle

    EXACERBAO Tratar como exacerbao

  • TRATAMENTOTRATAMENTOContedo educacional programticoContedo educacional programtico

    Parceria mdico-paciente

    Abordar fatores desencadeantes e agravantes e saber evit-los

    Buscar medicamentos apropriados e com tcnicaBuscar medicamentos apropriados e com tcnicaadequada

    Colocar em prtica o plano de ao individualizado

    Descrever a diferena entre medicao de controle e de resgate e saber efeitos colaterais possveis e comominimiz-los

  • ETAPAS DO TRATAMENTOETAPAS DO TRATAMENTOETAPAS DO TRATAMENTO

    EDUCAO E CONTROLE AMBIENTAL

    ETAPA 1 BD de curta ao por demanda + opes de medicamentos contraladores etapas 2 a 5

    ETAPA 2 ETAPA 3 ETAPA 4 ETAPA 5

    BD de curta ao por demanda

    Selecione uma das opes abaixo Selecione uma das opes abaixo Selecione uma das opes abaixo Adicionar um ou mais

    em relao etapa 4

    Dose baixa de CI ou Dose baixa de CI + LABA Dose moderada ou alta de CI + LABA Corticoide oral na dose mais baixa possvel

    Antileucotrienos Dose mdia ou alta de CI Dose moderada ou alta de CI + LABA +

    antileucotrienos Tratamento com anti-IgE

    Dose baixa de CI +

    teofilina de liberao lenta Dose moderada ou alta de CI + LABA +

    teofilina de liberao lenta

    BD: broncodilatador; CI: corticoide inalatrio; e LABA: long-acting beta agonist (b2-agonista de ao prolongada). aOs apndices I e II discriminam a equipotncia de medicamentos e de medicaes controladoras; os medicamentos de resgate so comentados na Parte 5. bAs opes preferenciais para as etapas 2, 3 e 4 esto evidenciadas em negrito e itlico.

  • ETAPAS DO TRATAMENTOETAPAS DO TRATAMENTO

    1. Educao do paciente/famlia + controle ambiental + medicao de resgate (BD curta durao)

    2. Dose baixa de CI ou antileucotrienos

    3. Dose baixa de CI+LABA ou dose mdia ou alta de CI3. Dose baixa de CI+LABA ou dose mdia ou alta de CI

    4. Dose mdia ou alta de CI+LABA (ESPECIALISTA) (+antileucotrienos)

    5. Cortic. oral na dose mais baixa possvel /anti-IGE

  • CORTICIDES INALATRIOSCORTICIDES INALATRIOS

    Equipotncia estimada dos corticoides inalatrios para crianas maiores de cinco anosa

    Corticoides inalatrios Dose diria, g

    Baixa Mdia Altab

    Dipropionato de beclometasona 100-200 > 200-400 > 400

    Budesonida 100-200 > 200-400 > 400Budesonida 100-200 > 200-400 > 400

    Budesonida nebulizada 250-500 > 500-1.000 > 1.000

    Ciclesonidac 80-160 > 160-320 > 320-1.280

    Furoato de mometasonac 100 200 400

    Propionato de fluticasona 100-200 > 200-500 > 500

    aComparaes baseadas em dados de eficcia. bPacientes em uso de altas doses, exceto por curtos perodos de tempo, devem ser encaminhados a especialista para considerar associaes alternativas de drogas controladoras. As doses mximas recomendadas so arbitrrias, mas o uso prolongado est associado ao aumento do risco de efeitos sistmicos. c Dose diria nica.

  • Tratamento crise aguda de asmaTratamento crise aguda de asma

    Avaliao inicial: FR,FC, uso de musculatura acessria, dispnia, nvel conscincia, cianose e SatO

    O para SatO < 95% crianas e gestantes e < 92% adultos. O para SatO < 95% crianas e gestantes e < 92% adultos. Nebulizao agonista ( Fenoterol ou Salbutamol ) FLUXO

    6 L/MIN ou spray com espaador ( 1 jato/2 - 3 kg, mximo de 10 jatos ), a cada 20 min. ( 3 doses ). Casos graves associar brometo de ipratrpio ( Atrovent )

    Reavaliao FR,FC, ausculta, musculatura acessria, dispnia e SatO

  • NEBULIZAO OU SPRAY COM ESPAADOR ?NEBULIZAO OU SPRAY COM ESPAADOR ?O QUE FALAM OS CONSENSOS?O QUE FALAM OS CONSENSOS?

    GINA, Diretrizes brasileiras (SBPT) e Diretrizes Britnicas1-3

    Beta-2 agonista a primeira escolha no tratamento do broncoespasmo na crise de asmaEficcia da nebulizao equivalente ao uso do spray com espaador

    Em crianas:Em crianas:Spray com contador de doses + espaador prefervel nebulizao devido a maior convenincia, maior deposio pulmonar, menor risco de eventos adversos e menor custo1

    Nebulizadores utilizam doses pouco precisas, so caros, consomem muito tempo, e necessitam de manuteno.3

    1.GINA. Global Initiative for Asthma. In. www.ginasthma.com, 2008.

    2. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. IV Diretrizes Brasileiras para o Manejo da Asma. J Bras Pneumol 2006;32(supl 7):s447-s474.

    3. British Guideline on the Management on Asthma. A national clinical guideline. In.

  • DISPOSITIVOS INALATRIOSDISPOSITIVOS INALATRIOS

    Quadro 19 - Escolha dos dispositivos de acordo com a faixa etria.a

    Faixa etria Dispositivos

    Crianas

    < 4 anos IP + espaador com mscara facial

    4 a 6 anos IP + espaador com mscara facial ou bocal 6 anos IP + espaador com bocal ou IPo

    Adultos

    Qualquer faixa etria IP ou IPo

    IP: inalador pressurizado; e IPo: inalador de p. aNotas: Em pacientes de qualquer faixa etria com dificuldade de uso com IP e IPo, especialmente idosos debilitados ou com dficits cognitivos, preferir o uso de IPs acoplados a espaadores. O nebulizador de jato uma alternativa aceitvel em qualquer idade, desde que esteja em perfeito funcionamento. Adaptado de Global Initiative for Asthma.

  • ESPAADOR COM VLVULAESPAADOR COM VLVULA

  • ESPAADOR COM VLVULA E ESPAADOR COM VLVULA E MSCARAMSCARA

  • VANTAGENSVANTAGENS

    Menor necessidade de coordenao

    Reduo da velocidade das partculas Reduo da velocidade das partculas

    Aumento da deposio pulmonar

    Menor deposio na orofaringe

  • TCNICATCNICAVeja abaixo a tcnica correta de seu uso:

    1) Retire a tampa do inalador e do espaador.

    2) Encaixe o inalador na base do espaador.

    3) Certifique-se de que bocal o inalador esteja direcionado ao centro do espaador.

    4) Coloque o bocal na boca fechando os lbios firmemente ao redor dele, 4) Coloque o bocal na boca fechando os lbios firmemente ao redor dele, envolvendo totalmente o bocal e no deixando espao livre para sada de ar.

    5) Se for recomendado o uso de mscara, encaixe a mscara no bocal do espaador e coloque sobre o rosto, posicionando levemente de forma a cobrir a boca e o nariz, sem deixar espao entre a boca e a mscara.

    6) Aperte o topo do inalador para baixo para liberar uma dose dentro do espaador e inspire devagar e profundamente.

    7) Mantenha o espaador na boca e inspire mais 3 ou 4 vezes (para adulto), 4 a 6 vezes (para crianas), ou cerca de 10 a 20 segundos.

  • TCNICATCNICA

    Agitar o dispositivo e adapt-lo ao adapt-lo ao espaador

  • TCNICATCNICA

    Colocar o espaador na boca, apertando bem os apertando bem os lbios OU colocar a mscara adequadamente na face ( boca e nariz )