CATEQUESE À luz do Documento de Aparecida 2007 Pe. Delton Filho

  • View
    109

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of CATEQUESE À luz do Documento de Aparecida 2007 Pe. Delton Filho

  • Slide 1
  • CATEQUESE luz do Documento de Aparecida 2007 Pe. Delton Filho
  • Slide 2
  • Catequisar
  • Slide 3
  • 99a (Cap. 2) Situao da Igreja Devido animao bblica da pastoral, aumenta o conhecimento da Palavra de Deus e do amor por ela. Graas assimilao do Magistrio da Igreja e melhor formao de generosos catequistas, a renovao da Catequese tem produzido fecundos resultados em todo o continente, chegando inclusive a pases da Amrica do Norte, Europa e sia, para onde muitos latino-americanos e caribenhos tm emigrado.
  • Slide 4
  • Slide 5
  • 100d (Cap. 2) Situao e desafios da Igreja hoje Na evangelizao, na catequese e, em geral, na pastoral, persistem tambm linguagens pouco significativas para a cultura atual e em particular para os jovens. Muitas vezes as linguagens utilizadas parecem no levar em considerao a mutao dos cdigos existencialmente relevantes nas sociedades influenciadas pela ps-modernidade e marcadas por amplo pluralismo social e cultural. As mudanas culturais dificultam a transmisso da f por parte da famlia e da sociedade. Frente a isso, no se v uma presena importante da Igreja na gerao de cultura, de modo especial no mundo universitrio e nos meios de comunicao.
  • Slide 6
  • 175 (Cap. 5) Parquia, comunidade de Comunidades Seguindo o exemplo da primeira comunidade crist (cf. At 2, 46-47), a comunidade paroquial se rene para partir o po da Palavra e da Eucaristia e perseverar na catequese, na vida sacramental e na prtica da caridade. Na celebrao eucarstica ela renova sua vida em Cristo. A Eucaristia, na qual se fortalece a comunidade dos discpulos, para a Parquia uma escola de vida crist. Nela, juntamente com a adorao eucarstica e com a prtica do sacramento da reconciliao para comungar dignamente, seus membros so preparados para dar frutos permanentes de caridade, reconciliao e justia para a vida do mundo.
  • Slide 7
  • Slide 8
  • 231 (cap. 5) Ecumenismo Faz mais de quarenta anos que Conclio Vaticano II reconheceu a ao do Esprito Santo no movimento pela unidade dos Cristos.Desde ento, temos colhido muitos frutos. Neste campo, necessitamos de mais agentes de dilogo e mais bem qualificados. bom tornar mais conhecidas as declaraes que a prpria Igreja Catlica tem subscrito no campo do ecumenismo desde o Conclio. Os dilogos bilaterais e multilaterais tem produzido bons frutos. Tambm oportuno estudar o Diretrio ecumnico e suas indicaes em relao Catequese, liturgia, formao presbiteral e pastoral. A mobilidade humana, caracterstica do mundo atual, pode ser ocasio propcia para o dilogo ecumnico da vida.
  • Slide 9
  • Fica conosco, Senhor!
  • Slide 10
  • 278c (Cap. 6) O processo de formaco dos discpulos missionrios Destacamos cinco aspectos fundamentais que aparecem de maneira diversa em cada etapa do caminho, mas que se complementam intimamente e se alimentam entre si: O Encontro com Jesus Cristo A Converso O discipulado A comunho A misso
  • Slide 11
  • 286 (Cap. 6) Iniciao Vida Crist So muitos os cristos que no participam na Eucaristia dominical nem recebem com regularidade os sacramentos, nem se inserem ativamente na comunidade eclesial. Sem esquecer a importncia da famlia na iniciao crist, esse fenmeno nos desafia profundamente a imaginar e organizar novas formas de nos aproximar deles para ajud-los a valorizar o sentido da vida sacramental, da participao comunitria e do compromisso cidado. Temos alta porcentagem de catlicos sem a conscincia de sua misso de ser sal e fermento no mundo, com identidade crist fraca e vulnervel.
  • Slide 12
  • Slide 13
  • 290 (Cap. 6) Propostas para a Iniciao Crist Recordamos que o caminho da formao do cristo, na tradio mais antiga da Igreja, teve sempre carter de experincia, na qual era determinante o encontro vivo e persuasivo com Cristo, anunciado por autnticas testemunhas. Trata-se de uma experincia que introduz o cristo numa profunda e feliz celebrao dos sacramentos, com toda a riqueza de seus sinais. Desse modo, a vida vem se transformando progressivamente pelos santos mistrios que se celebram, capacitando o cristo a transformar o mundo. Isso o que se chamacatequese mistaggica
  • Slide 14
  • 294 (Cap. 6) Propostas para a Iniciao Crist Assumir essa iniciao crist exige no s uma renovao de modalidade catequtica da parquia. Propomos que o processo catequtico de formao adotado pela Igreja para a iniciao crist seja assumido em todo o continente como a maneira ordinria e indispensvel de introduo na vida crist e como a catequese bsica e fundamental. Depois vir a catequese permanente que continua o processo de amadurecimento da f; nela se deve incorporar o discernimento vocacional e iluminao para projetos pessoais de vida.
  • Slide 15
  • Slide 16
  • 295 (Cap. 6) Catequese Permanente Quanto situao atual da catequese, evidente que tem havido grande progresso. Tem crescido o tempo que se dedica preparao para os sacramentos. Tem-se tomado maior conscincia de sua necessidade, tanto nas famlias como entre os pastores. Compreende-se que ela imprescindvel em toda formao crist. Tem-se constitudo ordinariamente comisses diocesanas e paroquiais de catequese. admirvel o grande nmero de pessoas que se sentem chamadas a se fazer catequistas, com grande entrega. A elas, esta Assemblia manifesta sincero reconhecimento.
  • Slide 17
  • A Igreja parabeniza voc, Catequista!
  • Slide 18
  • 297 (Cap. 6) Catequese Permanente Os desafios que apresenta a situao da sociedade na Amrica Latina e no Caribe requerem identidade catlica mais pessoal e fundamentada. O fortalecimento dessa identidade passa por uma catequese adequada que promova adeso pessoal e comunitria a Cristo, sobretudo nos mais fracos na f. tarefa que cabe a toda a comunidade de discpulos, mas de maneira especial a ns que, como bispos, fomos chamados a servir Igreja, pastoreando-a, conduzindo-a ao encontro com Jesus e ensinando-lhe a viver tudo o que Ele nos tem mandado (cf. Mt. 28, 19-20)
  • Slide 19
  • 298 (Cap. 6) Catequese Permanente A catequese no deve ser s ocasional, reduzida a momentos prvios aos sacramentos ou iniciao crist, mas sim itinerrio catequtico permanente. Por isso, compete a cada Igreja particular, com a ajuda das Conferncias Episcopais, estabelecer um processo catequtico orgnico e progressivo que se estenda por toda a vida, desde a infncia at terceira idade, levando em considerao que o Diretrio Geral de Catequese considera a catequese com adultos como a forma fundamental da educao na f. Para que em verdade o povo conhea Cristo a fundo e o siga fielmente, deve ser conduzido especialmente na leitura e meditao da Palavra de Deus que o primeiro fundamento de uma catequese permanente.
  • Slide 20
  • Catequese permantente desafio para as alturas!
  • Slide 21
  • 299 (Cap. 6) Catequese Permanente A Catequese no pode se limitar a uma formao meramente doutrinal, mas precisa ser uma verdadeira escola de formao integral. Portanto, necessrio cultivar a amizade com Cristo na orao, o apreo pela celebrao litrgica, a experincia comunitria, compromisso apostlico mediante um permanente servio aos demais. Para isso, seriam teis alguns subsdios catequticos elaborados a partir do Catecismo da Igreja Catlica e do Compndio da Doutrina Social da Igreja, estabelecendo cursos e escolas de formao permanente aos catequistas.
  • Slide 22
  • 300 (Cap. 6) Catequese Permanente Deve-se dar catequese apropriada que acompanhe a f j presente na religiosidade popular. Maneira concreta pode ser a oferta de um processo de iniciao crist com visitas s famlias, onde no s se comuniquem a elas os contedos da f, mas que tambm as conduza prtica da orao familiar, leitura orante da Palavra de Deus e ao desenvolvimento das virtudes evanglicas, que as consolidem cada vez mais como Igrejas domsticas. Para esse crescimento na f, tambm conveniente aproveitar pedagogicamente o potencial educativo presente na piedade popular mariana. Trata-se de um caminho educativo que, cultivando o amor pessoal Virgem, verdadeira educadora na f que nos leva a nos assemelhar cada vez amais a Jesus Cristo, provoque a apropriao progressiva de suas atitudes.
  • Slide 23
  • Famlia, primeira catequese!
  • Slide 24
  • 303 (Cap. 6) Famlia, primeira escola da f dever dos pais, especialmente atravs de seu exemplo de vida, a educao dos filhos para o amor como dom de si mesmos e a ajuda que eles prestam para descobrir sua vocao de servio, seja na vida leiga como na vida consagrada. Desse modo, a formao dos filhos como discpulos de Jesus Cristo se realiza nas experincias da vida diria na prpria famlia. Os filhos tem o direito de poder contar com o pai e a me para que cuidem deles e os acompanhem at a plenitude de vida. A catequese familiar, implementada de diversas maneiras, tem-se revelado como ajuda proveitosa unidade das famlias, oferecendo, alm disso, possibilidade eficiente de formar os pais de famlia, os jovens e as crianas, para que sejam testemunhas firmes da f em suas respectivas comunidades.
  • Slide 25
  • 338 (Cap. 6) Centros Educativos Catlicos Prope-se que nas instituies catlicas a educao na f seja integral e transversal em todo o currculo, levando em considerao o processo de formao para encontra a Cristo e para viver como discpulos missionrios e inserindo nela verdadeiros processos de iniciao crist. Ao mesmo tempo, recomenda-se que a comunidade educativa (diretores, mestres, pesso