Click here to load reader

EXPLORAÇÃO DE LOTERIAS E AUTORIZAÇÃO DE · PDF fileMilso Nunes Veloso de Andrade 2 Exploração de loterias e autorização de sorteios, pela Caixa Econômica Federal Nota Técnica

  • View
    219

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of EXPLORAÇÃO DE LOTERIAS E AUTORIZAÇÃO DE · PDF fileMilso Nunes...

  • EXPLORAO DE LOTERIAS EEXPLORAO DE LOTERIAS EEXPLORAO DE LOTERIAS EEXPLORAO DE LOTERIAS E

    AUTORIZAO DE SORTEIOS, PELAAUTORIZAO DE SORTEIOS, PELAAUTORIZAO DE SORTEIOS, PELAAUTORIZAO DE SORTEIOS, PELA

    CAIXA ECONMICA FEDERALCAIXA ECONMICA FEDERALCAIXA ECONMICA FEDERALCAIXA ECONMICA FEDERAL

    MMMMILSO ILSO ILSO ILSO NNNNUNES UNES UNES UNES VVVVELOSO DE ELOSO DE ELOSO DE ELOSO DE AAAANDRADENDRADENDRADENDRADEConsultor Legislativo da rea VII

    Sistema Financeiro, Direito Empresarial, Direito Econmico,Defesa do Consumidor e Finanas em Geral

    ABRIL/2008

  • Milso Nunes Veloso de Andrade 2

    Explorao de loterias e autorizao de sorteios, pela Caixa Econmica Federal Nota Tcnica

    SUMRIO

    1 - INTRODUO ...............................................................................................................................................3

    2 - COMPETNCIA LEGISLATIVA DA UNIO.......................................................................................4

    3. COMPETNCIA EXECUTIVA: EVOLUO NORMATIVA INFRACONSTITUCIONAL.....73.1 Explorao oficial de loterias ......................................................................................................................73.2 A CEF como detentora da exclusividade de explorao das loterias federais ....................................73.3 Autorizao de sorteios................................................................................................................................83.4. A CEF como autorizadora de sorteios...................................................................................................10

    4 - A NATUREZA JURDICA DA CAIXA ECONMICA FEDERAL (CEF) ...................................12

    5 - CONSTITUCIONALIDADE DA ATRIBUIO DE COMPETNCIA, CEF, PARAEXPLORAO DE LOTERIAS E AUTORIZAO DE SORTEIOS ........................................15

    5.1 Quanto explorao de loterias ...............................................................................................................155.2 Quanto autorizao de sorteios .............................................................................................................16

    6 - CONCLUSES ..............................................................................................................................................186.1. Concluses sobre a competncia legal da CEF para explorao de loterias ....................................186.2. Concluses sobre a competncia legal da CEF na autorizao de sorteios .....................................196.3. Concluses sobre aspectos de (in)constitucionalidade ........................................................................19

    ANEXO I: DECRETO-LEI N 3.688, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941.................................................21

    ANEXO II: DECRETO-LEI N 204, DE 27 DE FEVEREIRO DE 1967.............................................22

    ANEXO III: DECRETO-LEI N 759, DE 12 DE AGOSTO DE 1969 ..................................................24

    ANEXO IV: LEI N 5.768, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1971 ...............................................................25

    2008 Cmara dos Deputados.

    Todos os direitos reservados. Este trabalho poder ser reproduzido ou transmitido na ntegra, desdeque citados o autor e a Consultoria Legislativa da Cmara dos Deputados. So vedadas a venda, areproduo parcial e a traduo, sem autorizao prvia por escrito da Cmara dos Deputados.

    Este trabalho de inteira responsabilidade de seu autor, no representando necessariamente a opinioda Cmara dos Deputados.

    Cmara dos DeputadosPraa 3 PoderesConsultoria LegislativaAnexo III - TrreoBraslia - DF

  • Milso Nunes Veloso de Andrade 3

    Explorao de loterias e autorizao de sorteios, pela Caixa Econmica Federal Nota Tcnica

    EXPLORAO DE LOTERIAS E AUTORIZAO DEEXPLORAO DE LOTERIAS E AUTORIZAO DEEXPLORAO DE LOTERIAS E AUTORIZAO DEEXPLORAO DE LOTERIAS E AUTORIZAO DE

    SORTEIOS, PELA CAIXA ECONMICA FEDERALSORTEIOS, PELA CAIXA ECONMICA FEDERALSORTEIOS, PELA CAIXA ECONMICA FEDERALSORTEIOS, PELA CAIXA ECONMICA FEDERAL

    1 - INTRODUO

    Este trabalho tem por objetivo estudar uma situao complexa doordenamento jurdico nacional: a atribuio de competncia, Caixa Econmica Federal, paraexplorar loterias e para autorizar sorteios realizados por empresas em geral (exceto instituiesfinanceiras) e outras entidades da sociedade civil.

    A questo envolve hierarquia e conflito de normas, sucesso de leisno tempo, inconstitucionalidade de leis distritais em conflito com a competncia legislativa daUnio, derrogao excepcional de normas de direito penal, normas legais federais emdissonncia com normas constitucionais disciplinadoras da administrao pblica indireta e doregime de atuao da empresa pblica na ordem econmica, e conflitos de interesses pblicose privados.

    A inao do Estado diante de claras subverses dos modelos jurdicosvigentes e sua lgica subjacente leva ao questionamento sobre o que deve ser mudado: acompetncia executiva sobre loterias e sorteios, hoje sob a responsabilidade da CaixaEconmica Federal, ou a prpria Constituio Federal, adaptando o Estado a circunstnciasto complexas que parece melhor deixar como est. Uma vez que correlato o assunto etambm como reflexo instigante a questo que se pe : vale o que est escrito?

  • Milso Nunes Veloso de Andrade 4

    Explorao de loterias e autorizao de sorteios, pela Caixa Econmica Federal Nota Tcnica

    2 - COMPETNCIA LEGISLATIVA DA UNIO

    A competncia para legislar sobre loterias e sorteios, no Brasil, reservada Unio, por expressa disposio do inciso XX do art. 22 da Constituio Federal de1998 (in litteris, sistemas de consrcios e sorteios). A regulao da modalidade por outro enteda federao foi rechaada pelo Supremo Tribunal Federal, no julgamento das Aes Diretasde Inconstitucionalidade n 2847-21 e 2948-72.

    Importante atentar para o voto do Ministro Carlos Ayres Britto, noprimeiro julgamento, que destaca vrios aspectos relevantes para a compreenso das questesjurdicas envolvidas no assunto em tela:

    (...) Ora, como na Constituio brasileira no h: 1) norma que tenha porcontedo a instituio em si de atividade lotrica ou sorteio; 2) normacaracterizadora da explorao de sorteio enquanto espcie de serviopblico; 3) norma excludente dos sorteios como atividade passvel deprotagonizao econmica privada como no existe nada disso, repito, aconcluso a que chego mesmo esta: impossvel a configurao de antinomia frontal entreas duas tipologias de comando: a infraconstitucional e a constitucional. como falar: sealguma ofensa ao inciso I do art. 22 da Lei Maior do Pas de se detectar namaterialidade das leis distritais que se fizeram alvo da ADI sub judice, isto somentepoder ocorrer por comparao entre essas leis e a legislao federal que faz da prtica dejogos de azar uma contraveno. Que j uma forma indireta ou reflexa de agresso aoTexto Magno. Equivale a dizer: o desrespeito Constituio dar-se- pornegao de vigncia a diploma federal, certo, mas diploma dendole simplesmente infraconstitucional.8. Convm insistir nesta minha mais que tudo respeitosa divergncia aoprimeiro calo jurdico de que se valeu o insigne relator do feito paraemitir o seu respeitvel decisum, pois fato que ele prprio, relator, funda o seu juzode inconstitucionalidade no raciocnio de que instituir loteria formaexcepcional de derrogao de normas de Direito Penal (...). Mas de quenormas de cunho penal? Seguramente as veiculadas pelo Decreto-Lei federal n 204, de27 de fevereiro de 1967, cujos arts. 50 e 513 fazem da prtica de jogos de azar umacontraveno.

    1 05/08/2004 TRIBUNAL PLENO - AO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 2.847-2 DISTRITOFEDERAL - RELATOR : MIN. CARLOS VELLOSO - REQUERENTE(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPBLICA- REQUERIDO(A/S) : GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL - REQUERIDO(A/S) : CMARA LEGISLATIVADO DISTRITO FEDERAL - EMENTA: CONSTITUCIONAL. LOTERIAS. LEIS 1.176/96, 2.793/2001, 3.130/2003 e232/92, DO DISTRITO FEDERAL. C.F., ARTIGO 22, I E XX. I. A Legislao sobre loterias da competncia da Unio:C.F., art. 22, I e XX. II. Inconstitucionalidade das Leis Distritais 1.176/96, 2.793/2001, 3.130/2003 e 232/92. III. ADIjulgada procedente.2 03/03/2005 TRIBUNAL PLENO - AO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 2.948-7 MATO GROSSO -RELATOR : MIN. EROS GRAU - REQUERENTE(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPBLICA -REQUERIDO(A/S) : GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO - REQUERIDO(A/S) : ASSEMBLIALEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO - EMENTA: AO DIREITA DEINCONSTITUCIONALIDADE. 2 DO ARTIGO 62 DA LEI N. 7.156/99 DO ESTADO DO MATO GROSSO.INSTALAO E OPERAO DE MQUINAS ELETRNICAS DO JOGO DE BINGO NAQUELE ESTADO-MEMBRO. MATRIA AFETA COMPETNCIA PRIVATIVA DA UNIO. INCONSTITUCIONALIDADEFORMAL. 1. A Constituio do Brasil determina expressamente que compete Unio legislar sobre sistemas de consrcios esorteios (art. 22, inciso XX). 2. A explorao de loterias constitui ilcito penal. Nos termos do disposto no art. 22, inciso I, daConstituio, lei que opera a migrao dessa atividade do campo da ilicitude para o campo da licitude de competnciaprivativa da Unio. 3. Pedido de declarao de inconstitucionalidade julgado procedente.3 H um equvoco na remisso legal. Os arts. 50 e 51, que criminalizam a explorao de jogo de azar e a extrao de loteriasem autorizao legal, so da Lei das Contravenes Penais (Decreto-lei n 3.688, de 3 de outubro de 1941). O Decreto-lei n204, de 1967, o que descriminaliza a atividade de explorao de loterias pela Unio, em regime de exclusividade e a qualificacomo servio pblico no passvel de concesso. Os referidos diplomas legais so transcritos, respectivamente, nos Anexos Ie II.

  • Milso Nunes Veloso de Andrade 5

    Explorao de loterias e autorizao de sorteios, pela Caixa Econmica Federal No

Search related