festa junina do csa - COLÉGIO SANTO AMÉ .II Sarau de Poesia Entrevista com Bernard Charlot Por

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of festa junina do csa - COLÉGIO SANTO AMÉ .II Sarau de Poesia Entrevista com Bernard Charlot Por

  • julho - 2009 - n2

    festa junina do csaagora com os alunos do maternal

    Ensino MdioSemana das Profisses 2009

    Projetos EspeciaisII Sarau de Poesia

    Entrevista com Bernard Charlot Por que ir escola?

  • LaBoRa - publicao do colgio santo amricoRua Santo Amrico, 275 - CEP 05629-900 - So Paulo / SP

    Tel.: (11) 2244-1888 - Fax: (11) 2244-1831e-mail: samerico@csasp.g12.br http://www.csasp.g12.br

    conselho editorialDom Andr M. Celis, Reitor;

    Dom Gabriel Irffy, Reitor emrito;Gensio Brianti Filho, diretor de administrao escolar;

    Elenice Lobo, diretora Pedaggica;Regina Clia Tocci Di Giuseppe, diretora tico-Religiosa;

    Antonio Luiz Laurindo, diretor de admisses e ouvidor

    jornalista Responsvel / edio, Redao e RevisoSimone Greco (MTb 25.569) - simone@csasp.g12.br

    Redator e Revisor assistenteVolnei Valentim (MTb 14.941) - volnei@csasp.g12.br

    Projeto e Produo Grfica Dagui Design - www.dagui.com.brfotos Clvis Ferreira - Digna Imagem,

    Arquivo CSA, Danilo Pegoraro e Welber Osti foto da capa Clvis Ferreira - Digna Imagem

    aluna da capa Valentina Lagan Jordo Boyadjian, do Maternal

    julho - 2009 - n2

    3 Ponto de Vista Por que ir escola? Entrevista com Bernard Charlot

    5 educao O exerccio da democracia no MONU-EM

    6 acontece 8 ensino Mdio

    Semana das Profisses 2009

    10 em foco O Sucesso da Festa Junina do CSA

    13 Projetos especiais II Sarau de Poesia

    14 aPM associao de Pais e MestresFesta das Mes

    16 obras sociais Educar para a solidariedade

    17 aea - associao de ex-alunosVenha fazer a diferena!

    18 formao continuadaFormao de professores

    19 Viver a Religio O verdadeiro significado da Pscoae

    m p

    au

    ta

    expediente

    op

    ini

    o

    primorar cada vez mais seu projeto educacional uma das metas do Colgio Santo Amrico, refletida nesta segunda edio de 2009 da

    Revista Labora por meio de diversas iniciativas. Sem dvida alguma o PROSA Centro de Estudos da escola, inaugurado no incio deste ano, deixa transparecer a vontade de aperfeioamento do CSA ao discutir temas relacionados educao. Inclusive um dos palestrantes, Bernard Charlot, d entrevista primorosa a esta edio, levando-nos a refletir, para alm das respostas-chavo, qual realmente o sentido de estudar. Se um deles o prazer pela mobilizao intelectual, as simulaes do MONU-EM so exemplares. Ao longo de quatro dias, os alunos prolongaram as discusses at a noite, demonstrando satisfao mpar em participar da atividade. No mesmo patamar encontram-se o II Sarau de Poesias, que mobilizou os estudantes em torno do prazer de se preparar e realizar o evento, e a Semana das Profisses, que mostrou aos alunos do Ensino Mdio profissionais absolutamente envolvidos com o que fazem e o quanto isso fundamental para se ter sucesso na carreira e na vida.

    Alm do prazer pelo estudo, esta edio da Revista Labora mostra outro tipo de prazer oferecido pelo CSA. As festas junina e do Dia das Mes manifestam o quanto importante para o colgio reunir a comunidade Santo Amrico para que todos vivenciemos momentos de alegria e confraternizao.

    Uma tima leitura!

    Departamento de Comunicao

    afoto: Clvis Ferreira - Digna Imagem

  • 3

    Labora: O que dizer s crianas e jovens

    quando perguntam: Por que devo ir es-

    cola? Por que devo estudar?

    Bernard charlot: No sei se deveramos

    responder. O melhor seria devolver a per-

    gunta para ver o que eles responderiam,

    para entrar na lgica deles. No entanto,

    se eu tivesse de responder, eu diria, em

    primeiro lugar, que s se torna realmente

    um ser humano quem se apropria do que

    foi criado pela espcie humana no decorrer

    da sua histria. O homem a nica espcie

    que educada; precisa de quase 20 anos

    de educao, um quarto de sua vida, por-

    que quando nasce no est pronto para

    viver no mundo, e vai poder faz-lo ao se

    apropriar de uma parte do que todas as

    geraes anteriores criaram. A segunda

    resposta seria: pelo prazer. Pelo prazer de

    entender melhor o mundo, a vida; de saber

    como se relacionar melhor com os outros;

    para melhor compreender a si mesmo; e

    tambm pelo prazer de se sentir cada vez

    mais inteligente, mais capaz de entrar em

    novos mundos, de resolver novos proble-

    mas. E somente no final eu diria que na

    nossa sociedade necessrio aprender

    muitas coisas para depois poder se tornar

    autnomo e ter um trabalho.

    Labora: O que os pais podem fazer ou dizer

    a um filho que no gosta de estudar?

    charlot: Acho que esse um dever prin-

    cipalmente da escola. No se trata de

    esperar dos pais um discurso que faa com

    que o filho goste de estudar sem que as

    prticas pedaggicas sejam modificadas.

    esse o problema fundamental: a escola

    deve ter mais prticas que estimulem a

    atividade intelectual do aluno, permitam

    a ele entender o sentido do que se ensina

    P o n t o d e V i s t a

    Por que ir escola?entrevista comBernard charlot

    Doutor e livre-docente em

    Educao pela Universidade

    de Paris X, professor emrito

    em Cincias da Educao da

    Universidade de Paris VIII e

    atualmente professor visitante

    no Programa de Ps-graduao

    em Educao da Universidade

    Federal de Sergipe, Bernard

    Charlot inaugurou o PROSA

    Centro de Estudos do Colgio

    Santo Amrico, em maro

    deste ano, com palestra sobre

    prticas pedaggicas. Autor

    de inmeros artigos e livros,

    publicados em 16 pases, em

    entrevista exclusiva Revista

    Labora Charlot responde a

    questes sobre educao,

    eludindo o senso comum e

    instigando-nos a repensar qual

    realmente o seu sentido.

    por simone Greco

    ... (deve-se estudar) pelo prazer de entender melhor o mundo, a vida; de saber como se relacionar melhor com os outros; para melhor compreender a si mesmo; e tambm pelo prazer de se sentir cada vez mais inteligente...

    e possibilitem que tenha mais prazer em

    estudar. Os alunos tm de se mobilizar

    intelectualmente. O que os pais poderiam

    fazer? A maioria diz ao filho: Estude para ter

    um bom emprego mais tarde. Acho que se-

    ria mais interessante os pais perguntarem

    para o filho: O que voc quer da sua vida, do

    seu futuro? Como voc acha que vai viver?

    Por outro lado, podem ajudar mostrando

    prazer pessoal em aprender, seja o prazer

    de ler, de se informar, de fazer um curso.

    Quanto aos professores, digo a eles que

    poderiam se tornar mais professores de

    questionamentos e menos professores

    de respostas. Quando se comea por um

    questionamento por exemplo, por que

    os peixes se afogam no ar e os homens

    na gua? Por que o cu azul? , ele se

    torna um desafio a ser resolvido, e assim

    o contedo ensinado adquire sentido. Um

    grande epistemlogo, Bachelard, disse que

    todo e qualquer conhecimento sempre

    resposta a uma pergunta. Seno, so s

    contedos que se tem de decorar para o

    dia da prova.

    foto

    : Yan

    Cha

    rlot

  • 4

    Labora: H alunos que gostam de estudar, mas que tm vergonha de

    ser tachados de nerds. O que pais e professores podem fazer diante

    dessa questo?

    charlot: Isso resulta do ambiente geralmente muito competitivo da

    escola. E na medida em que h competio, os bons resultados de

    um aluno so uma humilhao para os outros. Se a escola fosse mais

    cooperativa, se promovesse mais processos de ajuda entre o aluno

    bom e os outros, o fato de um aluno ser bom poderia ser considerado

    algo positivo para todo o grupo. Esse problema tambm remete ao

    que acabei de dizer na resposta anterior. A partir do momento em que

    os alunos no entendem o sentido da escola, eles a percebem como

    um lugar em que tm a obrigao de aprender coisas que no fazem

    muito sentido e no do muito prazer. O bom aluno, geralmente, sente

    prazer em aprender; mas os outros no entendem isso. Para esses,

    o bom aluno s algum que no resiste obrigao imposta pelos

    adultos de estudar assuntos que eles consideram chatos. De certa

    forma, o nerd um traidor, um colaborador que no resiste lgica

    da escola e que tambm no sabe curtir a vida. Assim, seria bom se a

    escola propiciasse outras situaes de vida, alm de estudar, em que

    o bom aluno pudesse ocupar outro papel, como ser parceiro de futebol,

    algum que cante etc. Mas quando na escola o aluno tem apenas de

    estudar o que no estou criticando, porque a vocao nmero um

    da escola , o bom aluno percebido como algum que estuda coisas

    chatas e de certa forma prejudica os outros.

    Labora: Voc acha que atualmente, na nossa sociedade, acontece

    uma desvalorizao do estudo?

    charlot: complicado. H uma valorizao por meio de todo o discurso

    sobre a sociedade do saber e do fato de quem estuda muito ter uma

    melhor situao socioprofissional mais tarde. A personagem do cien-

    tista, por exemplo, ainda valorizada no imaginrio. Por outro lado, o

    que mais valorizado em nossa sociedade no mais o saber, mas

    claramente o dinheiro. Uma pessoa sonha em ter um quadro de um

    grande pintor no para pendur-lo na sua parede, mas para vend-lo

    por uma fortuna. Por outro lado, h ainda a questo do vestibular. A

    partir do momento em que h a presso do vestibular sobre a escola,

    os professores e os alunos, o vestibular passa a ser mais importante

    que o prprio saber. Quantos p