Formação de Avaliadores Externos

  • View
    31

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Formação de Avaliadores Externos. Avaliação externa da dimensão científica e pedagógica (An 2-a ) BF3 e 4 2013-2014. Formador. OBJETIVOS. - PowerPoint PPT Presentation

Text of Formação de Avaliadores Externos

  • *Formao de Avaliadores Externos

    FormadorAvaliao externa da dimenso cientfica e pedaggica (An2-a)

    BF3 e 42013-2014

    FORMAO ADD-FORMADORA Regina Parente, 08

  • OBJETIVOSDesenvolver competncias no mbito da observao de aulas, designadamente na aplicao de instrumentos de registo e utilizao dos parmetros nacionais de AE;Promover o trabalho colaborativo e partilha de experincias entre AE.

    *

  • SUMRIO3.3. Observao de aulas: instrumentos, intervenientes e tcnicas 6 horas3.3.1. Observao e avaliao no contexto das prticas profissionais docentes3.3.2. Componentes da observao: interao observador-observado, postura do observador, mtodos de observao, objeto de observao e instrumentos de observao3.3.3. Observao de aulas no atual regime de avaliao de desempenho docente: quadro de referncia, frequncia, durao, metodologia e instrumentos de registo.3.3.4. Objetividade e subjetividade da observao de aulas3.3.5. Observao, colaborao e reflexo*

  • *METODOLOGIA DA SESSO: 1 Momento:

    Dimenso reflexiva (durao: )

    2 Momento:

    Dimenso prtica(durao: )

  • OBSERVAO DE AULASATIVIDADEMetodologia: Trabalho individual + grupo turma1 momento Observao Apresentao de uma imagem: O que observam?2 momento Registo da informao registo da informao a partir da imagem;3 momento brainstorming/discusso- A partir dos registos individuais realizar um brainstorming (com registo no quadro) para promover o debate e discusso reflexiva tendo em conta a objetividade /subjetividade no ato de observar; competncia/desempenho; tipo de observao; instrumentos de registo; indicadoresTempo: 75 minutos

  • *O que observam? ...observao (10 minutos) /registo (15 minutos)

  • A avaliao , fundamentalmente, um processo de apreciao e de juzo

    Avaliao da componente cientfico - pedaggica: o desempenho do docente

  • Avaliao (De Ketele, 2010)Um processo que consiste em recolher um conjunto de observaes pertinentes, vlidas e fiveis e em confrontar este conjunto de observaes com um conjunto de critrios coerentes com referentes pertinentes (processo de juzo) com a finalidade de fundamentar uma tomada de deciso adequada funo pretendida.*

  • *Segundo Tardif et al. (2010), toda a avaliao rigorosa tem por base trs pilares:Cognio - Uma conceo, uma representao do que ser avaliado;Observao - Uma seleo de provas;Interpretao Apuramento de critrios para realizar um juzo e tomar decises. Avaliao *

  • (Adaptado de Passos, A. , 2008)quantidade de esforo que um profissional se predispe despender na realizao de uma atividade profissionalCompetncia = saber fazerDesempenho = Capacidade + Motivao + Competnciasendo Capacidade = aptido + formao + recursosMotivao = desejo + empenho

    AVALIAO DO DESEMPENHO DO DOCENTE

  • OBSERVAO*

  • Construo do projeto de observao*

  • Desempenho o qu?SituaoAes Representaes Investigar o comportamento em situao*

  • Uma situao pode ter vrios dispositivos*

  • H muito pouca coisa que observvel os objetos so compsitos*

  • Desempenho em sala de aula

    Aes desenvolvidas pelo professor, na sala de aula

    Estrutura (fases/durao/sequncia)Tarefas realizadas (natureza/origem/grau de estruturao/sistematizao/avaliao)Discurso na aco (papel do professor e do aluno)Ambiente (ritmo/envolvimento dos alunos/relao entre professor e alunos e alunos entre si)

    (Adaptado de Santos, L., 2008)

  • ROTEIRO: Processo de observao de aulas

    Processo de EnsinoDomnio de contedos

    Regulao

    Gesto dos incidentes crticos

    Procedimento pedaggico (indutivo, dedutivo)

    Considerao dos progressos

  • ROTEIRO: Processo de observao de aulas

    Processo de AprendizagemConsiderao dos conhecimentos prvios dos alunos

    Interpretao dos comportamentos

    Interpretao dos conhecimentos

    Variedade das situaes de aprendizagem

  • ROTEIRO: Processo de observao de aulas

    Pilotagem pedaggicaDefinio do enquadramento

    Anncio dos objetivos

    Explicitao de noes novas

    Reformulaes se necessrio

    Tempo de palavra VS tempo de atividade dos alunos

    Acompanhamento individualizado dos alunos

    Sntese das atividades desenvolvidas

  • ROTEIRO: Processo de observao de aulas

    Material pedaggicoUtenslios de comunicao com os alunos

    Fichas de Trabalho (para as atividades)

    Suportes pedaggicos (documentos de trabalho)

    Utenslios de aprendizagem (computadores, quadro, fichas)

    Instrumentos de avaliao

  • ROTEIRO: Processo de observao de aulas

    Relao com o grupo de alunosComportamento geral

    Gesto do espao

    Comunicao verbal e no verbal

    Autoridade

    Resposta s questes colocadas

    Gesto equitativa dos alunos

  • ROTEIRO: Processo de observao de aulas

    Relao no interior do grupo

    Interesse demonstrado pelos alunos

    Interao entre alunos

    Compreenso das aprendizagens

  • Tcnicas de observao

    Sobre o que observar?Adaptado de Damas, M. & De Ketele, J. (1985)*

    ObjetoMtodoInstrumentoFactos

    Foco na situao, comportamento ou interao entre pessoasAtributiva

    ou

    NarrativaListas de verificao

    Entrevista

    Grelhas de Observao

    Questionrios

    Painel de discusso

    Dirio

    Porteflio

    Anlise de casos

    Histrias de vida

    Escalas de apreciao

    Amostragem temporal

    Registo de intervalos

    ()Representaes

    Foco nas ideias, opinies e percees sobre as coisas e comportamentos

  • Algumas regras de observao

    Observar mais que olhar !

    *

    SimplicidadeFocalizao / intencionalidade (qualidade/quantidade)Flexvel / Disponibilidade do observadorExequibilidadeDescritiva Temporalizar (datada e sequenciada)Coerncia entre o objeto e evidncia registadaContextualizada ()

  • Algumas regras de observao

    Observar mais que olhar !

    *

    Erros a evitar Interpretar as aes do professor

    Esquecer o objeto de observao

    Ignorar o ponto de vista do professor

    Registar apenas os dados negativos

    Avaliar comportamentos, mais que descrever

    Incluir pr concees (Efeitos de: halo, esteretipo, tendncia central e efeito de generosidade ou rigor)

    ()

  • EFEITOS PSICOLGICOS*

  • Principais efeitos a evitar na avaliao do desempenho...1. Efeito de Halo/Horn Acontece quando o avaliador segue um mesmo raciocnio durante toda a avaliao, seja o de avaliar de forma positiva (efeito de Halo) ou negativa (efeito de Horn). Se o avaliado bom em determinada tarefa, automaticamente ser bom em todas ou o contrrio.

    2. Efeito de Tendncia Central o denominado famoso meio termo. Seja por medo, insegurana o avaliador atribui notas medianas, como 5 ou 6, por exemplo, a fim de no prejudicar as pessoas ou, ainda, ter que justificar notas muito altas no futuro.

    3. Efeito de Recenticidade - O avaliador usa apenas a sua memria recente para atribuir notas aos seus avaliados. Assim, usa apenas os acontecimentos mais recentes, sejam eles bons ou menos bons, para avaliar o desempenho.

    *

  • 4. Efeito constante (Complacncia/Rigor excessivo) O avaliador adota o seu prprio padro de desempenho. Assim, alguns avaliadores parecem muito complacentes, enquanto outros rigorosos demais. Definir conjuntamente um padro de desempenho essencial para reduzir o efeito das caractersticas pessoais.

    5. Efeito de "primeira impresso - L diz o ditado "a primeira impresso a que fica"? As pessoas mudam e merecem ser reconhecidas pelo seu desenvolvimento profissional.

    6. Efeito de semelhana (autoidentificao) - Os avaliadores tendem a avaliar de forma mais positiva aqueles que possuem os mesmos interesses, a mesma formao profissional, ou os mesmos gostos pessoais.)Principais efeitos a evitar na avaliao do desempenho...*

  • 7. Efeito de fadiga/rotina - Depois de preencher a 52. ficha, o avaliador no consegue j distinguir as diferenas entre as pessoas. importante que as avaliaes no sejam feitas de forma contnua, a fim de evitar o cansao e os erros de avaliao por causa da fadiga.

    8. Efeito de incompreenso do significado dos critrios de avaliao - Se estes no estiverem claramente definidos, podero ocorrer erros de interpretao e ocasionar distores nos resultados.

    Principais efeitos a evitar na avaliao do desempenho...*

  • Avaliao da componente cientfico e pedaggica da ADD

    Proceder observao de aulas;Aplicar instrumentos de registo requeridos para a avaliao externa da dimenso cientfica e pedaggica, tendo por referncia os parmetros nacionais;Proceder avaliao das aulas observadas;Emitir parecer sobre o relatrio de autoavaliao do docente relativamente s aulas observadas;Articular com o avaliador interno o resultado final da avaliao da dimenso cientfica e pedaggica dos docentes sujeitos avaliao externa.

    Ao avaliador externo compete

  • Avaliao da componente cientfico e pedaggica da ADD Orientar a sua ao em benefcio da aprendizagem dos alunos;Selecionar as melhores abordagens de ensino;Criar um ambiente educativo assente em valores comummente reconhecidos, tratando os alunos com a dignidade que esses valores preconizam e assegurando que eles procedam do mesmo modo; Ter presente a especificidade dos papis de aluno e de educador/professor, no deixando de considerar as fronteiras que lhe so inerentes

    Ao avaliado compete

  • Avaliao da componente cientfico - pedaggica da ADD Desenvolver os processos de reflexo e de autorreflexo sobre as suas prticas;

    Elaborar relatrio de autoavaliao das aulas observadas.

    Ao avaliado compete

  • INTERVENIENTES E ETAPAS DEAEDD *

  • Momento de pr-observao

    Agenda de observaoInformao dos