Inteligência e Desempenho Acadêmico: Revisão de .- nível III - até as dimensões específi

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Inteligência e Desempenho Acadêmico: Revisão de .- nível III - até as dimensões específi

  • ISSN 1413-389X Trends in Psychology / Temas em Psicologia 2014, Vol. 22, n 2, 285-299 DOI: 10.9788/TP2014.2-02

    Inteligncia e Desempenho Acadmico: Reviso de Literatura

    Felipe Valentini1Universidade Salgado de Oliveira Universo, Niteri, Rio de Janeiro, Brasil

    Jacob Arie LarosDepartamento de Psicologia Social e do Trabalho da Universidade de Braslia,

    Braslia, Distrito Federal, Brasil

    ResumoA inteligncia um aspecto importante para a compreenso do desempenho acadmico dos estudantes. Nesse contexto, buscou-se revisar a literatura recente sobre a relao entre a inteligncia e o desempe-nho acadmico, destacando as variveis que podem infl uenciar essa relao. Os artigos revisados foram classifi cados em nove categorias segundo o contedo das variveis que foram investigadas em relao inteligncia e ao desempenho acadmico. Essas categorias referem-se s caractersticas de persona-lidade, sexo, cognio, etnia, aspectos positivos, disfuncionais, socioeconmicos, pessoais e aspectos da escola. Os artigos revisados indicam evidncias de que as caractersticas de personalidade, como responsabilidade e autodisciplina, esto relacionadas, de maneira positiva, ao desempenho acadmico. Outros aspectos como a criatividade, a motivao e a autopercepo de desempenho tambm podem explicar o desempenho. A reviso apresenta, ainda, as principais lacunas da literatura cientfi ca e as direes para as pesquisas futuras.

    Palavras-chave: Inteligncia, habilidades cognitivas, desempenho acadmico.

    Intelligence and Academic Achievement: Literature Review

    AbstractIntelligence is an important variable in the pursuit to comprehend academic achievement. The present study aimed to review the literature with regard to the relation between intelligence and academic achie-vement, highlighting variables that may infl uence this relation. The reviewed articles were classifi ed into nine categories according to the main variables that have been investigated in relation to intelligence and academic achievement. These categories are related to personality traits, gender, cognition, ethnicity, positive and dysfunctional aspects, socioeconomic status, personal and school aspects. The reviewed ar-ticles indicate evidence that personality characteristics such as responsibility and self-discipline are po-sitively associated with academic achievement. Other factors like creativity, motivation, self-perceived performance also seem to explain academic achievement. Furthermore, the main shortcomings of the scientifi c literature and directions for future research are presented.

    Keywords: Intelligence, cognitive abilities, academic achievement.

    1 Endereo para correspondncia: Laboratrio Meta, Sala A1-061/4, Universidade de Braslia, Campus Darcy Ribeiro, Braslia, DF, Brasil, 70910-900. E-mail: valentini.felipe@gmail.com e jalaros@gmail.com

    Apoio e agradecimentos: O presente manuscrito foi desenvolvido com o apoio da Coordenao de Aperfei-oamento de Pessoal de Nvel Superior (CAPES). Os autores agradecem as importantes contribuies dos pesquisadores Dr. Ricardo Primi, Dra. Cludia Cristina Fukuda, Dra. Juliana Barreiros Porto, Dra. Isolda Arajo Gnther e Ms. Fabiana Damsio.

  • Valentini, F., Laros, J. A.286

    Inteligencia y Rendimiento Acadmico: Revisin de Literatura

    ResumenLa inteligencia es una variable importante para la comprensin del rendimiento de los estudiantes. El presente estudio tuvo como objetivo revisar la literatura reciente sobre la relacin entre la inteligencia y el rendimiento acadmico, destacando las variables que pueden infl uir en esta relacin. Los artculos revisados fueron clasifi cados en nueve categoras, de acuerdo a las variables que se han investigado en relacin con la inteligencia y el rendimiento acadmico. Estas categoras se refi eren a los rasgos de per-sonalidad, sexo, cognicin, etnia, aspectos positivos y disfuncionales, socioeconmicos, aspectos perso-nales y de la escuela. Los artculos revisados indican una evidencia de que los rasgos de personalidad, como la responsabilidad y la autodisciplina, se asocian positivamente con el rendimiento acadmico. Otros factores como la creatividad, la motivacin, el rendimiento autopercibida tambin pueden explicar el rendimiento acadmico. El estudio tambin presenta las principales defi ciencias de la literatura cien-tfi ca y las direcciones para la investigacin futura.

    Palabras clave: Inteligencia, habilidades cognitivas, rendimiento acadmico.

    As relaes entre a inteligncia e o desem-penho acadmico foram avaliadas por diversos estudos. Na maioria deles foi encontrada associa-o positiva com tamanho de efeito forte (Floyd, Evans, & McGrew, 2003; Hattie, 2009; Primi, Ferro, & Almeida, 2010; Rohde & Thompson, 2007). Embora essas relaes estejam razoavel-mente bem estabelecidas na literatura cientfi ca, ainda necessrio aprofundar o conhecimento especializado sobre quais as variveis que in-fl uenciam a associao entre a inteligncia e o desempenho de estudantes. Por exemplo, um professor, que leciona com alta profi cincia de contedo, pode contribuir para o aumento no de-sempenho acadmico de um estudante com ha-bilidades cognitivas abaixo da mdia? Tais dis-cusses poderiam ampliar a compreenso terica sobre o fenmeno, bem como subsidiar polticas pblicas efi cientes.

    A presente pesquisa insere-se nesse contex-to e tem como objetivo revisar a literatura sobre as relaes entre a inteligncia e o desempenho acadmico, principalmente nas disciplinas rela-cionadas matemtica e linguagem. Buscou-se analisar os diversos aspectos apontados na litera-tura que podem infl uenciar, mediando ou mode-rando, as relaes citadas. Primeiramente, sero apresentadas as principais defi nies e modelos tericos de inteligncia. Posteriormente, sero apresentados e discutidos os principais estudos

    empricos e de meta-anlise das relaes entre a inteligncia e o desempenho acadmico.

    No que se refere defi nio de inteligncia, ainda que no consensual, os principais concei-tos englobam, de alguma forma, a capacidade para aprender relaes, utilizando conhecimen-tos prvios ou apenas o raciocnio (Almeida, 1994). Essa compreenso base para grande parte dos modelos fatoriais de inteligncia, bem como para diversos instrumentos de avaliao psicolgica. Para as baterias de inteligncia Snij- ders Oomen (SON), por exemplo, o construto em questo defi nido como a habilidade para aprender e a chance de sucesso na escola (La-ros, Reis, & Tellegen, 2010; Snijders, Tellegen, & Laros, 1989). Ou seja, a prpria defi nio da inteligncia parece estar associada capacidade de aprendizagem formal ou informal. Grande parte dos testes e estudos sobre a relao entre a inteligncia e o desempenho acadmico utilizou algum modelo fatorial de inteligncia. Portanto, a presente reviso de literatura focar os mode-los fatoriais.

    Os modelos fatoriais buscam compreender apenas estrutura latente da inteligncia. Em ou-tras palavras, os tericos dessa perspectiva esto mais interessados na taxionomia das dimenses da inteligncia, normalmente avaliada por meio de estudos psicomtricos, do que nos processos cognitivos subjacentes dinmica desse cons-

  • Inteligncia e Desempenho Acadmico: Reviso de Literatura 287

    truto. Nesse contexto, as proposies de Spear-man e Thurstone so consideradas as primeiras teorias fatoriais. Ambos queriam responder mesma pergunta: quantas e quais dimenses so necessrias para descrever, de forma efi ciente e parcimoniosa, as habilidades cognitivas? Contu-do, suas concluses so bastante distintas (Ho-gan, 2006).

    Spearman (1904) realizou estudos a partir de testes de funes sensoriais j existentes, bus-cando avaliar as correlaes entre os testes. Por meio das anlises dessas pesquisas, Spearman reuniu evidncias de relaes signifi cativas en-tre todos os testes avaliados. Tais correlaes, na viso do pesquisador, poderiam ser explicadas por uma dimenso latente subjacente aos testes especfi cos. Em outras palavras, Spearman con-cluiu que, embora os testes avaliassem habilida-des cognitivas distintas, suas associaes eram to elevadas a ponto de sustentar a existncia de uma habilidade geral, denominada fator g (Brody, 2000; Hogan, 2006).

    Thurstone (1938) discordava amplamente de Spearman. Segundo ele, uma dimenso no explicaria as especifi cidades das habilidades cognitivas. Thurstone desenvolveu um mtodo de anlise fatorial mltipla e, por meio desse mtodo, concluiu que as correlaes encontra-das entre os testes no eram sufi cientemente al-tas para sustentar a existncia de uma dimenso geral da inteligncia (Brody, 2000; Davidson & Downing, 2000; Thurstone, 1938).

    As teorias de Spearman (1904) e Thursto-ne (1938) eram antagnicas e geraram inmeras discusses sobre as dimenses tericas da inte-ligncia. Modelos posteriores ajudaram a conci-liar as duas teorias. Um desses modelos foi teo-rizado por Cattell (1943, 1963), que organizou as habilidades cognitivas em duas dimenses gerais. A primeira delas, inteligncia fl uida (Gf), envolve as habilidades de raciocnio e a capaci-dade de soluo de problemas novos. Nesse sen-tido, a inteligncia fl uida refere-se capacidade de raciocinar indutiva e dedutivamente, formar e testar hipteses para problemas novos e identifi -car relaes e conceitos subjacentes s situaes. A Gf a dimenso que est mais associada ao fator g de Spearman (Carroll, 2005; McGrew,

    2005). A segunda dimenso, denominada inteli-gncia cristalizada (Gc) est associada aquisi-o e solidifi cao dos conhecimentos formais e informais, aprendidos nas escolas ou por meio da transmisso cultural (Almeida, 1994; Cattell, 1943, 1963; Horn, 1994).

    Modelos mais recentes incorporaram as di-menses Gf e Gc e ampliaram a compreenso da estrutura da inteligncia. Um desses modelos foi desenvolvido por Carroll (1993, 2005). A partir de uma meta-anlise de mais de 450 es-tudos, Carroll encontrou evidncias que susten-t