Lista de Exercicios de Materiais de Construção

Embed Size (px)

DESCRIPTION

UFRN

Text of Lista de Exercicios de Materiais de Construção

1. Descreva o ciclo dos materiais desde a obteno ao ponto final.

2.

3. Como se classifica os materiais? Descreva cada um deles.

Segundo a microestrutura, os materiais slidos so agrupados em trs classes: METAIS, CERAMICOS, POLMEROS, com base na composio qumica e na estrutura atmica.

Alm desses existem ainda outros trs grupos que so cada vez mais importantes na rea de engenharia: OS COMPSITOS, OS SEMICONDUTORES E OS BIOMATERIAIS. a) MetaisComposio: combinao de elementos metlicos. Grande nmero de eltrons livres. Muitas propriedades esto relacionadas a esses eltrons livres.Ligao metlica. Propriedades gerais : Resistncia mecnica de moderada a alta,moderada plasticidade, alta tenacidade, opacos, bons condutores eltricos e trmicos.b) CermicasComposio : Combinao de elementos metlicos e nao-metalicos (xidos, carbetos e nitretos). Tipos de ligaes: Carter misto, ionico-covalente com eltrons ligados em posies definidas e fixas. Tipos de materiais : Ceramicas tradicionais, ceramicas de alto desempenho, vidros e vitro-ceramicas, cimentos Propriedades gerais : Baixa deformao a rupturaFrgil, oposto a tenacidade dos metais Isolantes trmicos e eltricos. Refratrios. Inrcia qumica. Corpos duros e frgeis.

c) Polmeros:

Composio : compostos orgnicos; Carbono, hidrogenio, oxigenio e outros elementos, tais como nitrognio, enxofre e cloro. Compostos de massas moleculares muito grandes (macro-moleculas). Tipos de materiais :Termo-plasticos, termo-rigidos. Elastomeros, flexibilidade e facilidade de conformao, tenacidade, geralmente pouco resistentes a altas temperaturas.

4. Fale sobre a importncia da construo civil e dos materiais no desenvolvimento social, econmico e na sustentabilidade.

*A construo civil o setor estratgico da economia para impulsionar e elevar o status de qualidade de vida da populao trazendo um desenvolvimento social. Com obras de Rodovias, Gerao e transmisso de energia, Ampliao do acesso a redes de agua potvel e esgoto sanitrio, Reduo do dficit habitacional e financiamento da habitao social, incentivos para aumentar os investimentos em habitao.*A construo civil de extrema importncia econmica, ao redor de 2/3 de todos os investimentos globais, em media, realizados pelas naes passam pela cadeia de construo. Essa cadeia tambm chamada de construbusiness.*A construo civil um dos macrosetores da economia que produz bens de maior dimenso fsica do planeta, sendo o maior consumidor de recursos naturais em qualquer pais do mundo.

5. Defina norma tcnicas de regulamento

Regulamento: Documento de carter obrigatrio que estabelece requisitos tcnicos, seja diretamente, seja pela referncia ou incorporao do contedo de uma norma, de especificao tcnica ou de um cdigo de prtica.NOTA - Um regulamento tcnico pode ser complementado por diretrizes tcnicas, estabelecendo alguns meios para obteno da conformidade com os requisitos do regulamento, isto , alguma prescrio julgada satisfatria para obter a conformidade. NORMAS TCNICAS SO CONSIDERADAS LEIS SECUNDRIAS E DEVEM SER OBRIGATORIAMENTE ATENDIDAS. LEIS, DECRETOS, PORTARIAS, REGULAMENTOS... TORNAM AS NORMAS OBRIGATRIAS (Ex.: NR-10 MTb, Cdigo Consumidor, Portaria INMETRO, etc.)

6. defina os objetivos das normas. Economia: Proporcionar a reduo da crescente variedade de produtos e procedimentos Comunicao: Proporcionar meios mais eficientes na troca de informao entre o fabricante e o cliente, melhorando a confiabilidade das relaes comerciais e de servios Segurana: Proteger a vida e a sade Proteo do Consumidor: Prover a sociedade de meios eficazes para aferir a qualidade dos produtos Eliminao de Barreiras Tcnicas e Comerciais: Evitar a existncia de regulamentos conflitantes sobre produtos e servios em diferentes pases, facilitando assim, o intercmbio comercial

7. Descreva o processo de elaborao e aprovao das normas.O processo se da inicio atravs de um demanda, atravs dessa demanda se faz um Programa de normatizao e dai uma elaborao do projeto de Norma, Esse projeto vai a consulta nacional e analise de votos. A elaborao do projeto de norma ate a analise de votos o processo demora entorno de 18 meses com a aprovao o projeto vira norma, com a desaprovao cria-se um novo projeto ou modifica o mesmo ate ser aprovado e se transformar em norma.

8. Descreva os tipos de normas.

9. Descreva os critrios utilizados para escolha de materiais.- Normas Tcnicas e legislao oficial;- Meio ambiente e a sustentabilidade Ambiental;- Custo e produtividade;- Aspectos estticos;- Desempenho

10. descreva e diferencie ligaes primarias e ligaes secundarias.Ligaes primrias - So ligaes atmica (fortes):Ligao inica;Ligao covalente;Ligao metlica.Ligaes secundrias -So interaes de caracterstica molecular foras de van der WallsMolculas polares;Dipolos induzidos;Pontes de hidrognio.

11. Defina espao Interatmico e energia de ligao.Espaco interatomico: a distancia de equilbrio entre os tomos, determinada por um balano entre forcas de atrao e de repulso. Por exemplo em um metal solido, o espao Interatmico igual ao dimetro do tomo ou duas vezes o raio do tomo.Energia de ligao: a energia mnima necessria para criar ou para quebrar a ligao.

12. Faca um quadro relacionado as ligaes atmicas, tipo de material e caractersticas deste.

13. O que caracteriza estrutura cristalina, molecular e amorfa?

Cristalina: Se aplica a estrutura interna de um material cujo arranjo atmico gera um modelo tridimensional ordenado e repetitivo.

Molecular: Pode ser genericamente caracterizada por um agrupamento de tomos. Na realidade, existem grupos limitados de tomos fortemente ligados entre si, formando molculas, e essas molculas se ligam entre si por meio de ligaes secundaria. A caracterstica principal dos materiais de estrutura molecular , portanto, apresentar forcas de atracao intramoleculares muito fortes. (Van der Waals)

Amorfa ou vtrea: Ao nvel de seus arranjos atmicos, so aqueles em que os tomos nao resguardam qualquer tipo de regularidade ou organizao em termos de sua disposio espacial

14. O que clula unitria? , portanto, uma subdiviso do reticulo cristalino, na qual so mantidas as caractersticas gerais de todo o reticulado. Em outras palavras, trata-se de um pequeno volume ( a unidade bsica) que contem todas as caractersticas encontradas no cristal como um todo.

15. Conceitue fase de um material.

Uma ou mais partes do material que resguarda homogeneidade do ponto de vista estrutural, ou seja, que mantem um arranjo atmico prprio. Dessa forma, se um material possui como um todo um mesmo arranjo atmico, ele dito homogneo e unifsico. Se, por outro lado, coexistem no material partes com identidades estruturais prprias, o material ser bifsico, trifsico ou, de modo genrico, polifsico, em funo do numero de partes estruturalmente homogneas existentes nesse material.

16. Diferencie soluo solida substitucional e intersticial.

A soluo solida substitucional ocorre quando o tomo de soluto tem dimenses e estruturas eletrnicas semelhantes ao tomo do solvente.A solicao solida intersticial ocorre quando a dissoluo se da nao por substituio entre tomos, mas sim pela insero de novos tomos do soluto em interstcios ou espao entre tomos do solvente.

17. Defina:

A) Modulo de elasticidade O mdulo de elasticidade a constante de proporcionalidade entre a tenso e a deformao.

B) Coeficiente de Paisson - No regime elstico alm da deformao no sentido de aplicao da carga ocorre uma deformao no sentido transversal (Ex). A relao entre estas duas deformaes denominada coeficiente de Poisson.

C) Plasticidade a capacidade que tm os corpos de se tornarem delgados at formarem lminas, sem se romperem (ex: a argila).

D) Ductilidade - a capacidade que tm os corpos de se reduzirem a fios sem se romperem (a argila tem boa plasticidade e pequena ductilidade).Ex: cobre e alumnio.

E) Tenacidade a resistncia que opem ao choque ou percusso (ex: o vidro tem grande dureza, mas pequena tenacidade). aenergia mecnica, ou seja, o impacto necessrio para levar um material ruptura. Relacionado a capacidade de absorver energia.

F) Fluencia -Alm das deformaes instantneas, os materiais tambm podem sofrer deformaes ao logo do tempo. Estas so conhecidas como deformaes lentas e a principal a fluncia. A fluncia uma acomodao interna do material sob o efeito de uma carga constante.Caracteriza-se por ser uma deformao visco-elastica, ou seja, ocorre em decorrncia da expulso de fluidos do interior do material (poros). Assim, est restrita a materiais porosos.

G) Fadiga Rupturas por fadiga resultam de aplicaes repetidas de tenso. A ruptura em muitos materiais ocorre com tenses bem abaixo da tenso de ruptura se o carregamento for aplicado repetidamente.

H) Fragilidade -afragilidadese defina mais propriamente como a capacidade de um material de fraturar-se com pouca deformao.

I) Resilincia Propriedade similar a tenacidade e est relacionada a absoro de energia. Entretanto, neste caso, a energia deve ser absorvida elasticamente. Ex: madeira, borracha.

18- Represente graficamente o comportamento de um material dctil quando submetido a trao. Definindo os pontos caractersticos deste grfico.