of 30 /30
O INTERVENCIONISMO NORTE AMERICANO Com foco na Síria

O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia 431)

Embed Size (px)

Citation preview

Page 1: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

O INTERVENCIONISMO NORTE AMERICANO

Com foco na Síria

Page 2: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 3: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

• Localização Geográfica: América do Norte• Coordenadas Geográficas: 38 00 N, 97 00 W• Limites geográficos:

Canadá (norte); México (sul); Oceano Atlântico (leste);Oceano Pacífico (oeste)

• Área: 9.372.614 km²• Fronteiras com:

México e Canadá.• Extensão do litoral:

19.924 km

Page 4: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

• Clima: temperado continental (Leste), subtropical (Sudeste), de montanha (centro e Montanhas Rochosas), árido tropical (Sudoeste), mediterrânico (costa Oeste), árido frio (Noroeste).

• Relevo: planície central (Grandes Planícies); presença de montanhas na região centro-oeste (Montanhas Rochosas); colinas e montanhas baixas no leste.

• Vegetação: na costa leste e noroeste há predominância de florestas temperadas; mangues na região da península da Flórida; na costa do Alasca encontramos a Tundra; presença de estepes na Grande Planície Central, vegetação de deserto é encontrada na fronteira com o México.

Page 5: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 6: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

• Principais setores econômicos: indústria, tecnologia, finanças, agricultura, mineração e turismo

• Principais regiões industriais: sudeste, nordeste e costa leste (principalmente Califórnia)

• Moeda: Dolár americano (símbolo USD)

• Crescimento do PIB em 2012: 2,2%

• PIB: US$ 15,8 trilhões (2012) * maior PIB mundial

• PIB per capita: US$ 49.000 (estimativa 2012)

• População abaixo da linha de pobreza: 15,1% (ano de 2010)

• Taxa de desemprego: 7,8% (2012)

Page 7: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 8: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

• Localização: Oriente Médio

• Área: 185.180 km²

• Capital: Damasco

• População: 22,5 milhões

• Divisão administrativa: 14 distritos

• Nome Oficial: República Árabe da Síria

• Governo: república presidencialista

• Cidades Principais: Alepo, Damasco, Homs, Al Ladhiqiyah

• Clima: mediterrâneo na parte litorânea e árido no interior

Page 9: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 10: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

• Composição da População: árabes sírios (90%), curdos (5,9%), circassianos, armênio e turcos (4,1%) Idioma: árabe (oficial) e curdo.

• Religião: islamismo (92,1%), cristianismo 95,2%), ateísmo e sem religião (2,7%).

Page 11: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 12: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

• PIB (Produto Interno Bruto): US$ 107,6 bilhões (estimativa 2011)

• PIB per capita: US$ 5.100 (estimativa 2011)

• Força de trabalho: 5,6 milhões (2011)

• Moeda: libra síria

• Principais atividades econômicas: agricultura, exploração de petróleo e gás.

Page 13: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 14: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

EUA x Síria• INFLUÊNCIA POLÍTICA DOS EUA: Os EUA exercem um grande poder

sobre os organismos financeiros internacionais, forçando a abertura da economia de países subdesenvolvidos.

• INFLUÊNCIA POLÍTICA DA SÍRIA: Depois da morte do presidente Hafiz, seu filho, Bashar al-Asad, foi aprovado como presidente por referendo popular, em julho de 2000. As revoltas que derrubaram ditadores em alguns países do mundo árabe, conhecidas como “primavera árabe”, também chegaram à Síria, onde grande parcela da população deseja ver a queda do governo de Bashar al Assad; a outra parte, porém, por medo de partidos radicais islâmicos tomarem o poder, apoia e defende sua permanência no governo, desde que reformas constitucionais sejam feitas.

Page 15: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 16: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

• INFLUÊNCIA MILITAR DOS EUA: Desde o final da Segunda Guerra foram realizados elevados investimentos em poder bélico, até mesmo no período da Guerra fria, que podia eclodir uma guerra a qualquer momento. Eles investem 3% do seu PNB, que corresponde a 25% de todo gasto com defesa no mundo, além de um contingente de 1,5 milhão de militares que representam 1% da população economicamente ativa do país.

• INFLUÊNCIA MILITAR DA SÍRIA: A Síria é um dos cinco países que não assinaram a Convenção de Armas Químicas, então não há informações oficiais sobre a quantidade e o tipo de armas químicas que o regime de Assad possui. Serviços de inteligência ocidentais consideram como certo que o país tem estoques de armas químicas, e autoridades sírias já fizeram declarações públicas dizendo que os estoques realmente existem, mas sempre argumentando que o regime não usaria essas armas contra sua própria população.

Page 17: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

ORGANIZAÇÕES TERRORISTAS

Page 18: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

Síria:• Frente Popular para a Libertação da Palestina: atua na

Síria, Líbano, Israel e na Palestina. Surgiu na Palestina, é uma organização política e militar palestiniana de orientação marxista-leninista.

• Frente popular de Libertação da Palestina - Comando Geral: representa um grupo terrorista que surgiu na Palestina, atua na faixa de Gaza, Síria e Líbano. A sua sede encontra-se em Damasco, capital da Síria. Foi fundada em 1968 por Ahmed Jibril em resultado de uma cisão na Frente Popular para a Libertação da Palestina

• Partido dos Trabalhadores do Curdistão: corresponde a um grupo que aspira por território e independência, representa o povo curdo, age na Turquia, Iraque, Síria e Europa Ocidental.

• Ambos são listados como grupos terroristas pelos EUA, mas apenas os dois primeiros são considerados terroristas pela União Européia.

Page 19: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 20: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

EUA:• Hizbollah (Partido de Deus): desenvolve-se no Líbano, com

participantes nos Estados Unidos, Europa, Ásia, África e América do Sul. Religião é xiita, é sediada no Líbano.

• Frente Revolucionária de Libertação Popular: grupo com ideais marxistas que age na Turquia e contra os Estados Unidos. .

• Organização Revolucionária 17 de Novembro: atua na Grécia contra Estados Unidos, OTAN e União Europeia.

Page 21: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 22: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

ESCALA DO CONFLITO

• 100 mil pessoas foram mortas desde março de 2011.• 6,8 milhões de pessoas necessitem de assistência humanitária

urgente – incluindo 3,1 milhões de crianças. • 2 milhões de refugiados sírios nos países vizinhos e Norte da África. • 1,2 milhão de famílias tiveram suas casas atingidas.

Os EUA e qualquer grande potência tem interesse naregião, Oriente Médio, por causa do petróleo, por ser uma regiãoestratégica no quesito de guerras, fica bem a meio caminho tanto daEuropa como da Ásia. Os EUA não tem grandes aliados ali, só ArabiaSaudita e e Qatar. Da mesma forma que os EUA apóia o regimeradical da Arábia Saudita, eles querem replicar esse modelo na Síria.Não se trata de instalar a democracia ou de garantir barris depetróleo. Este é um conflito baseado no poder. De um lado está aSíria, Irã e Rússia; do outro, EUA e Arábia Saudita.

Page 23: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 24: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 25: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

O por quê do intervencionismo

americano?

Page 26: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 27: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

• Nas raízes americanas esta a resposta para essa questão que é de interesse mundial. Os ingleses que colonizaram o território onde hoje esta localizado EUA creem piamente no destino manifesto, que basicamente diz que o povo americano foi escolhido por deus para “manter a ordem” e “salvar” os de mais povos.

• Após a Guerra Fria o intervencionismo americano passou a ser mais evidente e normal, pois sendo economicamente superior, os EUA encontrou facilidade em predominar de todas as formas (econômica, militar, etc)

Page 28: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)
Page 29: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)

• E é justamente com o pretexto de difundir a democracia na Ásia, que os EUA está intervindo para dominar também os países orientais. Motivos é o que não falta, começando pelo petróleo e indo até o grande mercado consumidor em potencial que os americanos encontram no oriente.

Page 30: O intervencionismo americano (vitória oliveira, camila b, laura barros, julia nascimento e maria eugênia   431)