of 31 /31
Surto de Infecção Alimentar por Salmonella enterica sorotipo Enteritidis em festa de casamento, Município de São Paulo – Setembro de 2006 Geraldine Madalosso Centro de Controle e Prevenção de Doenças-CCD Coordenação de Vigilância em Saúde-COVISA Secretaria Municipal de Saúde Prefeitura do Município de São Paulo

Salmonella Enteritidis

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Surto de Infecção Alimentar por Salmonella enterica sorotipo Enteritidis em festa de casamento, Município de São Paulo – Setembro de 2006 Geraldine Madalosso Centro de Controle e Prevenção de Doenças-CCD Coordenação de Vigilância em Saúde-COVISA Secretaria Municipal de Saúde - PowerPoint PPT Presentation

Citation preview

Surto de Infecção Alimentar por Salmonella enterica sorotipo Enteritidis em festa de

casamento, Município de São Paulo – Setembro de 2006

Geraldine MadalossoCentro de Controle e Prevenção de Doenças-CCD

Coordenação de Vigilância em Saúde-COVISASecretaria Municipal de Saúde

Prefeitura do Município de São Paulo

Salmonella Enteritidis

• Família Enterobacteriaceae

• Gênero Salmonella

• Subespécie enterica

• Sorotipo Enteritidis

• Mais comum no mundo

• Via de transmissão

• Alimentos

• Contato direto

Salmonella Enteritidis

Fonte• Alimentos de origem animal (crus ou mal cozidos)

• Carnes• Ovos• Leite• Outros

• Ovos• Contaminação pode ocorrer tanto pela casca infectada quanto pelo ovo intacto, através da transmissão intraovariana

Salmonella Enteritidis

Período de Incubação• 6 a 72 horas, em média 12 a 36 horas

Síndrome clínica mais comum: gastroenterite• Febre• Cólicas abdominais• Diarréia

• Duração média de 4 a 7 dias• Geralmente é autolimitada

Surtos de DTA – Estado de São Paulo, 1999 – 2008*

Etiologia/Doença NºSurtos

% Nº Casos %

Surtos de DiarréiaAguda

2113 87,3 69.350 94,4

- Etiologia identificada 785 37,2 43.148 62,2

. Bacteria 488 62.2 18.054 41,8

.. Total Salmonellas 210 43,0 6.637 36,8

- Salmonella nãosorotipada

92 43,8 3.480 52,4

- SalmonellaEnteritidis

104 49,5 3.016 45,4

- SalmonellaTyphi

4 1,9 16 0,2

- SalmonellaTyphimurium

3 1,4 48 0,7

- Outros sorotipos 7 3,3 77 1,2

Etiologia/Doença NºSurtos

% Nº Casos %

Surtos de DiarréiaAguda

2113 87,3 69.350 94,4

- Etiologia identificada 785 37,2 43.148 62,2

. Bacteria 488 62.2 18.054 41,8

.. Total Salmonellas 210 43,0 6.637 36,8

- Salmonella nãosorotipada

92 43,8 3.480 52,4

- SalmonellaEnteritidis

104 49,5 3.016 45,4

- SalmonellaTyphi

4 1,9 16 0,2

- SalmonellaTyphimurium

3 1,4 48 0,7

- Outros sorotipos 7 3,3 77 1,2

• 19/09/2006 - um hospital do Município de São Paulo notificou um surto de gastroenterite à vigilância local

• Atendimento de ~ 30 pessoas (17-18 Set)

• Todas referiam ter participado de uma festa de casamento, no dia 16/09/2006.

Caracterização do Problema

•Evento: Festa de Casamento

•Data: 16 de setembro de 2006• Hora: entre 10 e 23 horas• Expostos: aproximadamente 80 pessoas• Cardápio:

•Churrasco (carne bovina, asa de frango, linguiça)•Salada de Maionese•Pão com carne moída•Mandioca cozida•Arroz bramco•Batata vinagrete•Salgadinhos•Bolo

Caracterização do Problema

A investigação teve como objetivos : Descrever as características do surto de gastroenterite quanto ao tempo, lugar e pessoa; Determinar os fatores de risco que contribuíram para a ocorrência do surto (alimentos consumidos); Evidenciar o agente etiológico do surto por análises laboratoriais de amostras clínicas e sobra de alimentos Detectar as falhas no processo de produção dos alimentos de risco que contribuíram para a multiplicação do patógeno;• Desencadear medidas de controle e prevenção de novos casos ou surtos semelhantes.

Objetivos

Métodos

Investigação Epidemiológica

• Entrevista/Inquérito Alimentar com todos as pessoas que almoçaram na festa de casamento no dia 16 de setembro de 2006

• Formulário de investigação de surtos de doenças transmitidas por alimentos (DTA) do CVE/SES/SP

• Levantamento dos dados de atendimento/hospitalização de casos nos prontuários médicos

• Estudo analítico de coorte retrospectiva

Métodos – Formulário de coleta de dados

Métodos

Investigação Laboratorial - Amostras clínicas: amostras de fezes dos doentes atendidos/internados

- Coprocultura: Laboratório do Hospital- Identificação de cepas: IAL Central

(Bacteriologia)- Amostras de sobras de alimentos servidos no churrasco

- Pesquisa de enteropatógenos: Laboratório de Controle de Alimentos da COVISA/SMS/SP

Métodos

Definição de Caso

• Definição de caso suspeito: a pessoa que participou do churrasco no dia 16/09 e apresentou sintomas gastrointestinais .

• Definição de Caso Confirmado:- critério laboratorial: caso supeito com identificação da presença do agente etiológico nas fezes, e - critério clínico-epidemiológico: doente sem confirmação laboratorial.

Métodos

Tratamento dos dados e Análise Estatística

• Medida de associação = risco relativo (RR). • Testes de hipótese = qui-quadrado ( x2) e o

teste exato de Fisher. • Intervalo de confiança = 95% (IC95%)• Nível de significância de 5% (valor de p<0,05)• Softwares utilizados:

- Epi Info for Windows- Microsoft Excel.

Métodos – Banco de Dados

Resultados

SUVIS Vila Prudente/Sapopemba

Município de São PauloFavela do Iguaçu, Distrito de Sapopemba,Supervisão de Vigilância à Saúde (SUVIS) de Vila Prudente e Sapopemba.

•- precárias condições sanitárias

•- presença de esgoto à céu aberto,

•- locais com entulhos e lixo

•- casas com palafitas,

•- criação de animais, como galinhas e porcos.

•Pop: 514.618 habitantes (SUVIS)

•MSP: 10.879.619 habitantes

Caracterização do Lugar

Caracterização de Pessoa

Faixa Etária

     

Doentes Total Taxa de Ataque (%)<1 0 0 0,01 a 4 4 6 66,75 a 9 3 8 37,510 a 19 8 11 72,720 a 49 32 40 80,050 e mais 8 9 88,9Ignorada 3 3 100,0TOTAL 58 77 75,3

Taxa de Ataque (%)

Caracterização de Pessoa

Faixa EtáriaSexo

Feminino Masculino total<1 0 0 01 a 4 1 3 45 a 9 1 2 310 a 19 6 2 820 a 49 23 9 3250 e mais 4 4 8Ignorados 1 2 3TOTAL 36 22 58

• Idade = mediana de 26 anos (1 a 82 anos)• Gênero: Feminino = 36 (62 %); Masculino = 22 (38 %);

Total de doentes = 58

Distribuição dos casos segundo sinais e sintomas e atendimento médico (N = 58)

Características n %Diarréia 54 93,1

Cólicas Abdominais 54 93,1

Náuseas 52 89,7

Febre 50 86,2

Cefaléia 48 82,8

Vômitos 43 74,1

Atendimento médico (PS/PA)

51 94,4

Internação 3 5,6

0

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

12 14 16 18 20 22 24 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 2 4 6 8 10 12

16/9 17/9 18/9

nº c

asos

CASOS

Curva Epidêmica – Distribuição dos casos do surto segundo a data/hora do início de sintomas (N = 54)

• Período de Incubação (em horas): mediana de 15 horas (6 a 44 horas)• Período provável de exposição: 12h de 16/09• Duração da doença (em dias): mediana de 3 dias (2 a 9 dias)

Estudo de Coorte retrospectiva

Entrevistadas 77 pessoas na favela do Iguaçu, no local da festa de casamento:

-Vigilância Epidemiológica

-Vigilância Sanitária

-Equipe PSF

-Agentes Comunitários

-Líder da Comunidade

Coorte retrospectiva: Análise univariada do risco associado aos alimentos consumidos

Fonte: Inquérito Epidemiológico – CCD/SMS SP

Obs: RA = Risco Atribuível; RR = Risco Relativo; IC = Intervalo de Confiança 95%

DOENTES

NÃO-DOENTE

S

TOTAL % DE DOENTE

S

DOENTES

NÃO-DOENTE

S

TOTAL % DE DOENTE

Smaionese 48 8 56 85,71 2 11 13 15,38 70,33 5,57 <0,001batata 35 10 45 77,78 15 9 24 62,50 15,28 1,24 0,28bolo 29 12 41 70,73 21 7 28 75,00 -4,27 0,94 0,90coxinha 30 10 40 75,00 20 9 29 68,97 6,03 1,09 0,77pão com carne 24 13 37 64,86 26 6 32 81,25 -16,39 0,80 0,21mandioca 34 6 40 85,00 16 13 29 55,17 29,83 1,54 0,01arroz 30 5 35 85,71 20 14 34 58,82 26,89 1,46 0,02asa de frango 35 10 45 77,78 15 9 24 62,50 15,28 1,24 0,28lingüiça 34 8 42 80,95 16 11 27 59,26 21,69 1,37 0,09carne bovina 46 14 60 76,67 4 5 9 44,44 32,22 1,73 0,10

RA (%) RRconsumiram o alimento não consumiram o alimento

Alimento Valor de p

Etapas de preparo do alimento suspeito: salada de maionese

Fonte: Inquérito Epidemiológico – CCD/SMS SP

Ingredientes Preparo Armazenamento/DistribuiçãoMolho de maionese:

Gemas cruas, óleo de soja, limão e sal

No dia 15/09/2006, na noite anterior à festa, os ingredientes foram colocados no liquidificador e batidos. Foram preparadas várias porções de molho, de acordo com a capacidade do copo do liquidificador. À medida que as porções ficavam prontas, eram colocadas em um mesmo recipiente e homogeneizadas.

O recipiente foi armazenado sob refrigeração em geladeira doméstica.Tempo aproximado de armazenamento: 12 horas.

Hortaliças: Batatas e cenouras

No dia 15/09/2006 as hortaliças foram lavadas, descascadas e cozidas em água com sal.

Armazenadas sob refrigeração em geladeira doméstica. Tempo aproximado de armazenamento: 12 horas

Salada de Maionese:

Molho e Hortaliças

No dia 16/09/2006, entre 9:00h e 9:30h, foi adicionado o molho de maionese às hortaliças cozidas. Toda a preparação foi colocada em uma única caixa plástica.

A salada de maionese ficou exposta para consumo sobre uma mesa no local da festa e permaneceu em temperatura ambiente das 9:00h até as 23:00h do dia 16/09/2006 (19 horas de exposição)

Análise laboratorial dos alimentos

Fonte: Laboratório de Alimentos COVISA/SMS/SP e IAL Central

Alimento (sobra) Microrganismo ResultadoSalgado frito (coxinha, risóles): Bacillus cereus acima de 3,0 x 105 UFC/g

Clostridium sulfito redutor a 46º acima de 3,0 x 104 UFC/gCarne Moída crua Salmonella spp. presençaLingüiça assada Clostridium sulfito redutor a 46º acima de 3,0 x 104 UFC/g

Salmonella spp presençaCarne Bovina assada Clostridium sulfito redutor a 46º acima de 3,0 x 104 UFC/gFrango cru Clostridium sulfito redutor a 46º acima de 3,0 x 104 UFC/g

Frango assadoColiformes a 45ºC 4,6 x 103 /gBacillus cereus acima de 2,0 x 105 UFC/gClostridium sulfito redutor a 46º acima de 3,0 x 104 UFC/gSalmonella spp presença

MaioneseColiformes a 45ºC Acima de 1,1 x 104 /gBacillus cereus acima de 3,0 x 105 UFC/gStaphylococcus coagulase positiva 5,0 x 104 /g

Salmonella spp presença

Sorotipagem = S. Enteritidis

37 amostras de fezes coletadas

23 amostras positivas para Salmonella spp.

IAL – Setor de Bacteriologia

23 amostras com Identificação de S. Enteritidis

Análise laboratorial de amostras clínicas

Conclusões

• O surto acometeu 58 pessoas na festa de casamento onde 77 pessoas participantes foram entrevistadas.

• A investigação epidemiológica do surto através do estudo de coorte retrospectiva evidenciou a transmissão alimentar do agente identificado, Salmonella Enteritidis, pelo consumo da salada de maionese (Risco Relativo = 5,57; p<0,001).

Conclusões

• O critério de confirmação do surto investigado foi laboratorial, clínico e bromatológico, onde além da evidência estatística dada pelo estudo epidemiológico, o agente etiológico foi identificado nas fezes dos doentes e no alimento incriminado (S. Enteritidis)

• Fatores de risco: O uso de ovos crus na preparação de maionese caseira, associado ao tempo prolongado de exposição em temperatura ambiente (desde 10h da manhã até às 23h – período de ocorrência do churrasco) contribuiu para a sobrevivência e proliferação do enteropatógeno.

Conclusões

Os múltiplos agentes encontrados nas sobras de alimentos podem sugerir a ocorrência de contaminação cruzada através de utensílios, técnicas de preparo, mãos e/ou tempo de exposição prolongado dos alimentos à temperatura inadequada

Recomendações

• Ações educativas na comunidade quanto ao preparo seguro de alimentos e boas práticas de manipulação foram as medidas adotadas para prevenir a ocorrência de surtos semelhantes.

Agradecimentos

- Supervisão de Vigilância de Vila Prudente/Sapopemba

- UBS/PSF Iguaçu

- Hospital Estadual de Vila Alpina

- Laboratório de Controle de Alimentos da Prefeitura do Município de São Paulo

- Instituto Adolfo Lutz – Central, Setor de Bacteriologia

Prefeitura do Município de São Paulo

Secretaria Municipal de Saúde

Coordenação de Vigilância em Saúde – COVISA

Centro de Controle e Prevenção de Doenças-CCD

Vigilância Epidemiológica das DTA

E-mail: [email protected]