Treinamneto Epi

  • View
    226

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Treinamento do uso de EPI

Text of Treinamneto Epi

  • NR 6 - Equipamento de Proteo Individual - EPI 6.1. Para os fins de aplicao desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteo Individual - EPI todo dispositivo de uso individual, de fabricao nacional ou estrangeira, destinado a proteger a sade e a integridade fsica do trabalhador

  • CONCEITO LEGALO Equipamento de Proteo Individual (EPI) um instrumento de uso pessoal, cuja finalidade neutralizar a ao de certos acidentes que poderiam causar leses ao trabalhador e proteg-lo contra possveis danos sade causados pelas condies de trabalho.

  • Como e quando deve ser usado o EPI ?O EPI deve ser usado como medida de proteo quando:

    no for possvel eliminar o risco atravs da utilizao de equipamento de proteo coletiva;

    for necessrio complementar a proteo coletiva;

    em trabalhos eventuais e em exposio de curto perodo;

  • ASPECTOS LEGAIS:A Lei n 6514, de 221277, CLT Consolidao das Leis do Trabalho, relativo Segurana e Medicina do Trabalho. 166 DO EQUIPAMENTO DE PROTEO INDIVIDUAL.Art. 166 A empresa obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, equipamento de proteo individual adequado ao risco e em perfeito estado de conservao e funcionamento, sempre que as medidas de ordem geral no ofeream completa proteo contra os riscos de acidentes e danos sade dos empregados.

  • CLT - Art. 157 Cabe s empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurana e medicina do trabalho;II. - instruir os empregados, atravs de ordens de servio, quanto s precaues a tomar no sentido de evitar acidentes do trabalho ou doenas ocupacionais;III. - adotar as medidas que lhes sejam determinadas pelo rgo regional competente;IV. - facilitar o exerccio da fiscalizao pela autoridade competente.

  • NR 6.6 - OBRIGAES DO EMPREGADORAdquirir o tipo de EPI, adequado atividade do empregado.Fornecer ao empregado somente o EPI aprovado pelo Ministrio do Trabalho.Treinar o trabalhador sobre o uso adequado do EPI.Tornar obrigatrio o seu uso.Substitu-lo imediatamente, quando danificado ou extraviado.Responsabilizar-se pela sua higienizao e manuteno peridica.Comunicar ao Ministrio do Trabalho qualquer irregularidade observada no EPI.

  • CLT - Art. 158 Cabe aos empregados:

    - observar as normas de segurana e medicina do trabalho, inclusive as instrues de que trata o item I I do artigo anterior; - colaborar com a empresa na aplicao dos dispositivos deste captulo.Pargrafo nico. Constitui ato faltoso do empregado a recusa injustificada: observncia das instrues expedidas pelo empregador na forma do item I I do artigo anterior; ao uso dos equipamentos de proteo individual fornecidos pela empresa.

  • CLT - Art. 167 - O equipamento de proteo individual s poder ser posto venda ou utilizado com a indicao do Certificado de Aprovao do Ministrio do Trabalho.

    NR 6.8 Obrigaes do Fabricante e do Importador.Comercializar ou colocar venda somente o EPI portador do CA.Requerer novo CA, quando houver alterao das especificaes de equipamento aprovado. CA: 5745

  • A Escolha do EPIO EPI deve ser escolhido de acordo com a necessidade de uso no trabalho e a a parte do corpo que precisa ser protegida. Implantao de um EPIPassos para correta implantao e adequao de um EPI:

    Identifique e reconhea a existncia do risco.

    Avalie o risco.

    Amostra de EPI

    Testando o EPI.

    Treinando o pessoal.DVD( Avaliao de Risco usando o EPI adequado) Inspecionar Selecionar Treinar Manter

  • Guarda e Conservao do EPI necessrio que se ajude o usurio a conservar o seu equipamento de proteo individual, no s conscientizando-o de que com a conservao ele estar se protegendo como, tambm, oferecendo-lhe lugar prprio para guard-lo aps o seu uso.

  • Caractersticas e Classificao dos EPIs

  • PROTEO PARA O TRONCORISCOS:Cortes e atritos, projeo de partculas, golpes, abraso, calor radiante, respingos de cidos, substncias nocivas, umidade.

    PROTETORES:

    Conjunto de SeguranaCapa de Chuva; Aventais;Jaquetas ou conjunto de jaqueta;Cala e capas.

    Estes protetores podem ser constitudos dos mais diversos materiais, conforme o risco envolvido. Assim, entram na confeco o couro, pvc, noeprene, amianto, amianto aluminizado, tecido, borracha, plstico, malha de ao.

  • Capa de chuvaCapa de Segurana, com capuz e manga , nas cores preta, amarela ou cristal, fechamento frontal atravs de botes plsticos de presso.

  • Avental, Perneira e MangoteAvental: Raspa ou PVC Perneira e Mangote: Raspa ou Lona

  • Proteo para a Cabea:RISCOS:Impactos, penetraes, choque eltrico, queimaduras, etc.;Arrancamento de cabelos ou do couro cabeludo.

    Protetores

    CapaceteCapuz

  • Modelos de Capacetes

  • Capacete com protetor facial policarbonato

    Capacete de Segurana

  • Capacete e Acessrios

    Capacete Simples e Capacete conjugado c/ Abafador de Rudo ou Protetor Facial Carneira, Jugular, etc.

  • Capacete de SeguranaCapacete de Segurana Capacete de segurana tipo aba frontal injetado em plstico de polietileno para proteo da cabea contra impactos e penetrao

  • Acidente fatal provocado por choque eltrico.

    Falta do uso de Capacete.

  • Proteo para os Olhosculos de proteo

    Proteo contraImpacto.Calor.Produtos qumicos.Radiao de Luz e Poeira.

  • CULOS DE PROTEOConstituioHasteProteoLateralDobradiaLentePlaquetaAro

  • Prego disparado por mquina de pregar movida a ar comprimidoO NO USO DO EPI

  • culos de seguranaculos de segurana constitudo de arco de naylon flexvel e resistente, regulagem no comprimento para ajuste do tamanho, lente e a proteo lateral so confeccionados numa s pea de policarbonato, lente incolor.Proteo lateral Designe moderno Contra: objetos volantes, partculas de pedras, calcrio, serragens, areia, partculas metlicas, partculas de rebolos, ps, lixas etc.

  • Proteo da FaceRISCOImpacto de partculas slidas ou lquidas; irritao por gases, vapores, poeira, fumos, fumaas, nvoas, neblina, radiao luminosa intensa, queimaduras.

    PROTETORES

    CULOS PROTETORES FACIAIS MSCARA DE SOLDA

  • Mscara de soldaMscara de solda Mscara solda constituda de escudo confeccionado em celeron com carneira material plstico com regulagem de tamanho atravs de catraca com visor fixo ou articulado

  • AcessriosProdutos de limpeza

  • Lquido anti-embaante Soluesde Limpeza Estojo

  • ANEXO I VISTAS POUPADASJos Seriaco estava na seo de limpeza e acabamento de peas, fundio, executando a operao de tirar rebarbas da carcaa do diferencial,c/ o auxlio de um martelo. Em determinado instante, um estilhao desprendeu-se e atingiu violentamente a lente esquerda do culos de segurana, fragmentado-a em dezenas de pedaos. Apesar de haver perfurao na lente, no foi constada nenhuma anormalidade na sua vista. Alm destes casos centenas de vistas foram poupadas c/ o programa de proteo ocular.

  • ANEXO I VISTAS POUPADASWaldemar da Cruz esmirilhava virabrequins c/ um esmeril chicote, quando teve a lente esquerda do culos de segurana atingida por um estilhao de ferro que se desprendeu durante uma operao.

  • VISTAS POUPADASVeja o Por que devemos usar o culos de proteo?

  • MOS

  • PROTEO PARA OS MEMBROS SUPERIORESMembros superiores: BRAOS, ANTEBRAO E MO.RISCO:Golpes, cortes, abraso, substncias qumicas, queimaduras, choque eltrico, radiaes ionizantes.

    PROTETORES: LUVASCREME PROTETOR MANGOTES

  • Tipo de Luvas

  • PROTEO PARA OS MEMBROS INFERIORES

    RISCOS:Superfcie cortantes e abrasivas, objetos perfurantes, substncias qumicas, choque eltrico, agentes trmicos, impacto de objetos, presso esttica (compresso), umidade.

    PROTETORES:

    CALADOS; PERNEIRA; CALA.Voc prefere que seu funcionrio use sapato de segurana ou botinha de gesso?

  • Calado de Proteo para os Ps

    Tem a funo de proteger o trabalhador contra choque eltrico, tores e perfuraes.

  • PROTEO CONTRA QUEDAS COM DIFERENA DE NVELRISCOS:Trabalhos acima de 2 (dois) metros.PROTETORES: Dispositivo trava-queda Cinturo

  • Quedas

    Talabarte

    Cinto de Segurana

    Corda sisal 3/8 20metros

  • Cinto de Segurana, Trava-Queda e TalabarteCinto tipo Paraquedista, Alpinista e Construo Civil Trava-Queda p/ corda ou cabo de ao

  • PROTEO RESPIRATRIA

    RISCOS: Deficincia de oxignio no ambiente, assim entendida a deficincia de oxignio abaixo de um limite crtico definido como 18% em volume.

    Contaminantes nocivos presentes no ambiente, que so os gases, os vapores e os aerodispersides, com partculas slidas (ps e fumos) e lquidos (nvoas e neblinas).

    PROTETORES:RESPIRADOR E PURIFICADOR DE AR

  • RespiradorDeve ser colocado de forma que os dois elsticos fiquem fixados corretamente e sem dobras, um fixado na parte superior da cabea e outro na parte inferior, na altura do pescoo, sem apertar as orelhas. O respirador deve encaixar perfeitamente na face do trabalhador, no permitindo que haja abertura para a entrada de partculas, nvoas ou vapores. Para usar o respirador, o trabalhador deve estar sempre bem barbeado.

  • PROTEO AUDITIVARISCO:Rudo excessivo.MODELOS:

    Abafador de Rudo tipo concha; Protetor auditivo com cordo; Protetor auditivo com haste.

  • Protetor AuditivoRef.2001: Protetor Auditivo, tipo abafador, fabricado com material resistente que proporciona alta proteo do sistema auditivo e excelente conforto ao usurio.

  • Equipamento de Proteo ColetivaEscadas de alta e baixa tensoAterramento de alta e baixa tensoCones SinalizadoresVara de ManobraBandeirolasFita de SinalizaoDetetor de TenoPlacas de Sinalizao

  • CENAS QUE PODERIA