Fam­lia sob ataque

  • View
    166

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Fam­lia sob ataque

Slide 1

FAMLIA SOB ATAQUE

1

Famlia - Conceito JurdicoInterao: O Estado deve intervir nas questes familiares?FAMLIA uma instituio composta por uma coletividade humana, subordinada a autoridade e a conduta sociais determinadas pelo prprio sistema jurdico.Art. 226 CF A famlia , base da sociedade, tem especial proteo do estado.

ESPCIES DE FAMLIA NO DIREITO

a) Matrimonial Que se constitui pelo casamento realizado, entre homem e mulher, de acordo com as normas civis.b) Concubinria - ligada unio estvel, que se d pela unio de um homem e uma mulher, que seja pblica, notria, duradoura, justamente com a inteno de constituir famlia.c) Monoparental formada por qualquer um dos pais e seus descendentes.d) Homossexual Que existe de fato, mas no reconhecida pelo nosso sistema jurdico como espcie de famlia, e se forma pela unio entre pessoas do mesmo sexo.

Vivemos em sociedade crist?O que nela predomina? Materialismo! Hedonismo! Secularismo! Evolucionismo! Relativismo... Uma sociedade de valores invertidos. Os corretos so bestas...os moralistas banidos...Na contramo da vontade divina.Desconhece-se ou ignora valores morais absolutos.Os valores, a cultura judaico-crist em processo de estrangulamento.O desafio: viver a tica crist sob presso do relativismo moral.

Qualidades da sociedade atualPermissivaInsensvelSensualHipcritapoliticamente corretaViolentaEgostaHedonistaPrdiga/consumistaDo vale quanto pesaSuperficialDo descartvel

Dois grandes mitos do movimento homossexual 1) Os homossexuais nascem gay e no poderiam mudar.2) Afirmou que 10% da populao americana era homossexual.Base: Trabalho de pesquisa fraudulento de Alfred Hinsey chamado de o Pai da revoluo sexual.A estratgia do movimento: dividir, iludir, e destruir a conscincia moral no tecido social.

Alfred Hinsey (1894-1956) Rev. Louis Sheldon:De todos os enganadores que violaram a ordem social e corromperam o esprito humano, ningum causou um dano maior do que Alfred Hinsey. Do incio ao fim, a obra da vida de Hinsey foi uma fbrica de mentiras.

A Bblia e sexualidade dos gentiosQuando a Bblia faz meno a sexualidade dos gentios, utiliza-se dos termos imundcia, desonra ao corpo, paixes infames, impureza, dissoluo, devassido, torpeza. Rm 1.18-32Torpeza: qualidade, condio ou ato que revela indignidade, infmia, baixeza. 1.ato ou qualidade de indecente, de obsceno. 2. qualidade daquilo que repulsivo.

A CGADB e a Carta de Braslia 41 AGO 08 a 11/04/2013Um manifesto assembleiana urgente em favor de uma sociedade saudvel, tendo a famlia como sua base matriz. E muito oportuna: a funo do sal salgar e da luz brilhar neste mundo em trevas.2. uma ao cidad contra o relativismo moral.3. Reino de Deus marcando espao na sociedade secularizada e dando oportunidade a quase 14 milhes de brasileiros se manifestarem sobre estas questes de ordem tica e moral.

A CGADB e a Carta de Braslia41 AGO 08 a 11/04/20134. Ganha espao social quem participa da vida pblica e apresenta propostas, reivindica, expe ideias e crenas.5. Deus conosco, unidos pelos ditames da Palavra de Deus.6. Rm 1.32- O julgamento divino vem sobre os que tais coisas praticam e tambm sobre os que as consentem. 7. Finalmente, um contraponto ditadura gay que quer se instalar no pas e mundo de qualquer maneira, no respeitando os heterossexuais.

Pontos bsicos da Carta de Braslia41 AGO da CGABD 08 a 11/04/2013NO A DESCRIMINALIZAO DO ABORTO.

NO A EUTANSIA E ORTOTANSIA.

NO A LEGALIZAO DA PROSTITUIO.

NO AO FAVORECIMENTO DA PROSTITUIO DE MENORES.

NO AOS PROFISSIONAIS DO SEXO.

NO A UNIO ESTVEL E CASAMENTO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO.

NO A DESCRIMINALIZAO DAS DROGAS.

Vida uterina real

A OAB e a proposta de emenda ConstituioComisso Especial de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil OAB esto elaborando para o nosso Pas.Principais pontos:1. Redefinir/acabar com a famlia tradicional2. Retirar os termos pai e me dos documentos3. Acabar com as festas tradicionais das escolas (dia dos pais, das mes) para no constranger os que no fazem parte da famlia tradicionalA partir de14 anos, os adolescentes disporo de cirurgia de mudana de sexo custeada pelo SUS.Cotas nos concursos pblicos para homossexuais etc

Como est agindo o ativismo gayVejamos trs tcnicas em defesa da bandeira homossexual no mundo:1. Dessensibilizao Propagando a ideia de os gay so pessoas normais. Ou seja, no possuem nenhum tipo de distrbio hormonal, comportamental, emocional, psiquitrico...2. Bloqueio Tentativas de envergonhar os resistentes conscientes e os conservadores morais, rotulando-os de homofbicos e intolerantes.3. Converso Intensa presso sobre as massas, cristos e crticos por meio de ataques psicolgicos planejados e propagandas pela mdia.

Para refletirO multiculturalismo, o politicamente correto, a cultura da morte (aborto, no-procriao, homossexualismo, eutansia), a agenda GLTB lastreiam uma ps-modernidade que, negadora de qualquer verdade, afirma o individualismo, o subjetivismo e o relativismo. O nico absoluto o relativo, na licitude da diversidade ilimitada.Robinson Cavalcanti Ultimato maio junho 2011

Ataques externos f cristProjetos de leis, leis de lobbys politicamente montadas Defendidas, aprovadas segundo suas razes e intenes.A Mdia escrita, falada, virtual e de imagens.No sistema educacional pblico e privado.Nas relaes de trabalho e nas empresas.Enfim, do relativismo moral...

Ataques externos f cristNa educao H um plano nacional de promoo da cidadania e direitos humanos de LGBT lsbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, tentando descaracterizar a heterossexualidade. -Objetivo: em nome da diversidade e liberdade sexual difundir o homossexualismo no ensino fundamental crianas de 4 a 12 anos nas escolas de todo o pas.-Uma m educao pior do que no educar...

Reflexo Martinho Lutero afirmou: A vida m no causa grande dano a no ser a si mesma, mas o ensinamento errado o maior mal neste mundo, porque leva multides de almas ao inferno. No estou preocupado se s bom ou mau, mas eu atacarei teu ensinamento venenoso e mentiroso que contradiz a palavra de Deus.

Famlia sob ataque

Enfrentando os AtaquesNa condio de cidados em pas democrtico, de maneira pacfica, os cristos devem questionar projetos de leis e leis que vo contra os princpios bblicos. Inclusive, contra a maioria do povo. Devemos combater:a) A posio do Estado no quesito educao dos filhos se consiste em uma grande ameaa contra a f em Cristo. b) As propostas sociais de ensino do que ou no o "politicamente correto", na verdade so tentativas de impor uma filosofia mundana e imoral na mente das crianas.

E as minorias? Como trat-las? Se marginalizadas, apoi-las a fim de que saiam dessa situao. Mas, desmistificando: Rev. Louis P. Sheldon - Diferentemente da cor (moralmente neutra)..., o comportamento sexual tem tudo a ver com o carter e conta-nos muito a respeito da pessoaRev. Louis P. Sheldon: Homossexualidade uma desordem emocional com razes psicolgicas profundas, e apesar de argumentos contrrios, um comportamento aprendido.

Para refletir

(Mahatma Gandhi -1869-1948)Idealizador e fundador do modernoEstado indianoe o maior defensor doSatyagraha(princpio da no-agresso, formano-violentade protesto) como um meio derevoluo."Divergncia de opinio jamais deve ser motivo para hostilidade.

Reflexo

H um limite em que a tolerncia deixa de ser uma virtude."(Edmund Burke)

Culturas em decadnciaEm um projeto de pesquisa , Carl Wilson descobriu que as culturas decadentes exibem sete caractersticas distintas de mudana social e moral.1. Os homens rejeitam o desenvolvimento espiritual e moral enquanto lderes de sua famlia.2. Os homens comeam a negligenciar sua famlia em busca de bens materiais.3. Os homens comeam a se envolver em relacionamentos adlteros e homossexuais.

Culturas em decadncia4. As mulheres comeam a desvalorizar o papel de me e de dona de casa.5. Maridos e esposas comeam a competir entre si, e as famlia acabam desintegrando-se.6. O individualismo egosta fragmenta a sociedade em faces de guerra.7. Os homens e as mulheres perdem sua f em Deus e rejeitam toda a autoridade sobre suas vidas.Fonte: Livro a Estratgia Rer. Louis P. Sheldon Fundador e Presidente da Coalizo dos Valores Tradicionais.

Tipos de perseguies

Fsica Cultural Instituio Espiritual

Perseguio IgrejaFsica- Com agresses fsicas, prises sem o devido processo legal, sem oportunidade de defesa, mutilaes pelo corpo, perda de bens, perda do sustento do po de cada dia, runas de famlias e mortes.Cultural- Via culturas populares, movimentos sociais, mdia escrita, falada e imagens, filosofias humanas, relativismo moral, liberalismo com uma tica lasciva, frgil e permissiva.

Perseguio Institucional Institucional Vem ocorrendo pela via legal silenciosamente diante da nossa omisso, falta de unidade na Igreja Evanglica Brasileira e por causa de seu analfabetismo poltico. Como os interesses do Reino de Deus no comungam com o Reino deste mundo e este estar no maligno, necessitamos de ateno s investidas contra a Igreja Instituio. No d para se esconder por trs do determinismo. E que ningum espere por vozes isoladas protestando no deserto da omisso eclesistica. Escolhamos: atores da histria ou platia aptica. Em uma sociedade civilizada, os segmentos mais organizados e reivindicatrios tendem a ganhar mais espao.

Perseguio igrejaEspiritual Neste mbito, diante das investidas no mundo espiritual, foras contrrias Igreja, utilizemo-nos sim, das armas de cunho espirituais: orao, jejum, autoridade da Palavra e do nome de Jesus. sero cacos de demnios para todo lado! Discernimos a Igreja organismo vivo e invisvel, tal qual como Deus a ver. E as portas do inferno no prevalecero contra