Escala espírita!

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Palestra proferida por Leonardo Pereira no Grupo Esprita Lamartine Palhano Jr em Vitria no ES.

Text of Escala espírita!

  • 1. Escala EspritaLeonardo Pereira

2. Comunicare = Tornar comum A Pr - existncia e sobrevivnciados espritos. Continuidade da vida e daindividualidade. As diversas moradas da casa doPai. A reencarnao. A lei de evoluo e progresso. Tudo isso para validar o processode comunicabilidade. 3. A forma da comunicao ( meio).Mesas girantes -Batidas (raps).Cdigo de letras.Sexta de vime( psicografia indireta).Psicografia diretaPsicofonia 4. A Comunicao em si ( contedo)).Grosseirasfrvolassrias einstrutivas 5. A Capacidade de se comunicarDo comunicante e domdiumInteligncia( cultura).Amor .Domnio da faculdademedinica. 6. Como vivem no almSensaes esofrimentosLocal ou moradiaEstado deconscinciaCausas 7. Por Dr. Fernando Salvino (MSc.)Parapsiclogo Clnico, Psicoterapeuta e Consciencilogohttp://www.revistaconsciencia.org A lgica adotada por Allan Kardec possuirelao com o processo medinico, qual seja, ade comunicao interdimensional entre umhumano e um esprito, noutras palavras, entreuma conscincia intrafsica e uma extrafsica. A Escala apresenta uma classificao do nvelevolutivo a partir da maturidade dacomunicao, dentro do nvel de inteligncia emoral do esprito comunicante. Pelacomunicao sabe-se em qual nvel de evoluoencontra-se o esprito. 8. "De todas as formas decomunicao, a escritamanual a mais simples, amais cmoda e sobretudoa mais completa. Todos osesforos devem ser feitospara o seudesenvolvimento, porqueela permite estabelecerrelaes to permanentese regulares com osEspritos, como as quemantemos entre ns. 9. Tanto mais devemos us-la,quanto por ela que osEspritos revelam melhora suanatureza e o grau de suaperfeio ou de suainferioridade.Pela facilidade com que podemexprimir-se, do-nos a conheceros seus pensamentos ntimos eassim nos permitem apreci-lose julg-los em seu justo valor.Alm disso, para o mdium essafaculdade a mais suscetvel de(LM, item 178). se desenvolver pelo exerccio" 10. ESCALA ESPIRITA "A classificao dosEspritos se baseia nograu de adiantamentodeles, nas qualidadesque j adquiriram e nasimperfeies de queainda tero dedespojar-se. Estaclassificao, alis,nada tem de absoluta. 11. ESCALA ESPIRITA Como no h linhas dedemarcao definidas entreessas diferentes ordens, o seunumero e ilimitado, podendoser aumentado ou diminudo,conforme o critrio adotado. Considerando-se, todavia, oscaracteres gerais dos Espritos,pode-se classifica-los em trsordens principais, a saber. 12. Escala EspritaPrimeira ordem:Espritos PurosSegundaordem:BonsEspritosTerceiraordem:EspritosImperfeitos1 classe Espritos Puros2 classe Espritos Superiores3 classe Espritos de Sabedoria4 classe Espritos Prudentes /Sbios5 Espritos Benevolentes6 classe Espritos Perturbadores7 Classe - Espritos Neutros8 classe Espritos Pseudo-sbios9 classe Espritos Levianos10 classe Espritos ImpurosEVOLUO 13. Escala dos MundosMundos CelestesMundosfelizesProvas eExpiaes1 classe Espritos Puros2 classe Espritos Superiores3 classe Espritos de Sabedoria4 classe Espritos Prudentes /Sbios5 Espritos Benevolentes6 classe Espritos Perturbadores7 Classe - Espritos Neutros8 classe Espritos Pseudo-sbios9 classe Espritos Levianos10 classe Espritos ImpurosEVOLUORegeneradoresPrimitivos Primeiras Encarnaes 14. ESCALA ESPRITA ESCALA DRUDICACeugant Morada de Deus1 Ordem 1 classePuros Espritos(Sem reencarnao)GwynlydMorada dos Bem-Aventurados.Vida Eterna2 OrdemBons Espritos2 classe Espritos SuperioresDepuram-see se elevampelas provasdareencarnaoAbredCrculos das migraes oudas diferentes existnciascorporais que as almaspercorrem para chegaremde Annoufn em Gwynlyd3 classe Espritos de sabedoria4 classe Espritos sbios5 classe Espritos Benevolentes3 OrdemEspritos Imperfeitos6 classe Espritos Perturbadores7 classe Espritos Neutros8 classe Espritos Pseudo-sbios9 classe Espritos Levianos10 classe Espritos Impuros Annoufnabismo; ponto de partidadas almas. 15. Allan Kardec Waldo Vieira3 ordem9 Classe:Espritos ImpurosConsru transmigradaConsru ressomada8 Classe:Espritos Levianos7 Classe:Espritos Pseudo-Sbios6 Classe:Espritos NeutrosPr-sereno vulgarIsca inconsciente2 ordem5 Classe:Espritos BenvolosTenepessista4 Classe:Espritos de CinciaProjetor conscienteEpicon lcidoConsciencilogoDespertoSemiconsciexTeleguiado autocrtico3 Classe:Espritos de SabedoriaEvolucilogo2 Classe:Espritos SuperioresSereno1 ordem 1 Classe:Esprito PuroConsciex livre (CL) 16. ESCALA ESPIRITA Primeira OrdemEspritos purosos que j chegaram perfeio. 17. ESCALA ESPIRITASegunda Ordem.Bons Espritos.aqueles nosquais o desejodo bem predominante; 18. ESCALA ESPIRITA Terceira Ordem Espritos Imperfeitosaqueles em quepredomina aignorncia, o desejo domal e todas as paixesms que lhes retardamo progresso. 19. Esta classificao geral pode desdobrar-seem nuances que variam ao infinito.Existem, contudo, caracteres bem definidosque permitem agrupar os Espritos de acordocom suas tendncias e aptides,constituindo-se numa escala ou num quadroque, no dizer do Codificador, "(...) e, de certomodo, a chave da cincia esprita, porquantos ele pode explicar as anomalias que ascomunicaes apresentam, esclarecendo-nosacerca das desigualdades intelectuais emorais dos Espritos. 20. TERCEIRA ORDEM: ESPRITOS IMPERFEITOSCaracteres Gerais : predomnio damatria sobre oEsprito; propenso aomal; tm a intuio deDeus, mas no ocompreendem;apresentam ideiaspouco elevadas. 21. Esta ordem apresenta cinco classesprincipais:Dcima Classe : Espritos Impuros - omal o objeto desuas preocupaes;sua linguagem grosseira e revela abaixeza de suasinclinaes; 22. Esta ordem apresenta cinco classesprincipais: Nona Classe : Espritos Levianos - soignorantes einconsequentes, maismaliciosos do quepropriamente maus;linguagem alegre,irnica e superficial; 23. Esta ordem apresenta cinco classesprincipais: Oitava Classe : Espritos Pseudo-sbios- possuem grandeconhecimento, masjulgam saber mais doque sabem; sualinguagem tem carterserio, misturandoverdades com suasprprias paixes epreconceitos; 24. Esta ordem apresenta cinco classesprincipais: Stima Classe : Espritos Neutros -apegados s coisas domundo, no so bons osuficiente parapraticarem o bem, nemmaus bastante parafazerem o mal; 25. Esta ordem apresenta cinco classesprincipais: Sexta Classe :Espritos Batedores ePerturbadores - podem pertencera todas as classes da TerceiraOrdem; sua presena manifesta-sepor efeitos sensveis e fsicos,como pancadas e deslocamentode .corpos slidos; so agentesdos elementos do globo; deles seservem os Espritos Superiorespara produzir esses fenmenosfsicos do planeta. 26. SEGUNDA ORDEM: BONS ESPRITOS Caracteres Gerais : Predomnio do Esprito sobre amatria; desejo do bem;compreendem Deus e o infinito'mas ainda tero de passar porprovas; uns possuem a cincia,outros a sabedoria e a bondade;os mais adiantados juntam aoseu saber as qualidades morais. 27. Esta ordem apresenta quatro classesprincipais: Quinta Classe : Espritos Benevolentes -seu progresso realizou-semais no sentidomoral do que nointelectual; a bondade ea qualidade dominante; 28. Esta ordem apresenta quatro classesprincipais: Quarta Classe : Espritos Sbios -amplitude deconhecimentosaplicados em beneficiodos semelhantes; temmais aptido para asquestes cientificas doque para as morais; 29. Esta ordem apresenta quatro classesprincipais: Terceira Classe : Espritos de Sabedoria -elevadas qualidadesmorais e capacidadeintelectual que lhespermitem analisar compreciso os homens e ascoisas; 30. Esta ordem apresenta quatro classesprincipais:Segunda Classe :Espritos Superiores - renem acincia, a sabedoria e abondade; buscam comunicar-secom os que aspiram verdade; encarnam-se na Terraapenas em misso deprogresso e caracterizam o tipode perfeio a que podemosaspirar 31. PRIMEIRA ORDEM : ESPRITOS PUROS Caracteres Gerais: Nenhuma influncia damatria; superioridadeintelectual e moralabsoluta em relao aosEspritos das outras ordens. 32. Esta ordem apresenta apenas uma nicaclasse:Primeira Classe.Classe nica" Os Espritos que a compempercorreram todos os graus daescala e se despojaram de todasas impurezas da matria.Tendo alcanado a soma deperfeio que susceptvel acriatura, no tm mais quesofrer provas nem expiaes. 33. Esta ordem apresenta apenas uma nicaclasse:No estando mais sujeitos reencarnao em corposperecveis, realizam a vidaeterna no seio de Deus.Gozam de inaltervelfelicidade, porque no seacham submetidos snecessidades, nem svicissitudes da vida material."Livro dos Espritos", questo 113) 34. Nveis de conscinciaPeter Ouspenski /GurdieffFisiolgicos Psicolgicosvoltam sua percepoconsciente apenas para asatisfao de suasnecessidades bsicas,ligadas s sensaes esatisfao dos desejoscorporais.existe uma vida para almdo comer, dormir e fazersexo, que se estende parauma realidade psicolgica,envolvendo emoes esentimentos.Adormecidos Despertos 35. Nveis de conscinciaPeter OuspenskiConscincia desonoindivduos egocntricos, egostas, recusam-seaceitar o progresso e o desenvolvimentopessoal, alheios s realidades dos sentimentose da transcendncia.ConscinciadespertaConscinciade si mesmoConscinciaobjetivadespertamento para nveis menos egocntricosde percepo da realidade, que aspiram peloseu desenvolvimento e por uma vida melhormas que no encontram foras nem motivaessuficientes para faz-lo.indivduos que se percebem autoconscientes,uma mente alm de um corpo material, e quepor isso fazem-se perguntas pelas quais seesforam em responder, iniciando um processode autoconhecimento.indivduos em que o egocentrismo j estsuperado, que se percebem mais claramente nasua totalidade e que se veem como parte deum todo do qual se sentem responsveis. 36. Lei de amor LZARO Paris, 1862O amor resume toda a doutrina deJesus, porque o sentimento porexcelncia, e os sentimentos so osinstintos elevados altura doprogresso realizado. No seu pontode partida, o homem s teminstintos; mais avanado ecorrompido, s tem sensaes; maisinstrudo e purificado, temsentimentos; e o amor o requintedo sentimento.