O Foco 154 Pdf

Embed Size (px)

Text of O Foco 154 Pdf

  • 1. ANO X / EDIO 15405 A 13 DE NOVEMBRO DE 2009www.agenciapress.netDemstenes Torres O TRUNFO DO CIDADOOs muitos leitores do Jornal O FOCO e do portalagenciapress.net podem analisar aqui mesmo emCaldas Novas e regio o tamanho do estrago queas drogas j provocaram na juventude, em quantascrianas esto viciadas, quantas famlias foramdestrudas, quantas vidas se perderam. Pg: 02Associao Comercial 1 CONEXO REGIONALA ACICAN promove no prximo dia 12/10/2009,a partir das 8 horas, a 1 Conexo Regional deNegcios do Meio Ambiente, que se realizar emCentro de Convenes de Caldas Novas IlidiaMaria de SouzaPg: 06Conselho Municipal de Sade ENTREVISTAEm entrevista exclusiva Agncia Press e Jor- Pg: 02nal O FOCO, a Presidente do Conselho Munici-pal de Sade de Caldas Novas, Divanez Rosa, PONTALINA COMEMOROUresponde as principais duvidas principalmentesobre a possiveis perdas de recursos do Minis-trio da Sade. Pg: 07 71 ANIVERSRIOGrupo Priv VACATION CLUBO deputado estadual Jardel Sebba (PSDB) participou das comemoraes pelo 71. aniversrio de eman-Grupo Priv inaugura no prximo dia 05/11 o novocipao poltica da cidade de Pontalina. Ao lado do prefeito Jurandir Augusto (PSDB) e da senadorashow room Priv Vacation Club. A solenidadeLcia Vnia (PSDB), entregou vrios benefcios populao pontalinense no ltimo sbado, dia 31.acontecer s 20 horas no Edifcio Aton, no Se-Pg: 03 tor Oeste em Goinia. Pg: 02

2. 2 05 a 13 de Novembro de 2009 OPINIOO POLTICO, A VIDA PBLICA E A MELHOR ESCOLHA... EDITORIAL Na natureza, fonte inesgo- ateno em seus atos e ati- inimaginavelmente! presses cedendo a elas,CORTESIA EFICINCIA... tvel de ensinamentos, bas-tudes, pautando sua condu-Quem viver, ver! A trans- sem lhe oferecer firme po- ta que para isso tenhamosta pela honra, tica, consi-formao poltica que ocor-sio sempre que ocorre- O modo como tratamos os outros evidencia, na ver- o senso de observao ederao e gratido. rer pela movimentao rem. As coisas no costu- dade, o que realmente somos: o que sabemos, quais abstrao, tiramos algunsDizer, nos dias de hoje,neste mundo virtual, sermam ser totalmente boas, os nossos princpios e as nossas linhas de conduta. exemplos admirveis, adap- significa que estamos pas-estrondosa, a cada dia, anem totalmente ms, nem Assim, no relacionamento com o prximo, podemos tando-os aos polticos e sando por grandes transfor- cada eleio.costumam estar absoluta- refletir a nossa eficincia, como se estivssemos, in-vida pblica.maes, e quem no obser- Capitulando as leituras de mente certas ou erradas. A variavelmente, a promover a nossa imagem. O O temperamento dos ju- var isso, estar fadado aonosso cotidiano, nos traz avida no assim to sim- lamentoso, porm, o fato de muitos se preocupa- mentos, por exemplo, to fracasso absoluto.lembrana de um grande ples. As respostas e as so- rem em ser gentis e voluntariosos quando lidam comteimosos, que no sabem oO avano tecnolgico nasmestre budista que ensina- lues que buscamos cos- pessoas importantes, ricas ou ilustres. Discorrer afa-que bom para eles, comunicaes, com o car-va a sobrevivncia emocio- tumam encontrar-se em al- velmente uma autoridade constitui agirempacam, emburram, no ro chefe na Internet e ou-nal com um exemplo sim-gum lugar entre os opostos. impecvelmente. Mas a prova de nossa competn-comem, no bebem, notros meios, ainda indispon-ples: Seja como o bambu, Quando insistimos em olhar cia est no modo como atuamos em relao aos mais andam...Em nome de sua veis no terceiro mundo, vem dizia ele. resistente por o mundo ora s em preto, fracos e abandonados, pois a nossa bondade e as honra, morrem de fome pe-ocupando o espao deixa-fora, macio e oco por den- ora s em branco, mais nos boas maneiras que praticarmos indicaro o nosso los cantos.do por uma educao fali- tro. Suas razes prendem-seafastamos da compreen- respeito dignidade. Eles s se mexem e mudam da, obsoleta e abandonada com firmeza ao solo e se so, mais nos isolamos da A obrigao tico-moral da cortesia implica uma ati-de posio, quando acende- propositadamente, tem de- misturam livremente umas verdade. Ceder no signifi- tude diria, exercitada mesmo com sacrifcio de nossa mos fogo debaixo de seusenvolvido o esprito crtico com as outras para adquirirca desistir, assim como ser parte, inclusive para que no permitamos, ao prxi- rabo. A a coisa esquenta, e das geraes de ontem e defora e apoio mtuo. O cau-flexvel no sinal de falta mo, dirigir a nossa conduta e at mudar nossos ide- mesmo sendo animais, des-hoje, at ento esquecidas. le balana ao sabor do ven-de convico. Quase sem- ais. preciso resistir, em qualquer circunstncia, aos cobrem que h uma foraQuem navega nesse univer- to e se curva sem oferecer pre, ao nos dispormos a ce- apelos fceis do embrutecimento dirio, que destri maior a superar a sua tei- so virtual, sejam jovens ou resistncia. O que flex-der um pouco, ganhamos os sentimentos de solidariedade, corri nossa persis- mosia. So teimosos, mas idosos, se renovam a cada vel e se curva bem maismais do que sonhvamos. tncia, amortece nossa determinao de vencer no burros!momento e estreitam as dis- difcil de quebrar. como pessoa humana.Valorizamos nossa imagem peloOs polticos, nos dias detncias, trocam idias es vezes, melhor lidarmosLacordaire Constantino modo como reconhecemos outros indivduos, seushoje, devem prestar muitaaprendem e aprendem,com as frustraes e asRibeiro espaos, seus direitos, suas liberdades. Se nos pro- pusermos essa conduta de civilidade, no teremos a garantia de obter efeitos positivos ou conseguir o que almejamos. Todavia, estaremos deixando a marca de nossa conduta tica, onde quer que trabalhemosO TRUNFO DO CIDADO DE BEM ou vivamos, o que representa a nossa contribuio e torna bem visvel o nvel de excelncia que decidi- mos buscar, em termos pessoais e profissionais.Os recentes eventos que te do Estado, quase no sesentei, um condenado por Nossa cortesia demonstrar nossa competncia,sacudiram o Rio de Janei- ouvia falar em maconha ou crime hediondo ter de apregoar a seriedade de nossas aes, o ideal dero, com repercusso mun-cocana por l. Quandocumprir metade da pena nossa vida.dial, tm muito a ver com cheguei a procurador-Ge-antes de passar para oa situao em Gois, pois ral de Justia, tivemos deregime semiaberto. Rein-o mal deste sculo cami-fazer grupos especiaiscidente em crime hedion-nha para ser o mesmo do para combater essa chaga. do vai ter de cumprir 2/3GRUPO PRIV LANA mais rigorosas contra ospassado: as drogas. Ne- Na Secretaria da Seguran- da pena. Observe que no traficantes. No Congres-las, governa o crime or-a Pblica foi que tive no- se pretende sequer que fi- so Nacional, fui vozVACATION CLUBganizado que, antes dederrubar helicptero, pro-moveu a queda das auto-o da amplitude: as dro-gas esto por trs de qua-se todos os crimes, dos con-quem o tempo todo na ca-deia e olhe que se trata dotipo mais atroz de bandido, minoritria durante esses anos todos pregando o endurecimento legislativo Grupo Priv inau-ridades, completamentesiderados leves at os mais como o que estupra oupara evitar o xito do cri- gura no prximoperdidas em meio faltabrbaros. mata para roubar. A popu-me. Agora, com o presi- dia 05/11 o novo de controle. Infelizmente,Agora, no Senado, tivelao fica sem entender as dente Lula favorvel a show room Priv no so apenas elas e no oportunidade de debater o razes de os criminosospartir para cima da Vacation Club. A s em territrio cario- tema diversas vezes, sem- permanecerem to pouco bandidagem, quem sabe solenidade aconte- ca. H traficantes em pra-pre apresentando suges- atrs das grades. A contasua bancada na Cmara cer s 20 horas ticamente todos os muni-tes para evitar a vitria do simples. Na mdia, come- e no Senado abandona de no Edifcio Aton,cpios brasileiros, inclusi-crime sobre a sociedade.tem dezenas de crimes semvez a simpatia pelo Direi- no Setor Oeste emve nas menores cidades. Nesta semana, apresenteiser capturados. Quando to Penal mnimo e deixa Goinia. Segundo Os muitos leitores do na Comisso de Constitui- so presos, respondem so-de passar a mo na ca- um dos diretores Jornal O FOCO e do por- o e Justia um texto pro- mente pelos delitos quebea dos monstros. Esse do Grupo, empre- tal agenciapress.net po-pondo aumentar o rigorpodem ser provados. De-tipo de deciso tem refle- srioMarcosdem analisar aqui mesmo para o condenado conquis- pois, vo a julgamento. Soxo nas ruas de Caldas Palmerston (foto), em Caldas Novas e re- tar a progresso de pena ebeneficiados por centenasNovas, Piracanjuba, a nova propostagio o tamanho do es- a liberdade condicional. Se de recursos, filigranas egua Limpa, Corumbaba tem como diferen-trago que as drogas ja proposta for aprovada,outras brechas da lei. See demais municpios do cial o sistema deprovocaram na juventude,criminoso comum ter de condenados e, enfim, naBrasil. Quem sabe, ago- time share, que em quantas crianas es- cumprir 1/3 da pena antes penitenciria, ainda saemra, quem vai rir por lti- um programa de to viciadas, quantas fa- de requerer o benefcio.rapidamente. mo o cidado de bem. propriedade de f- mlias foram destrudas,Atualmente, ri das pesso- De fato, no d para en- rias por tempo quantas vidas se perde- as honestas: se condenado tender, mas j se pode co- Demstenes Torres pro- compartilhado. O programa uma realidade em mer- ram. O quadro s vem se a nove anos, por exemplo, memorar uma virada. O cados como Estados Unidos e Europa, e o segmento curador de Justia e senadoragravando. Nos meus s fica preso durante 18governo, atravs do minis- (twitter.com/demostenes_go) do turismo que mais cresce no mundo, avalia.tempos de promotor de meses. Se ficar.tro da Justia, Tarso Gen-Justia, na regio Nordes-No substitutivo que apre- ro, passou a defender leis www.agenciapress.netABRANGNCIACaldas Novas, Morrinhos, Rio Quente, Piracanjuba, Pontalina, Jovinia, Dorothi DominguesAgncia PressTeresa Cristina (Teka) Vicentinpolis, Panam, Goiatuba, Bom Jesus, Itumbiara, Buriti Alegre,DIRETORA GERALEDITORAO/ DIAGRAMAOJORNALISTA/PRODUTORA gua Limpa,