Inf historia 5

  • View
    204

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Inf historia 5

  • Boletim Informativo Ano 1 Nmero 5 Outubro de 2007

    editorial

    artigo

    O cinema e o ensino da Histria

    Ns, historiadores, que amamos a vida

    O curso de Histria da FUNEDI/UEMG oferece comunidade estudantil de Divinpolis um seminriono qual sero discutidas e analisadas vrias temti-cas que fazem parte dos programas de Vestibular deuma forma diferente, inovadora e descontrada: nocinema.

    Como o cinema pode auxiliar o ensino de Hist-ria? a pergunta que motiva o curso a promover oseminrio A Histria no Cinema, que acontecer na

    primeira semana de novembro no Cine Gois, com exibiesde filmes e debates. O cinema tem sido, nos ltimos anos,importante ferramenta tanto na educao fundamental e mdia

    quanto na cincia histrica. Acreditamos que tal seminrio con-tribui na construo de um olhar crtico a respeito do cinema,da histria e da relao entre os dois, fugindo de perspectivasanalticas que tomam o objeto-filme como ilustrao de deter-minada realidade.

    O uso das linguagens e expresses artsticas e culturaishumanas no debate cientfico da histria alarga os horizontesdo pesquisador e contribui para a reavaliao crtica das fontese dos objetos das nossas pesquisas. Dessa forma, o curso deHistria da FUNEDI/UEMG reafirma seu compromisso com acomunidade local, principalmente a dos estudantes, e com asdiscusses tericas e historiogrficas mais atuais.

    Sempre que eu me ponho a pensar no que ser his-toriador, lembro-me de uma situao que vivi logoque me graduei. Eu tinha, ento, 21 anos e fui aoconsultrio de um mdico que no conhecia. Ao verminha ficha, ele me perguntou, com descrena, seeu era mesmo historiadora. Confirmei a informao

    e ele exclamou: Voc muito nova pra isso!. Aborrecida como comentrio, recm-formada, passei a refletir sobre como asociedade via minha profisso. Essa reflexo nunca mais ces-sou, e um pouco dela que trago para este espao.

    A imagem do historiador como o sujeito sisudo, que se es-conde por trs de velharias, fala complicado e parece vivernum tempo muito distante do presente, no corresponde spossibilidades de atuao e nem aos anseios reais de nossocampo profissional. Alis, hoje ponto pacfico a idia de queo bom historiador aquele que capaz de compreender, vivere agir no seu mundo, a partir do dilogo com homens e institui-es de outros tempos. Mas como? Com que meios e instru-mentos? Em que espaos age o historiador contemporneo?Das salas de aula, passando por instituies diversas e chegan-do at os meios de comunicao, o mundo do trabalho , todoele, campo de ao do historiador.

    A atividade mais tradicional ainda das mais prazerosas: omagistrio, em todos os segmentos da educao. Nesse cam-po, as mudanas de prtica profissional vm da descoberta deque as melhores aulas de Histria no so as que contam ver-dades, mas as que levam os alunos a descobrir o novo emoutros tempos, a enxergar as diversas possibilidades de com-preenso da memria e interpretao da vida humana. Mas,alm da docncia, h inmeras possibilidades de exerccio doofcio de historiador, ligadas educao e pesquisa.

    Nas instituies de memria e patrimnio (arquivos, mu-seus, centros de memria, etc.) ou do mundo do trabalho (co-

    merciais ou industriais), h o trabalho constante de preserva-o e construo da memria coletiva: recolhimento, preserva-o, organizao e anlise de documentos, vestgios humanosde diversas temporalidades, que possibilitam compreender epreservar a identidade de grupos sociais.

    O historiador ainda um profissional fundamental no cam-po do patrimnio cultural, tanto no que se refere atuao depesquisador tcnico por exemplo, com a identificao e oinventrio de bens culturais em municpios quanto no que dizrespeito comunicao dessas pesquisas populao, em ati-vidades de lazer e turismo, especialmente de carter cultural epedaggico.

    O campo de atuao profissional autnoma tambm cheiode historiadores. Trabalhamos na elaborao de materiais did-ticos e instrucionais, em livros de histrias de instituies, con-sultorias dos mais diferentes tipos. muito comum, por exem-plo, diretores de cinema e emissoras de TV contratarem histo-riadores, buscando subsdios para roteiros das obras de ficode carter histrico.

    Estamos espalhados pela sociedade, ns, historiadores. Noapenas porque a necessidade de preservar a memria coletivae refletir sobre ela de maneira consistente uma demanda so-cial. Mas tambm, e sobretudo, porque nosso objeto de estu-dos o homem; portanto, onde h vida humana, a estamosns. dela e com ela que construmos nosso ofcio.

    Diante de todas essas possibilidades, eu hoje responderia aodoutor que me achou muito nova para ser historiadora comas palavras de Henri Pirenne: Se eu fosse antiqurio, s teriaolhos para as coisas velhas. Mas sou um historiador. porisso que amo a vida.

    Miriam Hermeto, educadora, historiadora e professora docurso de Histria da FUNEDI/UEMG

  • inform

    es

    Boletim Informativo do curso de Histria da FUNEDI/UEMG Ano 1 Nmero 5 Outubrode 2007 Editores deste nmero: Joo Ricardo F. Pires e Leandro Pena Cato. Colaborao:Adalson Nascimento e Miriam Hermeto. Reviso: Maria Luisa da Silva. Diagramao: Asses-soria de Comunicao da FUNEDI/UEMG. Contatos: historia@funedi.edu.br, (37) 3229-3569 Av. Paran, 3.001, bairro Jardim Belverdere, Divinpolis (MG), CEP 35501-170

    expediente

    4 Simpsio Latino-Americano eCaribenho de Histria Ambiental

    A Sociedade Latino-Americana eCaribenha de Histria Ambiental (SOL-CHA) convoca a sociedade cientficae acadmica interessada nas questesrelativas s interaes homem e ambi-ente nas suas mais diversas facetas. Oevento ocorrer de 28 a 30 de maio de2008, na Universidade Federal de Mi-nas Gerais (UFMG).

    As inscries iniciam-se em 3 denovembro de 2007 e encerram-se no dia3 de maro de 2008. Entre as temti-cas que sero discutidas no encontro,destacam-se: Histria, Poltica e Ges-to Ambiental; Teorias e Mtodos daHistria Ambiental; Ensino e EducaoAmbiental; Geografia Histrica; Cida-de e Ambiente; Ambientalismo e Pen-samento Ambiental, entre outras.

    Para mais informaes, confira ostio do evento http://www.faf ich.ufmg.br /solcha/pt /cronograma.html.

    Seminrio de Ensino, Pesquisa eExtenso da UEMG Ituiutaba

    Com relao a esse evento que ocor-rer entre os dias 12 e 14 de novembrode 2007, informamos que foram acei-tos 12 trabalhos de alunos do curso deHistria da FUNEDI /UEMG.

    Isso vem confirmar a qualidade dostrabalhos de pesquisa que vm sendodesenvolvidos pelos corpos docente ediscente do curso..

    Chamada para colaboraes

    A revista Escritas, do curso de His-tria da Universidade Federal do Tocan-tins (UFT), est com edital aberto parao recebimento de colaboraes para seuprimeiro nmero.

    O prazo para o recebimento de 20de agosto de 2007 a 20 de novembro de2007. Para mais informaes sobre re-gras e envio das colaboraes, veja ostio histarag@uft.edu.br.

    2 Congresso da AssociaoBrasileira de Pesquisadores em

    Comunicao e Poltica(Compoltica)

    Entre os dias 5 e 7 de dezembro de2007, na Faculdade de Filosofia e Cin-cias Humanas (FAFICH), Campus daUFMG em Belo Horizonte, estar acon-tecendo esse evento organizado pelaCompoltica. Entre as temticas que se-ro discutidas, destacam-se: Comunica-o e Democracia; Mdia e Eleies;Jornalismo Poltico; Sociedade Civil,Participao e Comunicao; Polticasde Comunicao; Internet e Poltica;Imagem Pblica Poltica e EconomiaPoltica da Comunicao.

    As inscries j esto abertas e voat o dia 4 de dezembro, mas quem seinscrever at o dia 15 de novembro temdesconto na taxa de inscrio. Para efe-tivar inscries e obter mais informa-es, veja o stio www.fafich.ufmg.br/compolitica ou envie e-mail paracompolitica@fafich.ufmg.br.

    Colquio Internacional:Cortes, Cidades, Memrias

    Trnsitos e Transformaes naModernidade

    O Programa de Ps-Graduao emHistria da UFMG convida a comuni-dade acadmica e cientfica a partici-par deste evento, que acontecer entreos dias 12 e 14 de novembro de 2007.Entre as temticas que sero discuti-das, destacam-se: Poder e Transforma-es Urbanas; Trnsitos e Cidades;Mutaes e Permanncias do Urbanoem Minas; Cidade, Modernidade e Fo-tografia; Cidades, Museus e Memri-as. O evento ser aberto nas dependn-cias da Faculdade de Filosofia e Cin-cias Humanas (FAFICH), no Campusda UFMG, s 9h30, com conferncia doprof. Luiz Felipe de Alencastro.

    No dia 13 de novembro, as ativida-des do colquio transcorrero ainda nasdependncias da FAFICH. No ltimodia, o evento acontecer nas dependn-cias do Museu Histrico Ablio Barre-to, em Belo Horizonte. Para inscrio emais informaes, veja o stio http://w w w. f a f i c h . u f m g . b r / c o r t e s /cronograma.php.

    Programao do Seminrio A Histria no Cinema

    Dia 5 de novembro (segunda-feira) Filme Olga Dia 6 de novembro (tera-feira) Filme Munique Dia 7 de novembro (quarta-feira) Filme 300 Dia 8 de novembro (quinta-feira) Filme Lutero Dia 9 de novembro (sexta-feira) Filme O que isso, Companheiro?Local: Cine Gois. Ingressos: R$ 3,00. Sesso: 13h30 .Aberto ao pblico. Informaes: (37) 3229-3569 ou pelo e-mailhistoria@funedi.edu.br