AGENTES DE POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA E A OCORRÊN…

  • View
    748

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of AGENTES DE POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA E A OCORRÊN…

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DAS CINCIAS MATEMTICAS E DA NATUREZA INSTITUTO DE QUMICA DEPARTAMENTO DE INORGNICA

AGENTES DE POLUIO ATMOSFRICA E A OCORRNCIA DE MERCRIO NO GS NATURAL COMO TEMAS GERADORES NO ENSINO MDIOFabola de Arajo Rodrigues JernimoDRE: 101115003

Projeto de Final de CursoOrientador: Prof. Roberto de Barros Faria Maro de 2009

AGENTES DE POLUIO ATMOSFRICA E A OCORRNCIA DE MERCRIO NO GS NATURAL COMO TEMAS GERADORES NO ENSINO MDIOFabola de Arajo Rodrigues JernimoProjeto de Final de Curso submetido ao Corpo Docente do Instituto de Qumica, como parte dos requisitos necessrios obteno do grau de Licenciada em Qumica.

Aprovado por: __________________________ Prof. Joo Massena Melo Filho. Dept de Qumica Inorgnica - UFRJ

__________________________ Prof. Roberto Marchiori. Dept de Qumica Inorgnica - UFRJ

__________________________ Prof. Srgio de Paula Machado. Dept de Qumica Inorgnica - UFRJ

Orientado por: __________________________ Prof. Roberto de Barros Faria. Dept de Qumica Inorgnica - UFRJ Rio de Janeiro, RJ Brasil. Maro de 2009.

ii

DEDICATRIA

Dedico este trabalho aos meus pais, meu irmo, familiares e amigos que de alguma forma fazem parte da minha vida, tornando-a mais completa e feliz.

iii

CITAO Todos tm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder pblico e coletividade o dever de defend-lo e preserv-lo para as presentes e futuras geraes. (Caput. Art. 225, Constituio da Repblica Federativa do Brasil).

iv

AGRADECIMENTOS A Deus pelo dom da vida e por colocar pessoas to especiais no meu caminho; Ao meu orientador e grande mestre, Roberto de Barros Faria, que com muita pacincia e dedicao me auxiliou na construo deste trabalho, compreendendo meus sumios e compartilhando comigo todo o seu vasto conhecimento; Aos professores que aceitaram o convite para fazer parte da minha banca, Roberto Marchiori e Srgio de Paula Machado. Em especial, ao professor Joo Massena que me recebeu no curso de Licenciatura em Qumica como aluna transferida e no poderia deixar de fazer parte da concluso dessa jornada; Aos meus pais, Manuel e Nizete, e irmo, Fabricio, pela dedicao e amor incondicional e por idealizarem comigo mais essa conquista. Sem vocs, eu nada seria; Ao Carlos Miranda, pela amizade, companheirismo e incentivo durante minha trajetria acadmica, que alm de festejar comigo as pequenas vitrias, tambm me deu foras pra seguir em frente nos momentos de desnimo; A todos os amigos e familiares, que de perto ou de longe torcem pelo meu sucesso; Aos amigos da Microbiologia, onde foi o meu primeiro contato com o mundo universitrio. Com vocs compartilhei grandes momentos que ficaro pra sempre em minha memria e corao; Aos amigos da CEDAE, que vibraram comigo a cada pgina escrita deste trabalho e que participam da maior parte dos meus dias, contribuindo significativamente para o meu crescimento; Aos amigos do Laboratrio de Biomateriais, que por dois anos estiveram comigo todos os dias. Com vocs dividi momentos de alegria e grande aprendizado; Ao professor Assis, que o grande responsvel pelo meu ingresso na UFRJ. Sem a participao dele, nada disso teria sido possvel; A todos vocs, o meu MUITO OBRIGADA!

v

Resumo do Projeto de Final de Curso apresentado ao Instituto de Qumica como parte dos requisitos necessrios para obteno do grau de Licenciada em Qumica.

AGENTES DE POLUIO ATMOSFRICA E A OCORRNCIA DE MERCRIO NO GS NATURAL COMO TEMAS GERADORES NO ENSINO MDIO Fabola de Arajo Rodrigues Jernimo

Maro, 2009.

Orientador:

Prof.

Roberto

de

Barros

Faria,

AGENTES

DE

POLUIO

ATMOSFRICA E A OCORRNCIA DE MERCRIO NO GS NATURAL COMO TEMAS GERADORES NO ENSINO MDIO

Nos ltimos anos, os agentes de poluio atmosfrica tem recebido especial ateno, principalmente pelo fato de que muitos deles so gases de efeito estufa que esto diretamente relacionados com o aquecimento global, assunto maciamente discutido atualmente. As atividades antropognicas so as principais fontes de emisso desses poluentes para a atmosfera. No entanto, uma nova preocupao vem surgindo, a partir do momento em que se constatou a presena de mercrio no gs natural. Alguns estudos esto sendo realizados para a descoberta de tcnicas eficientes para a remoo do mercrio, a fim de diminuir sua emisso para a atmosfera pela queima de combustveis fsseis. Dessa forma, este trabalho se prope a apresentar os agentes de poluio atmosfrica e suas conseqncias para o meio ambiente, dando especial ateno ao elemento mercrio e sua emisso para a atmosfera. Assim como, tentar mostrar que se pode trabalhar a qumica em sala de aula, utilizando-se dos temas do cotidiano, na tentativa de tornar a disciplina mais prazerosa para os alunos de ensino mdio.

vi

SUMRIO

I. INTRODUO.................................................................................................................. 1 1. Dixido de carbono (CO2)..................................................................................... 3 2. Metano (CH4)......................................................................................................... 5 3. Monxido de carbono (CO)................................................................................... 6 4. Material particulado............................................................................................... 8 5. Dixido de enxofre (SO2)....................................................................................... 9 6. xidos de nitrognio (NOx)................................................................................. 13 7. Oznio (O3).......................................................................................................... 14 8. Poluentes orgnicos persistentes.......................................................................... 16 9. Metais pesados..................................................................................................... 17 II. SOBRE O MERCRIO ................................................................................................. 19 III. O MERCRIO COMO AGENTE CAUSADOR DE DOENAS................................ 25 IV. AS FONTES DE POLUIO COM MERCRIO E ALGUNS CASOS DE CONTAMINAO....................................................................................................... 29 V. O MERCRIO NO GS NATURAL............................................................................ 34 VI. MEDIDAS PARA REDUZIR A POLUIO COM MERCRIO GASOSO............. 36 VII. CONTEXTUALIZANDO ALGUNS TEMAS DA QUMICA................................... 38 1. Os agentes de poluio atmosfrica................................................................... 38 2. Perigos na manipulao do mercrio................................................................. 40 3. Tabela peridica dos elementos.......................................................................... 41 VIII. CONCLUSO............................................................................................................ 43

vii

REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS................................................................................. 44 REFERNCIAS DAS FIGURAS........................................................................................ 48 ANEXOS.............................................................................................................................. 51

viii

NDICE DE FIGURAS

FIGURA 1. Fumaa preta emitida por uma usina em Batangas provncia do sul de Manila, Filipinas............................................................................................................................ 2 FIGURA 2. Mdia mensal de dixido de carbono atmosfrico no Observatrio Mauna Loa, Hawaii.............................................................................................................................. 4 FIGURA 3. Aterro sanitrio de Gramacho no Rio de Janeiro............................................... 6 FIGURA 4. Esquema resumido da formao do radical hidroxila...................................... 11 FIGURA 5. Grgula da Baslica do Sagrado Corao (Sacr Coeur) em Paris deteriorada pela chuva cida............................................................................................................. 12 FIGURA 6. Smog que envolve Pequim, na China............................................................... 14 FIGURA 7. Perfil da camada de oznio (a) e da temperatura (b) com a altura.................. 15 FIGURA 8. a) Frmula estrutural do ncleo dioxina, b) Frmula estrutural do ncleo furano............................................................................................................................. 16 FIGURA 9. Em Chicago, escultura inspirada no mercrio lquido..................................... 21 FIGURA 10. Cinabre (mineral vermelho) da mina Las Cuevas em Almadn, Espanha..... 22 FIGURA 11. Ciclo do mercrio em ambientes naturais...................................................... 23 FIGURA 12. Restaurao feita com amlgama em comparao com uma feita em resina.............................................................................................................................. 26 FIGURA 13. Efeito teratognico da contaminao com mercrio na Baa de Minamata, Japo............................................................................................................................... 28 FIGURA 14. Garimpeiro no rio Juma, em Novo Aripuan, municpio do Estado do Amazonas (AM)............................................................................................................. 31

ix

FIGURA 15. Baa de Minamata, Japo, nos dias atuais ..................................................... 32 FIGURA