Agroecologia: Introdução e Conceitos - .Agroecologia: Introdução e Conceitos Introdução

  • View
    221

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Agroecologia: Introdução e Conceitos - .Agroecologia: Introdução e Conceitos Introdução

  • Agroecologia:Introduo e Conceitos

    Alberto Feiden

    Captulo 2

  • 50

    Agroecologia: Princpios e Tcnicas para uma Agricultura Orgnica Sustentvel

  • 51

    Agroecologia: Introduo e Conceitos

    Introduo

    A aplicao das descobertas cientficas agricultura, principalmenteda qumica desenvolvida por Lavoisier (1743 1797) e a aplicao de seusprincpios agricultura por Saussure (1767 1845), Bossignault (1802 1887)e principalmente por Liebig (1803 1873), seguida da implantao de estaesexperimentais de pesquisa agrcola, como a de Rothamstead na Inglaterra,provocaram uma verdadeira revoluo nos conceitos de agricultura at entovigentes, a ponto de se chamar o processo de Revoluo Agrcola Moderna(JESUS, 1985).

    Uma viso mecnica do mundo e dos processos naturais resultou naconcepo de que se for conhecido o funcionamento de todas as partes dedeterminado objeto de estudo, se ter um entendimento do funcionamentoglobal desse objeto, e que os conhecimentos assim obtidos podem sergeneralizados, permitindo fazer previses de eventos resultantes demanipulao das partes constituintes do objeto. Dentro dessa concepo, otodo nada mais que a simples soma das partes (NORGAARD, 1989).

    Essa abordagem possibilitou grandes avanos cientficos a partir demeados do sculo 19 e durante o sculo 20, servindo de base para o acmulode conhecimentos at hoje obtidos pela humanidade. Com essa mesma viso,os conhecimentos cientficos foram aplicados a formas de manipulao dosprocessos naturais, para produzir bens tecnolgicos teis sociedade humana,o que resultou no progresso tcnico-cientfico que caracteriza a civilizaoatual.

    A aplicao dessa viso mecanicista e reducionista aos sistemas naturaise especialmente agricultura, apesar de proporcionarem extraordinriosganhos de produtividade, reduo de preos e supervites na produo dealimentos, produziram efeitos negativos, tais como degradao do solo,desperdcio e uso exagerado de gua, poluio do ambiente, dependnciade insumos externos e perda da diversidade gentica.

    A partir de 1960, iniciaram-se os questionamentos do modelo depesquisa e desenvolvimento de tecnologias, principalmente com base nosseus efeitos colaterais no previstos inicialmente, com fortes crticas unilateralidade e fragmentao do conhecimento em compartimentosestanques. Como forma de superao dessa situao, surgiram diversasabordagens de trabalho conjunto entre pesquisadores de diferentes disciplinas,

  • 52

    Agroecologia: Princpios e Tcnicas para uma Agricultura Orgnica Sustentvel

    e segundo Almeida (1994), de acordo com o grau de interao podem serclassificados como:

    Multidisciplinaridade Quando um grupo de pesquisadores dediferentes disciplinas se ocupam de um mesmo objeto de estudo, de formaindividual ou por equipes de cada disciplina, usando metodologias especficas,e obtidos os resultados, se renem para formar um quadro geral do objetode estudo.

    Interdisciplinaridade Quando pesquisadores de diversas disciplinasse ocupam de um mesmo objeto de estudo, mas definem, conjuntamente,os parmetros a serem pesquisados e desenvolvem metodologias comuns,avaliando os resultados em conjunto.

    Transdiciplinaridade o conhecimento novo, que est alm dasdisciplinas atuais, incorporando seus contedos, mas procurando integr-loscom os das demais disciplinas. A transdiciplinaridade exige o desenvolvimentode novos pressupostos e de novas metodologias de pesquisa.

    A teoria de sistemas, desenvolvida por Bertalanfy (1968), forneceu umaabordagem instrumental prtica e eficiente para permitir o estudo e aintegrao do conjunto de fenmenos e suas inter-relaes em diversos nveishierrquicos.

    O conceito filosfico do holismo (WERFF, 1992; JESUS, 1996; CAPRA,1998; NORGAARD; SIKOR, 2002), de fundamental importncia para seentender os fenmenos isolados dentro de um ponto de vista das interaesque ocorrem de forma global.

    Uma abordagem que merece mais ateno por parte dos tericos daagroecologia o mtodo do materialismo dialtico de Marx e Engels, quepor meio dos conceitos de particularidade, singularidade e universalidade,podem integrar o estudo das partes com o todo. A dificuldade est no fatode que os autores no descreveram explicitamente o mtodo, e as tentativasde reconstruo do mesmo tm dado resultados diversos e antagnicos,dependendo de quem faz a leitura.

    Contudo, o instrumento fundamental para o estudo dos fenmenosagrcolas de uma forma mais integrada o desenvolvido pela ecologia (ODUM,1988), cincia integradora que permite uma compreenso global dosfenmenos isolados, por meio dos conceitos de comunidades, ecossistemase propriedades emergentes, entre outros. Esses conceitos foram adaptadospor Altieri (1989, 2000, 2002), e Gliessmann (2001), aos sistemas agrcolas,criando o conceito de agroecossistema.

  • 53

    Agroecologia: Introduo e Conceitos

    Definio de termos

    Na discusso de modelos de agricultura sustentvel, muitas vezeso mesmo conceito tem significados ou interpretaes diferentes, quandono antagnicas. Sem pretender esgotar ou definir o tema, fundamentalnivelar alguns conceitos para uniformizar o entendimento, mesmo que esseconceito ainda no tenha aceitao universal. Entre os conceitos maisdisputados, temos:

    Sustentabilidade Possui diferentes significados para distintos grupose pessoas, mas h uma concordncia geral de que ela tem uma base ecolgica(GLIESMANN, 2001). Segundo esse autor, uma agricultura sustentvel deveter as seguintes caractersticas:

    Ter efeitos mnimos no ambiente e no liberar substncias txicas ounocivas na atmosfera, em guas superficiais ou subterrneas.

    Preservar e recompor a fertilidade, prevenir a eroso e manter a sadedo solo.

    Usar a gua de maneira a permitir a recarga dos depsitos aqferose manter as necessidades hdricas do ambiente e das pessoas.

    Depender dos recursos internos do agroecossistema, incluindocomunidades prximas.

    Valorizar e conservar a diversidade biolgica e garantir igualdade deacesso a prticas, conhecimentos e tecnologias agrcolas, possibilitandoo controle local dos recursos agrcolas.

    Agroecologia O emprego mais antigo da palavra agroecologia dizrespeito ao zoneamento agroecolgico, que a demarcao territorial darea de explorao possvel de uma determinada cultura, em funo dascaractersticas edafoclimticas necessrias ao seu desenvolvimento. A partirde 1980, esse conceito passou a ter outra conotao: para Gliessmann (2001), a aplicao dos princpios e conceitos da ecologia ao desenho e manejo deagroecossistemas sustentveis.

    Para Altieri (1989), a agroecologia uma cincia emergente que estudaos agroecossistemas integrando conhecimentos de agronomia, ecologia,economia e sociologia. Para outros, trata-se apenas de uma nova disciplinacientfica. Para Guzmn (2002), a agroecologia no pode ser uma cincia,pois incorpora o conhecimento tradicional que por definio no cientfico.No entanto, consideramos que a agroecologia uma cincia em construo,

  • 54

    Agroecologia: Princpios e Tcnicas para uma Agricultura Orgnica Sustentvel

    com caractersticas transdisciplinares integrando conhecimentos de diversasoutras cincias e incorporando inclusive, o conhecimento tradicional, pormeste validado por meio de metodologias cientficas (mesmo que, s vezes,sejam mtodos no-convencionais).

    Agricultura orgnica Originariamente, o conceito de agriculturaorgnica define o solo como um sistema vivo, que deve ser nutrido, de modoque no restrinja as atividades de organismos benficos necessrios reciclagem de nutrientes e produo de hmus (USDA, 1984). Partindo-sedo enfoque holstico, o manejo da unidade de produo agrcola visa promovera agrobiodiversidade e os ciclos biolgicos, procurando a sustentabilidadesocial, ambiental e econmica da unidade, no tempo e no espao (NEVESet al., 2000).

    Originalmente, os produtores que adotavam os sistemas alternativosde produo o faziam por convico pessoal, e movidos pela preocupaocom o meio ambiente e com a sade. Por isso, os sistemas de produo eramestabelecidos com base num conjunto de procedimentos que envolvem aplanta, o solo e as condies climticas, tendo como objetivo a produo deum alimento sadio, com caractersticas e sabor originais.

    Esses agricultores consideravam a unidade produtiva como uma unidadeindivisvel, significando que todas as atividades da fazenda (olericultura,fruticultura, fruticultura, florestas produtivas, reas de preservao, etc.) seriampartes de um corpo dinmico interagindo entre si. Para esses agricultores, otermo orgnica, da expresso agricultura orgnica, tem origem naexpresso organismo agrcola (ASSIS et al., 1998).

    O desenvolvimento de um mercado de produtos orgnicos, comercializadosa preos superiores aos convencionais, levou necessidade de certificao edefinio legal de normas mnimas para que um produto possa sercomercializado como orgnico. A existncia desse sobrepreo ou prmiona comercializao dos produtos certificados vem atraindo muitosempreendedores que visam apenas ao lucro imediato, sem muitas preocupaesambientais.

    Assim, surge uma nova interpretao do conceito de agriculturaorgnica, para o qual basta atender s normas mnimas de legislao para terdireito ao selo de qualidade, o que equivale a uma simples substituio dosinsumos convencionais por insumos orgnicos ou biolgicos, mantendo amesma lgica produtiva dos sistemas convencionais. Para esses produtos, otermo orgnico tem origem na expresso insumos orgnicos.

  • 55

    Agroecologia: Introduo e Conceitos

    Conceitos bsicos de ecologia

    Para entendermos os princpios da agroecologia, precisamos, inicialmente,rever alguns conceitos bsicos de ecologia. A sntese a seguir baseada emOdum (1988), Altieri (1989, 2000, 2002), Dover e Talbot (1992) e Gliessmann(2001).

    Ecossistema

    O ecossistema um sistema funcional, delimitado arbitrariamente, ondese do relaes complementares entre os organismos viv