Ana Verônica Lima Tavares - intervenção... · 2 Ana Verônica Lima Tavares A INTERVENÇÃO DIDÁTICA…

  • Published on
    17-Nov-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Ana Vernica Lima Tavares

    A INTERVENO DIDTICA EM PRODUES ESCRITAS DE JOVENS E ADULTOS

    Macei-AL 2008

  • 2

    Ana Vernica Lima Tavares

    A INTERVENO DIDTICA EM PRODUES ESCRITAS DE JOVENS E ADULTOS

    Dissertao apresentada ao Programa de Ps-Graduao-Mestrado em Educao da Universidade Federal de Alagoas, como requisito parcial qualificao do ttulo de Mestre em Educao Brasileira, sob a orientao da Profa. Dra. Maria Auxiliadora da Silva Cavalcante.

    UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE EDUCAO - CEDU

    PROGRAMA DE PS-GRADUAO EM EDUCAO BRASILEIRA

    Macei-AL 2008

  • Catalogao na fonte Universidade Federal de Alagoas

    Biblioteca Central Diviso de Tratamento Tcnico

    Bibliotecria Responsvel: Helena Cristina Pimentel do Vale

    T231i Tavares, Ana Vernica Lima. A interveno didtica em produes escritas de jovens e adultos / Ana Vernica Lima Tavares. Macei, 2008. 124 f. : il. Orientadora: Maria Auxiliadora da Silva Cavalcante. Dissertao (mestrado em Educao Brasileira) Universidade Federal de Alagoas. Centro de Educao. Programa de Ps-Graduao em Educao Brasileira. Macei, 2008. Bibliografia: f. 104-107. Anexos: f. 108-124.

    1. Educao de jovens e adultos. 2. Produo textual Interveno. 3. Lngua

    portuguesa Ortografia. 4. Variao lingstica. 5. Professores Formao. I. Ttulo.

    CDU: 371.13

  • 3

    DEDICATRIA

    Um galo sozinho no tece uma manh: ele precisar sempre de outros galos. De um que apanhe esse grito que ele e o lance a outro; de um outro galo que apanhe o grito que um galo antes e o lance a outro; e de outros galos que com muitos outros galos se cruzem os fios de sol de seus gritos de galo, para que a manh, desde uma teia tnue, se v tecendo, entre todos os galos. Joo Cabral de Melo Neto Tecendo a manh

    E por este tecer coletivo, dedico este trabalho a minha querida me Josefa e s minhas irms Ana Lcia e Benedita Cristina pelo apoio e ensinamentos.

  • 4

    E tecendo, tecendo este trabalho em inter-relao com tantas pessoas, agradecemos:

    s companheiras professoras alfabetizadoras e aos alunos da educao de jovens e adultos da rede municipal de ensino da cidade de Macei, que compartilharam e compartilham do aprendizado permanente durante o perodo da pesquisa, nos encontros pedaggicos e durante a nossa prtica pedaggica de sala de aula. Aos professores que estiveram na Banca de Qualificao: Profa. Dra. Adna de Almeida Lopes e Profa. Dra. Maria Denilda Moura, pelas significativas e valiosas contribuies que favoreceram na reavaliao, na reescrita do trabalho e em uma maior aprendizagem. A Profa. Dra. Maria Auxiliadora da Silva Cavalcante, pelas valiosas orientaes e pelo competente acompanhamento. A Profa. Dra. Maria Denilda Moura, por ter sido a primeira a me apoiar e estimular na leitura e no estudo das especificidades e da dinmica da lngua em uso. A toda minha famlia, pelo incentivo.

  • 5

    RESUMO Nesta pesquisa, buscamos demonstrar como as prticas pedaggicas de interveno nas produes escritas de alunos jovens e adultos ocorrem; em que aspectos essas prticas promovem (ou no) contribuies relevantes para o processo ensino-aprendizagem da escrita da lngua materna; em quais pontos o processo de interveno necessita melhorar e como o processo de formao continuada um caminho necessrio para ajudar os professores na sua prtica de sala de aula. Para a realizao deste estudo utilizamos como referencial terico-metodolgico a sociolingstica variacionista e a etnografia. Para desenvolver a investigao de campo, foi selecionada uma escola, na qual foram acompanhadas uma turma da 2 e uma da 3 fase da Educao de Jovens e Adultos EJA do primeiro segmento do Ensino Fundamental. Durante o trabalho de campo, alm das observaes das prticas pedaggicas de sala de aula, aplicamos entrevista semi-estruturada com as duas professoras e analisamos os cadernos e produes escritas dos alunos. A anlise dos procedimentos de interveno adotados pelas professoras revelou que as intervenes realizadas pela professora da 2 fase tende a identificar e apenas corrigir erros ortogrficos. Enquanto que nas intervenes pedaggicas realizadas pela professora da 3 fase, feita atravs da reescrita dos textos, alm de identificar e corrigir erros, esse tipo de interveno promoveu condies favorveis para discutir e trabalhar a lngua em uso, a escolha do estilo lingstico e a monitorizao estilstica. Palavras-chave: Jovens e adultos intervenes nas produes escritas erros ortogrficos variao lingstica formao

  • 6

    ABSTRACT

    So, this study aims to show that matching as the pedagogical practices of intervention in written texts of young an adult students in the classroom occurred; in what aspect that practices promote or no contribution important to the process learning-teaching of writing and the mother tongue as well; in what aspect the process of the intervention need to get better and as the formation process of teacher is by way indispensable for help the teacher in activities in classroom. I carried out the research use as basis theoretical-methodological the sociolinguistic variation and ethnographic. I carried out the investigation in one public primary school. These school I have observed one classe of second and third phase of the schooling of young and adult. During the research of field carried out interviews with teachers and analysis the notebook and written texts of students. The analyses of intervention of the teachers reveal that in the intervention the teacher of second phase to tend to identify and only to correct spelling errors. While pedagogical intervention the teacher of third phase beyond identify and to correct errors that type of intervention promote favorable condition to discuss and to work the language in use and style linguistics.

    Keywords: young and adult intervention in written texts spelling errors linguistcs variation - formation

  • 7

    SUMRIO

    INTRODUO..........................................................................................................10 Captulo I ..................................................................................................................16 FORMAO DOCENTE NA EJA E A QUESTO DA VARIAO LINGSTICA NO ENSINO DE LNGUA MATERNA

    1.1. Formao de professores e professoras e o ensino da lngua materna..............................................................................................................17 1.2.Variao lingstica e a questo da ortografia: superando a interveno corretiva..............................................................................................................25

    Captulo II .................................................................................................................32 MOBILIZANDO CONHECIMENTOS LINGSTICOS E SOCIOLINGSTICOS VARIADOS NO PROCESSO DE PRODUO ESCRITA

    2.1. Ortografia e as correspondncias fonogrficas regulares e irregulares..........................................................................................................32 2.2. Ortografia e os contnuos de urbanizao, de oralidade-letramento e de monitorao estilstica........................................................................................38

    Captulo III ................................................................................................................45 CAMINHO METODOLGICO DA PESQUISA

    3.1. Critrios de seleo para a constituio do corpus da pesquisa................45 3.2. O campo de pesquisa: da seleo ao ingresso na escola..........................49 3.3. O campo de pesquisa: da observao anlise dos dados.......................50

    Captulo IV ................................................................................................................53 OS DADOS E SEUS SIGNIFICADOS NO PROCESSO DE INTERVENO DAS PROFESSORAS

    4.1. As aes interventivas da professora da 2 FASE.....................................54 4.2. As aes interventivas da professora da 3 FASE ....................................69

    Captulo V .................................................................................................................83 CONCEPES DE LNGUA E SUAS IMPLICAES NA PRTICA PEDAGGICA DAS PROFESSORAS

  • 8

    5.1. A inter-relao entre concepes de lngua e desenvolvimento de contedos, objetivos, mtodo e avaliao do processo ensino-aprendizagem das professoras..................................................................................................83 5.2. A coerncia entre formao e prtica docente, no ensino de lngua materna..............................................................................................................95

    CONSIDERAES FINAIS.......................................................................................99 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS E WEBGRFICAS........................................104 ANEXOS..................................................................................................................108

  • 9

    INTRODUO

    O tema A interveno didtica em produes escritas de Jovens e

    Adultos surgiu a partir de discusses realizadas nas zonais1 e de necessidades

    sentidas em minha prtica pedaggica no que diz respeito s intervenes nas

    produes escritas de meus alunos, especificamente em como intervir nos

    chamados erros ortogrficos.

    Por ser professora da Educao de Jovens Adultos EJA de Macei,

    necessito superar um sentimento de incapacidade de melhor intervir nos erros

    ortogrficos encontrados nas produes de meus alunos, de melhor auxili-los na

    apreenso da escrita que a sociedade cobra (norma padro), a qual a escola tem o

    dever de ensinar. Alm disso, dever da escola ajudar os estudantes jovens e

    adultos a resgatar sua auto-estima como pessoa, profissional, cidado, visto que

    constantemente, em sala de aula, fazem referncia que no sabem ler e escrever

    correto. Sentem-se envergonhados e relatam que necessitam desse aprendizado no

    trabalho para o registro de um recado, por exemplo; na famlia quando os filhos

    pedem ajuda nas tarefas da escola; na busca de trabalho no momento da entrevista,

    ao responder um teste ou no preenchimento de ficha cadastral e em muitas outras

    situaes em que o fazer permite o resgate da auto-estima e da autonomia de

    jovens e adultos, seres humanos, sujeitos de natureza scio-poltica-cultural.

    Cabe escola o ensino da varivel padro, pois a sua apreenso

    instrumento de luta contra a discriminao social, contra a excluso da condio de

    1 Corresponde nucleao das escolas municipais em classes de Educao de Jovens e Adultos, onde acontecem as discusses e apresentaes de algumas prticas pedaggicas. Atualmente os encontros ocorrem, uma vez ao ms, de acordo com a carga horria (20, 25 e 40 horas) do professor.

  • ...