of 30 /30
André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Embed Size (px)

Citation preview

Page 1: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

André Augusto DequechMarcos Henrique da Silva

Maurício Okada

Page 2: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

“Teoria Metafísica do ser.”

(http://www.priberam.pt/dlpo/dlpo.aspx?pal=ontologia [consultado em 02-05-2009])

Page 3: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

“É utilizada para realizar inferência sobre os objetos do domínio.”

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Ontologia_(ciência_da_computação) [consultado em 02-05-2009])

Page 4: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

A ontologia usa classes (conceitos), que são grupos abstratos, que podem conter outras classes. Um exemplo seria um computador: o próprio computador seria uma classe, mas o fato dele existir faz com que exista um provável gabinete, que também seria considerado uma classe, e dentro do gabinete uma placa mãe que também seria considerada outra classe.

Page 5: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

É utilizado a ontologia como base conceitual para a web semântica. Afinal, com a ontologia é possível ter um reuso de conhecimentos, separar conhecimentos de domínio com conhecimentos operacionais, e até tornar explícitas hipóteses sobre um domínio.

Page 6: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

A Web Semântica é uma evolução da Web atual;

A idéia da Web Semântica iniciou com a empresa W3C (World Wide Web Consortium) em 2001 quando Tim Berners-Lee, James Hendler e Ora Lassila publicaram um artigo na revista Scientific American;

Page 7: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

A Web Semântica utiliza de quatro principais tipos de linguagens: eXtensible Markup Language (XML), Resource Description Framework (RDF), Web Ontology Language (OWL) e a RDFS;

Page 8: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

A linguagem HTML foi totalmente popularizada e utilizada na maioria dos sites, a diferença é que essa linguagem não permite atribuir certo significado a informação, pois possui certo limite na utilização das tags, elas somente mostram a informação e descrevem como a pagina deve ser exibida;

Page 9: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Já na Web Semântica as tags possuem maior liberdade e variabilidade tornando mais fácil sua utilização;

Page 10: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

A web semântica, por sua vez, estará presente na Web 3.0. pois será a base para a funcionalidade da Web 3.0.

Page 11: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Tags no seu significado em inglês significa rótulo ou etiqueta. Elas não aparecem no computador e servem para recolher informações para um computador. Elas são rótulos usados para informar ao navegador como deve ser apresentado o website.

Page 12: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Na linguagem HTML as tags são pré-definidas e limitadas, ou seja, existe um certo tipo de tags usado somente na linguagem HTML. Existe dois tipos de tags, as tags de abertura <comando> e as tags de fechamento </comando>.

Tudo que estiver entre essas tags (abertura e fechamento) será processado conforme o comando contido nela.

Page 13: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Um exemplo: <title>Texto entre as tags </title>.

Isso quer dizer que o titulo do seu website será “Texto entre as tags”.

Um robot, ao fazer uma pesquisa achará os termos correspondentes de title tudo o que estiver dentro da tag “title”.

Page 14: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

<HTML><HEAD><TITLE> Aprendendo sobre as meta tags </TITLE><META NAME="author" CONTENT="Erika Sarti"><META NAME="description" CONTENT="Meta Tags - O que são e como utilizá-las - Um artigo para iniciantes"><META NAME="keywords" CONTENT="sites, web, desenvolvimento"></HEAD>

( http://www.infowester.com/metatags.php [consultado em 30/04/2009])

Page 15: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Abordaremos, de maneira sintética, 3 delas:

- OWL; - RDF; - XML;

Page 16: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Essa linguagem foi criada com o intuito de utilizar a Ontologia na Web. Ela foi baseada nas linguagens OIL e DAML+OIL da (WC3) e é essencial para as linguagens XML, RDF e RDFS.

Page 17: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

A OWL disponibiliza uma forma comum para o processamento de conteúdo semântico da informação na Web.

A OWL é uma linguagem não muito fácil de ser lida por humanos, mas ela se utiliza de um framework (que seria um relacionamento de classes) para facilitar sua leitura.

Page 18: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Existe três tipos de sub-linguagens do OWL:

A OWL Lite, que é a mais simples entre elas, utiliza-se de restrições e classificações simples.

- A OWL DL, que é um pouco mais complexa, utiliza-se de uma máxima expressividade, contem toda a linguagem OWL, mas só podem ser usadas com certas restrições como classe e subclasse. Ela possui forte relação com a lógica de descrição, que uma lógica que forma a base de OWL.

Page 19: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

- A OWL Full, que é a mais complexa das três, utiliza-se de uma máxima expressividade e a liberdade sintática. Ela permite que o uso da Ontologia aumente o vocabulário da OWL. É praticamente improvável que algum software venha a ser capaz de suportar cada elemento da OWL Full.

Page 20: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Essa linguagem permite criar um modelo de dados usando o vocabulário semântico do URI (uma cadeia de caracteres usados em recursos da internet) e a sintaxe da XML.

Page 21: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Derivada das linguagens SGML e HTML a XML é a principal linguagem da Web Semântica. Criada, também, pela WC3, ela define um formato universal para os dados na Web e permite escrever documentos capazes de ser facilmente visível pelo computador.

Page 22: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

A XML permite que o usuário descreva os dados da sua maneira em categorias que o próprio usuário poderá escolher.

Page 23: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

A principal diferença entre a XML e a HTML é no uso das tags. Na HTML as tags são limitadas e podem ser executadas com erro (como uma tag pode ser executada sem ter seu comando fechado). Já a XML possui um uso ilimitado de tags que não podem ser executados se possuir erro (pois a aplicação para se ocorrer algum erro).

Page 24: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

<email><de> Departamento Financeiro </de><para> Departamento Operacional </para><assunto> Análise do Ano Fiscal </assunto><mensagem> Favor comparecem à reunião que se realizará em 10/08/2005, às 8:00 horas, no auditório da empresa. </mensagem></email>

(http://www.infowester.com/lingxml.php[consultado em 22/04/2009])

Page 25: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Com o XML, junto com a idéia da web semântica, pode-se manipular as tags de uma forma mais organizada, que permite com que os robôs de busca possam procurar de forma mais eficaz para o cliente e, se fosse no exemplo dado a pouco tempo, o usuário não deveria fazer várias especificações sobre o que estava procurando não tendo um tempo perdido em vão na procura.

Page 26: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

Um utilitário para pesquisa de Web Semântica na Web é o SWOOGLE.

Ele procura pela Web arquivos escritos em formato RDF (que é uma linguagem que define uma informação) buscando ontologicamente os mesmos.

Ele busca termos da Web Semântica (isto é URLs) que são definidas como classes e proveem metadados utilizados nas mesmas.

O SWOOGLE ainda esta em fase de teste e pode ser acessado no seguinte endereço:

http://swoogle.umbc.edu/

Page 27: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

A Lógica de Descrição é utilizada junto da linguagem OWL. Esse tipo de lógica serve para escrever sintaticamente um documento e o tornar algo mais homogêneo para as lógicas de primeira ordem.

Page 28: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

http://www.comciencia.br/reportagens/internet/net08.htm [consultado em 02-05-2009]

http://pt.wikipedia.org/wiki/OWL [consultado em 01-05-2009]

http://www.tableless.com.br/a-web-semantica [consultado em 29-04-2009]

http://www.infowester.com/metatags.php [consultado em 15-04-2009]

http://www.priberam.pt/dlpo/dlpo.aspx?pal=ontologia [consultado em 02-05-2009]

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ontologia_(ciência_da_computação) [consultado em 02-05-2009]

Page 29: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

http://www.tableless.com.br/a-web-semantica [consultado em 25-04-2009]

http://pt.wikipedia.org/wiki/Web_semântica [consultado em 14-04-2009]

http://www.plugmasters.com.br/sys/materias/352/1/XML-e-a-Web-Sem%E2ntica [consultado em 22-05-2009]

http://www.infowester.com/lingxml.php [consultado em 01-05-2009]

http://www.cin.ufpe.br/~in1099/082/apresentacao.ppt [ consultado em 15-04-2009]

Page 30: André Augusto Dequech Marcos Henrique da Silva Maurício Okada

http://en.wikipedia.org/wiki/Description_logic [consultado em 15-04-2009]

http://www.otimizacao-sites-busca.com/art-tags/ [consultado em 17-04-2009]

http://pt.wikipedia.org/wiki/Web_3.0 [consultado em 29-04-2009]