boletim agroclimatológico mensal de maio

  • View
    217

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of boletim agroclimatológico mensal de maio

  • BOLETIM AGROCLIMATOLGICO

    MENSAL

    Foto: noticias.terra.com.br

    MAIO - 2012

    INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA

    MINISTRIO DA AGRICULTURA, PECURIA E DO ABASTECIMENTO

  • 2

    SERVIO PBLICO FEDERAL

    MINISTRIO DA AGRICULTURA, PECURIA E ABASTECIMENTO.

    INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA - INMET

    BOLETIM AGROCLIMATOLGICO

    MENSAL DE MAIO - 2012

    Coordenao-Geral de Desenvolvimento e Pesquisa - CDP

  • 3

    SUMRIO

    Informaes Gerais 04

    Condies Meteorolgicas Ocorridas no ms de Maio / 2012 05

    Mapa de Precipitao 13

    Mapa de Desvio de Precipitao 13

    Mapa de Temperatura Mdia 14

    Mapa de Desvio de Temperatura Mdia 14

    Mapa de Temperatura Mnima 15

    Mapa de Desvio de Temperatura Mnima 15

    Mapa de Temperatura Mxima 16

    Mapa de Desvio de Temperatura Mxima 16

    Mapa de Nmero de Dias com Chuva 17

    Mapa de Insolao 17

    Mapa de Umidade Relativa 18

    Mapa de Evapotranspirao Potencial 18

    Mapa de Evapotranspirao Real 19

    Mapa de Dficit e Excesso Hdrico 19

    Mapa de Armazenamento Hdrico (mm) 20

    Fenmenos Adversos 21

    Mapas dos Fenmenos Adversos 26

    Mapas - Normal Climatolgica 29

    Balano Hdrico 30

    Termos Tcnicos 43

    Notas Explicativas 44

  • 4

    Informaes Gerais

    O Boletim Agroclimatolgico uma publicao do Instituto Nacional de

    Meteorologia INMET, elaborado pela Seo de Apoio Agricultura e Recursos

    Hdricos SEAGRE, subordinada a Coordenao-Geral de Desenvolvimento e

    Pesquisa - CDP, e tem como objetivo proporcionar, aos agricultores e queles que

    exercem suas atividades junto a eles, informaes meteorolgicas que possam contribuir

    para o sucesso do planejamento agrcola.

    Esta publicao conta com a colaborao dos meteorologistas e tcnicos do

    INMET, com especial participao daqueles atuando no Servio de Processamento de

    Informao SEPINF, no Centro de Anlise e Previso do Tempo CAPRE, no

    Seo de Produtos de Imagens de Satlites SEPIS, no Servio de Observaes

    Meteorolgicas SEOME e no Servio de Gerncia de Rede SEGER.

    Instituto Nacional de Meteorologia -INMET Coordenao-Geral de Desenvolvimento e Pesquisa - CDP Eixo Monumental, Via S1 Sudoeste. 70680-900 Braslia/DF Fone: (61) 2102-4791

  • 5

    Condies Meteorolgicas ocorridas no Brasil no ms de Maio de 2012

    Destacam-se, a seguir, dados referentes aos valores extremos de precipitao e temperatura observados no ms de Maio nas diferentes regies do pas.

    REGIO NORTE

    Este ms, as precipitaes variam de normal a acima da mdia climatolgica em Roraima,

    Rondnia, Acre (exceto no oeste), Amazonas (exceto no centro e nordeste), centrossul do Par e

    no Tocantins (exceto no extremo norte). Nas reas onde se verificou as excees, as

    precipitaes ficaram abaixo da normal climatolgica.

    Quanto ao maior desvio positivo de chuva, este ocorreu em Palmas (TO), onde o

    total mensal de chuva foi de 63,3 mm o que corresponde a mais de quatro vezes o valor esperado

    climatologicamente para o ms de maio: apenas 14,9 mm. Por outro lado, o maior desvio

    negativo foi registrado em Tucuru (PA), onde no choveu sequer 30% de todo o volume normal

    para o ms. Com este total mensal de chuva, apenas 58,1 mm, maio de 2012 passa a ter o menor

    total mensal de chuva j registrados desde 1961, ultrapassando assim, o menor valor que era de

    70 mm registrados em maio de 1976.

    Em relao aos maiores volumes totais de chuva, este foram registrados no

    Amazonas: 550,3 mm em Iauaret e 473,6 mm em Barcelos. Embora estes valores sejam muito

    elevados, mesmo assim, no representam quebra de recordes histricos. J os maiores volumes

    de chuva registrados em apenas 1 dia (24 horas) foram de: 90 mm em Altamira (PA) no dia

    04/05/2012 e 76 mm em Caracarai (RR) no dia 06/05/2012.

    O nmero de dias com chuva na regio variou entre 03 e 28. Destaque para Barcelos

    (AM), onde houve registro de chuva em 28 dias do ms, com isto, maio de 2012 supera a mdia

    climatolgica do nmero de dias nos decndios do ms com precipitao igual ou superior a 1

    mm que de 20,5 dias.

    No que diz respeito aos sistemas meteorolgicos, observou-se que a formao e

    intensificao de reas de instabilidade, durante todo o ms foi a principal responsvel pela

    ocorrncia de chuvas na regio, Observou-se ainda que a Zona de Convergncia Intertropical

    (ZCIT) esteve mais ativa no primeiro decndio do ms e favoreceu a formao de reas de

    instabilidade sobre o litoral do Amap.

    Pelo terceiro ms consecutivo, os elevados volumes de chuva ocorridos, especialmente no

  • 6

    Amazonas, continuaram contribuindo para a elevao do nvel dos rios da regio, principalmente

    do Rio Negro, onde segundo o terceiro alerta de cheias divulgado pela Companhia de Pesquisa e

    Recursos Minerais (CPRM), a cota em 31 de maio de 2012 estava em 29,97 m. Com isto, espera-

    se que em junho, quando normalmente ocorre o pico da cheia, a cota atinja uma magnitude

    varivel entre 29,97 e 30,27 m.

    A temperatura mdia compensada variou entre 24,9C no Rio Branco (AC) e 29,0C em

    Marab (PA). A mdia das temperaturas mnimas variou entre 18,8 C em Tracuateua (PA) e

    24,6 C em Parintins e Manaus (AM). Enquanto que, a mdia das temperaturas mximas esteve

    compreendida entre 30,4 C em Belterra (PA) e 34,0 C Palmas (TO).

    REGIO NORDESTE

    Climatologicamente, o ms de maio j corresponde ao trmino do perodo chuvoso em

    praticamente todo o centro, oeste e norte da regio Nordeste. Restando assim, apenas a faixa leste

    da regio, onde se inicia a quadra chuvosa. Como observado ao longo dos ltimos quatro meses,

    as reas aonde devia ter ocorrido chuvas, foram castigas pela estiagem. Desta forma, maio no

    foi diferente, isto , a maioria da regio registrou chuvas abaixo da normal climatolgica. As

    excees foram apenas o sul dos estados do Maranho, Piau e Bahia, onde as precipitaes

    variam de normal a acima da mdia. O nmero de dias com chuva na regio variou de 1 a 20.

    Os maiores totais mensais de chuva foram: 411,5 mm em Salvador (BA); 216,5 mm em

    Joo Pessoa (PB) e 214,9 mm em Canavieiras (BA). J os maiores totais dirios de chuva (24

    horas) foram de: 186 mm no dia 21/05/2012 em Salvador (BA); 103 mm em Fortaleza (CE) no

    dia 23/05/2012; 68 mm em Joo Pessoa (PB) no dia 23/05/2012 e 60 mm em Natal (RN) tambm

    no dia 23/05/2012. O total dirio de chuva de 186 mm registrados em Salvador (BA) no dia

    21/05/2012 representa o maior total dirio j registrado em maio na estao (desde 1961),

    superando assim, o antigo recorde que era de 161,1 mm registrados no dia 26/05/1970.

    Em relao aos principais sistemas meteorolgicos que atuaram sobre a regio, observou-

    se que nos primeiros quinze dias do ms uma intensa massa de ar quente e seco predominou

    sobre praticamente toda a regio, o que inibiu a formao de reas de instabilidade e contribuiu

    para o registro de temperaturas extremamente elevadas, como por exemplo, os 38,2C

    registrados em So Joo do Piau (PI) no dia 14/05/2012. A partir do dia 16 observou-se a que

    uma frente fria sobre o oceano Atlntico (prximo ao litoral sul da Bahia) favoreceu a formao

    de reas de instabilidade sobre praticamente toda a Bahia. Posteriormente, observou-se a

  • 7

    formao de um centro de baixa presso sobre o litoral sul da Bahia. Este sistema permaneceu

    semi-estacionrio at o dia 21, provocando a ocorrncia de chuva em toda a Bahia. No dia 22

    notou-se o deslocamento deste sistema em direo aos litorais de Sergipe e Alagoas, ocasio na

    qual, foram registradas as chuvas mais significativas do ms de maio neste dois estados. Alm

    destes sistemas, foi observada a atuao de dois distrbio ondulatrios de leste sobre os litorais

    do Rio Grande do Norte, Paraba e Pernambuco: um entre os dias 22 e 23 e outro entre os dias 27

    e 28.

    A temperatura mdia compensada variou entre 17,6C em Caetit (BA) e 30,2C em

    Bom Jesus do Piau (PI). Em relao s temperaturas, a mdia das temperaturas mnimas variou

    entre 15,4C em Vitria da Conquista (BA) e 24,6 C em So Luis (MA). Enquanto que, a

    mdia das temperaturas mximas esteve compreendida entre 25,1C em Vitria da Conquista

    (BA) e 36,6C em Morro dos Cavalos (PI).

    REGIO CENTRO-OESTE

    Em maio, as precipitaes variaram de normal a acima da mdia climatolgica no centro

    e sul de Gois, centro, sul e noroeste do Mato Grosso e no norte Mato Grosso do Sul. Nas demais

    reas, as precipitaes variaram de normal a abaixo da normal climatolgica.

    O maior acumulado mensal de precipitao foi registrado em Cuiab (MT), com 292,4

    mm. Esse acumulado representa mais de cinco vezes a mdia para o ms de maio, 51,1 mm, e

    passa a ser o maior acumulado de chuva em um ms de maio desde 1961, superando os 211,3

    mm registrados em maio de 1983. O segundo maior acumulado mensal de precipitao ocorreu

    em Diamantino (MT), com 172,5 mm, valor quase trs vezes acima da mdia de maio, 62,7 mm.

    Em Poxoro (MT) o total mensal e o desvio de precipitao tambm merecem destaque, j que o

    total mensal de precipitao de 126,4 mm representa mais de duas vezes a mdia de maio, 52,3

    mm. Alm disso, esse valor passa a ser recorde para o ms de maio em Poxoro desde 1961,

    superando os 101,0 mm registrados em maio de 1979. Por outro lado, o total mensal de

    precipitao em Trs Lagoas (MS) de 48,0 mm representa apenas 36% da mdia para o ms de

    m