Desafio de Reduzir Despesas sem Comprometer o Orçamento .2017-08-24 · Possui 25 pavimentos,

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Desafio de Reduzir Despesas sem Comprometer o Orçamento .2017-08-24 · Possui 25 pavimentos,

  • Desafio de Reduzir Despesas sem

    Comprometer o Oramento

    @drkarpat

    #rodrigokarpat

  • Breve Currculo Formado em Direito pela Universidade Paulista (Unip SP) e Ps-graduado em Direito Processual Civil pela Pontifica Universidade Catlica

    (PUC/SP);

    Advogado militante na rea cvel;

    scio no escritrio Karpat Sociedade de Advogados;

    Tem como cursos complementares, o Curso de Direito Imobilirio pela FMU e Direito Imobilirio e Registral pela AASP;

    Foi membro da Comisso de tica e Julgamento do CRECI-SP por seis anos;

    Membro do Ciclo de Palestras permanente do CRECI SP- mbito Estadual;

    professor do Curso de Sndico Profissional da Gabor RH;

    Colunista do Portal Sindiconet, da Revista BDI, do Jornal do Sndico em mbito Nacional, da Folha do Condomnio em todo Brasil;

    Tem o quadro conexo jurdica no programa do Dr. Condomnio Aldo Junior, Radio OK, 104,7 FK Braslia;

    Tem matrias escritas: Revista Direcional, Veja, Isto , Revista em Condomnio, Jornal Folha do Condomnio, entre outros;

    Apresenta o programa Vida em Condomnio da TV Creci SP

    Consultor do Jornal Estado, TV Cultura, Rdio Justia entre outros;

    Aparies na TV Bandeirantes, TV Globo, TV Record, TV do STJ, TV Gospel, RIT TV, TV LBV, TV Dirio, entre outras.

    Membro da Comisso de Direito Condominial da OAB/SP e palestrante permanente da UNASNDICO/DF

  • Inadimplncia em condomnios na GrandeVitria cresce 96% ( 2016) folha de Vitria

    Vdeo mostra invaso a condomnio noEspirito Santo ( 2017)

    G1- rea de lazer em condomnio de luxodesaba e porteiro achado morto(2016).

  • SndicoO sndico desempenha o papel mais importante nocondomnio, no s porque o representa ativa e passivamenteem juzo, mas tambm porque exerce as funes executivas doadministrador. grifamos -

    Slvio de Salvo Venosa

  • III - no alterar a forma e a cor da fachada, das partes e esquadrias externas;

  • Desvalorizao do patrimnio causada pela m gesto. Estima-se 30% de desgio

    no valor da unidade. Envelhecimento dos prdios, desgaste natural VUP

  • De acordo com a norma ABNT NBR 14653-1:2001, adepreciao a perda de valor de um bem, devido modificao em seu estado ou qualidade, ocasionadapor: decrepitude (desgaste de suas partes constitutivas, emconsequncia de seu: envelhecimento natural, em condies normais de

    utilizao e manuteno), deteriorao (desgaste de seus componentes em razo de

    uso ou manuteno inadequados), mutilao (retirada de sistemas ou componentes originais

    existentes) e obsoletismo (superao tecnolgica ou funcional)

  • Construdo pelos arquitetos Kogan e Zarzur em

    1959 o prdio conhecido pela arquitetura

    moderna. Possui 25 pavimentos, 600 quitinetes,

    mais trreo e sobreloja com unidades comerciais

    e na cobertura um magnfico auditrio que j foi

    palco de shows de artistas famosos em sua poca

    urea. Alm disso do topo do prdio possvel

    uma viso magnifica de toda cidade. Fonte: So

    Paulo antiga

  • Em 1985 Veja em So Paulo era, "talvez, a maior concentrao populacional da cidade, [com] 3 mil pessoas, a maioria biscateiros, assalariados modestos e prostitutas".[7]

    Artigo publicado pela revista poca So Paulo em setembro de 2009 defende que a deteriorao que comearia nos anos 1980 deveu-se, "em parte, homogeneidade do pblico", ao contrrio de prdios erguidos com o mesmo conceito, como o Copan, que eram tambm atrativos para a classe mdia.[4] Essa degradao foi acentuada pela diviso de diversas quitinetes em duas, pela instalao de diversas "gambiarras" na rede eltrica (80% dos pontos de ligao do prdio eram clandestinos em 2002)[5] e at pela suspenso da coleta de lixo, o que levou muita gente a atirar sacos de lixo das janelas[4], alm de gua suja e restos de comida[7].

    Por atrasos no pagamento das contas, a Sabesp interrompeu o servio de abastecimento de gua no edifcio em 1973, o que levou a administrao do condomnio a usar um velho poo artesiano no subsolo para manter a rede interna abastecida.[2]

    Oito anos depois, no entanto, a Cetesb constatou que essa gua estava contaminada por coliformes fecais.[2] O abastecimento por poos artesianos duraria at 1982, quando uma cheia do Rio Tamanduate os poluiu, e a Sabesp voltou a ser a responsvel pela gua, a um custo mais alto.[7] Dos trs elevadores originais, apenas um estava em funcionamento em 2002, ainda assim servindo apenas at o 15. andar, o que gerava filas de at meia hora para os moradores em horrios de pico.[5]

    Nessa poca o edifcio, ento o maior cortio verticalizado da cidade[4], j tinha sido apelidado de "Balana, mas no Cai"[8] e "Treme-Treme". " um lugar perigoso, difcil de entrar", contou uma delegada ao jornal Folha de S. Paulo em 2002. "S tendo aval de algum morador, ter credibilidade na rea, ser gente conhecida. Ou ento com a polcia Fonte:Wikipedia

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Veja_S%C3%A3o_Paulohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89poca_(revista)https://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_Copanhttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Quitinetehttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Sabesphttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Cetesbhttps://pt.wikipedia.org/wiki/Coliforme_fecalhttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_Tamanduate%C3%ADhttps://pt.wikipedia.org/wiki/Sabesphttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Edif%C3%ADcio_S%C3%A3o_Vitohttps://pt.wikipedia.org/wiki/Folha_de_S._Paulo

  • X

  • O que devemos verificar? Como agir? Questes legais- multas, aes de obrigao de fazer, cobrana, aes trabalhistas, Normas

    regulamentadoras, AVCB, contratos, Conveno, Regimento, CC, CF, demais dispositivos legais;

    Previso Oramentria -Identificando as despesas;

    Redues perigosas trabalhistas, contratos;

    Tipos de contratao, relaes trabalhistas;

    Gesto profissional;

    Laudos de engenharia, auditoria, laudo fsico de situaes especficas;

    Treinamento dos gestores cursos, palestras;

    Manuteno corretiva e preventiva;

    Respaldo administrativo, contbil, legal.

    ASSDIO MORAL. CONFIGURAO. INDENIZAO. A

    ocorrncia reiterada de ofensas pessoais impingidos ao

    trabalhador pelo representante do empregador, na

    condio de sndico do condomnio, levam

    materializao da figura jurdica do assdio moral, ato

    ilcito que sujeita o empregador ao dever de reparao.

    Trata-se de violncia laboral que torna o ambiente de

    trabalho hostil, comprometendo o bem estar fsico e

    mental do trabalhador, passvel de indenizao

    compensatria.

    (TRT-12 - RO: 00018023020145120019 SC 0001802-

    30.2014.5.12.0019, Relator: MARIA DE LOURDES LEIRIA,

    SECRETARIA DA 3A TURMA, Data de Publicao:

    11/09/2015)

    file:///C:/Users/Rodrigo/Dropbox/Documents/Documents/Cursos e Aulas/exemplo.pptx

  • Previso Oramentria

    28.500

    10.000

    5.000

    3.000 3.000

    PESSOAL CONCESSIONARIAS MANUTENES ADMINISTRATIVOS EVENTUAIS

    orado

    monitorar

  • Previso Oramentria

    28.500

    10.000

    5.0003.000 3.000

    30.000

    14.000

    3.000 3.5004.000

    PESSOAL CONCESSIONARIAS MANUTENES ADMINISTRATIVOS EVENTUAIS

    orado gasto

    monitorar

  • QUADRO DE RATEIO

    % F.RESERVA

    ISENO SNDICO

    VAGAS EXTRAS

    OUTRAS

    pessoal

    tarifaseventuais

    administrativomanutenes

    materiais / consumo

    Previso Oramentria

  • PESSOAL

    CONSUMO

    MANUTENO

    ADMINISTRATIVOS

    OUTROS

    FRIAS

    DISSDIO

    13SALRIO

    EXTINTORES

    LIMP.CAIXA DGUA

    INADIMPLENTES

    SEGURO

    ESPECFICOS

  • PREVISO ORAMENTRIA

    RESUMO GERAL

    HISTRICO SUGESTO

    DESPESAS PREVISO %

    PESSOAL 28.430,00 50,31%

    TARIFAS 10.880,00 19.25%

    MANUTENES 6.650,00 11,77%

    ADMINISTRATIVOS 5.140,00 9,10%

    EVENTUAIS 5.410,00 9,57%

    SUB-TOTAL 56.510,00 100,00%

  • Alguns riscos

    Reduzir despesas em patamar no suficiente para a gesto do prdio um risco,

    Consumir reservas, fundo de obra, fundo de reserva ou verbas com destinao especfica, pode trazer problemas

    No pagamento do acmulo de funo, intervalo refeies- gera passivo

    No realizar as obrigatoriedades legais AVCB, NRs, PPRA ( Nr9), PCMSO,...

    RECURSO DE REVISTA DA SEGUNDA RECLAMADA PETROBRAS BIOCOMBUSTVEIS.

    Invivel a interposio de recurso de revista pela reclamada que no interps

    recurso ordinrio, se o Tribunal Regional limitou-se a manter a sentena, sem

    agravar a condenao. Recurso de revista no conhecido. RECURSO DE REVISTA

    DA PRIMEIRA RECLAMADA NES GLOBAL LTDA. ADICIONAL DE INSALUBRIDADE.

    CLT

    Art. 192 - O exerccio de

    trabalho em condies

    insalubres, acima dos

    limites de tolerncia

    estabelecidos pelo

    Ministrio do Trabalho,

    assegura a percepo

    de adicional

    respectivamente de 40%

    (quarenta por cento),

    20% (vinte por cento) e

    10% (dez por cento) do

    salrio-mnimo da

    regio, segundo se

    classifiquem nos graus

  • M gesto de funcionrios

    Hora extra

    escala

    Intervalo

    Hora noturno

    Acmulo de funo

    Binio

    Cesta