of 6/6
BELO HORIZONTE PREFEITURA BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município - DOM Ano XVII N. 3.790 R$ 0,80 Tiragem: 2.500 23/3/2011 Ações educativas e culturais marcam Dia Mundial da Água em BH Data será festejada no sábado com atividades no Parque Ecológico da Pampulha que terão objetivo de conscientizar a população para o uso racional dos recursos hídricos Para comemorar o Dia Mundial da Água, cele- brado ontem, a Prefeitura de Belo Horizonte preparou uma programação especial no sábado, dia 26, no Par- que Ecológico da Pampulha (avenida Otacílio Negrão de Lima, 7.111), das 8h30 às 13h. O objetivo do evento é sensibilizar a população belo-horizontina, especial- mente o público infanto-ju- venil, para questões relacio- nadas à limpeza urbana da cidade, com um apelo para a conservação ambiental, proporcionando momentos de entretenimento com ati- vidades educativas e cultu- rais. Teatro de bonecos, música, exposição e oficinas são algumas das atrações a serem realizadas em come- moração à data. Confira nesta página a programação completa. Realizado pela Supe- rintendência de Limpeza Urbana (SLU), o evento tem como parceiros Fundação Zoobotânica, Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, Copasa, as secretarias mu- nicipais de Saúde e Educa- ção, Propam e Projeto Manuelzão. Cada um deles contribuirá com um estande informativo e atividades cul- turais, cuja proposta é conscientizar a população para o uso racional dos re- cursos hídricos, apresentar a relação do lixo com água e as consequências desta re- lação, como casos recentes de enchentes e inundações, provenientes do entupi- mento de bocas de lobo. “É preciso lembrar que, em diversos lugares do planeta, milhares de pessoas já so- frem com a falta desse bem. Um dos fatores que contri- bui para esse problema é a poluição ambiental”, disse o superintendente de Lim- peza Urbana, Eduardo Her- meto. Segundo ele, é ne- cessário celebrar a data para chamar a atenção da população sobre a impor- tância da preservação do Atrações Será montada, em parceria com a Fundação Zoobotânica, uma expo- sição com duas represen- tações de córrego. De um lado, o córrego lim- po, onde serão apresen- tadas várias espécies de peixes, e, do outro, o córrego poluído, com lixo coletado durante a limpeza do córrego Sarandi, apresentando a média de tempo de de- composição de cada um dos resíduos na água. O Corpo de Bom- beiros irá apresentar seus instrumentos de traba- lho e exemplos de ações de salvamento em inun- dações e enchentes, com o objetivo de refor- çar o princípio de cida- dania, evidenciando o papel de cada um para o melhor funcionamen- to da cidade. Outra atração é o Projeto Manuelzão, que vai expor uma maquete tridimensional do Rio das Velhas para que os visitan- tes possam conhecer uma bacia hidrográfica e a for- ma como ela nasceu. Programação • 8h30 - Abertura (música mecânica temática, gravada pelo Caçamba Suingue, grupo musical da SLU) • 9h - Apresentação de teatro de bonecos do Corpo de Bombeiros • 9h45 - Apresentação da Banda SUScesso, da Secre- taria Municipal de Saúde • 10h30 - Apresentação de teatro de bonecos do Pro- jeto Manuelzão • 11h - Apresentação da banda do Corpo de Bombeiros • 11h45 - Dança das Sete das Quedas • 12h - Apresentação do grupo de teatro do Mobiliza SUS Dia Mundial da Água O Dia Mundial da Água foi criado pela Organiza- ção das Nações Unidas (ONU) no dia 22 de março de 1992 com o objetivo principal de criar um momento de reflexão, análise e conscientização para o uso. Por conta disso, a ONU também elaborou um documento intitulado “Declaração Universal dos Direitos da Água”, que trata a água como a seiva do planeta. Segundo dados do IBGE, 97% da água do plane- ta é imprópria para o consumo ou aproveitada em pro- cessos industriais, pois se trata da água do mar, 1,75% é gelo, 1,24% está em rios subterrâneos, escondidos no interior do planeta. Para o consumo de mais de seis bilhões de pessoas está disponível apenas 0,007% do total de água da Terra. recurso natural e seu uso responsável. A novidade da festa de comemoração ao Dia Mundial da Água é a im- plantação do projeto Esco- teiro da Limpeza, atribuin- do aos alunos a função de fiscalizar e adotar atitudes que contribuam para a ma- nutenção e limpeza em to- dos os ambientes que fre- quentam, como escola, re- sidência e clube. A propos- ta é estimular nas crianças e jovens a co-responsabili- dade pela limpeza da cida- de, englobando a fiscaliza- ção daqueles que com elas convivem. Além disso, será elaborado um estatuto do escoteiro da limpeza. Para se tornar um escoteiro, os jovens deverão acumular alguns créditos através da visitação de estandes e da participação das atividades do evento. De acordo com o diretor operacional da SLU, Rogério Siqueira, o Es- coteiro da Limpeza vai criar diretrizes para as crianças agirem de maneira am- bientalmente correta, não só em relação à água, mas a todos os problemas que enfrentamos atualmente. “Queremos chamar a aten- ção das pessoas para que não joguem lixo no chão. Andar um ou dois quartei- rões com o resíduo na mão até encontrar a próxima li- xeira pode contruibuir para manter a nossa cidade mais limpa. As crianças são o nos- so maior porta voz”, ressal- tou Rogério. Parque Ecológico também vai abrigar a implantação do projeto Escoteiro da Limpeza Parque Ecológico receberá apresentações musicais e teatrais, além de exposição e oficinas Fotos: Carlos Avelin

DOM - 23/03/2011

  • View
    222

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Notícias do dia.

Text of DOM - 23/03/2011

  • BELO HORIZONTEP R E F E I T U R ABELO HORIZONTEDirio Oficial do Municpio - DOMAno XVII N. 3.790 R$ 0,80 Tiragem: 2.500 23/3/2011

    Aes educativas e culturais marcam

    Dia Mundial da gua em BHData ser festejada no sbado com atividades no

    Parque Ecolgico da Pampulha que tero objetivo deconscientizar a populao para o uso racional dos recursos hdricos

    Para comemorar oDia Mundial da gua, cele-brado ontem, a Prefeiturade Belo Horizonte preparouuma programao especialno sbado, dia 26, no Par-que Ecolgico da Pampulha(avenida Otaclio Negro deLima, 7.111), das 8h30 s13h. O objetivo do evento sensibilizar a populaobelo-horizontina, especial-mente o pblico infanto-ju-venil, para questes relacio-nadas limpeza urbana dacidade, com um apelo paraa conservao ambiental,

    proporcionando momentosde entretenimento com ati-vidades educativas e cultu-rais. Teatro de bonecos,msica, exposio e oficinasso algumas das atraes aserem realizadas em come-morao data. Confiranesta pgina a programaocompleta.

    Realizado pela Supe-rintendncia de LimpezaUrbana (SLU), o evento temcomo parceiros FundaoZoobotnica, Corpo deBombeiros de Minas Gerais,Copasa, as secretarias mu-nicipais de Sade e Educa-o, Propam e ProjetoManuelzo. Cada um delescontribuir com um estandeinformativo e atividades cul-turais, cuja proposta

    conscientizar a populaopara o uso racional dos re-cursos hdricos, apresentara relao do lixo com guae as consequncias desta re-lao, como casos recentesde enchentes e inundaes,provenientes do entupi-mento de bocas de lobo. preciso lembrar que, emdiversos lugares do planeta,milhares de pessoas j so-frem com a falta desse bem.Um dos fatores que contri-bui para esse problema apoluio ambiental, disseo superintendente de Lim-peza Urbana, Eduardo Her-meto. Segundo ele, ne-cessrio celebrar a datapara chamar a ateno dapopulao sobre a impor-tncia da preservao do

    Atraes

    Ser montada, emparceria com a FundaoZoobotnica, uma expo-sio com duas represen-taes de crrego. Deum lado, o crrego lim-po, onde sero apresen-tadas vrias espcies depeixes, e, do outro, ocrrego poludo, comlixo coletado durante alimpeza do crregoSarandi, apresentando amdia de tempo de de-composio de cada umdos resduos na gua.

    O Corpo de Bom-beiros ir apresentar seusinstrumentos de traba-lho e exemplos de aesde salvamento em inun-daes e enchentes,com o objetivo de refor-ar o princpio de cida-dania, evidenciando opapel de cada um parao melhor funcionamen-to da cidade.

    Outra atrao oProjeto Manuelzo, quevai expor uma maquetetridimensional do Rio dasVelhas para que os visitan-tes possam conhecer umabacia hidrogrfica e a for-ma como ela nasceu.

    Programao

    8h30 - Abertura (msica mecnica temtica, gravadapelo Caamba Suingue, grupo musical da SLU) 9h - Apresentao de teatro de bonecos do Corpo deBombeiros 9h45 - Apresentao da Banda SUScesso, da Secre-taria Municipal de Sade 10h30 - Apresentao de teatro de bonecos do Pro-jeto Manuelzo 11h - Apresentao da banda do Corpo de Bombeiros 11h45 - Dana das Sete das Quedas 12h - Apresentao do grupo de teatro do Mobiliza SUS

    Dia Mundial da gua

    O Dia Mundial da gua foi criado pela Organiza-o das Naes Unidas (ONU) no dia 22 de maro de1992 com o objetivo principal de criar um momentode reflexo, anlise e conscientizao para o uso. Porconta disso, a ONU tambm elaborou um documentointitulado Declarao Universal dos Direitos da gua,que trata a gua como a seiva do planeta.

    Segundo dados do IBGE, 97% da gua do plane-ta imprpria para o consumo ou aproveitada em pro-cessos industriais, pois se trata da gua do mar, 1,75% gelo, 1,24% est em rios subterrneos, escondidos nointerior do planeta. Para o consumo de mais de seisbilhes de pessoas est disponvel apenas 0,007% dototal de gua da Terra.

    recurso natural e seu usoresponsvel.

    A novidade da festade comemorao ao DiaMundial da gua a im-plantao do projeto Esco-teiro da Limpeza, atribuin-do aos alunos a funo defiscalizar e adotar atitudesque contribuam para a ma-nuteno e limpeza em to-dos os ambientes que fre-quentam, como escola, re-sidncia e clube. A propos-ta estimular nas crianase jovens a co-responsabili-dade pela limpeza da cida-de, englobando a fiscaliza-o daqueles que com elasconvivem. Alm disso, serelaborado um estatuto doescoteiro da limpeza. Parase tornar um escoteiro, osjovens devero acumularalguns crditos atravs davisitao de estandes e daparticipao das atividadesdo evento. De acordo como diretor operacional daSLU, Rogrio Siqueira, o Es-coteiro da Limpeza vai criardiretrizes para as crianasagirem de maneira am-bientalmente correta, nos em relao gua, masa todos os problemas queenfrentamos atualmente.Queremos chamar a aten-o das pessoas para queno joguem lixo no cho.Andar um ou dois quartei-res com o resduo na moat encontrar a prxima li-xeira pode contruibuir paramanter a nossa cidade maislimpa. As crianas so o nos-so maior porta voz, ressal-tou Rogrio.Parque Ecolgico tambm vai abrigar a implantao do projeto Escoteiro da Limpeza

    Parque Ecolgico receber apresentaes musicais e teatrais, alm de exposio e oficinas

    Foto

    s: C

    arlo

    s A

    velin

  • BELO HORIZONTEQuarta-feira, 23 de maro de 2011Dirio Oficial do Municpio2

    Poder Executivo

    Ela Quer Casar conta a histria de uma palhaa em busca de um marido

    Videoclipes produzidos por grupos de hip hopde BH sero exibidos no final de semana

    Representantes de gruposde hip hop de Belo Horizonte lan-am nesta semana videoclipes pro-duzidos nas oficinas Vdeo ClipHop, atividades que aconteceramentre agosto e dezembro de 2010e envolveram um grupo de 15 pes-soas em processos de experimen-tao para criao e debates so-bre linguagem audiovisual, tcni-cas de animao, produo paraMTV, liberdade de criao ecreative commons.

    Ao final do processo foramproduzidos trs videoclipes:Constituio: teoria x prtica, deRapper Blitz, W2 e Lane; A Fugado Fantoche, de Maurcio PC ePreto X e Reparaes, do grupoNegras Ativas.

    No final de semana, entre osdias 25, sexta, e 27, domingo,acontece uma srie de exibiespara lanamento dos videoclipes.A primeira ser realizada no tradi-cional Duelo de Mcs, debaixo doViaduto Santa Tereza. As seguin-tes acontecem nos bairros Taquaril

    (comunidade que sedia oCineclube Sabotage) e Cabana. Osvdeos produzidos so destinadosa exibies abertas ao pblico emcineclubes, centros culturais, esco-las, associaes, bibliotecas, ofici-nas e outros espaos.

    Cineclube Sabotage

    O Cineclube Sabotage umespao cultural dedicado exibiode filmes e vdeos na Escola Muni-cipal Professora Alcida Torres, nobairro Taquaril, na regio Leste deBelo Horizonte. O projeto reali-zado pela Oficina de Imagens e peloCentro de Referncia Hip Hop Bra-sil. Conta com o apoio do Cine MaisCultura, do Ministrio da Cultura eda Prefeitura de Belo Horizonte. Noano passado, o Cineclube Sabotagedeu incio ao processo de produode contedo, uma ao voltada paraa experimentao de linguagens,envolvendo jovens e adultos repre-sentantes do movimento hip hop deBelo Horizonte.

    Alunos da Umei assistemapresentao cnica no Centro

    Cultural Jardim Guanabara A Companhia Circo das Ar-

    tes apresentou na ltima semana,no Centro Cultural JardimGuanabara, o espetculo circenseEla Quer Casar, que conta a his-tria de uma palhaa em busca deum marido. A apresentao foiassistida pelos alunos da UnidadeMunicipal de Educao Infantil(Umei) Jardim Guanabara.

    Os alunos, de 4 e 5 anos deidade, ficaram encantados com a

    performance do grupo que apre-sentou durante o espetculo n-meros de malabares, contando in-clusive com a participao dascrianas. Para a professora LucianeCalixto, uma oportunidade in-teressante poder oferecer aos alu-nos uma atividade como esta.Nem todos tm a oportunidadede ter este tipo de vivncia e umespetculo teatral bom para agu-ar a imaginao e a criatividade

    dos pequenos, afirmou.Coordenador do centro cul-

    tural, Vicente de Paula Souza ex-plicou que o espetculo foi apre-sentado por um grupo da prpriacomunidade. importante valo-rizar a criao local e a RegionalNorte tem a sorte de ter muitosgrupos que esto despontando nocenrio e esto dispostos a seapresentarem no centro cultural,afirmou.

    Histria da Figura Alada pode serconhecida at domingo na Casa do Baile

    A histria de umas das obrasde arte mais marcantes de BeloHorizonte continua em cartaz naCasa do Baile somente at domin-go, dia 27. A mostra Pedrosa noBaile apresenta documentos, fo-tos e desenhos que narram a hist-ria da escultura Pampulha, tam-bm conhecida como Figura Ala-da, do artista plstico Jos Pedrosa.A exposio pode ser visitada das9h s 19h. A entrada gratuita, compromoo da Prefeitura de BeloHorizonte, por meio da FundaoMunicipal de Cultura e da Casa doBaile, que fica na avenida OtaclioNegro de Lima, 751, Pampulha.

    A exposio procura investi-gar a obra do escultor Jos Pedrosaa partir da escultura Pampulha emuma perspectiva contempornea.Ao revisitar a histria, documentosatestam que a escultura, hoje insta-

    lada nos jardins do Museu de Arteda Pampulha, foi originalmente pro-jetada para a Casa do Baile, por en-comenda de Juscelino Kubitscheck.

    O escultor elaborou a maquetereduzida da obra e ampliou-a, quan-do se mudou para o Rio de Janeiro,obtendo uma escultura de dimensointermediria. Ela foi novamente am-pliada em 1945 e gerou a verso de-finitiva, trazida do Rio de Janeiro em1956, com sua escala ajustada ao con-junto da Casa do Baile. Nesse pero-do a Casa do Baile encontrava-se semuso especfico e seu edifcio estava emestado de quase runa e, assim, a es-cultura Pampulha foi destinada aosjardins do Museu de Arte daPampulha (MAP).

    Em estreita aproximao comas obras do arquiteto Oscar Niemeyere do paisagista Roberto Burle Marx, otrabalho de Pedrosa insere-se no pro-jeto modernista brasileiro, tendo aPampulha como um marco inicial. Amostra na Casa do Baile apresenta aescultura em duas escalas e diversosdesenhos, alm de transitar, em filmes,projees e documentos, pela ricaobra do escultor Jos Pedrosa.

    Parceria com MAPUnidos pelo passado em

    comum, a Casa do Baile e o Mu-seu de Arte da Pampulha se re-encontram simbolicamente na ex-posio. A mostra, idealizada paraaproximar ainda mais os equipa-mentos culturais, apenas o co-meo de um projeto de parceria.

    O ponto de partida so oselementos comuns. As duasedificaes foram projetadas porOscar Niemeyer, integram oComplexo Arquitetnico daPampulha e so tombadas nas ins-tncias federal, estadual e muni-cipal do Patrimnio Histrico.Equipamentos pertencentes Fundao Municipal de Culturada Prefeitura de Belo Horizonte,direcionam as atividades para aconstruo e a manuteno dosaspectos culturais distintos. ACasa do Baile se tornou um cen-tro de referncia de urbanismo,arquitetura e design. J o Museude Arte da Pampulha, desde afundao, tem cumprido a mis-so de ser o nico museu de arteda capital.Mostra apresenta documentos, fotos e desenhos relacionados escultura

    Ger

    com

    Nort

    eG

    lenio

    Cam

    pre

    gher

  • BELO HORIZONTEQuarta-feira, 23 de maro de 2011 Dirio Oficial do Municpio 3

    Poder Executivo

    Workshop capacita servidores

    sobre PIB MunicipalA Secretaria Municipal de

    Planejamento, por meio de suaassessoria tcnica, promoveu naltima semana um workshoppara capacitao sobre ametodologia de clculo do Pro-duto Interno Bruto (PIB) Munici-pal. O evento contou com a par-ticipao de tcnicos e gerentesdas secretarias de Planejamento,Finanas e Oramento, alm derepresentantes de instituiesparceiras como a Fundao Insti-tuto de Pesquisas EconmicasAdministrativas e Contbeis deMinas Gerais (Ipead).

    O secretrio municipal dePlanejamento, Paulo Bretas, res-saltou a importncia do eventopara a reflexo da produo deindicadores para medir o cresci-mento econmico e do bem es-tar da cidade. J o secretrio mu-nicipal adjunto de Planejamentoe Gesto, Geraldo Herzog, desta-cou os temas abordados na ofici-na como relevantes para o forne-cimento de informaes e dadospara a secretaria.

    A coordenadora de ContasRegionais de Minas Gerais, MariaAparecida Sales Souza Santos, tc-nicos da Fundao Joo Pinheiroe o pesquisador Raimundo deSousa Leal Filho, que tambm fo-ram facilitadores do workshop, fa-laram da importncia das estats-ticas para o conhecimento da rea-lidade e da estrutura econmica

    do municpio.Para Maria Aparecida, a

    capacitao de funcionrios im-portante, pois compartilha e nivelaas informaes. H dvidas, porexemplo, de como se chega aonmero, quais so as fontes dasinformaes e o que o nmerorepresenta para a realidade da ci-dade. O clculo do PIB essen-cial para mostrar, entre outros as-pectos, onde est a concentraoda gerao da riqueza e a com-posio econmica do municpio,entre outros, declara.

    PIBO PIB Municipal refere-se

    ao valor agregado de todos osbens e servios finais produzidosdentro do municpio e uma fer-ramenta imprescindvel para sub-sidiar os gestores que querem co-nhecer a dinmica das atividadeseconmicas e que, para tanto,necessitam deste material paraelaborao de polticas voltadaspara o desenvolvimento da re-gio. Ele auxilia na busca pelacaptao de novos recursos parao municpio, que exige informa-es regionalizadas referentes populao e renda per capta,uma vez que a legislao deter-mina que parte dos tributos fe-derais seja distribuda entre esta-dos e municpios, a partir de cri-trios definidos com base nessasvariveis.

    Recursos Humanos realiza primeiraedio do Cinema Comentado em 2011

    A Secretaria MunicipalAdjunta de Recursos Humanos(Smarh), por meio da Gerncia deAcompanhamento Sociofuncional(Geasof) e em parceria com aCoordenadoria Municipal de Di-reitos da Mulher, promove a pri-meira edio do Projeto CinemaComentado de 2011. O encontroser realizado amanh, das 14h s17h30, no auditrio da SecretariaMunicipal de Polticas Sociais (ruaEsprito Santo, 550, 18 andar). Ocinema comentado faz parte dasatividades programadas em come-morao ao Dia Internacional daMulher.

    Na sesso, ser exibido ofilme Pelos Meus Olhos, do di-retor Icar Bollan. Aps a exibi-o do filme, haver a Mesa deDilogo, com a participao espe-cial da coordenadora dos Direitosda Mulher, Mrcia Cssia Gomes,e de Roberto Chateaubriand Ro-drigues, membro da Coorde-

    nadoria Municipal de DireitosHumanos.

    O Projeto Cinema Comen-tado voltado para os agentespblicos que atuam nas diferen-tes reas de recursos humanos daadministrao municipal e temcomo objetivo dialogar, a partir daarte cinematogrfica, sobre ques-

    tes relacionadas gesto de pes-soas, para favorecer a ampliaoda conscincia de temas cientfi-cos, artsticos, culturais e sociais.

    A iniciativa se insere tam-bm nas diretrizes da Poltica deGesto de Pessoas da Smarh, nocontexto da valorizao do servi-dor municipal, contribuindo paraseu desenvolvimento profissionale pessoal, bem como para seubem estar e qualidade de vida notrabalho.

    As inscries podero serencaminhadas Geasof por meiodo e-mail [email protected] oupelos telefones 3277-4862 e3277-4791.

    PBH apresenta obras e projetos paraComit Especial de Estudos da Copa

    O presidente do ComitMunicipal da Copa 2014, TiagoLacerda, e o secretrio estadualextraordinrio para a Copa doMundo, Sergio Barroso, compa-receram Cmara Municipal nasegunda-feira, dia 21, para a pri-meira reunio com o Comit Es-pecial de Estudos da Copa daCmara Municipal. Ns apre-sentamos aqui diversas aespara o legado da cidade. um

    absurdo dizermos que aimplementao do sistema deTransporte Rpido por nibus(BRT) e a duplicao de aveni-das, por exemplo, servir apenaspara a Copa do Mundo, disseTiago Lacerda.

    Na ocasio, foram mostra-das obras previstas e em andamen-to, entre elas a construo de ho-tis, tratamento da Lagoa daPampulha, implantao de

    ciclovias e alargamento de aveni-das, obras que a Prefeitura e oGoverno do Estado realizam.

    A Prefeitura fez um pro-jeto de lei, chamado de Opera-o Urbana, que j foi aprova-do e sancionado, para estimu-lar no s o desenvolvimento denovos hotis, mas tambm hos-pitais e espaos de entreteni-mento cultural, explicou TiagoLacerda.

    Secretrio de Planejamentorene-se com reitor da UFMG

    O Secretrio de Planeja-mento, Paulo Bretas, se reuniuna semana passada com o rei-tor da Universidade Federal deMinas Gerais (UFMG), CllioCampolina Diniz. Paulo Bretas graduado pela Faculdade deCincias Econmicas (Face) eCllio Campolina foi um deseus professores.

    A Secretaria de Planeja-mento parceira da UFMG emaes como o BH-Tec, o ParqueTecnolgico de Belo Horizonte, eo Observatrio do Milnio, espa-o formado por grupo de institui-es dedicadas produo e dis-seminao de informaes so-bre Belo Horizonte na aferio dasmetas do milnio estabelecidaspelas Naes Unidas. Fiz ques-to de vir reitoria para reafirmara necessidade de mantermos asparcerias e ampli-las. A UFMGest presente em diversas reascompatveis com as polticas p-blicas municipais, disse o secre-trio de Planejamento.

    Ainda de acordo comBretas, as expectativas so as me-

    lhores possveis, uma vez que jexiste uma relao de confianamtua entre a universidade e aPrefeitura. Vamos identificarmais aes para que possamoscontinuar trabalhando em proldo desenvolvimento econmicoe social do municpio, disse.

    Cllio Campolina falou dainteno de aprofundamento darelao entre a UFMG e a PBH.Queremos interagir ainda maiscom a cidade. A universidade,alm de produzir conhecimen-to, quer estar cada dia mais par-ticipando da vida dos cidados,afirmou. O reitor citou ainda oBH-Tec, que j selecionou as 15primeiras empresas de basetecnolgica que vo ocupar oprimeiro prdio, com inaugura-o prevista para junho.

    Construdo em rea per-tencente UFMG, o BH-Tec foifundado em 2005 por meio deparceria feita entre Governo deMinas Gerais, Prefeitura de BeloHorizonte, UFMG, Sebrae-MGe Federao das Indstrias deMinas Gerais (Fiemg).

    Tiago Lacerda apresentou obras previstas e em andamento na capital mineira

    Div

    ino A

    dvi

    ncu

    la

  • BELO HORIZONTEQuarta-feira, 23 de maro de 2011Dirio Oficial do Municpio22

    Poder Executivo

    INDICADORES ECONMICOS DE BELO HORIZONTE

    No ms No ano ltimos12 Meses No ms No anoltimos

    12 Mesesout/10 339,27 0,66 4,67 5,80 346,75 0,84 4,01 5,00nov/10 341,41 0,63 5,33 5,81 349,35 0,75 4,79 5,19dez/10 342,54 0,33 5,68 5,68 350,74 0,40 5,20 5,20jan/11 349,97 2,17 2,17 5,92 355,48 1,35 1,35 5,89fev/11 352,66 0,77 2,96 6,08 356,97 0,42 1,78 5,74

    2 mar/11 360,21 (3) 0,68 3,40 6,17 362,52 (3) 0,69 2,36 5,70

    FONTE: Fundao IPEAD/UFM G

    (2) IPCR= ndice de Preos ao Consumidor Restrito : mede a evoluo dos gastos das famlias com renda de 1 a 6 salrios mnimos na cidade de Belo Horizonte

    Perodo

    (1) IPCA= ndice de Preos ao Consumidor Amplo: mede a evo luo dos gastos das famlias com renda de 1 a 40 salrios mnimos na cidade de Belo Horizonte

    (3) 2 quadrissemana de julho/94 = 100

    Evoluo dos Preos ao Consumidor

    Variao (%)ndice de Base Fixa(4 Jul/94=100)

    ndice de Base Fixa(4 Jul/94=100)

    Variao (%)IPCR(2)IPCA(1)

    ICCBH(1) IEE(2) IEF(3) ICCBH IEE IEF ICCBH IEE IEF ICCBH IEE IEFset/10 131,77 178,59 116,81 -2,15 -3,97 -1,25 -4,13 -3,77 -4,32 -2,43 2,28 -4,58out/10 131,61 185,55 114,40 -0,12 3,90 -2,06 -4,25 -0,02 -6,29 -2,11 3,69 -4,85nov/10 136,23 194,06 117,75 3,51 4,59 2,93 -0,89 4,56 -3,54 -0,21 7,23 -3,72dez/10 134,17 186,93 117,30 -1,51 -3,67 -0,38 -2,39 0,72 -3,91 -2,39 0,72 -3,91jan/11 137,53 193,41 119,69 2,51 3,47 2,04 2,51 3,47 2,04 -1,66 2,87 -3,84fev/11 135,92 195,96 116,70 -1,18 1,32 -2,49 1,30 4,83 -0,51 -1,06 7,31 -5,06

    Perodo

    ndice de Confiana do Consumidor

    (2) IEE: ndice de Expectativa Econmica: retrata a expectativa do consumidor em relao aos indicadores macroeconmicos (3) IEF: ndice de Expectativa Financeira: retrata a confiana do consumidor a respeito de alguns indicadores microeconmicosFONTE: Fundao IPEAD/UFM G

    ltimos 12 Mesesndice de Base Fixa

    (Maio/04=100)Variao (%)

    No ms No ano

    (1) ICCBH: ndice de Confiana do Consumidor de Belo Horizonte: trata-se de um indicador que tem por finalidade sintetizar a opinio dos consumidores em Belo Horizonte quanto aos aspectos capazes de afetar as suas decises de consumo atual e futuro

    No ms No ano ltimos12 Meses No ms No anoltimos

    12 Mesesset/10 364,55 0,90 10,59 13,44 470,88 1,50 13,27 18,86out/10 365,90 0,37 11,00 13,01 476,72 1,24 14,67 18,59nov/10 370,11 1,15 12,27 13,10 481,35 0,97 15,78 17,43dez/10 372,63 0,68 13,04 13,04 484,33 0,62 16,50 16,50jan/11 374,79 0,58 0,58 12,43 489,85 1,14 1,14 16,82fev/11 378,98 1,12 1,71 12,55 497,44 1,55 2,71 16,29

    FONTE: Fundao IPEAD/UFM G

    Perodo

    Evoluo do Mercado Imobilirio: Aluguis

    ndice de Base Fixa (Jul/94=100)

    Variao (%)Comerciais

    ndice de Base Fixa (Jul/94=100)

    Variao (%)Residenciais

    Popular Mdio Alto Luxo

    Apartamento 1 Quarto 432,00(5)-

    (3)625,58

    (26)1.500,97

    (31)

    Apartamento 2 Quartos 526,33(30)765,76

    (66)896,87

    (90)1741,28

    (86)Apartamento 3 Quartos 1 Banho

    595,00(10)

    749,29(14)

    941,67(12)

    -

    (3)Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos

    941,54(26)

    1.090,41(73)

    1.259,06(127)

    2.034,97(191)

    Apartamento 4 Quartos e at 2 Banhos

    - -

    (1)1.550,00

    (7)2.680,00

    (5)Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos

    -

    (2)-

    (2)2.389,38

    (16)3.833,05

    (131)

    Barraco 1 Quarto 333,53(17)395,71

    (14)-

    (3)-

    Barraco 2 Quartos 413,00(10)522,22

    (9)- -

    Casa 1 Quarto -(3)-

    (1)-

    (1)-

    (1)

    Casa 2 Quartos 535,38(13)700,00

    (11)925,00

    (8)-

    Casa 3 Quartos e 1 Banho 749,29(14)1.044,44

    (9)-

    (3)-

    Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos

    1.180,00(15)

    1.257,14(7)

    2.147,06(17)

    4.160,00(5)

    Casa 4 Quartos e at 2 Banhos

    -

    (3)- - -

    (1)

    Casa 4 Quartos e 2 Banhos -(2)-

    (2)3.855,56

    (9)7.770,37

    (27)

    Valores mdios (em R$) dos aluguis residenciais por classe de bairro(*) - Fevereiro de 2011Imveis

    Barraces

    FONTE: Fundao IPEAD/UFM G

    (*) O valor entre parnteses representa o nmero de imveis utilizados no clculo da respectiva mdia. Na maioria das vezes, somente so publicados valores mdios obtidos a partir de quatro imveis pesquisados. Os casos em que no fo i pesquisado nenhum imvel so indicados por hfen (-). Os valores mdios referentes a apartamentos de 1 e 2 quartos da classe luxo so influenciados pela o ferta de Flats.

    Apartamentos

    Casas

    IPCA(1) Salrio MnimoCesta

    Bsica(2)IPCA Salrio Mnimo

    Cesta Bsica IPCA

    Salrio Mnimo

    Cesta Bsica IPCA

    Salrio Mnimo

    Cesta Bsica

    set/10 337,05 787,16 381,00 0,40 0,00 2,41 3,98 9,68 -0,32 5,43 9,68 -1,99out/10 339,27 787,16 416,20 0,66 0,00 9,24 4,67 9,68 8,89 5,80 9,68 5,67nov/10 341,41 787,16 432,87 0,63 0,00 4,01 5,33 9,68 13,26 5,81 9,68 9,37dez/10 342,54 787,16 417,30 0,33 0,00 -3,60 5,68 9,68 9,18 5,68 9,68 9,18jan/11 349,97 833,46 421,24 2,17 5,88 0,94 2,17 5,88 0,94 5,92 5,88 12,90fev/11 352,66 833,46 429,26 0,77 0,00 1,91 2,96 5,88 2,87 6,08 5,88 10,51

    FONTE: Fundao IPEAD/UFM G

    Evoluo da inflao, salrio mnimo e cesta bsica

    Variao (%)No ms No ano ltimos 12 MesesPerodo

    ndice de Base Fixa(Jul/94=100)

    (1) IPCA= ndice de Preos ao Consumidor Amplo : mede a evoluo dos gastos das famlias com renda de 1 a 40 salrios mnimos na cidade de Belo Horizonte(2) Cesta Bsica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentao definida pelo Decreto-lei 399/38

    Produto Quantidade Valores(em R$)Contribuio na variao (p.p.)

    Acar cristal 3,00 kg 5,83 0,00Arroz 3,00 kg 5,65 -0,05Banana caturra 12,00 kg 18,12 -0,79Batata inglesa 6,00 kg 8,16 -0,10Caf modo 0,60 kg 5,81 0,05Ch de dentro 6,00 kg 95,04 0,00Farinha de trigo 1,50 kg 3,00 0,03Feijo carioquinha 4,50 kg 11,79 -0,24Leite pasteurizado 7,50 L 14,25 0,03Manteiga 750,00 g 13,35 -0,06leo de soja 1,00 un 2,84 0,01Po francs 6,00 kg 36,12 0,22Tomate 9,00 kg 28,71 2,80

    Custo da Cesta Bsica(*) Fevereiro de 2011

    (*) Cesta Bsica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentao definida pelo Decreto-lei 399/38FONTE: Fundao IPEAD/UFM G

    Menor Maior Diferena (%) Mdia

    Alimentcio 3,00 5,90 96,67 5,07

    Automveis Novos Prefixada (montadoras) 1,33 2,19 64,66 1,59 Prefixada (multimarcas) 1,42 2,42 70,42 1,79Automveis Usados Prefixada (montadoras) 1,41 2,79 97,87 1,81 Prefixada (multimarcas) 1,56 2,44 56,41 1,94Carto de Crdito 11,40 13,70 20,18 12,60

    Cheque Especial (2) (8) 6,67 8,72 30,73 7,94Combustveis 1,94 13,13 576,80 6,96

    Construo Civil (3) (7)

    Imveis Construdos 0,05 2,17 4.240,00 1,39 Imveis na Planta 0,15 2,17 1.346,67 0,69Cooperativas de Crdito (emprstimo) 1,37 4,20 206,57 2,61Crdito Direto ao Consumidor (CDC) CDC - Financeiro (8) 2,07 4,66 125,12 3,28

    CDC - Bens Alienveis (8) 1,42 1,83 28,87 1,65Eletroeletrnicos 2,84 7,55 165,85 4,75Mobilirio 1,49 9,92 565,77 4,28Financeiras Independentes 8,28 11,81 42,63 9,81Turismo

    Nacional 1,21 3,74 209,09 2,44

    Internacional 1,05 3,84 265,71 2,13

    Vesturio e Calados 2,07 10,67 415,46 4,95Emprstimos pessoa jurdicaDesconto de Duplicatas (8) 1,66 2,46 48,19 1,94

    Capital de Giro (8) 1,67 2,50 49,70 2,09

    Conta Garantida (8) 2,29 8,24 259,83 5,34CaptaoCDB 30 dias (4) 0,88Cooperativas de Crdito (aplicao) 0,90Fundo de Investimento Curto Prazo 0,40 0,68 70,00 0,56Fundo de Investimento Longo Prazo 0,62 0,74 19,35 0,68

    Poupana (5) 0,55

    Taxa SELIC (6) 0,89(1) Considera-se a mdia das taxas praticadas pelos informantes(2) No so consideradas vantagens progressivas(3) Inclui a variao dos indexadores CUB, TR, INCC e IGP-M (7) Novo clculo considerando o perodo dos ndices que compem a estimativa(4) Taxa ANBID do primeiro dia til do ms e pro jetada para 30 dias

    .. No se aplica dados numricos ND - no disponvelFONTE: Fundao IPEAD/UFM G

    (8) Dados co letados a partir de informaes conso lidadas no Banco Central do Brasil

    Taxas de Juros Fevereiro de 2011

    (6) M dia ponderada pela vigncia

    SetoresTaxas mdias praticadas(1)

    (5) Taxa referente ao primeiro dia do ms subsequente

    Emprstimos pessoa fsica

    Produtos / servios(1) Forma deCobrana Menor (R$) Maior (R$) Diferena (%) Mdia(2)

    (R$)CADASTRO

    Confeco de cadastro para incio de relacionamento - CADASTRO por evento 0,00 59,00 .. 24,11

    CONTAS DE DEPSITOSCARTO - Fornecimento de 2 via de carto com funo dbito por evento 0,00 10,00 .. 6,97CARTO - Fornec. de 2 via de carto com funo mov. conta de poupana por evento 0,00 10,00 .. 6,63CHEQUE - Excluso do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF) por evento 20,00 52,00 160,00 36,01CHEQUE - Contra-ordem e oposio ao pagamento de cheque por evento 6,00 15,00 150,00 11,40

    CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque por evento 0,60 1,70 183,33 1,33

    CHEQUE - Cheque Administrativo por evento 0,00 25,00 .. 20,42

    CHEQUE - Cheque de transferncia bancria_(TB e TBG) por evento 0,00 1,50 .. 0,85CHEQUE - Cheque Visado por evento 0,00 21,00 .. 11,60

    Saque de conta de depsitos vista e de poupana - SAQUE pessoal por evento 0,00 3,50 .. 2,14

    Saque de conta de depsitos vista e de poupana - SAQUE Terminal por evento 0,00 3,00 .. 1,73

    Saque de conta de dep. vista e de poupana - SAQUE correspondente por evento 0,00 2,30 .. 1,34

    DEPSITO - Depsito Identif icado por evento 0,00 5,00 .. 1,95Forn. de ext. mensal de conta de dep. vista e de poup.- EXTRATO(P) por evento 1,45 6,00 313,79 3,17Forn. de ext. mensal de conta de dep. vista e de poup.- EXTRATO(E) por evento 0,00 3,00 .. 1,86Forn. de ext. mensal de conta de dep. vista e de poup. - EXTRATO(C) por evento 0,00 2,00 .. 1,06Ext. mensal de conta de dep. vista e poup. p/um perodo -EXTRATO(P) por evento 0,00 6,00 .. 2,83Ext. mensal de conta de dep. vista e Poup. p/um perodo - EXTRATO(E) por evento 1,00 5,00 400,00 2,20Ext. mensal de conta de dep. vista e poup. p/um perodo - EXTRATO(C) por evento 0,00 5,00 .. 1,62Fornecimento de cpia de microf ilme, microficha ou assemelhado por evento 3,00 7,00 133,33 5,42

    TRANSFERNCIA DE RECURSOSTransferncia por meio de DOC/TED - DOC/TED pessoal por evento 13,40 40,00 198,51 16,64

    Transferncia por meio de DOC/TED - DOC/TED eletrnico por evento 1,60 12,50 681,25 7,91

    Transferncia de recursos por meio de DOC/TED - DOC/TED internet por evento 1,60 11,50 618,75 7,50

    Transferncia agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P) por evento 0,00 40,00 .. 14,11Transferncia agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E) por evento 0,00 12,50 .. 7,25Transferncia agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I) por evento 0,00 11,50 .. 6,87Transferncia entre contas na prpria instituio- TRANSF. RECURSOS(P) por evento 0,00 2,95 .. 1,33Transferncia entre contas na prpria instituio-TRANSF.RECURSOS(E/I) por evento 0,00 2,70 .. 0,94Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO por evento 16,00 27,00 68,75 24,34

    OPERAES DE CRDITOConcesso de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE por evento 11,00 49,00 345,45 29,00

    PACOTE PADRONIZADO PESSOA FSICAPACOTE PADRONIZADO PESSOA FSICA por evento 0,00 18,00 .. 12,44(1) No so consideradas vantagens progressivasFonte: Banco Central do Brasil / Bancos - Dados trabalhados pela Fundao IPEAD/UFM G

    Tarifas Bancrias Fevereiro de 2011

    (2) Considera-se a mdia das tarifas praticadas pelos bancos pesquisados .. No se aplica dados numricos ND: no disponvel

  • BELO HORIZONTEQuarta-feira, 23 de maro de 2011 Dirio Oficial do Municpio 23

    Poder Executivo

    Regional Venda Nova homenagearas mulheres na sexta-feira

    A Regional Venda Nova comemorar na sex-ta-feira, dia 25, com uma vasta programao, oDia Internacional da Mulher, festejado no dia 8de maro e que, neste ano, coincidiu com o Car-naval. Segundo o secretrio regional Joo BatistaViana, a comemorao representa o reconheci-

    mento da participao das mulheres na constru-o de uma sociedade mais justa para todos. Oevento ocorrer em trs locais: nos auditrios daRegional Venda Nova, nas ruas Padre Pedro Pintoe rico Verssimo, e no Centro Cultural Venda Nova(rua Jos Ferreira dos Santos, 184).

    Prodabel elegenova diretoria da Associao

    Beneficente dos Empregados

    A Chapa Novas Metas foi eleita na semana passada para formar anova Diretoria da Associao Beneficente dos Empregados da Prodabel(Abep) para a gesto 2011/2013. Dos 429 associados aptos a votar, 291participaram da eleio. Foram apurados pela comisso eleitoral 101votos para a chapa Novas Metas, 95 votos para A Chapa, 89 votos para aOpo, cinco votos nulos e um em branco.

    Segundo o presidente eleito, Ronaldo Costa, o principal objetivoda chapa Novas Metas melhorar ainda mais os servios que so presta-dos, acrescentar novos servios e tambm viabilizar aes para a capta-o de novos associados.

    Ex-presidente da diretoria, Boris Porfrio Teddo, elogiou as propos-tas das trs chapas. H mais de 20 anos no havia disputa para essemandato. Foi uma demonstrao clara da democracia, afirmou.

    Abep

    A ABEP, fundada em 1982, tem a misso de promover o bem-estardos seus associados, proporcionando-lhes, diretamente ou por meio deconvnios, assistncia social, mdica, financeira e jurdica. A associaopromove ainda atividades que visam o aprimoramento fsico, intelectuale social de seus integrantes.

    Conselheiros Tutelaresse renem em assembleia na

    Regional NordesteA sede do Conselho Tutelar da Regional Nordeste, no bairro

    Cachoeirinha, recebeu na ltima semana a Assembleia Geral dosConselheiros Tutelares de Belo Horizonte. O objetivo da reuniofoi discutir o novo regimento interno dos conselhos tutelares dacapital mineira, regulamentando os mtodos de trabalho e o aten-dimento ao pblico. A implantao do Sistema de Informaes paraa Infncia e a Adolescncia (Sipia) foi outro importante tema deba-tido pelos participantes da assembleia.

    O sistema possibilitar o registro on-line de dados colhidospelos conselhos tutelares, trazendo maior integrao e qualidadeno atendimento aos usurios. As informaes cadastradas no Sipiaserviro de base para diagnsticos dos casos de violao dos direi-tos da criana e do adolescente em todo o pas. As estatsticas servi-ro como referncia para a criao de polticas pblicas voltadaspara o combate de casos de violao desses direitos.

    Diverso e debate sobre direitosdas mulheres em pauta no Barreiro

    A Feira de Variedades teveuma programao especial parahomenagear as mulheres. Na sex-ta-feira, dia 18, a Praa DomingosGatti, em frente ao Santurio SoPaulo da Cruz, na regio doBarreiro, ficou pequena para opblico. A cantora, compositora eviolonista Keyla Vilaa esbanjoutalento e demonstrou seu poten-cial feminino ao interpretar MPBe msica pop. Alm da msica deboa qualidade e dos tradicionaistira-gostos comercializados nas

    barracas da feira, o sorteio de brin-des fez a alegria das mulheres. Afeira semanal e uma vez ao msa Prefeitura promove uma ativida-de especial temtica, sempre commsica ao vivo.

    Violncia domsticaNo sbado, um assunto s-

    rio e urgente reuniu moradoras daVila tila de Paiva na sede da bi-blioteca comunitria. A discussosobre os direitos das mulheresteve um tema de destaque: a vio-

    lncia domstica. Hoje em dia,em briga de marido e mulher semete a colher, sim. s vezes, amulher no consegue reagir e pre-cisa de algum que a ajude a sairdo ciclo de violncia, alertou apsicloga e criminloga LucianaCrepaldi. Meios de dennciacomo a Central de Atendimento Mulher pelo disque 180 foramdivulgados para as participantesda atividade. A idia que elasse tornem multiplicadoras dessescanais na vizinhana.

    Compositora Keyla Vilaa se apresentou na Feira de Variedades

    Implantao do Sipia foi um dos temas debatidos

    Chapa Novas Metas foi eleita com 101 votos

    Pro

    dab

    el

    Ger

    com

    Nord

    este

    Ger

    com

    Bar

    reir

    o

  • BELO HORIZONTEQuarta-feira, 23 de maro de 2011Dirio Oficial do Municpio24

    Poder Executivo

    Quarta-feira, 23 de maro de 2011Dirio Oficial do Municpio24

    Regional Oeste incentivaprtica do Lian Gong

    Com o objetivo de incenti-var hbitos de vida saudveis, aRegional Oeste introduziu emsua agenda permanente a prti-ca de Lian Gong em consonn-cia com a Secretaria Municipalde Sade, que ampliou a prticada ginstica teraputica chinesapara 156 unidades de sade emBelo Horizonte. Trata-se de umaprtica corporal especialmentedesenvolvida para prevenir e tra-

    Combate pichao tema deexposio fotogrfica na rodoviria

    A Prefeitura de Belo Hori-zonte e o Movimento Respeitopor BH abriram na semana pas-sada a exposio fotogrfica Ci-dado - cuidando do que detodos. A exposio, que estaraberta para visitao at o dia 24de abril no hall principal da ro-doviria, de 8h s 20h, mostra122 registros que revelam asaes de remoo de pichaese a mobilizao popular e dosrgos pblicos para resgatar oespao urbano, reparando e cui-dando do patrimnio da capitalmineira.

    O secretrio municipal deSegurana Urbana e Patrimonial,Genedempsey Bicalho, disse queno h projeto similar ao com-bate pichao como o que feito na capital mineira. Ele nico. Trabalhamos com a re-presso qualificada, a sensi-bilizao dos jovens e a ao quesimboliza de forma contundenteo projeto, que a remoo das

    pichaes. Nossa vontade queestas aes ganhem visibilidadepara que outros setores da soci-edade se engajem no projeto,explicou.

    A secretria geral adjuntada Ordem dos Advogados doBrasil, Helena Delamonica, afir-mou ser uma honra participar doMovimento Respeito por BH.So aes que valorizam nossacidade e traduzem o respeito quea capital mineira, com seupatrimnio pblico e privado, re-presenta na histria cultural denosso pas. A pichao macula ovisual de nossa cidade, visual esteque deve ser respeitado e admi-rado por todo o Brasil.

    O combate poluio vi-sual uma das aes do movi-mento, que tem como uma dasmetas deixar a cidade mais lim-pa e agradvel e rene Prefeitu-ra, Ministrio Pblico Estadual,polcias Militar e Civil, alm desetores da sociedade civil.

    tar dores no corpo, que tambmmelhora o funcionamento dosrgos internos, estimula a per-cepo dos sentidos e trabalha asemoes.

    Todas as quintas-feiras, das7h30 s 8h, os servidores estocontando com a prtica regular deexerccios fsicos. A atividade temsido aprovada pelos participantes.Alm da integrao, O Lian Gongproporciona disposio na realiza-

    o das tarefas dirias.A prtica do Lian Gong

    acontece h mais de 20 anos noBrasil, sendo sua aplicao reali-zada atravs de 18 terapias quemelhoram a qualidade do sono,reduz o estresse, traz maior mo-bilidade e disposio fsica. Maisinformaes sobre a prtica doLian Gong na Regional Oeste po-dem ser obtidas pelo telefone3277-7084.Servidores tm prtica regular todas as quintas

    Dia Internacional da Mulher comemoradona Fundao de Parques Municipais

    A Fundao de Parques Mu-nicipais comemorou na semanapassada o Dia Internacional daMulher oferecendo a suas funcio-nrias o Dia da Beleza. Alm despa para ps e mos, quem parti-cipou da atividade tambm semaquiou. Minhas mos estosuper macias e finas. uma novi-dade, nunca tinha feito, afirmoua auxiliar de Servios Gerais,Neuza de Ftima. Na sexta-feira,dia 25, o Dia da Beleza ser reali-zado pela segunda vez para as fun-

    cionrias no Parque Lagoa doNado.

    A consultora Marianne Froisorientou as mulheres quanto aouso dos produtos e de seus princi-pais objetivos. A esfoliao pro-porciona a retirada das clulasmortas e mos e ps devem serhidratados e tratados como o ros-to, disse. Segundo ela, amaquiagem tambm cuida dapele, porque muitas delas tmprotetor solar e previnem o enve-lhecimento precoce. Sexta-feira dia de as funcionrias do Parque Lagoa do Nado

    ganharem uma dia especial

    Prmio

    Em 2010, o Movimento Respeito por BH conquistou,em So Paulo, o prmio Top Anamaco 2010, na categoriaResponsabilidade Social, com o case Cuidando do que de Todos Movimento Respeito por BH. Os cases premia-dos foram escolhidos por um jri rigoroso, que analisou osprojetos em diversos quesitos, como qualidade, competn-cia, viso estratgica, criatividade, inovao e profissio-nalismo.

    Belo Horizonte sofre com pichaes tanto em prdios p-blicos quanto privados e a remoo das pichaes tm o obje-tivo de demonstrar a todos que aes conjuntas podem ajudara reprimir a pichao na capital mineira. A pichao conside-rada vandalismo e crime ambiental, com pena de trs meses aum ano de deteno. Denncias sobre vndalos podem ser fei-tas pelo nmero 181.

    Fotos mostram aes de remoo e mobilizao popular contra a pichao

    Ger

    com

    Oes

    te

    Foto

    s: M

    rci

    o A

    dau

    to

    Roge

    r V

    icto

    r

    dom3790-capas 1a3.pdfdom3790-capas 4a6.pdf