Economia Ecol³gica: O papel da metodologia emerg©tica

  • View
    40

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Efluentes, emissões e resíduos. Economia Ecológica: O papel da metodologia emergética. Produtos e serviços da economia urbana. Serviços ambientais. Alimentos, fibra e energia. para o desenvolvimento sustentável. - PowerPoint PPT Presentation

Text of Economia Ecol³gica: O papel da metodologia emerg©tica

  • *Economia Ecolgica:O papel da metodologia emergticapara o desenvolvimento sustentvelServios ambientaisAlimentos, fibra e energiaEfluentes, emisses e resduosProdutos e servios da economia urbana

    Connect

    Q100 g

    B

    Connect

    Q100 g

    B

  • *Quais os princpios, as polticas e as estratgias da Economia Ecolgica?

  • *exergia energia degradada (calor) emergiatrabalho realizado1. Nos sistemas, a energia e a matria se transformam e podem se manifestar como: (a) energia com potencial til (exergia) (b) energia degradada (energia calrica) (c) trabalho realizado (emergia).

  • *O cosmos composto de inmeros sistemas, muito diversos. Eles podem:Dispersar energia internaAcumular energiaReceber e conduzir energia

  • *Os sistemas no cosmos evoluem e podem:Transformar energia, criar acmulos (biomassa, estruturas, organizao e informao) e desenvolver laos de retro-alimentaoAs unidades se acoplam em redes e pulsam (crescem e decrescem) com diversas freqncias

  • Aproveitamento da energia disponvel em uma reaCadeia de vrios estgios de consumidoresEnergia dispersadaProdutores(plantas e algas)ResduosNutrientes

  • *2. A transformao gera energia de maior intensidade e novas propriedades e energia degradada (que no mais aproveitvel). O produto (trabalho) integra a energia potencial utilizada e recebe o nome de emergia (Odum e Scienceman, 1987).

  • 3. Tudo no universo pode ser expresso em emergia (trabalho agregado). Isso importante em termos da contabilidade ecolgica de sistemas abertos.*

  • 4. Os sistemas com retro-alimentao se denominam unidades auto-catalticas de produo e de consumo.*Elas conseguem capturar mais energia para crescer, se multiplicar, interagir e evoluir.

    Connect

    Materiais incorporados(com energia disponvel)

    Plantas e algas

    Reciclagem e laos de controle

    Energia til e laos de controle

    Biomassa vegetal

    B

    Consumidores e decompoitores

    Reciclagem e laos de controle

    Biomassa animal

  • 5. As unidades auto-catalticas interagem para transformar energia potencial criando estruturas hierrquicas (redes)*As redes concentram energia, materiais e informao para usar e depois dispersar.

    Connect

    B

  • *6. Os sistemas possuem padres cclicos (pulsos) cuja freqncia depende da sua posio na estrutura hierrquica de transformao de energia.

  • 7. As energias disponveis no meio externo para as unidades auto-catalticas podem ser de tipo: (a) renovvel, e (b) no renovvel.*Equilbrio dinmico da homeostase

  • 8. Os sistemas baseados em recursos no renovveis crescem e depois colapsam.*rea de influnciaEquilbrio dinmico sustentvel que usa recursos renovveisUmbral da sustentabilidade1500 anos300 anosTempo20 anosCrescimento insustentvel que usa recursos no renovveisCrise e colapsoTransioDesenvolvimento SustentvelCapacidade de suporte renovvelCrescimento insustentvel usando recursos renovveis de forma predatria200 anosPotncia energtica

  • *9. A auto-organizao gera sistemas que crescem e decrescem. No caso da humanidade, que usa todos os recursos disponveis, a etapa do crescimento pode levar o tempo de uma civilizao; mais depois vai decrescer muito!

  • 10. Metabolismo Campo-CidadeServios ambientaisAlimentos, fibra e energiaEfluentes, emissesResduosProdutos e servios da economia urbanaMateriais no renovveisMaiores efluentes e emisses(produo industrial com novas entradasServios ambientais adicionais(populao maior)Efluentes, emissesreas de vegetao nativa

    Connect

    Q100 g

    B

    NR

    Connect

    Q100 g

    B

    Connect

    Q100 g

    B

  • 11. A sobrevivncia da humanidade depende de duas capacidades:(a) a adaptao ao perfil de recursos disponveis(b) a preservao da qualidade do ecossistema para garantir sua recuperao (resilincia).*http://tomejeitonavida.blogspot.com/2011/05/resilienciaso-por-deus_10.html

  • 12. Em geral, o ambiente externo varia muito e a organizao do sistema muda. O meio ambiente era rico e se tornou pobre, congestionado e poludo!*A organizao interna de um sistema pode demorar a perceber as mudanas ou perceb-las de forma rpida para se adaptar as novas condies.

  • *13. A inrcia pode ser vencida pela auto-organizao promovida pelos pioneiros na percepo das mudanas.

  • 14. Geralmente, os recursos so abundantes predomina a competio e na escassez necessria a cooperao.*

    Q100 g

    B

    Econstant

    K2

    K6

    K4

    X

    Q100 g

    B

    Energy Source

    K3

    K6

    K4

    **

  • 15. A competio pode levar a excluso, a guerra e a extino de grupos sociais e de espcies.*http://rsurgente.opsblog.org/2009/09/09/da-guerra/http://www.nosrevista.com.br/2009/12/03/exclusao-exclusiva/

  • 16. Os sistemas humanos acumulam e distribuem o acmulo em funo das foras sociais e do poder blico e comercial dos pases e das classes sociais.*

  • 17. Os sistemas humanos colaborativos acumulam pouco, j os competitivos acumulam muito e o benefcio se concentra no topo da cadeia. *

    Connect

    B

    B

    Recursos no renovveis (energia fssil, minerais, etc.)

    Connect

    B

  • 18. A informao de boa qualidade orienta ao sistema na sua auto-organizao.*http://www.scholarpedia.org/article/Self-organization

  • 19. A biodiversidade uma manifestao da organizao obtida por um sistema para aproveitar os recursos renovveis. *No decrescimento a biodiversidade ser uma informao vital porque pode permitir um ajuste mais rpido ao equilbrio (homeostase).

  • 20. A cultura humana muda continuamente e pode ser: (a) ecolgica (sustentvel)*www.partners.net/.../DSC_0149%20res.JPG

  • (b) antiecolgica (insustentvel).http://www.ambiencia.org/site/publicacoes/semana-do-urbanismo/a-insustentabilidade-nas-cidades/http://intelectualismoadministrati.blogspot.com/2009/03/insustentabilidade-do-plano-de.html

  • *21. A valiosa informao das culturas humanas ecolgicas (povos tradicionais e indgenas) precisa ser defendida da forte agresso que recebe da civilizao industrial.

  • *22. A diversidade cultural precisa ser resgatada, sistematizada, depurada, valorizada, colocada em termos atuais e ser transmitida amplamente para ajudar na recomposio do equilbrio biosfrico.http://www.infojovem.org.br/tag/minc/

  • *A soluo est na mudana do modelo de crescimento para o modelo de decrescimento que considere a recuperao da flora e da fauna nativas.23. A resilincia do planeta est ameaada!

  • *24.Como a informao predominante atende os interesses dos pases, empresas e classes sociais no poder, a ela deve ser contraposto um novo projeto cultural,poltico, econmico e ecolgico.O objetivo gerar um modelo sustentvel no mundo inteiro.

  • *25. Devem ocorrer parcerias entre os que questionam o modelo atual para criar o novo modelo mundial, visando:Conseguir o decrescimento e a re-estruturao do consumo e dos ativos fixosRecuperar os ecossistemas Mudar a forma de produzir e consumir para um modo ecolgico.http://ecourbana.wordpress.com/2010/06/17/5102/Apreender a utilizar de forma coletiva os recursos da Terra.

  • *26. Os grupos humanos dominantes atuam de forma irresponsvel desmatando e usando energia fssil de forma a colocar na atmosfera o carbono que foi seqestrado durante centenas de milhes de anos pelos ecossistemas na Terra para criar as condies ideais para a biodiversidade. O impacto dos gases de efeito estufa pode criar condies dramticas para a vida da humanidade na Terra. Temos que atuar!

  • *A questo que fica para resolver:Como criar um novo modelo mundial a partir dos trabalhos de comunidades locais e de setores da sociedade abertos a uma Economia Ecolgica Sistmica? ?

  • Temos que fazer anlise crtica da situao global, formar grupos de trabalho, estabelecer estratgias, fomentar articulaes e aes especficas para colocar a questo do novo modelo mundial (decrescimento urbano e ecologizao rural) para a sociedade em todos os lugares do planeta.

  • Enrique OrtegaLaboratrio de Engenharia EcolgicaFaculdade de Engenharia de Alimentos Unicamphttp://www.unicamp.br/fea/ortega TEDx SustentabilidadeVila Mad, 26 de maio de 2011.www.TEDxVilaMada.com.br

    **********