ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS - END´s

  • View
    89

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS - END´s

  • *ENSAIOS NO DESTRUTIVOS(ENDs)

  • * Denomina-seEnsaio No Destrutivo(END ou NDT emingls nondestructive testing) a qualquer tipo de ensaio praticado a ummaterialque no altere de forma permanente suas propriedades fsicas, qumicas, mecnicas ou dimensionais.Os ensaios no destrutivos implicam um dano imperceptvel ou nulo, sendo executados nas etapas de fabricao, construo, montagem e manuteno.ENSAIOS NO DESTRUTIVOS (ENDs)

  • * Constituem uma das principais ferramentas do controle da qualidade de materiais e produtos, contribuindo para garantir a qualidade, reduzir os custos e aumentar a confiabilidade da inspeo. ENSAIOS NO DESTRUTIVOS (ENDs)

  • * So largamente utilizadas nos setores petrleo/petroqumico, qumico, aeronutico, aeroespacial, siderrgico, naval, eletromecnico, papel e celulose, entre outros. Contribuem para a qualidade dos bens e servios, reduo de custo, preservao da vida e do meio ambiente, sendo fator de competitividade para as empresas que os utilizam.ENSAIOS NO DESTRUTIVOS (ENDs)

  • * Os END incluem mtodos capazes de proporcionar informaes a respeito do teor de defeitos de um determinado produto, das caractersticas tecnolgicas de um material, ou ainda, da monitorao da degradao em servio de componentes, equipamentos e estruturas.ENSAIOS NO DESTRUTIVOS (ENDs)

  • *ENSAIOS NO DESTRUTIVOS (ENDs) Alm do uso industrial, tem crescido significativamente a aplicao dos END para a conservao de obras de arte, assim como na agropecuria - controle da camada de gordura de bovinos e sunos - e a prpria utilizao, largamente difundida, na medicina. Comparativamente, podemos afirmar que o "controle da qualidade" que o mdico faz de um corpo humano na avaliao da sade ou da patologia de um paciente, o mesmo aplicado na indstria, s que para materiais e produtos.

  • * Para obter resultados satisfatrios e vlidos, os seguintes itens devem ser considerados como elementos fundamentais para os resultados destes ensaios: Pessoal treinado, qualificado e certificado; Equipamentos calibrados; Procedimentos de execuo de ensaios qualificados com base em normas e critrios de aceitao previamente definidos e estabelecidos. ENSAIOS NO DESTRUTIVOS (ENDs)

  • *MTODOS USUAIS DE ENDs Ensaio Visual (EV) Lquido Penetrante (LP) Partculas Magnticas (PM) Ultrassom (US) Radiografia (raios X e Gama) Correntes Parasitas (CP) Anlise de Vibraes Termografia Emisso Acstica (EA) Estanqueidade (ES)

  • * O campo magntico gerado por uma sonda ou bobina alimentada por corrente alternada produz correntes induzidas (correntes parasitas) na pea sendo ensaiada. O fluxo destas correntes depende das caractersticas do metal. Correntes Parasitas CP (Eddy Current) Bobinas" de teste tem a forma de canetas ou sensores que passadas por sobre o material detectam trincas/descontinuidades superficiais (podem ter a forma de circular, oval ou quadrada) ou caractersticas fsico-qumicas da amostra.

  • * descontinuidades superficiais e sub-superficiais (trincas, dobras ou incluses) mudanas nas caractersticas fsico-qumicas ou da estrutura do material (composio qumica, granulao, dureza, profundidade de camada endurecida, tempera, etc.)Fatores que Alteram o Fluxo de Correntes Parasitas

  • * Em metais ferromagnticos e no ferromagnticos Em produtos siderrgicos (tubos, barras e arames) Em auto-peas (parafusos, eixos, comandos, barras de direo, terminais, discos e panelas de freio), entre outros. Correntes Parasitas - Aplicaes Se aplica para detectar trincas de fadiga e corroso em componentes de estruturas aeronuticas e em tubos instalados em trocadores de calor, caldeiras e similares.

  • * um mtodo limpo e rpido. Requer tecnologia e prtica na realizao e interpretao dos resultados. Tem baixo custo operacional Possibilita automatizao a altas velocidades de inspeo. Correntes Parasitas: Vantagens e Desvantagens

  • * uma das mais antigas atividades nos setores industriais o primeiro ensaio no destrutivo aplicado em qualquer tipo de pea ou componente Est freqentemente associado a outros ensaios de materiais. Ensaio Visual (EV)

  • * Recurso para a verificao de alteraes dimensionais, padro de acabamento superficial e na observao de descontinuidades superficiais visuais em materiais e produtos em geral, tais como: trincas, corroso, deformao, alinhamento, cavidades, porosidade, etc.Ensaio Visual - Aplicao

  • * Para a inspeo de peas ou componentes que no permitem o acesso direto interno para sua verificao (dentro de blocos de motores, turbinas, bombas , tubulaes, etc.) Utilizam-se de fibras ticas conectadas a espelhos ou microcmeras de TV com alta resoluo, alm de sistemas de iluminao, fazendo a imagem aparecer em oculares ou em um monitores LCD. So solues simples e eficientes.Inspeo Visual Remota (Videoscopia)

  • * Na aviao, a principal ferramenta para inspeo de componentes para verificao da sua condio de operao e manuteno.No existe nenhum processo industrial em que a inspeo visual no esteja presente. Ensaio Visual Importncia Simplicidade de realizao (obedece a slidos requisitos bsicos que devem ser conhecidos e corretamente aplicados) e baixo custo operacional.

  • * usado para detectar descontinuidades superficiais e sub superficiais em materiais ferromagnticos.

    So detectados defeitos tais como: trincas, dupla laminao, dobramentos, segregaes, etc.Partculas Magnticas (PM)

  • * Est baseado na gerao de um campo magntico que percorre toda a superfcie do material ferromagntico.Partculas Magnticas - MetodologiaForma do campo magntico produzido por uma barra imantada e visualizada por limalha de ferro

  • * As linhas magnticas do fluxo induzido no material desviam-se de sua trajetria ao encontrar uma descontinuidade superficial ou sub superficial, criando assim uma regio com polaridade magntica, altamente atrativa partculas magnticas. No momento em que se provoca esta magnetizao na pea, aplica-se as partculas magnticas por sobre a pea que sero atradas localidade da superfcie que conter uma descontinuidade formando assim uma clara indicao de defeito.Partculas Magnticas - Metodologia

  • *Peas contendo descontinuidades, dando origem ao campo de fuga e acmulo das partculas magnticasPartculas Magnticas - Metodologia

  • * Para que as descontinuidades sejam detectadas importante que elas estejam de tal forma que sejam "interceptadas" ou "cruzadas" pelas linhas do fluxo magntico induzido; conseqentemente, a pea dever ser magnetizada em pelo menos duas direes defasadas em 90 cada. Para isto utilizamos os conhecidos yokes, mquinas portteis com contatos manuais ou equipamentos de magnetizao estacionrios para ensaios seriados ou padronizados. O uso de leitores ticos representa um importante desenvolvimento na interpretao automtica dos resultados.Partculas Magnticas - Metodologia

  • * Fundidos de ao ferrtico, forjados, laminados, extrudados, soldas, peas que sofreram usinagem ou tratamento trmico (porcas e parafusos ), trincas causadas por retfica e muitas outras aplicaes em materiais ferrosos. Partculas Magnticas - Aplicaes

  • * baseado na deteco de ondas acsticas emitidas por um material em funo de uma fora ou deformao aplicada nele.

    Caso este material tenha uma trinca, descontinuidade ou defeito, a sua propagao ir provocar ondas acsticas detectadas pelo sistema de ensaio.Emisso Acstica (EA) Princpio do Mtodo

  • * Os resultados do ensaio por emisso acstica no so convencionais. No deve ser utilizado para determinar o tipo ou tamanho das descontinuidades em uma estrutura, mas sim, para se registrar a evoluo das descontinuidades durante a aplicao de tenses para as quais a estrutura estar sujeita, desde que as cargas sejam suficientes para gerar deformaes localizadas, crescimento do defeito, destacamento de escria, frico, ou outros fenmenos fsicos.Emisso Acstica Sobre a Aplicao do Mtodo

  • * Aplicamos a emisso acstica quando queremos analisar ou estudar o comportamento dinmico de defeitos em peas ou em estruturas metlicas complexas, assim como registrar sua localizao.

    O ensaio por emisso acstica permite a localizao da falha, captados por sensores instalados na estrutura ou no equipamento a ser monitorado.Emisso Acstica Sobre a Aplicao do Mtodo

  • * o caso da monitorao de cilindros contendo gs sob presso para abastecimento, do teste hidrosttico e pneumtico em vasos de presso, teste de fadiga, controle de processos de soldagem, e ainda da caracterizao de materiais. Emisso Acstica Exemplos de Aplicaes do Mtodo

  • *Estanqueidade (ES) A necessidade de uma perfeita estanqueidade em tanques ou tubulaes contendo substncias txicas que faam parte de instalaes de alto risco (rea qumica, nuclear, aeroespacial, etc.), proporcionou utilizao de novos mtodos capazes de detectar possveis vazamentos de gs ou lquidos, a fim de obter uma efetiva garantia de segurana e proteo ambiental.

  • * medir presso ou vcuo com alta preciso mtodo da bolha mtodo da variao de presso deteco de vazamento por meio de Fluido Frigorgeno ou de aplicao de gs Hlio com o respectivo aparelho detector e, modernamente, a localizao de vazamentos de gases e lquidos por ultrassomEstanqueidade - Mtodos

  • * Uma das ameaas mais comuns ao meio ambiente, alm de provocar acidentes, seja na rea industrial, domstica ou pblica, so os vazamentos de produtos perigosos, que quando armazenados em tanques ou recipientes com falhas estruturais, produzem vazamentos de lquidos ou gases inflamveis (indstria petrolfera), cidos ou produtos corrosivos (indstria qumica), no setor de transportes (rodovirio, ferrovirio e por tubulaes), e tantos outros. Estanqueidade - Importncia

  • *o Ensaio tem sido largamente empregado em testes de componentes pressurizados ou despressurizados onde existe o risco de