Implementando serviços de MTC no SUS CURSO INTRODUTÓRIO EM MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

  • View
    215

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Implementando serviços de MTC no SUS CURSO INTRODUTÓRIO EM MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

  • Implementando servios de MTC no SUSCURSO INTRODUTRIO EM MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

  • ESTRUTURA DA APRESENTAOObjetivo da ApresentaoImplementando Servios de MTC no SUS- Estabelecimento de Responsveis- Anlise Situacional- Regulamentao- Implantao Implantando um Centro de Referncia e/ou Ambulatrio Implantando nos NASFs Implantando na Estratgia de Sade da Famlia- Educao PermanenteConsideraes FinaisReferncias

  • OBJETIVO DA APRESENTAOApresentar aes necessrias para a implementao de servios de Medicina Tradicional Chinesa (MTC) no SUS, com nfase na Ateno Bsica (AB)

  • IMPLEMENTANDO SERVIOS DE MTC: PressupostosExperincias no SUS tm mostrado a ineficcia de tentativas de estabelecer novos programas, servios e reorganizar processos de trabalho sem que sejam questionados segmentos alm da gesto

    Muitas vezes um gestor viabiliza a implantao de aes ou servios, como as tcnicas da MTC, sem construir sustentabilidade cultural, administrativa e poltica para torn-las imunes ciclicidade das mudanas dos governantes

  • IMPLEMENTANDO SERVIOS DE MTC uma preocupao constante o dilogo, a transparncia e a negociao entre os envolvidos, enriquecendo a experincia sobre o tema, mobilizando os atores e construindo solidez e sustentabilidade social, institucional e polticaA seguir, apresentaremos 3 modelos de implantao de servios de MTC, pensando na permanncia e sustentabilidade das aes, de forma a ampliar responsvel e cuidadosamente as prticas da MTC na Ateno Bsica

  • IMPLEMENTANDO SERVIOS DE MTC: Modelo LgicoFONTE: Adaptado de Santos e Tesser, 2012

  • ESTABELECIMENTO DE RESPONSVEISInicialmente, define-se um Ncleo responsvel (NR) para conduzir o processo de implantao (com expertise em MTC) evitar que a responsabilidade fique sob uma nica pessoa, isso personificaria e enfraqueceria a sustentabilidade das aes implantadas

    O NR dever trabalhar na lgica da Cogesto carter multiprofissional e o dilogo facilitado com os demais atores envolvidos no processo, favorecendo o engajamento

  • ESTABELECIMENTO DE RESPONSVEISPode ter Ato Institucional do gestor municipal para legitimar o grupo

    Atribuies do NR: discutir com os atores (gestores, profissionais e Conselho Municipal) as diretrizes de implantao; definir um plano de ao; fazer normatizao; realizar assessoria tcnica, atividades educativas, estudos e pesquisas; articular aes intersetoriais para o desenvolvimento das aes pactuadas localmente; etc.

  • ESTABELECIMENTO DE RESPONSVEISFazer um plano de ao, com prazos e metas, considerando:-Estudo da legislao vigente: http://dab.saude.gov.br/portaldab/ape_pic.php -Estudo das experincias de outros municpios-Estudo da literatura da rea-Anlise situacional-Regulamentao-Implantao, propriamente dita

  • ANLISE SITUACIONALFazer Mapeamento de profissionais capacitados em alguma prtica de MTC

    Muito provvel que tenham um nmero considervel de profissionais, pois tem-se percebido que os mesmos buscam a formao em MTC para enriquecimento do seu prprio potencial teraputico Refletir em como legitimar estes profissionais para que possam exercer o que sabem

  • ANLISE SITUACIONALEstes profissionais mapeados tambm sero importantes na sensibiliao e/ou educao permanente de outros profissionais nas etapas posteriores

    Quando no houver profissionais formados, sugere-se identificar os interessados no tema ou buscar o estabelecimento de parcerias pblico-privadas para o desenvolvimento da proposta ou, ainda, estabelecer consrcios entre municpios

  • ANLISE SITUACIONALA partir dos profissionais mapeados, que j possuem algum conhecimento em MTC, promover alguns Seminrios para problematizar o exerccio da MTC no cotidiano dos servios:- Quais dificuldades e impeditivos para aplicarem a MTC na sua prtica profissional? - Qual melhor estratgia de organizao do trabalho e do fluxo de atendimento? - Como formalizar e garantir maior estabilidade das prticas?- Com integrar a MTC com as prticas j em desenvolvimento de forma a no gerar sobrecarga de trabalho e aumento da demanda?

  • ANLISE SITUACIONALRefletir sobre solues para os problemas que foram levantados

    Finalizar esta etapa construindo uma Sntese da Anlise Situacional da MTC, a qual ter os profissionais mapeados e algumas diretrizes de ao trazidas pelos Seminrios

  • REGULAMENTAOA regulamentao necessria para organizar a oferta e para que o profissional j formado se sinta legitimado perante colegas, gestores e a instituio

    Pode-se criar uma poltica municipal ou, ainda, um simples ato institucional do gestor (normatizao), referenciando a PNPIC e enfatizando a oferta de prticas da MTC

  • REGULAMENTAOA regulamentao poder conter algumas diretrizes definidas nos seminrios da etapa anterior, tais como: fluxos de acesso; estruturao dos servios; registros de atendimentos; processos educativos; etc

    Alguns outros seminrios amplos com gestores, profissionais e Conselho Municipal podero ser necessrios para discutir (e negociar) o modelo de insero da MTC e como ser regulamentado na rede

  • REGULAMENTAO importante definir a prioridade de implantao. Alguns modelos so mais comumente vistos nos municpios brasileiros (no so excludentes): - Centro de Referncia e/ou Ambulatrios Especializados - Ncleos de Apoio Sade da Famlia (NASF) - Estratgia de Sade da Famlia (ESF)

  • REGULAMENTAOParalelamente s discusses sobre regulamentao municipal, algumas adequaes institucionais so necessrias: - Registro no SCNES- Cadastro de PICs no Ministrio da Sade- Viabilizao de insumos para as prticas da MTC

  • REGULAMENTAO

    CADASTRO NO SCNES Repasse FinanceiroAjustar as informaes no Sistema do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Sade (SCNES), para que o financiamento das aes seja autorizado.H 2 possibilidades:- Unidade de Sade No Cadastrada CADASTRAR!- Unidade de Sade j Cadastrada:Acessar o estabelecimento na base local do CNES e na aba Servios Especializados incluir o servio 134 PICs e selecionar os servios existentes naquele estabelecimento: 001 acupuntura; 003 - outras tcnicas em medicina tradicional chinesa

  • REGULAMENTAOCADASTRO NO SCNES Repasse Financeiro

    Aps Cadastrar os profissionais que realizaro o servioVerificar o CBO do profissional relacionado ao procedimento para garantir o repasse financeiro da esfera federal, via recursos da Mdia ComplexidadeConsulte em:http://sigtap.datasus.gov.br/tabela-unificada/app/sec/inicio.jsp

  • REGULAMENTAOCADASTRO NO SCNES Repasse Financeiro

  • REGULAMENTAOCADASTRO NO SCNES Repasse Financeiro

  • REGULAMENTAO

    CADASTRO NACIONAL DE PICsTrata-se de uma base de dados com profissionais, pesquisadores, instituies, entidades e servios relacionados s PICs ferramenta para intercmbio, divulgao de informaes, constituio de grupos de trabalho, definio de prioridades de pesquisas, etcPossibilidades de cadastro:Profissionais (atuantes em PICs); Instituies (oferecem PICs); Outros.

    CADASTRE EM: http://dab.saude.gov.br/portaldab/cadastro_pics.php

  • REGULAMENTAO

    VIABILIZAO DE INSUMOS PARA PRTICA DE MTC

    O NR dever estabelecer os insumos necessrios, junto com os profissionais mapeados, de forma a otimizar os recursos e garantir a compra dos insumos realmente necessrios

    No primeiro momento faz-se uma estimativa de consumo, para no prximo ano j ter uma mdia de consumo

  • REGULAMENTAO

    DE INSUMOS PARA PRTICA DE MTC

    Em geral, necessita-se de:- ACUPUNTURA: agulhas de acupuntura (padronizar tamanhos); moxas; ventosas Estes itens so financiveis via Mdia Complexidade, conforme descrito anteriormente

    - AURICULOTERAPIA: placas auriculares; sementes; micropore

    - PRTICAS CORPORAIS: colchonetes; tapetinhos; almofadas

  • IMPLANTAOAps a estruturao institucional das etapas anteriores, chega-se etapa de ImplantaoH diversas experincias de implantao da MTC nos municpios brasileiros. Aqui apresentaremos os trs modelos mais comuns: em Centro de Referncia e/ou Ambulatrios Especializados; nos Ncleos de Apoio Sade da Famlia (NASFs); na Estratgia de Sade da Famlia (ESF)H, ainda, possibilidades de parceria pblico-privado para oferta de prticas da MTC, com especificaes prprias de convnio

  • IMPLANTAO

  • IMPLANTAO:CENTRO DE REFERNCIAS

    Para implantao de um Centro de Referncias e/ou Ambulatrio Especialziado em MTC, necessrio: Viabilizar Estrutura Fsica (captao de recursos financeiros para construo, reforma ou ampliao de unidade, etc) Captar recursos financeiros para custeio (manuteno da estrutura fsica, recursos humanos e materiais)Definir as prticas e alocar/contratar profissionais Definir fluxos de atendimento, regulao e integrao com a AB, na perspectiva desta como coordenadora do cuidado

  • IMPLANTAO:CENTRO DE REFERNCIASO Centro de Referncias poder desenvolver:Atendimento individual aos usuriosAtendimento em gruposMatriciamento em MTC para a Ateno BsicaAtividades de educao popularEducao permanente dos trabalhadores

  • IMPLANTAO:NOS NASFsNa composio dos NASFs h a possibilidade de inserir mdico acupunturista como apoio s equipes

    Em algumas experincias municipais h conformao de equipes especializadas em PICs (incluindo tcnicas da MTC) Ncleos de Apoio que funcionam na lgica de apoio matricial Ateno Bsica

  • IMPLANTAO:NOS NASFs Para implantao da MTC nos NASFs ou Ncleos de Apoio necessrio:- contratar e/ou realocar os profissionais que desempenharo o papel de matriciador em MTC e educao permanente dos trabalhadores- Organizar a estrutura dos ncleos de apoio e os fluxos de acesso, de forma a prever a equidade de oferta e acesso a estas prticas

  • IMPLANTAO:NA ESFBaseado no Mtodo proposto por Santos e Tesser (2012)

    Tem como pilar bsico a expanso sustentve