INFORMATIVO DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO .2016-09-12 · Para ser bombeiro é preciso muito mais

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of INFORMATIVO DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO .2016-09-12 · Para ser bombeiro é preciso muito mais

  • Ano 4 Edio 03 - maro de 2015

    INFORMATIVO DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIAS

    O Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Gois (CBMGO), Coronel Carlos Helbingen Jnior, foi recebido pela governadora em exerccio do Acre, Nazar Arajo, na manh do dia 24. O Comandante Helbingen viajou ao Acre exclusivamente para fazer a doao de 62 toneladas de mantimentos enviados pela populao goiana. Aps solicitao do ex-deputado federal Mrcio Bittar, as doaes foram articuladas pelo governo de Gois por meio do CBMGO, em solidariedade ao Acre, que atravessa um perodo difcil com a alagao histrica de seus rios. O Comandante Helbingen ressaltou principalmente a importncia de ajudar o prximo em momentos difceis. Em nome do governador Marconi Perillo e do Corpo de Bombeiros Militar, trazemos essa ajuda, que no tem cor partidria, a solidariedade do povo. Estamos aqui em nome de cada cidado de Gois. Somos apenas instrumentos daqueles que queriam estender a mo aos acreanos, declarou o comandante. Os mantimentos foram transportados em duas carretas, tendo a logstica sido organizada pelo prprio CBMGO. Se h uma instituio que merece todo o respeito da populao, no s no Acre, mas em todo o Brasil, o Corpo de Bombeiros. O que esses homens tm realizado neste perodo no fcil mensurar, destacou a governadora Nazar Arajo. A entrega das doaes foi feita oficialmente pelo Comandante Helbingen, ao Comando-Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBMAC), representado pelo Coronel Carlos Gundim. Em nome do governador Tio Viana, ns agradecemos por esta valorosa contribuio do Corpo de Bombeiros de Gois, que traduz uma enorme solidariedade ao povo do Acre, agradeceu o coronel.

  • Na ltima semana, duas ocorrncias envolvendo sucuris chamaram ateno em Gois. O animal silvestre foi encontrado na zona urbana de duas cidades distintas no interior do estado. A notcia do site do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Gois (CBMGO) repercutiu em vrios veculos da imprensa. Na manh do dia 18, o 6 Batalho Bombeiro Militar, em Itumbiara, resgatou uma cobra sucuri, de aproximadamente 1,5 metros, que estava em um poste de eletricidade

    na Avenida Modesto de Carvalho, no Jardim Bandeirantes. A suspeita de que o animal, que no apresentava ferimentos, tinha sado de um matagal localizado nas proximidades e estava procura de abrigo. No dia 23, foi a vez de Quirinpolis ser surpreendida por uma sucuri, com aproximadamente 2,5 metros de comprimento, que subiu na copa de uma rvore. O animal foi resgatado pela equipe do 2 Destacamento Bombeiro Militar sem ferimentos e solto em uma rea de preservao permanente (APP) da regio. Nas duas situaes, os moradores, assustados com a presena do animal na zona urbana, acionaram o Corpo de Bombeiros Militar pelo telefone de emergncia 193.

    Parabns aos atletas do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Gois (CBMGO) por conquistarem 5 medalhas no IV Trofu Cerrado de Corrida de Orientao, nos dias 21 e 22 de maro, em Cristalina. A disputa contou com a participao de aproximadamente 200 competidores das Federaes do Estado de Gois, Minas Gerais e Distrito Federal, do Estado do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paran e So Paulo. Participaram do evento nove Bombeiros do CBMGO.

  • Pgina 05

    Olhando a guarita do BSE me lembrei de como tudo isso era 10 anos atrs e comecei a escrever despretensiosamente em minha pgina do Facebook sobre a lembrana que tive naquele momento. Foi grande minha surpresa ao perceber a dimenso que o meu post tomou. De Coronis a Cabos da ltima gerao dos que trabalharam nas F-250, que comentaram o post, cada um relembrando de uma histria ou detalhes que faziam aquela poca to especial, mesmo com todas as dificuldades. O post teve 93 curtidas e 206 comentrios.Diante dos nmeros, acredito eu que, tem um monte de coisa que Coisa de Bombeiro, mas NOSTALGIA muito coisa de bombeiro! Pois me lembro de ser bem novinha e ouvir os saudosismos dos militares antiges que trabalharam nas Elbinhas (Chame Ambulncia), com bem menos condies que ns nas F-250. Nem imaginaria que um dia eu estaria nesta condio de relembrar o passado profissional com tanta saudade. Explicaes? Talvez seja pela nossa condio de heri. Salvar vidas e ajudar o prximo so sensaes muito boas, que o tempo no deixa esquecer. Saudade de ns mesmos, do que ramos, da idade que tnhamos. Pois as viaturas ficam velhas, obsoletas e so substitudas. Mas ns continuamos, mais cansados, mais velhos, mais limitados, porm insistimos em no aceitar isso. Pois queremos realmente ser como os heris das estrias e continuar salvando vidas como outrora, com a mesma vitalidade.

    Certa vez, recebi de um aluno soldado um texto de autor desconhecido, que aps uma leitura despretensiosa, me senti impactada:

    Para ser bombeiro preciso muito mais que sonhos... Para ostentar essa farda preciso coragem para ir aonde ningum quer ir... preciso ter pacincia e saber que a preveno sempre mais eficiente... Para ser bombeiro o corpo precisa saber que no h diferena entre a madrugada fria, ou o vero quente, entre a gua e o fogo... Tem que gostar de qumica, entender um pouco de fsica, gostar de caminhes, entender como funciona o corpo humano, saber conversar com o fogo e com a gua, mas principalmente tem que gostar de gente...

    Nossa jornada iniciou-se num certo fevereiro, e l se vo 15 anos... Adentramos os portes do antigo Quartel Lago das Rosas cheias de sonhos, fantasias, expectativas nessa nova jornada. Algumas sonhavam em correr no resgate, era a grande maioria de ns. Foram muitas lutas e vitrias. Numa instruo de topografia na fazendinha encontramos um fogo, ita fogo que nos deu trabalho e nos carrapichos do aeroporto aprendemos com o instrutor que Deus faz tudo certinho. Nos primeiros socorros, nas alturas e nas guas aprendemos nossas limitaes. No salvamento que no podamos ficar nos abrindo igual paraquedas. No combate a incndio que a excelncia vem com o treinar e treinar e treinar e treinar. No treinamento fsico que quando o corpo no aguenta a moral que sustenta. E descobrimos com a coordenao que no bastava vestir a camisa, deveramos literalmente tatuar a ideia. E veio a formatura, e com ela a beno sagrada em Isaas 43:2 "Quando passares pelas guas estarei contigo, e quando pelos rios, eles no te submergiro; quando p a s s a re s p e l o fo go, n o t e queimars, nem a chama arder em ti."

    Hoje, algumas abandonaram o barco almejando outros ares, e h capit como espelho, subtenentes, sargentos, cabos e depois de ns mais turmas em trs concursos. E nessa luta diria l se vo os 15 anos.

    1 Sargento Vanessa Cristina Incio

    Histrias de Bombeiros

  • Colaboradores: Tenente Eliezer

    Jornalista: Sargento Queiroz

    Email: assessoriabm5@gmail.com

    Bombeiros Militares do Batalho de Salvamento em Emergncia (BSE) ministraram, entre os dias 10 e 12 de maro, instrues de primeiros socorros para aproximadamente 100 militares do 1 Batalho de Aes de Comando do Exrcito Brasileiro (BAC-EB). A atividade, com o objetivo de capacitar os militares para atendimento de vtimas em caso de atentados terroristas, uma vez que iro atuar nas Olimpadas do Rio de Janeiro em 2016, abordou temas como avaliao primria, triagem de vtimas, imobilizaes, parada cardiorrespiratria, ferimentos e conteno de hemorragias.

    Texto: Soldado Jordana e Sargento Queiroz

    Pgina 1Pgina 2Pgina 3Pgina 4