Click here to load reader

Manual Bombas HF e HX

  • View
    589

  • Download
    52

Embed Size (px)

Text of Manual Bombas HF e HX

MANUAL DE INSTALAO E MANUTENO

BOMBA HELICOIDAL Srie HF/HX

O Manual deve acompanhar o produto durante a sua instalao

Cdigo: 714500105.0 Reviso: 07

2

SUMRIOINTRODUO ............................................................................................................................................. 3 1 PRINCPIO DE FUNCIONAMENTO .................................................................................................... 3 2 PRINCIPAIS COMPONENTES .............................................................................................................. 3 3 CARACTERSTICAS DE FUNCIONAMENTO ................................................................................... 4 4 INSTALAO .......................................................................................................................................... 7 5 CUIDADOS OPERACIONAIS ................................................................................................................ 8 6 LUBRIFICAO ..................................................................................................................................... 8 7 GAXETAS ................................................................................................................................................. 9 8 LISTA ILUSTRADA DOS COMPONENTES ....................................................................................... 10 9 DIMENSIONAL ....................................................................................................................................... 17

3

INTRODUOVoc acaba de adquirir o mais perfeito sistema de transferncia de lquidos e pastas. BOMBAS HELICOIDAIS GEREMIA, fruto de uma avanada tecnologia e fabricadas dentro do sistema de garantia da qualidade que lhe assegura receber o equipamento nas condies que lhe foi ofertado. Lembre-se, no entanto, que qualidade no dispensa cuidados. Leia cuidadosamente todas as instrues constantes neste manual antes de colocar o equipamento em operao. Se, eventualmente, necessitar de informaes complementares ou de servios de nossa Assistncia Tcnica, comunique-se com o nosso Departamento Tcnico atravs do seguinte telefone:(051) 588 3333.

1 PRINCPIO DE FUNCIONAMENTOO elemento bsico da bomba um rotor de ao, na forma de um helicoidal comum e de seco circular, que gira dentro de um estator geralmente fabricado em elastmero vulcanizado numa carcaa externa metlica e na forma de uma cavidade helicoidal dupla e com o dobro do passo do rotor. Em razo da geometria do rotor e do estator, so formadas cavidades vedadas entre o bocal de suco e o de presso. A rotao do rotor causa abertura e fechamento destas cavidades alternadamente numa progresso ininterrupta ao longo do estator, fazendo com que o lquido seja deslocado continuamente da suco para a descarga da bomba. O resultado uma vazo de lquidos diretamente proporcional a sua rotao. O ajuste perfeito entre o rotor e estator torna a bomba altamente eficiente em termos de suco independentemente da rotao (fig. 1.1).

FIG. 1.1

2 PRINCIPAIS COMPONENTES2.1 ROTOR O rotor normalmente fabricado em ao AISI 420, AISI 304 e AISI 316. Sendo torneado com alta preciso e acabamento superficial polido. Para aumentar a resistncia ao desgaste por abraso, corroso, etc., provocada por lquidos agressivos a serem bombeados, aplicada, conforme o caso, uma fina camada de cromo duro ou nquel qumico. NOTA: Ao verificar que o rotor apresenta sinais de desgaste, substitua-o. 2.2 ESTATOR O estator fabricado com elastmero vulcanizado numa carcaa externa de tubo e ao carbono. Se for verificado baixa no rendimento da bomba possvel que o estator esteja gasto. Pode-se fazer um teste quando a bomba estiver desmontada, introduzindo o rotor dentro do estator na vertical e colocando gua na cavidade superior. A gua dever permanecer na cavidade ou esvaziar suavemente. Caso houver um esvaziamento rpido da cavidade sinal de que o rotor est gasto e dever ser substitudo. NOTA: Na montagem do rotor no estator deve ser colocado lubrificante na superfcie do rotor para facilitar sua penetrao. Recomenda-se usar vaselina industrial, gordura animal ou vegetal. Os tipos de elastmeros mais utilizados so os seguintes: BORRACHA NITRLICA - Dureza: 55 a 70 Shore A - Aplicao: Para bombeamento de graxas, leos, gordura, leo combustvel, hidrocarbonetos, sdios, colas, hidrxidos, melaos, soda custica, vinho, lquidos de amido, polpa de madeira. - Temperatura mxima de operao contnua: 212 F / 100 C BORRACHA NATURAL - Dureza: 55 a 70 Shore A - Aplicao: cido orgnico, lcoois, ctricos, borra, gua de esgoto, mercrio, glicerina. - Temperatura mxima de trabalho: 160 F / 70 C EPDM - Dureza: 55 a 70 Shore A - Aplicao: Materiais que necessitem boa resistncia oznio, intemperismo, ultra-violeta, altas e baixas temperaturas, resistncia cidos graxos e sabes. - Temperatura mxima de operao contnua: 250 F / 121 C VITON - Dureza: 65 a 70 Shore A - Aplicao: Bombeamento de fludos a alta temperatura, hidrocarbonetos alifticos e aromticos, leos combustveis, lubrificantes, gasolina, lcool, cidos minerais, fludos hidrulicos. - Temperatura mxima de operao contnua: 302 F / 150 C NOTA: Outros tipos de elastmeros podem ser aplicados para fabricao de estatores que, para maiores detalhes de resistncia e uso especfico, tais como: limite de temperatura, limitao de composio percentual de produtos qumicos diversos podem ser determinados, atravs de tabelas tcnicas de uso de elastmeros e atravs de testes de laboratrio, para verificar a compatibilidade do elastmero com o produto a ser bombeado.

4 2.3 CARCAAS Normalmente so fabricados em ferro fundido cinzento (linha HF e HFV) para bombeamento de produtos de pouca agressividade, em ao inoxidvel AISI 304 ou AISI 316 (linha HX e HXV) para produtos mais agressivos e em ao inox AISI 304, AISI 316 com acabamento polido (linha HS) para bombeamento de produtos alimentcios. 2.4 EIXO CARD (JUNTA UNIVERSAL) Verifique se h folga nas cruzetas, caso seja excessiva esta dever ser substituda por outro eixo (junta).

3 CARACTERSTICAS DE FUNCIONAMENTOAs bombas de cavidades progressivas GEREMIA, foram testadas em inmeras aplicaes durante muito tempo e h muitos anos esto servindo a indstria petrolfera, qumica e petroqumica, vincola, de frutas e conservas, gelatinas, saboarias, curtumes, agricultura, pecuria, etc. As bombas helicoidais de cavidades progressivas so ideais para bombeamento de produtos com elevada viscosidade e fludos abrasivos, com contedos slidos altamente fibrosos, com muito ar e grande quantidade de slidos suspensos. Na escolha de uma bomba para determinada aplicao de suma importncia considerar-se os meios a serem bombeados. Ex: fludos limpos com baixa viscosidade podem ser bombeados com bombas pequenas em alta rotao, fludos altamente viscosos ou com alta percentagem de abrasivos devero ser bombeados com bombas maiores e rotaes mais baixas. Por isso caso existir a necessidade de alterar as condies iniciais de trabalho, todos os tens que seguem devem ser cuidadosamente considerados antes de coloc-los novamente em operao. 3.1 VAZO A vazo diretamente proporcional a rotao da bomba, assim podemos aumentar e diminuir a vazo de uma bomba helicoidal, aumentando ou diminuindo a rotao. Quando colocamos o conjunto na rotao mxima e a vazo especificada no for alcanada, devemos optar por um modelo de bomba maior, cujas caractersticas de vazo so totalmente definidas pelos dimetros do rotor Dr, excentricidade do rotor Er e passo do rotor Pr, (fig. 3.1) e pode ser calculada pela seguinte equao: Q = 0,24 . Dr . Er . Pr . N 106 Onde: - Dr = dimetro do rotor em mm - Er = excentricidade do rotor em mm - Pr = passo do rotor em mm - N = rotao em RPM - Q = vazo em m3/h Pr 2 estgios LEMBRE-SE: - Vazo est relacionada com a rotao da bomba - Presso est relacionada com o nmero de estgios.

XVazo

X

1 estgio

4 estgios

FIG. 3.2Presso As bombas helicoidais GEREMIA so fabricadas com um, dois e quatro estgios. As bombas de um estgio significam que em qualquer posio do rotor dentro do estator, mantm uma cmara completamente fechada. Em dois estgios duas cmaras e em quatro estgios quatro cmaras estaro sempre fechadas. O comprimento mnimo exigido para que se forme um estgio o passo do estator. Dependendo do nmero de passos as bombas desempenham as seguintes presses:

1 estgio

FIG. 3.3Er Dr 4 estgios

FIG. 3.13.2 PRESSO (nmero de estgios) Aumentando-se o nmero de estgios de uma bomba, no se altera a vazo da mesma, esta permanece constante, alternando-se a presso. 1 estgio - at 6 Kgf/cm2 2 estgios - at 12 Kgf/cm2 4 estgios - at 24 Kgf/cm2

5

3.3 SUCO A suco mxima de 8,5 metros vertical ser atingida em bombeamento com gua temperatura de 20 C e com tubulao adequada. Este nmero poder variar para menos quando o produto a ser succionado possuir viscosidade, peso especfico ou densidade diferente da gua. Produtos com temperatura superior a 20 C requerem cuidados especiais na suco e a altura mxima de suco poder ser obtida atravs de anlise do NPSH conforme abaixo. NPSH (saldo positivo de energia da suco) Existem dois tipos de NPSH: NPSHr requerido: Caractersticas da bomba NPSHr bomba helicoidal igual a 3 m.c.a. NPSHd disponvel: Caractersticas do sistema, portanto deve ser calculado em funo das caractersticas das instalaes. Definies: NPSHr: a quantidade de energia que o lquido deve possuir para vencer as perdas internas da bomba, desde a entrada do flange de suco, at a entrada do rotor. NPSHd = P.atm Hs - Hp - Vs2 - PV 2g Onde: P.atm = Presso atmosfrica. Hs =altura de suco, diferena entre o nvel mnimo de fludo na suco e do centro da bomba. NOTA: O sinal positivo (+) aparece quando o nvel de fludo est acima do centro da bomba e o negativo (-) aparece quando o nvel de fludo est abaixo do centro da bomba. Hp = perda de carga, calculada do ponto de suco at a entrad

Search related