Minicurso - SAE

Embed Size (px)

DESCRIPTION

SAE minucurso

Text of Minicurso - SAE

MINICURSO DE SISTEMATIZAO DA ASSISTNCIA DE ENFERMAGEMPROF RAFAEL DE ABREU LIMA

CONSIDERAES INICIAIS A enfermagem uma profisso secular. Ao longo de sua histria, passou por diversas fases, contudo, aqueles que exerciam a profisso estavam sempre buscando melhores condies de trabalho, bem como sua melhoria da qualidade de assistncia; Durante muito tempo na maioria das instituies de sade, ou no havia ou no era utilizado um mtodo para sistematizar a assistncia de enfermagem;

O Processo de Enfermagem (PE) foi criado e considerado uma conquista da classe, sendo um mtodo de organizar e sistematizar os cuidados prestados, uma determinao legalizada;

CONCEITO O PE ou Sistematizao da Assistncia de Enfermagem (SAE) um mtodo para organizao e prestao de assistncia de enfermagem. uma atividade privativa do enfermeiro que norteia as atividades de toda a equipe de Enfermagem, j que tcnicos e auxiliares desempenham suas funes a partir da prescrio do enfermeiro.

BASES LEGAIS PARA IMPLEMENTAO DA SAE Lei 7498/86 Decreto 94.406/86 Resol. COFEN 311/06 - Cd. de tica Resol. COFEN 159/97- C. de Enfermagem Resol. COFEN 267/01- Home Care Resol. COFEN 272/02- Etapas da SAE

OBJETIVOS DA SAE Foi desenvolvida como mtodo especfico para aplicao da abordagem cientfica ou da soluo de problemas da prtica de enfermagem; Resolver e Tratar os problemas dos pacientes de maneira INDIVIDUALIZADA E HOLSTICA.

A SAE organiza o trabalho de enfermagem atravs da operacionalizao de todas as fases da metodologia de planejamento; A negligencia da SAE uma das principais razes da desorganizao e falta de confiana das atividades de enfermagem;

Este minicurso tem como objetivo principal esclarecer aos acadmicos de Enfermagem e Enfermeiros a importncia da SAE, detalhando suas etapas e seu desenvolvimento e auxiliando-os a traar estratgias para que sua implantao possa ser realizada com facilidade.

IMPLANTAO DA SAE1- Reavaliar a Organizao do Servio de Enfermagem; Regimento, Organograma, Normas, Rotinas, Protocolos, Procedimentos, Portarias, Relatrios Gerenciais, Livro de Ocorrncias da Unidade, Censo, Cadastro (Funcionrios Materiais - Equipamentos), Escala de Atribuies...

2- Conscientizao da Instituio, dos Enfermeiros, Outros Profissionais; 3- Profissionais comprometidos com a melhora da Assistncia ; 4- Servio de Educao Continuada na Unidade de Sade; 5- Sistema de Informao Atualizado.

LEGALIZAO Resoluo COFEN 272/02: dispe sobre a SAE

Art. 1: Incube privativamente ao enfermeiro a implantao, planejamento, execuo e avaliao da SAE; Art. 2: A implementao deve ocorrer em toda instituio de sade pblica e privada; Art. 3: A SAE deve ser registrada formalmente em pronturio do cliente, devendo constar histrico de enfermagem, prescrio de enfermagem e evoluo de enfermagem;

FASES DA SAE1- Investigao (Histrico e Exame Fsico) 2- Diagnstico de Enfermagem 3- Planejamento 4- Implementao 5- Avaliao

Investigao

Diagnstico

ProcessoAvaliao Planejamento

Implementao

RESUMO DO PROCESSOCOMPONENTE PROPSITOReunir, verificar e comunicar os dadosIdentificar as NHB Afetadas Formular D E

AES PRINCIPAISObteno da Histria + Exame FsicoInterpretao dos Dados Formulao de D E

InvestigaoDiagnstico de Enfermagem

Planejamento

Determinar as prioridades assistenciais Projetar as Estratgias Determinar critrios de resultadosComplementar as aes para execuo do plano

Identificar objetivos Seleo e delegao de aes de enfermagem Consulta Escrever Plano AssistencialReavaliao do Paciente Reviso e Modificao do Plano Execuo das Aes

Implementao

Avaliao

Determinar a extenso do Comparao de respostas alcance dos objetivos da Anlise dos resultados e assistncia concluses Modificao do Plano

TEORIAS DE ENFERMAGEM

CONCEITOS Teorias: Conjunto de conceitos inter-relacionados que proporcionam viso sistemtica de um fenmeno que por sua natureza, explicativo e proftico; Teorias de Enfermagem: Forma de relacionar conceitos, atravs do uso de definies que sejam teis ao desenvolvimento de inter-relaes significativas para a descrio ou definio da prtica;

As Teorias de Enfermagem no so meros contedos tericos, traduzem em seus conceitos e modelos o infinito do trabalho profissional da Enfermagem; As Teorias nos indicam, sugerem, apontam uma direo de como ver fatos e eventos para, assim, direcionar o planejamento e determinao das intervenes de Enfermagem; As Teorias de Enfermagem so orientadas para a tese das necessidades e problemas.

TEORIA AMBIENTAL Florence Nightingale Associa o estado de sade do cliente aos fatores ambientais, percebidos por meio da observao e coleta de dados. Trabalha-se com enfoque em caracteres ambientais gerais como: iluminao, rudo, ventilao, higiene ambiental e pessoal, gua pura, ambiente externo, utenslios do paciente e aspecto nutricional.

TEORIA DE SOLUO DE PROBLEMAS

Faye Abdellah Enfatiza a ateno nos cuidados de Enfermagem para satisfazer as necessidades fsicas, psquicas, sociais e espirituais do indivduo e famlia, com competncias referentes s relaes interpessoais, de psicologia, crescimento e desenvolvimento, comunicao e sociologia; Alm de conhecimentos das cincias bsicas e competncias especficas da Enfermagem.

TEORIA DA DEFINIO DAS PRTICAS DE ENFERMAGEM Virgnia Henderson Define a Enfermagem como auxlio ao indivduo, doente ou sadio, na realizao de atividades que contribuam para a sade, recuperao ou morte pacfica e traquila; O indivduo realizaria sem auxlio se tivesse fora, vontade ou conhecimento necessrio, realizando de forma que ele alcance, adquira a independncia to rapidamente quanto possvel

TEORIA DO AUTO-CUIDADO Dorothea Orem Consiste basicamente na idia de que os indivduos, quando capazes, devem cuidar de s mesmo,quando existe incapacidade, entra o trabalho do enfermeiro no processo do cuidar; Uma das caractersticas que compe a Teoria do Auto-Cuidado a Teoria do Dficit, composta por 3 teorias inter-relacionadas: Dficit do Auto-Cuidado, Cuidado e Sistemas de Enfermagem.

TEORIA DAS N. H. B. Wanda de Aguiar Horta Nesta teoria, a enfermagem tem como propsito assistir o ser humano no atendimento de suas necessidades bsicas e, para isso, busca sempre acumular conhecimentos e tcnicas empricas, relacionadas entre s, que procuram explicar os fatos luz do universo natural.

Necessidades Psicossociais/Psicobiolgicas/Psicoespirituais

TEORIA DE MASLOW

TEORIA DE MOHANA

TEORIA DAS N.H.B.

TEORIA DO PROCESSO INTERPERSSOAL Hildegard Peplau Focaliza o indivduo, o enfermeiro e o processo interativo entre ambos; O enfermeiro espera desenvolver uma relao enfermeiro-cliente em que ele seja uma pessoa de recurso, conselheiro e defensor; Teoria orientada para Interao.

TEORIA DOS SISTEMAS Betty Neuman Tem enfoque holstico do indivduo, fisiolgico, sociocultural, de desenvolvimento, psicoespiritual, ajustando-se e sendo ajustado pelo ambiente, visto como um estressor; Assistir o indivduo, famlia e comunidade na obteno e manuteno de nvel mximo de bemestar total atravs de intervenes propositais, com aes situadas nos nveis primrios, secundrio e tercirio de preveno

TEORIA DA OBTENO DE METAS Imogene King A estrutura conceitual preconizada por King inclui meta, estrutura, funo, recursos e tomada de deciso como elementos essenciais para o trabalho do enfermeiro; Nesse processo, o enfermeiro interage com cliente por meio de percepo, comunicao, transao, o ser, o papel de cada um, o estresse envolvido, o crescimento e desenvolvimento, o tempo e o espao, estabelecendo-se metas a serem obtidas.

MODELOS TERICOS EM ENFERMAGEMAno Teorista nfase Principal

1952 Hildegard E. Peplau 1960 Faye Abdellah1967 Myra E. Levine 1970 Martha Rogers 1970 Wanda de A. Horta

O processo interpessoal - maturao a personalidade

para

Os problemas do paciente determinam o cuidadoO holismo - conservao da integridade Pessoas e ambiente so campos de energia que evoluem Necessidades humanas bsicas

1971 Dorothea E. Orem1971 Imogene M. King

O autocuidado mantm a integridadeAlcance dos objetivos

1974 Irm Callista Roy1978 Madeleine M. Leininger 1989 P. Benner & J. Wrubel

Estmulos rompem um sistema adaptativoCuidado transcultural Cuidado essencial - ajuda mtua

HISTRICO DE ENFERMAGEM

CONSIDERAES INICIAIS A coleta de dados a primeira fase do processo de enfermagem; Momento de interao entre profissionais e clientes; Interao entre os Instrumentos Bsicos da Enfermagem; Melhora na qualidade da assistncia; Favorece o desenvolvimento dos papis cientficos da Enfermagem e demonstra a complexidade do cuidado;

Composta por ENTREVISTA e EXAME FSICO; um processo organizado e sistemtico de coleta de dados utilizado para avaliar as necessidades especficas e as condies de sade do paciente; Coleta de dados subsdio para o Diagnstico de Enfermagem e as Intervenes, afim de minimizar ou satisfazer as necessidades do cliente; Atentar para as formas de comunicao: Verbal e No Verbal;

TIPOS DE COLETA DE DADOS Objetivos: informaes referentes ao paciente colhidas por meio da observao e mensurao; Ex: mtodos propeduticos, exames, ssvv... Subjetivos: informaes obtidas no momento da entrevista,onde o paciente expressa a percepo que ele tem de s mesmo; Ex: HDA, Queixas, Histria Pregressa

FONTES DE DADOS Primrio: Informaes dadas pelo prprio paciente; Secundrio: Informaes dadas por familiares, membros da equipe de sade, exames, pronturio do paciente;

CONTEDO DA ENTREVISTA Identificao; Queixa Principal; Histria da Doena Atual; Antecedentes Mbidos Pessoais; Antecedentes Mrbidos Familiares; Hbitos de Vida e Hbitos Sociais; SSVV e Ectoscopia (Estado Geral); Percepes do Entrevistador.

DADOS DA IDENTIFICAO Nome (Inicia