Click here to load reader

Noticiário 24 04 14

  • View
    235

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Noticiário 24 04 14

  • EDUCAO

    WWW.ODEBATEON.COM.BR MACA (RJ), QUINTA-FEIRA, 24 DE ABRIL DE 2014 ANO XXXVIII N 8378 FUNDADOR/DIRETOR: OSCAR PIRES O JORNAL DE MAIOR CIRCULAO DO MUNICPIO R$ 1,00

    Professores da Fafima recebem nota mxima Instituio celebra conquistas alcanadas pelos professores Cremilda e Luiz Gasparelli pg. 9

    WANDERLEY GIL

    Proposta de royalties para gua fortalece cobrana por melhorias

    Cmara de Vereadores realiza sesso ordinria da semana

    Macaense se prepara para desafio

    SEGURANA

    POLTICA

    POLTICA

    OPORTUNIDADE

    Discusso levantada na Cmara atravs de proposta apresentada pelo vereador Paulo Antunes chama a ateno para reviso de convnio e necessidade de investimentos no abastecimento da cidade pg. 3

    Em funo dos recessos e dias de feriado, e devido a obras de adaptao do Palcio Natlio Salvador Antunes, a Cmara de Vereadores promove nesta quinta-feira (24) a sesso ordinria referente ltima tera-feira (22), vspera do Dia de So Jorge. A reunio comea s 10h pg. 3

    aps uma semana de recessos e feriados, parte da populao macaense retorna cidade en-tre a quarta-feira (23), feriado no Estado do Dia de So Jorge, ou na manh desta quinta-feira (24). Para quem vai pegar as es-tradas, a ateno precisa ser re-dobrada. A Autopista divulgou o balano parcial da operao especial iniciada a zero hora do dia 17 de abril e que seguiu at a noite de segunda-feira (21). De acordo com a concessionria, o horrio de maior movimento nesta quinta-feira ser entre as 6h at as 11h. pg. 5

    assunto recorrente no Legislativo, a m qualidade do servio de fornecimento de energia eltrica, assim como de telefonia e acesso a internet voltou a ser debatida no plen-rio da Cmara de Vereadores nos ltimos dias. pg. 3

    O macaense Luan Ramos Marques rea-lizou, no ano passado, um dos mais impor-tantes feitos, no esporte e em sua vida: o de participar da corrida Iditarod, uma das competies mais difceis do mundo, pro-movida com tren puxado por ces, no Alasca. Aps a experincia, o atleta preten-de repetir o feito neste ano, porm, busca o auxlio de patrocinadores. Aps levar o Brasil competio, Luan busca repetir o sonho conquistado atravs da sorte. pg. 7

    Retorno do feriado movimenta estradas

    Legislativo cobra melhorias em servios

    Poluio de recursos hdricos gera riscos

    WANDERLEY GIL

    WANDERLEY GIL

    KAN MANHES

    A BR 101 a principal estrada utilizada pelos macaenses que se deslocaram pela regio durante os trs feriados prolongados

    Parlamento macaense ocupou, no incio do ano, o Palcio Natlio Salvador Antunes, a nova sede do Poder Legislativo

    Recuperao de Canal ocorrer com poltica de saneamento

    Campanha alerta sobre riscos de queimadas

    Candidatos a estgio faro prova no prximo ms

    Salesiana se prepara para evento tcnico

    Trabalho ser realizado pela secretaria estadual de Ambiente nas cidades fluminenses pg. 2

    Segundo a prefeitura, exame ser aplicado no dia 4 de maio pg. 7

    Membros da instituio iro participar do Intercorr 2014 pg. 7

    Produo de gs natural registra crescimento

    Rio obtm novos ndices de emprego

    Pas alcana produo de 2,613 milhes de barris de leo e gs por dia pg. 6

    Crescimento de rendimento maior na rea do comrcio pg. 6

    segundo alguns estudos, o mau cheiro uma indicao de que um contaminante est pre-sente no ar, mesmo que imper-ceptvel a olho nu. Se o cheiro de esgoto est presente, possi-velmente um sinal de um perigo para a sade. Um exemplo disso o Canal Maca-Campos, que ao longo dos ltimos anos viu o intenso processo de degradao, gerado principalmente pela ine-ficincia do servio de esgota-mento sanitrio. Isso o reflexo de um crescimento acelerado, que, sem infraestrutura, acabou gerando impactos negativos pa-ra o meio ambiente. pg. 2

    DIVULGAO

  • 2 MACA, QUINTA-FEIRA, 24 DE ABRIL DE 2014

    Cidade NOTACuidados devem ser tomados na hora de descartar o vidro

    PREVENO

    a coleta seletiva consi-derada uma alternativa sus-tentvel e fundamental para as cidades. Porm, isso nem sempre acontece na prtica. Em Maca, por exemplo, apenas alguns bairros de classe mdia ( Mirante da Lagoa, Morada das Garas e Vivendas da Lagoa) que so contemplados com esse ser-vio, o que no corresponde nem a 50%. Segundo a prefeitura, todo

    material coletado encami-nhado para reciclagem. Ela ressalta que existe um pro-jeto para a instalao de um galpo de 600 metros qua-drados, no bairro So Jos do Barreto, para a separa-o dos resduos recicl-veis, com previso de incio de funcionamento ainda es-te ano. Com isso, pretende expandir, gradativamente, a coleta seletiva de lixo.De acordo com a definio,

    coleta seletiva um sistema de recolhimento de materiais reciclveis (papel, plstico, vidro, metais) e orgnicos, previamente separados na fonte geradora, que podem ser reutilizados. Apesar de ser um processo

    simples, que cada cidado pode fazer, sua implantao requer tempo e medidas

    Material cortante pode colocar em risco a segurana dos funcionrios da coleta de lixo

    para que funcione. Enquanto isso no feito, resduos que poderiam ser reaproveitados, gerando renda, acabam tendo como destino final os aterros sanitrios ou o meio ambiente. Alguns deles podem causar da-nos maiores quando descarta-dos de maneira incorreta, caso do vidro, que exige um cuidado maior ao ser colocado junto ao lixo domstico.Esse material reciclvel e

    pode ser reaproveitado por completo, porm no cotidiano ele acaba sendo uma ameaa. Os cacos de vidro, produzidos pela quebra de copos e garra-fas no ambiente domstico, por exemplo, so altamente cortan-tes. Esse tipo de material, quan-do manuseado de maneira in-correta, pode causar uma srie de acidentes, inclusive para os funcionrios da coleta de lixo

    na cidade.A melhor maneira de descar-

    tar esses resduos coloc-los enrolados em vrias folhas de jornal e depois colocar dentro de algum recipiente, como cai-xas de leite/papelo ou latas. Uma outra opo colocar os cacos dentro de uma garra-fa pet. Deve-se sempre evitar que esse material fique direta-mente em contato com sacolas plsticas na hora do descarte. Isso diminui o risco de cortes proporcionado pelo contato com os cacos e faz com que as sacolas no se rasguem, disper-sando pedaos cortantes em qualquer lugar.O vidro um material que

    demora mais de 10 mil anos para se decompor no meio am-biente. Quando descartado na natureza, ele coloca em risco a vida de animais.

    KAN MANHES

    Quando jogado no meio ambiente, o vidro levamais de 10 mil anos para se decompor

    Degradao de recursos hdricos tambm compromete o ar

    QUALIDADE DE VIDA

    o ar puro muito importante para a sade humana e vai mui-to alm de uma necessidade de sobrevivncia. Ele um fator fundamental para manter uma boa qualidade de vida. Um ar limpo proporciona o oxignio ideal para ser levado a todo o organismo, especialmente pa-ra o sistema nervoso, o crebro e todos os demais rgos, pro-movendo a qualidade do sono.Infelizmente nem sempre

    isso possvel em grandes ci-dades, e s vezes as pessoas nem percebem que o ar est comprometido. Muito comum em todo municpio, principal-mente em reas prximas a recursos hdricos degradados, o forte cheiro de esgoto muitas vezes incomoda, mas acaba sen-do relevado pela populao. Se no primeiro momento ele gera incmodos para quem no est acostumado, para quem vive prximo, apesar de estar acos-tumado com o cheiro, ele pode trazer problemas de sade a longo prazo.Segundo alguns estudos, o

    mau cheiro uma indicao de que um contaminante es-

    Essa situao pode causar problemas de sade a mdio e longo prazo

    t presente no ar, mesmo que imperceptvel a olho nu. Se o cheiro de esgoto est presente, possivelmente um sinal de um perigo para a sade. Muita gente acha que os

    riscos sade em relao ao esgoto so apenas com o con-tato com ele, mas a inalao por longo tempo pode se tornar uma ameaa imediata. Contato com contaminantes e bactrias uma causa da doena.Um exemplo disso o Canal

    Maca-Campos, que ao longo dos ltimos anos viu o intenso processo de degradao, gerado principalmente pela ineficin-cia do servio de esgotamento sanitrio. Isso o reflexo de um crescimento acelerado, que, sem infraestrutura, acabou gerando impactos negativos para o meio ambiente. A questo da faveliza-o na beira dos crregos uma situao preocupante, j que ela uma das grandes responsveis pelo despejo de esgoto sem tra-tamento e desmatamento das faixas marginais. s transitar pelas proxi-

    midades desse, e de diversos outros recursos hdricos pela cidade, que o mau cheiro po-de ser evidenciado de longe. A sensao de incmodo grande e gera problemas, como fortes dores de cabea e enjoos. Segundo ambientalistas, a

    inalao constante desse ar po-de trazer problemas de sade a longo prazo. As pessoas mais vulnerveis so as crianas, os idosos e as pessoas que j apre-sentam doenas respiratrias. No caso do Canal Maca-

    Campos, o mau cheiro ocasio-nado pela presena de sulfeto de hidrognio. Sua presena sinaliza um esgoto com mau funcionamento no sistema de ventilao. Cheirar esse tipo de gs em baixas concentraes no mortal, mas pode causar irritao da vista e da garganta, tosse e problemas respiratrios. A longo prazo, essa inalao em baixas propores pode causar fadiga, perda de apetite e dor de cabea. Quando em altas con-centraes, ela pode ser fatal. Em reas abertas onde o esgoto bruto est presente, a inalao de partculas de esgoto provo-ca efeitos nocivos para a sade, como desconforto gastrointesti-nal, diarreia, nuseas e vmitos. A atual gesto tem como me-

    ta acabar com o problema do esgoto em todo o municpio at 2016, porm a recupera-o desses recursos hdricos mais complexa. Primeiramente preciso cortar em 100% o des-pejo de esgoto in natura nessas reas, mas mesmo assim sua recuperao gradativa e de-moraria anos.

    Campanha