Parte1 Do Manual Revisada

  • Published on
    03-Jan-2016

  • View
    18

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

<p>OCR Document</p> <p>MANUAL DO ENCONTRO COM DEUS</p> <p>APRESENTAO</p> <p>A elaborao deste manual decorreu da necessidade de mantermos a integridade da Viso Celular no Modelo dos 12, e ensinarmos com fidelidade a realizao dos Encontros em nossas Igrejas. Sabendo que vontade de Deus que esta viso corra como a cora no nosso territrio, gastamos tempo pesquisando e buscando de dEle a melhor forma de implant-la em solo brasileiro. Para isso, vamos contribuir divulgando-a pela imprensa, rdio e televiso, a fim de que o nosso povo seja liberto das amarras satnicas e para que sejam arrancados do nosso contexto os espritos de runa, pobreza e misria, como tambm toda herana maligna. Por este motivo nos apressamos em escrever, tomando o exemplo da cora, visando ajudar os nossos paisanos a solidificarem os seus ministrios.</p> <p>Qualquer lder responsvel trabalha para um desenvolvimento equilibrado da Viso, sem permitir que os discpulos ou rebanho sofram qualquer prejuzo. Esse material, ento, foi elaborado objetivando suprir as necessidades transicionais de uma igreja com clulas para uma igreja em clulas e envolver toda a igreja no contexto da Viso Celular, sem traumatizar o corpo de Cristo.</p> <p>Alm disso, procuramos, atravs desse material, implantar a Viso para transicionar as igrejas, sem perder a qualidade das palestras, equipando tambm novos lderes para continuar a transio. Este manual tambm uma ferramenta de solidificao do que foi ministrado nos Encontros, por isso no privamos que a igreja local, principalmente os que passaram pelos encontros, possussem este material.</p> <p>Quando comeamos, em Manaus, a implantao da Viso da Igreja Celular no Modelo dos Doze no MIR, estvamos experimentando um crescimento extraordinrio; ns estvamos assustados com o nmero de pessoas se convertendo numa proporo no comum s dos ministrios que conhecamos. Para tanto, dois fatores importantes contriburam:</p> <p>Primeiro: os cus da cidade estavam abertos com o manto da salvao. Nas igrejas da cidade havia uma expressiva exploso de crescimento, e por estarmos trabalhando com clulas desde 1990, Deus estava nos entregando a cidade.</p> <p>Segundo: por termos estratgias e uma ousadia proclamada de que o Senhor nos entregaria as chaves da cidade. Isso falamos debaixo de promessas bblicas confirmadas por profetas, homens de Deus que nos ministraram deveras e ratificaram essa conquista. Treinamos equipes, equipamos os santos para essa tomada, oramos, jejuamos e continuamos crendo. Ainda prosseguimos com os alvos dirios de orao e jejum para que Deus se apressasse e nos desse a bno. Para se obter sucesso numa viso, estes princpios devero ser preservados: limpar os cus da cidade para a grande colheita, fazendo confisses profticas com base nas promessas de Deus, criar estratgias e equipar os santos para esse momento.</p> <p>O Encontro, sem dvida, tremendo! uma bno para a vida de todos aqueles que se afastam de suas atividades regulares para experimentarem um Encontro com Deus, permitindo que o Esprito Santo ministre em suas vidas.Assim sendo, nada melhor que possuirmos legitimidade e fidelidade Viso inicial. O Encontro to significativo que no podamos guard-lo s para ns. Deus est sarando a Sua igreja e promovendo um grande avivamento, e os Encontros tm servido de excelente instrumento para esse avivamento dos ltimos dias.</p> <p> Encontro e suas fases (Pr-encontro e Ps-encontro), no so apenas para novos crentes, mas tambm para lderes que querem implantar com xito a Viso de clulas de multiplicao e de grupos de 12. Para essa Viso, faz-se necessrio uma grande disciplina, disposio e, acima de tudo, experincia com o Senhor Jesus.</p> <p>O contedo deste Manual serve somente como um orientador na busca de um Encontro com qualidade. Cada um deve ter a sua prpria experincia com Deus, para que o Encontro tenha e sustente o resultado que almejamos. Lembre-se: tudo muito simples e sincero. A diferena est na vida dos organizadores, na experincia pessoal (Peniel) e na Palavra pregada com poder.</p> <p>Todas as instrues aqui contidas devem ser seguidas por todos aqueles que querem um novo mover de Deus em seus ministrios e que objetivam uma uno multiplicadora - gerando abundantemente, para a casa do Senhor, novas vidas cheias do Esprito Santo de Deus. No entanto, as anotaes das palestras que compem esse Manual so apenas um esboo. Com certeza o Senhor nos ministrar, ampliando o que recebemos naqueles trs dias.</p> <p>Cremos que este Manual trar luz ao seu entendimento, e no faltaro desafios para que voc levante uma gerao debaixo de muito xito.</p> <p>Pr. Ren de Arajo Terra Nova Presidente do MIR</p> <p>OS PRINCIPOS NAVISAO CELULAR E</p> <p>ESCLARECIMENTOS GERAIS</p> <p>A viso celular simplesmente tremenda; , inconfundivelmente, de Deus. Independente dessa verdade, sabemos que nem todos iro adot-la, porm respeitamos e continuamos irmos. Numa casa pode haver 12 irmos e nem todos terem a mesma opinio acerca de determinado assunto, porm no deixaram de ser famlia por isso! Assim, com a Viso. Alguns tero reservas, outros criticaro, outros pesquisaro, outros abraaro cegamente - o que perigosssimo, principalmente se no for o lder principal da igreja. Porm, a Viso metodolgica, fcil, prtica e funcional. Se for inteligentemente aplica da, no afronta a igreja local, nem traz desconforto doutrinrio, pois a Viso tem tolerncia hermenutica.</p> <p>Nessa primeira fase conheceremos melhor o Encontro. So trs dias num retiro espiritual, estrategicamente organizado, para que os retirantes absorvam o mximo. Por ser um encontro espiritual cem por cento baseados nos princpios bblicos, podemos verificar o resultado na vida de cada encontrista. De fato tremendo!</p> <p>Essa nossa disposio de realizar os Encontros e saber que Deus est fazendo o sobrenatural decorreu de experincias anteriores com Encontros que j havamos experimentado trs anos antes do Modelo dos Doze. Alguns dos nossos discpulos de Natal/RN, j haviam feito mais de 80 Encontros com grande sucesso e toda a nossa liderana antes do Modelo dos Doze, j tinha experimentado o poder que o Senhor libera nos Encontros.</p> <p>O Encontro foi feito para introduzir a Viso Celular no Modelo dos Doze. Ele a porta de entrada para a Viso Celular. Existem alguns motivos pelos quais necessitamos introduzir o Encontro como um dos passos de suma importncia para a Viso. Primeiro, ele foi feito para novos convertidos e isso acelera o processo de crescimento e manuseio da Palavra (II Tm 3:16-17). Alm disso, desperta tambm o desejo de ganhar vidas. Segundo, o nosso povo perdeu o referencial da misso. Mas, quando recebemos a ministrao da Viso, o nosso amor pelos perdidos cresce e a nossa compreenso sobre a Viso Celular aumenta.No Encontro, pelo poder do Esprito e ministrao da Palavra, acontecem algumas restauraes, tais como: a vocao despertada, a alegria recobrada com intensidade e a vontade de ganhar vidas acesa.</p> <p>Segundo algumas estatsticas, mais de um milho de pessoas j passaram legalmente pelos Encontros em 24 meses, e mais de trs milhes de pessoas receberam a Jesus como Senhor e Salvador. A Viso funciona, ela prtica e fcil, pois segue princpios que foram ensinados por Jesus. Isso a faz uma estratgia de sucesso.</p> <p>No Encontro somos introduzidos na Viso. No existem mistrios, ocultismos ou misticismos. Lendo teologicamente esse Manual, voc detectar que pode haver teologia diferente da tradicional para a neopentecostal, porm os princpios so sagrados, teolgicos, doutrinrios, devocionais, no ferindo em hiptese alguma qualquer posio doutrinria renovada.Os encontros no devem ser feitos por fazer. Faa-os por proposta e com o corao aberto para o avivamento que a Viso tem trazido para a Igreja e para nossa nao. Deus est convocando um exrcito para que nessa batalha dos ltimos dias, engrosse a fileira dos que vo para os cus. Existe uma linguagem universal acerca do Brasil como celeiro missionrio, como shofar das naes.Na soma das denominaes e ministrios j somos hoje, o pas que mais tem missionrios em todo o mundo. Nunca se usou tanto uma linguagem de colheita como nesses ltimos dias. a boca de Deus bradando o avivamento; os que crerem vo participar desse momento mpar da histria da Igreja, que classificamos como terceira reforma. (Primeira por Jesus, segunda por Lutero, terceira pela Viso Celular, independente do modelo).</p> <p>Os mtodos so mutveis, porm os princpios so eternos. No Encontro, algumas questes, principalmente as doutrinrias, precisam estar bem esclarecidas, tais como: salvao em Cristo Jesus, quem Deus Pai, Deus Filho e Deus Esprito Santo, o novo nascimento, a nova vida em Cristo, vivendo a nova natureza, guerra espiritual, cura interior, libertao, louvor, discipulado.Tudo isso dentro da viso histrico-teolgica, embasado no Velho e Novo Testamentos, analisando o que diz os Evangelhos e o que narra as cartas paulinas, dentro de uma postura contextualizada sem ferir os princpios elementares das Sagradas Escrituras. Esses princpios so a base, solidificam a Viso e geram um tremendo e bblico resultado.</p> <p>Os degraus da escada de sucesso - ganhar, consolidar, treinar e enviar - nos ensinam como devemos caminhar dentro da Viso, no de forma metodolgica to somente, mas principalmente na questo didtica teolgica para termos um resultado de xito. To importante quanto ganhar vidas, consolid-las, firm-las e tambm trein-las no discipulado e na Escola de Lderes, capacitando-as para que sejam lderes de clulas e futuramente coordenadores das clulas atravs da superviso dos grupos de doze.</p> <p>Tudo na Viso tem um princpio espiritual que no fere a postura denominacional da igreja na qual o lder a queira implantar. H uma intolerncia por parte de alguns lderes, devido forma deturpada como a Viso lhes alcanou; claro que esses, querendo proteger o rebanho, rejeitaram-na imediatamente, porm quando a Viso comear a ser testemunhada, no pelos alaridos que se fazem, mas pelos resultados de mudana de carter, compromisso, vida de Deus e a colheita dos frutos, todo conceito precipitado ser eliminado automaticamente.</p> <p>Muitos movimentos que surgiram na histria da Igreja tiveram rejeio, porm alguns ganharam fora e sobreviveram assim com o decorrer do tempo. Hoje, sabemos que muitos esto resistindo. Em parte esto corretos, pois lhes falta o testemunho. Onde est o resultado de tudo o que se fala? Por isso de fundamental importncia que o lder, antes de chegar a qualquer concluso precipitada, conhea um ministrio que esteja funcionando com a Viso. De fato existem muitos exageros que descredibilizam a Viso, porm para cada um mau testemunho, existem dez bons.</p> <p>Estivemos em Israel algumas vezes, e buscamos em pesquisa de campo dados sobre a Viso Celular. Como foi surpreendente e salutar conhecer crentes que vivem nas montanhas, kibutes, desertos, colinas, alguns grupos bedunos, grupos que se proliferam pelo discipulado e em clulas! Eles no usam a mesma nomenclatura que ns, porm so modelo de clulas, milenarmente falando. por isso que a igreja primitiva no teve dificuldade de se reunir em casa (At 2:2,46; At 5:42).</p> <p>Dessa forma, somos estimulados a continuar buscando o modelo celular. Deus tem nos dado muita graa e eu creio que ainda teremos muita ampliao das tendas, estacas novas, cordas alongadas porque a Viso no esttica, dinmica, e a revelao no est fechada. Nesse momento histrico, no qual Deus nos devolve os princpios sagrados do Seu Reino, deveremos entender o que Deus quer, pois uma exploso de crescimento est para acontecer e a Viso uma ferramenta preciosa para isso.Tenho ouvido promessas para o Brasil como para nenhuma outra nao, exceto Jerusalm. Ento, vamos caminhar pelos princpios, voltar para a simplicidade do" Reino, deixar a exclusividade, pois Deus no s o que ns interpretamos, Ele maior que tudo aquilo que a nossa mente consegue alcanar. Avancemos sem tirar os olhos do autor e consumador da nossa f.Por que o silncio? "Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus." (SI 46:10)O silncio uma estratgia de reflexo, no uma doutrina. Se permitirmos que os encontristas conversem nos Encontros corremos o risco de estarmos realizando apenas mais um dos nossos histricos retiros. Ns desejamos ajudar as pessoas a terem uma profunda experincia com Deus e entendemos que se estamos num lugar apenas ouvindo a ministrao da Palavra sem dar vazo para os mais diversos assuntos, alcanaremos nosso objetivo.</p> <p>Vemos em vrios exemplos bblicos o silncio diante do Senhor. Abrao, Moiss, Elias, Jeremias, Isaas, Habacuque temeram e silenciaram diante do Senhor. Zacarias levou nove meses sem abrir a boca (Lc 1:5-25). Deus tem cada uma, no mesmo? At no cu haver silncio de trinta minutos! (Ap 8: 1)</p> <p>Diante de Deus, quando no sabemos o que dizer, melhor ouvir. "Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Mestre, bom estarmos aqui; faamos, pois, trs cabanas, uma para ti, outra para Moiss, e outra para Elias. Pois no sabia o que havia de dizer, porque ficaram atemorizados. Nisto veio uma nuvem que os cobriu, e dela saiu uma voz que dizia: Este o meu Filho amado; a ele ouvi. De repente, tendo olhado em redor, no viram mais a ningum consigo, seno s a Jesus." (Mc 9: 5-8)</p> <p>Procedemos com o silncio nos encontros, pois aprendemos que logo aps a primeira palestra da noite deveramos preservar o que recebemos para que no houvesse distrao e o assunto do arrependimento no tivesse um outro efeito a no ser um profundo quebrantamento. Depois da libertao pela manh de sbado, liberamos o silncio para que haja comunho entre os encontristas. Entretanto, muitos preferem ficar a ss com Deus. E, como muito particular a forma de Deus tratar com cada um, ns respeitamos.</p> <p>Porm, quando os Encontros eram s com lderes e pastores, no tnhamos sucesso se liberssemos o silncio. Isto porque muitos queriam falar fora de hora, no guardavam as orientaes bsicas dos encontros e fragilizavam o controle. Muitos eram um mau testemunho para nossa equipe. Da, resolvemos realizar um encontro mais estratgico.E, como pastores e lderes passam a vida falando, resolvemos deix-los calados por trs dias. Assim mesmo, depois da libertao, uma palestra muito forte no encontro, deixamos que controladamente se expressem, sem tumultuar o encontro. Essa medida foi um sucesso e tem funcionado. Entendemos tambm que no devemos mexer no que est funcionando! Entretanto, o nosso alerta para evitar que a questo do silncio entre no legalismo e se torne doutrina. A equipe que estiver ministrando no encontro deve buscar de Deus direo, pela orao e jejum, para que o encontro seja cheio da glria do Senhor.Por que o Segredo?</p> <p>"Tomou Jesus consigo a Pedra, a Tiago, e a Joo, e os levou parte ss, a um alto monte; e foi transfigurado diante deles; as suas vestes tornaram-se resplandecentes, extremamente brancas, tais como nenhum lavanderia sobre a terra as poderia branquear. E apareceu-Ihes Elias com Moiss, e falavam com Jesus. Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Mestre, bom estarmos aqui; faamos, pois, trs cabanas, uma para ti, outra para Moiss, e outra para Elias. Pois no sabia o que havia de dizer, porque ficaram atemorizados. Ni...</p>