REVISTA DE DIREITO ECONÔMICO E SOCIOAMBIENTAL .Jusnaturalismo, que enquadrou o direito como possuidor

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of REVISTA DE DIREITO ECONÔMICO E SOCIOAMBIENTAL .Jusnaturalismo, que enquadrou o direito como...

  • ISSN 2179-8214 Licenciado sob uma Licena Creative Commons

    Revista de

    Direito Econmico e Socioambiental

    REVISTA DE DIREITO ECONMICO E

    SOCIOAMBIENTAL

    vol. 8 | n. 2 | maio/agosto 2017 | ISSN 2179-8214

    Periodicidade quadrimestral | www.pucpr.br/direitoeconomico

    Curitiba | Programa de Ps-Graduao em Direito da PUCPR

    file:///C:/Users/Daniel/Downloads/www.pucpr.br/direitoeconomico

  • Rev. Direito Econ. Socioambiental, Curitiba, v. 8, n. 2, p. 330-357, maio/ago. 2017

    ISSN 2179-8214 Licenciado sob uma Licena Creative Commons

    Revista de

    Direito Econmico e Socioambiental doi: 10.7213/rev.dir.econ.soc.v8i2.18186

    Anlise econmica da execuo provisria da pena no

    Brasil luz da celeridade judicial

    Economic analysis of the provisory execution of the sentence in

    Brazil under of the speed procedural

    Galtinio Da Cruz Paulino*

    Universidade Catlica de Braslia (Brasil)

    galtienio@yahoo.com.br

    Benjamin Miranda Tabak**

    Universidade Catlica de Braslia (Brasil)

    benjaminm.tabak@gmail.com

    Recebido: 23/08/2017 Aprovado: 02/09/2017 Received: 08/23/2017 Approved: 09/02/2017

    * Mestrando em Direito pela Universidade Catlica de Braslia (Braslia DF, Brasil). Ps-graduado pela Escola Superior do Ministrio Pblico da Unio (2014). Ps-graduado em cincias criminais pela UNIDERP (2011). Bacharel em Direito pela Universidade Federal da Paraba (2006). Orientador pedaggico da Escola Superior do Ministrio Pblico da Unio. Procurador da Repblica. Ex-Procurador da Fazenda Nacional. Ex-Analista Processual do Ministrio Pblico da Unio. Ex-Assistente Jurdico do Tribunal de Contas da Paraba. E-mail: galtienio@yahoo.com.br. ** Professor do Mestrado em Direito da Universidade Catlica de Braslia (Braslia DF, Brasil). Doutor pela Universidade de Braslia (2000). Mestre pela Universidade Federal Fluminense (1997). Consultor Legislativo do Senado Federal. Pesquisador 1c do CNPq. Diretor acadmico da Associao Brasileira de Direito e Economia. O autor agradece o apoio financeiro do CNPq. Os autores agradecem as sugestes feitas por pareceristas annimos. E-mail: benjaminm.tabak@gmail.com.

    Como citar este artigo/How to cite this article: PAULINO, Galtinio da Cruz; TABAK, Benjamin Miranda. Anlise econmica da execuo provisria da pena no brasil luz da celeridade judicial. Revista de Direito Econmico e Socioambiental, Curitiba, v. 8, n. 2, p. 330-357, maio/ago. 2017. doi: 10.7213/rev.dir.econ.soc.v8i2.18186

  • Anlise econmica da execuo provisria da pena no Brasil luz da celeridade judicial 331

    Rev. Direito Econ. Socioambiental, Curitiba, v. 8, n. 2, p. 330-357, maio/ago. 2017

    Resumo

    Este artigo pretende discutir a eficincia social da deciso proferida pelo Supremo Tribunal

    Federal no HC n. 126.292-SP, que passou a admitir a execuo provisria da pena. Para tanto,

    utilizar-se dos mtodos e institutos da anlise econmica do direito para a realizao da

    referida anlise, combinando-os com dados e informaes levantados em outros artigos, e

    pesquisas. Demonstra-se que uma punio mais clere, almejada pelo referido

    posicionamento jurisprudencial, contribui para a diminuio da criminalidade, sendo,

    destarte, eficiente.

    Palavras-chave: anlise econmica do direito; criminalidade; execuo provisria; eficincia; celeridade processual.

    Abstract

    This article intends to discuss the social efficiency of the decision of the Federal Supreme Court

    in HC n. 126,292-SP, which began to admit the provisional execution of the sentence. To do so,

    use the methods and institutes of the economic analysis of the law to perform the analysis,

    combining them with data and information raised in other articles, and research. It has been

    shown that a speedier punishment, aimed at by the aforementioned jurisprudential

    positioning, contributes to the reduction of crime, and is therefore efficient.

    Keywords: economic analysis of law; crime; provisional execution; efficiency; speed

    procedural.

    Sumrio

    1. Introduo. 2. Consideraes gerais sobre a anlise econmica do direito. 3. Anlise

    econmica do crime. 4. Anlise econmica da execuo provisria da pena no Brasil e a

    celeridade judicial. 5. Concluso. 6. Referncias.

    1. Introduo

    Com a deciso proferida pelo Supremo Tribunal Federal no mbito do

    HC n. 126.292-SP, reacendeu-se a discusso sobre a extenso do princpio da

    presuno de inocncia1, em face da execuo provisria da pena. Atravs

    1 Art. 5 Todos so iguais perante a lei, sem distino de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no Pas a inviolabilidade do direito vida, liberdade, igualdade, segurana e propriedade, nos termos seguintes: (...) LVII - ningum ser considerado culpado at o trnsito em julgado de sentena penal condenatria; (...) (BRASIL, 2016).

  • 332 PAULINO, G. C.; TABAK, B. M.

    Rev. Direito Econ. Socioambiental, Curitiba, v. 8, n. 2, p. 330-357, maio/ago. 2017

    do referido acrdo, objetiva-se garantir uma maior efetividade ao processo

    penal, respeitando-se os direitos fundamentais do acusado e da sociedade,

    mediante uma relao de equilbrio entre os direitos envolvidos.

    No presente artigo, no se discutir se o novo posicionamento do

    Supremo Tribunal Federal fere ou no o ventilado princpio (presuno de

    inocncia), mas quais so seus reflexos sob o ponto de vista da anlise

    econmica do direito.

    Desse modo, buscar-se- responder se o incio da execuo da pena,

    antes do trnsito em julgado, aps a confirmao da deciso condenatria

    em segunda instncia (novo entendimento do STF) socialmente eficiente e

    contribui para a diminuio da criminalidade. Ser demonstrado que sim, em

    razo de possibilitar uma soluo mais clere para as demandas criminais e,

    consequentemente, um contexto de efetividade dos direitos penal e

    processual penal.

    O condenado, antes de recorrer da deciso confirmatria em segunda

    instncia, muitas vezes de maneira procrastinatria, atravs de recursos

    extraordinrios ou de sucessivos embargos de declarao, analisa os custos

    e os benefcios de sua conduta.

    Atravs do entendimento anteriormente vigente, os benefcios

    pessoais para o condenado ao recorrer eram muitos maiores do

    que os custos, justificando a adoo de diversas medidas protelatrias do

    findar do processo.

    Com o novo posicionamento jurisprudencial, evitar-se- que muitos

    casos sejam fulminados pela prescrio, em razo dos inmeros recursos

    desnecessrios apresentados pelo condenado, contribuindo para que os

    agentes, ao decidirem se ingressaro no mundo do crime, comparem os

    custos e os benefcios de sua conduta, ante esse novo paradigma

    jurisprudencial. Vale destacar que no momento em que a incidncia dos

    custos (o principal seria o cumprimento da pena) se d em um futuro muito

    distante, a tendncia que o agente decida se enveredar pelo mundo do

    crime.

    Para o desenvolvimento da temtica, utilizar-se- dos conceitos

    adotados pela anlise econmica do direito, em especial os voltados para a

    anlise da criminalidade, comparando-se os custos e benefcios sociais do

    novo entendimento do Supremo Tribunal Federal. Alm disso, o artigo se

    sustentar em dados levantados por outros trabalhos acadmicos que

  • Anlise econmica da execuo provisria da pena no Brasil luz da celeridade judicial 333

    Rev. Direito Econ. Socioambiental, Curitiba, v. 8, n. 2, p. 330-357, maio/ago. 2017

    demonstram que um judicirio clere propicia a diminuio da

    criminalidade, objetivo maior da execuo provisria da pena.

    Sero trabalhados ainda os dados levantados pelo Grupo de Pesquisa

    Supremo em nmeros, que demonstrou numericamente que o

    entendimento anterior favorecia uma parcela insignificante de condenados.

    Em termos estruturais, o desenvolvimento do contedo do trabalho

    se dar em trs tpicos. No primeiro sero feitas consideraes gerais sobre

    a anlise econmica do direito e seus principais institutos e conceitos, a

    serem utilizados no artigo.

    Em seguida, ser trabalhada a questo da anlise econmica do crime

    e, por fim, o tema central do artigo, a execuo provisria da pena no Brasil,

    ser demonstrado sob o aspecto econmico.

    No ltimo tpico, alguns acrdos sero referidos no corpo do texto.

    O primeiro servir apenas para demonstrar, de maneira exemplificativa, o

    posicionamento do Supremo Tribunal Federal sobra a execuo provisria

    da pena aps a vigncia da Constituio Federal de 1988. O segundo

    acrdo, de 2009, mencionado em razo de ter sido a deciso que marcou

    a mudana do entendimento anterior. Mesma situao envolvendo o HC n.

    126.292-SP. J o ltimo acrdo referido, do qual se colocou a ementa na

    nota de rodap, faz remisso, de maneira exemplificativa, ao

    posicionamento relatado.

    O presente artigo possui como principal aprendizado aferir a eficcia

    social da execuo provisria da pena e se, sob o ponto de vista econmico,

    esse novo posicionamento do STF, repita-se, eficiente. Alm disso, traz

    uma anlise da temtica sob um enfoque externo ao direito, mediante a

    exposio de novos argumentos, bem como a possibilidade de se verificar,

    sob o ngulo econmico, se esse novo posicionamento poder, atrelado a

    um atuar jurisdicional mais clere, contribuir para a diminuio da

    criminalidade e para a eficcia e a efetividade do processo penal.

    Atravs do present